#

Odeio minha mãe

1241 palavras | 18 |3.06
Por

Vi alguns relatos aqui, não sei dizer se são verdadeiros, mas vou contar o meu *Nomes trocados*

Meu nome é Marcos, eu tenho 19 anos e hoje moro no interior de SC, me mudei pra cá por conta de problemas com meus pais, em especial minha mãe.O nome dela era Flávia, vou descreve-lá branca, baixinha, cabelo loiro natural, corpo normal nem magro nem gordo, o corpo igual ao de qualquer mulher e olhos verdes.
Meu pai foi preso quando eu era criança, creio que eu tinha uns 4 anos quando isso aconteceu e desde então minha mãe cuidou de mim, ela sempre teve todo cuidado do mundo comigo e sempre me tratou bem, nunca sequer me bateu e nossa relação sempre foi ótima, mas quando eu completei 11 anos meu pai foi solto e decidiu voltar pra casa e reconstruir a antiga vida, no início foi difícil, ele era um estranho pra mim, mas com o tempo ele me conquistou sempre me ajudando na escola e me levando pra passear tentando recuperar o tempo perdido, logo que ele foi solto foi trabalhar nos correios e sempre chegava muito cansado e com dores nas costas, mas sempre ajudava minha mãe a arrumar a casa.
Com o passar do tempo reformamos a casa e fizemos ela com dois andares, nós éramos uma família muito feliz e amorosa, mas tudo isso começou a dar errado quando fiz 14 anos.
Em um dia em fui pra escola de manhã, mas quando cheguei lá, vi que ela tava fechada então voltei e decidir passar o resto do dia dormindo, já que eles trabalhavam o dia inteiro.
Não lembro exatamente que horas eram, mas acordei com o barulho do portão da garagem abrindo e vi o carro da minha mãe entrando, nem liguei e voltei a dormir depois de um tempo ouvi gemidos e pensei “deve ser meu pai e minha mãe” tentei não dar atenção, mas tudo mudou quando ouvir minha mãe falando “aaaaiiii César”, não era o nome do meu pai, me levantei rápido e fui saindo do meu quarto e quando ia descer às escadas vi uma cena que me deixou paralisado, minha tava de quatro no sofá enquanto um cara desconhecido metia nela:

Flávia: vai césar, me fode! Fode minha buceta vaaaai!! Bate na minha bunda!!

Minha mãe gritava isso enquanto César chavama ela de puta, piranha e tudo mais.

César: vai vagabunda, quer que goze na tua cara sua putinha?!! Anda sua putinha, fala pra eu gozar na tua cara, fala!!!

Minha mãe só concordava, eu tava ali paralisado sem reação, meus olhos se encheram de lágrimas eu não podia acreditar naquilo, meu pai amava ela e cuidava e dava toda atenção que podia mesmo exausto do trabalho, foi que eu senti uma raiva e repulsa da minha mãe como eu nunca tinha sentindo, foi como se todo meu amor por ela tivesse se convertido em puro ódio. Nisso César grita que vai gozar e tira o pau pra fora e goza litros na casa da minha mãe enquanto falava:

César: isso Flávia, eu sabia que tu era puta, por isso que eu te amo, amo gozar na tua cara.

Flávia: eu também amo…

Minha falava aquilo de maneira natural, como se fosse algo que rolasse a muito tempo, depois disso eu fui para o meu quarto, depois ouvi a garagem abrindo de novo e o carro saindo. A noite quando estávamos jantando, meu pai até me perguntou porque eu estava tão quieto, já que sequer troquei palavras com eles. Tudo isso aconteceu na sexta-feira, no sábado eu acordei meu pai já tinha saído e no final de semana minha mãe não trabalhava, fui na cozinha e minha mãe tava tomando café:

Flávia: bom dia filho!

Não respondi:

Flávia: filho? O que foi? Que conversar comigo?

Nesse momento eu olhei pra ela com meu rosto aparente de raiva e falei:

Marcos: sua puta…

Flávia: não entendi filho

Marcos: SUA PUTA!

Minha mãe ficou assustada, eu nunca tinha falado com ninguém daquele jeito, ainda mais com ela.

Flávia: que isso meu filho, cadê teu respeito!!

Marcos: sua vagabunda, eu te vi ontem aqui com aquele cara.

Nisso minha mãe ficou pálida e tentou falar algumas coisas, mas eu comecei a insultar ela, eu apontei o dedo pra ela e chamei ela safada e suja. Ele rapidamente mudou de expressão avançou pra cima de mim e deu um tapa na cara e disse:

Flávia: me respeita muleque!! eu sou tua mãe caralho!!!

Eu senti tanta raiva que fechei o punho voltei com um soco em direção ao rosto dela. Por conta da genética do meu pai sempre fui grande, não era definido, mas tinha muita força, meu soco derrubou ela e começou a sangrar perto da sombrancelha dela, acho que fez um corte, com isso ela começou a chorar e dizer que eu tinha batido nela, por alguma razão, eu senti uma satisfação e simplesmente sentei na mesa pra tomar café. Com isso minha mãe levantou e foi para o banheiro, desde esse dia minha relação com ela nunca mais foi a mesma, na frente do meu pai eu fingia muito bem, mas quando estávamos sozinhos eu tratava ela com muita frieza.
Um dia eu cheguei da escola e o carro dela tava lá, quando entrei, ela tava na sala e me esperando pra conversar.

Flávia: filho, por favor me perdoa, eu sei que fiz errado, mas ainda amo teu pai.

Marcos: não pareceu isso quando aquele gozou na tua cara.

Ela correu até mim e se jogou nas minhas pernas chorando e me pedindo perdão por tudo e que não iria fazer mais. Minha única reação foi ir para meu quarto e deixar ela ali chorando, anos se passaram e quando terminei o ensino médio, pedi para o meu pai para ir morar com nossos parentes no interior de SC, já que lá eu teria mais chances de ter um bom trabalho e fazer minha faculdade.

Uma semana antes da viagem minha mãe tentou se reconciliar comigo de novo, confesso que estava pensando em perdoa-lá e acabar com aquilo, mas aquela imagem dela com outro homem não saia da minha cabeça, então falei pra ela.

Marcos: mãe, eu não te odeio, mas também não quero mais ter contato contigo, a senhora entende? O que a senhora fez com a nossa família pra mim foi imperdoável, sinto muito, eu te peço por favor, não tenta fazer isso tá bom?

Flávia: tá bom filho, mas por favor tenta pensar nisso.

Eu viajei quando tinha 17 anos, hoje trabalho e faço minha faculdade, confesso que tenho muito receio de me relacionar com alguém por medo de ser traído. Minha mãe não tentou mais ter contado comigo, só falo com meu pai e ele sempre me pergunta o motivo de eu não falar muito com ela, só desconverso.
É isso, essa minha história, por favor não traía ninguém, isso pode causar um dano irreversível e traumas incuráveis.

⏩ O melhor site de desenhos animados pornô do 🇧🇷, HQs eróticas🔥

Avalie esse conto:
PéssimoRuimMédioBomExcelente
(Média: 3,06 de 18 votos)

Por #
Comente e avalie para incentivar o autor

18 Comentários

Talvez precise aguardar o comentario ser aprovado
Proibido numeros de celular, ofensas e textos repetitivos
  • Responder Kkkk ID:xlp08fi9

    Retardado, invés de comer ela enquanto ela implora kkk. Teve sorte que ela não te denunciou, mas admiro o que você fez. E sim, você é um literal filho da puta.

  • Responder Serjão ID:4adfha5s6ii

    Tu nao passa de um viado enrustido, bater na mãe em hipotese nenhuma se justifica pq tu naonpartiubpra encarar o cezar, acho que tu ficou foi com inveja dela, CANALHA !!!!!!!!
    Se eu te pego te moia na porrada seu viado.

    • Marcos ID:gipma2tv1

      E se eu for gay? Vai fazer o que? Vai querer dar a tua bundinha pra mim? Leia direito o que eu falei sua putinha

  • Responder Marcos ID:gipma2tv1

    *Resposta aos comentários*
    Minha sexualidade: sou demissexual(pesquise pra saber melhor).

    Sobre fazer sexo com minha mãe: seria interessante fazer isso e relatar pra vocês, mas não dá pessoal kkkk.

    Sobre minha vida amorosa e sexual: como disse antes, creio que isso me causou um trauma então não consigo me relacionar com quase ninguém.

    Sobre eu não consegui perdoa-lá, eu juro que tentei, mas não consegui, eu tentei mesmo, mas simplesmente não consegui.

    Respondendo diretamente ao ALEC: cara, eu não tinha problema com ela se relacionar com outras pessoas, mas ver que ela simplesmente jogor fora toda a nossa família pra dar pra um qualquer é muita sacanagem, não seria mais fácil ela simplesmente terminar com meu pai? E outra, eu nunca joguei fora todo cuidado que ela teve comigo, mas tente pensar em como eu estava com tudo aquilo, acha que eu não tentei perdoar? Eu tentei e muito, mas como disse antes, não consegui, apenas aceitei se eu fosse uma pessoa ruim tinha falado tudo para meu pai e feito da vida um inferno isso seria falta de consideração minha como filho.

    Não, eu não queria dar pro César pessoal Kkkkk

  • Responder Billy Hargroves ID:gp1fwkeqk

    Acho q vc queria a jeba do César na sua bunda isso sim, seu viado

  • Responder Alesios ID:469cz52w20j

    Muito bom o conto não liga pra esses doentes dos comentários você foi firme e resoluto fez a coisa certa

    • Marcos ID:gipma2tv1

      Obrigado cara, muito obrigado 🙃

  • Responder Comedor de viúvas ID:831i9l1d9c

    Você perdeu a chance de comer a sua mãe,se você forçasse um pouquinho ela liberava e não precisaria mais de um amante estranho.

  • Responder Escritor mistério ID:5vaq00tfi9

    Se calhar já comeste a mãe casada de outro e gostaste… Ou o pai. Moralista de meia tigela.

  • Responder [email protected] ID:gqawlfr43

    Vai ser lindo quando ela fechar os olhos e o remorso explodir no seu peito, aproveite em quanto ela está viva

  • Responder Zodd ID:7qddnbachk

    Caiu uma lágrima no meu pau.

  • Responder 7villanz ID:81ritudv9d

    meu Deus do céu que história triste…

    • Anarquista ID:8kqyapwv9c

      Marcos você tá certo vagabunda tem que ser tratada assim não importa se é mãe ou não puta é puta mantenha sua posição firme!

  • Responder AntoAnna ID:zddcemk0k

    Tivestes hipótese de comer a tua mãe e desperdiçar a chance.
    Meu conselho? Contacta ela, convida para passar um tempo com você, e quando ela estiver com você lhe diz que a única maneira de você a perdoar é passar o tempo transando com ela

  • Responder Vasco ID:vpbi1bhj

    perdi o tesao até

  • Responder Alex ID:1dawlygb0b

    Eu ia bater punheta mas acabei chorando

    • Marc Ordie ID:1fr6iihra

      Agora eu ri
      Hahahaha

    • Alec ID:1v7dj128

      Se vc ler isso deixa eu te falar uma coisa: vida de adulto é diferente de vida de adolescente e de criança. Vida de casado é diferente de vida de solteiro. Vc não sabe nada da vida não tem experiência de nada e fica todo dolorido com as coisas. Vc acha que sua mãe se virou como estes anos todos que o idiota do teu pai estava preso? Até vc não aprovar sua mãe e chegar nela numa boa e conversar e falar o que sente sem ofender sem agredir até aqui tudo bem mas só. Tem que lembrar que quem sempre protegeu cuidou amor vc nos momentos mais difíceis mais vulneráveis do seu crescimento foi sua mãe. Para de ficar sentindo dor que é dos outros não sua.