# # # #

O Amor Incestuoso Proibido PT 1

2417 palavras | 5 |3.87
Por

Um relato real do que acontece quando a família descobre o incesto…

“O Amor supera qualquer coisa”, o criador dessa frase não poderia estar mais errado.

Olá, pessoas pervertidas, Vanessa na área, hoje decidi contar a saga que foi quando eu e o Gustavo decidimos assumir nosso namoro publicamente e garanto a vocês que essa não é exatamente uma história com final feliz.
Eu tinha na época 14 anos, meu primo Gustavo tinha 17, prestes a fazer 18, o problema é que aparentemente pros nossos familiares, ele nunca namorou e minha tia pedia muito uma nora (Mal sabia ela que sua sobrinha querida era sua norinha).
Gustavo estava falando comigo como estava ficando difícil esconder o nosso relacionamento pra mãe dele, já que a mãe dele estava insistindo pra ele arranjar uma boa menina e num dia desses falando pelo celular:

GUSTAVO: Ela fica triste quando eu falo que ainda não é a hora, acho que ela quer ser avó.
EU: Sabe que isso é impossível né meu bem? O risco de termos uma criança com problemas genéticos é alta.
GUSTAVO: Por quanto tempo será que precisamos esconder o jogo? Sei lá, as vezes me dá vontade de dizer pra ela que eu namoro você.
EU: Ta doido? Imagina a desgraça que ia acontecer kkkkkk.

Nesse momento a Manu aparece, ela tinha 8 anos e me olha com aquele sorriso sapeca dele e diz:

MANU: Ta falando com o primo?
EU: To, da licença.
MANU: Sobre o que estão conversando?
EU: Assuntos de pessoas mais velhas.

Manu pega meu celular e sai correndo pela casa, eu fico desesperada, pois se minha mãe ver minhas conversas com o Gustavo, eu tinha mandado até nudes e vídeos me masturbando pra ele. Eu consigo pegar a Manu e pego meu celular dela com olhar bem irritado e Manu diz:

MANU: Ta enfezada hoje hein.
EU: To discutindo um assunto sério com o primo.
MANU: Pq não tenta contar pra mamãe de um jeito mais discreto?
EU: Como?
MANU: Fala pra ela que uma amiga ta namorando um primo só pra ver a reação dela ou algo do tipo, sei lá.

Rapaz, e não é que a Manu era inteligente, eu decidi seguir os conselhos dela e fui direto pra minha mãe:

EU: Mãe, posso te fazer uma pergunta meio… pessoal?
MÃE: Claro Vanessa, pode fazer.
EU: O que você acharia de eu estar namorando?

Minha mãe sorriu e disse num tom meigo e doce:

MÃE: Eu pediria pra você me apresentar ao meu genro, sabe que você e sua irmã sempre tiveram liberdade de falar sobre o que quiserem.
EU: E se ele fosse alguém muito próximo?
MÃE: Um colega da sua sala por exemplo?
EU: Mais próximo…
MÃE: Um amiguinho de infância.

Nesse momento eu estava ficando corada de nervoso e eu viro meu rosto sem jeito e começo a coçar meu braço sem graça e digo:

EU: M-Mais próximo ainda…

Minha mãe fica séria e me percebe que eu estava escondendo algo dela e diz:

MÃE: O que você está escondendo de mim Vanessa?
EU: Nada, é só uma suposição…
MÃE: VANESSA SOARES, ME FALA AGORA O QUE VOCÊ ESTÁ ME ESCONDENDO.

Ela ficou brava pois percebeu que o que eu ia contar era algo que eu sentia que não devia contar, sendo assim algo errado (Minha mãe tem esse poder), ela cruzou os braços e me encarou irritada:

MÃE: Anda, desembucha guria.
EU: Eu… Eu to namorando… Ebaaaa.
MÃE: Me fala quem é, Vanessa.
EU: É o… o…
MÃE: FALA LOGO GURIA.
EU: É o… G-Gustavo…
MÃE: QUE GUSTAVO?

Nessa hora eu engoli seco, eu percebi que minha mãe entendeu tudo, ela não perguntou pois não sabia quem era, ela perguntou pq não acreditou no nome que eu falei, foi algo do tipo “REPETE ISSO AI”:

EU: O Gustavo… o fi-filho da tia Camila…
MÃE: VOCÊ FICOU DOIDA DA CABEÇA VANESSA? VOCÊ SÓ PODE ESTAR BRINCANDO COMIGO NÉ? ISSO NÃO TEM A MENOR GRAÇA GURIA.
EU: C-Calma mãe.
MÃE: CALMA? COMO EU POSSO FICAR CALMA VANESSA? COM QUE CARA EU VOU FALAR ISSO PRA SUA TIA? VOCÊ TEM ALGUMA NOÇÃO DO QUÃO ERRADO É ISSO? VOCÊS SÃO PRIMOS DROGA.

Nesse momento ela deu um soco no armário de metal que afundou a parte que ela socou, eu nunca tinha visto minha mãe tão furiosa na minha vida, eu estava tão apavorada e ressentida com tudo aquilo que comecei a chorar e minha mãe disse:

MÃE: MEU DEUS DO CÉU VANESSA, O QUE VOCÊ TINHA NA CABEÇA? IMAGINA O IMPACTO QUE ISSO VAI CAUSAR NA NOSSA FAMÍLIA, COMO VOU CONTAR ISSO PRA CAMILA?
EU: NÃO, POR FAVOR MÃE, NÃO CONTA PRA TIA, ELA VAI QUERER MANDAR O GUSTAVO PRA LONGE DE MIM…
MÃE: QUIETA, Vai pro seu quarto Vanessa, vou tentar de alguma forma, reverter essa loucura de vocês dois.

Ela me olhava com olhar tão furioso, minha mãe nunca precisou me bater pra me educar (Mas ela já deu umas palmadas na Manu), mas naquele momento, naquele olhar cheio de raiva e desconforto, eu realmente pensei que ia apanhar.
Fui pro meu quarto chorando e afundei meu rosto no meu travesseiro, uma mistura de ódio com arrependimento de ter aberto minha boca, mas eu tinha que avisar o Gustavo que a bomba estava chegando e sinceramente, naquele momento, eu precisava dele mais que tudo, peguei meu celular pra conversar com ele:

EU: Gu, eu estraguei tudo, minha mãe sabe 😭😭😭😭.
GUSTAVO: Sabe do que? O que você falou pra ela Vanessa?
EU: Ela sabe da gente e vai falar com a sua mãe.

Acho que levou uns 10 minutos pra ele me responder, eu mandava mensagens perguntando se ele estava lá, mas nada, só o símbolo de online confirmava que ele estava lá, depois de 10 minutos ele me fala:

GUSTAVO: Bom, agora ambas sabem…
EU: O que você fez?
GUSTAVO: Contei pra minha mãe também, ela ficou em estado de choque, parece que ela quer conversar comigo e com você, juntos.

Eu gelei, minha tia era uma baiana arretada, daquelas bem severas, ela nunca foi estúpida ou grossa comigo, mas dava pra ver que ela tinha uma personalidade forte. Eu estava tão abalada que nem percebi quem estava do meu lado:

MANU: Oi.
EU: AHHH, QUE SUSTO GAROTA…
MANU: A mamãe saiu pra ir na casa da tia, vamos brincar de sexo?
EU: Manu, eu não to com cabeça pra sexo…
MANU: Ah vai, deixa eu pelo menos te beijar, to com saudade de te beijar.
EU: Vai então…

Manu sobe em cima de mim e começa a me beijar, eu nem estava prestando muito atenção nela, apesar de ela nitidamente estar me beijando com muito entusiasmo. Eu decido retribuir o beijo pra deixá-la feliz, fecho os meus olhos e abraço aquele corpinho infantil, sentindo nossas línguas brincarem uma com a outra. Eu acaricio o corpo dela e quando separamos nossos lábios, ela me olha com sorriso amoroso e eu retribuo com um selinho rápido.
Manu tira a roupa rápido e eu vejo aquele corpinho começar a dar indícios de formação e beijo o peitinho dela e ela me olha com sorriso tão doce que eu acabo me deitando em cima dela e começo a me deliciar com aquele corpo infantil.
Eu começo a passar meus dedos na xana dela enquanto dou um sorriso pervertido e ela começa a ficar ofegante (Nota para quem sempre sonhou com crianças, depois que elas se acostumam com sexo, os corpos delas se excitam quase igual a um corpo de um adulto). Eu no auge do desejo, começo a lamber a xana infantil e gordinha da Manu, a fazendo dar pequenos gemidos:

EU: Ta gostando?
MANU: Ahan, mas você é tão malvada.
EU: Pq sou malvada?
MANU: Pq só você está brincando, eu também quero brincar com você.

Eu entendi o que ela quis dizer e tiro minhas roupas e Manu fixa o olhar nos meios seios que já eram bem grandes (Se eu te falar que hoje eles são ainda maiores, vocês iriam acreditar? Kkkkk). Manu toca meus seios de um jeito curioso já que ela não se lembrava deles tão grandes e diz:

MANU: Ta grandão, parece melão.
EU: Faz quanto tempo que nós fazíamos sexo?
MANU: Quase 1 ano, você só queria fazer com o primo.

Ela deu uma emburrada como se estivesse um pouco enciumada e eu a abraço e dou um beijo nela e falo:

EU: Agora quero fazer com você.
MANU: JURA?

Manu olha a minha xana, que já tinha estava mais escura e ela começa a lamber ela com gosto e eu mordo meus lábios pois a Manu era muito boa com a língua dela desde novinha (Até hoje é kkkk), e logo eu sinto aquela língua infantil entrando em mim e dou um leve gemido, mas ela não parava, Manu parecia estar hipnotizada com a minha xana adolescente e eu hipnotizada com aquela criança tentando explorar a entrada do meu útero com aquela língua macia e doce.
De repente eu escuto um som de alguém tragando, eu olho a Manu e ela estava com o rosto lambuzado bebendo todo o meu mel como um copo de leite com achocolatado, eu aperto meu travesseiro e Manu não parava, parecia viciada naquele sabor até que eu dou um gemido alto e gozo na Manu a deixando totalmente melada. Eu fico ofegante e quando olho pra Manu, ela estava lambendo as pontas dos dedos, a menina estava toda pegajosa, mas estava se lambendo e eu dou um sorriso maldoso e pego ela e fico por cima dela, a assustando o pouco:

MANU: O que você vai fazer comigo?
EU: Retribuir o favor, maninha.

Abro as pernas daquela pequena putinha e enfio a minha língua o mais fundo que eu consigo na xana dela, e fazendo dar um grito assustado, mas eu não paro e como ela, eu começo a lamber tudo por dentro dela, sentia aquelas paredes apertadas do útero infantil dela umedecendo e ela se contorcia enquanto dava gemidos misturados com gritos (O útero de uma criança é muito mais sensível que o de uma adulta, por isso elas tem muito mais sensibilidade ali, o que podem assusta-las caso não tenham uma experiência sexual).
Logo eu começo a sentir um pouco do mel da Manu e começo a beber tudo como ela fez, eu sentia as mãozinhas delas afagando meus cabelos, como se ela quisesse que eu enfiasse a minha língua ainda mais fundo, mas infelizmente eu estava no meu limite, e ouvir os gemidos misturados com gritos dela estava me deixando louca de prazer.
De repente, ela cruza as perninhas dela prendendo a minha cabeça e goza muito na minha boca, e eu claro que bebi tudo aquilo, mas eu decidi continuar pra ver o que ia acontecer. Continuei lambendo dentro dela e ela disse:

MANU: Nessa, chega, chega, eu já estou cansada, podemos descansar um pouco.

Eu fingi que nem ouvi e continuei mais e mais naquela vagina pequena e saborosa, Manu ficou muito ofegante e vários esguichos espirraram direto na minha garganta, me fazendo tossir um pouco, mas eu abri as pernas dela de novo e ela me olhou com olhar bem cansado e assustado:

MANU: Vamos descansar só um pouquinho, por favor.

Eu enfiei minha cabeça lá de novo e voltei a enfiar minha língua nela, depois de algum tempo Manu amoleceu e estava a minha mercê, ela estava exausta demais para me impedir, e eu chupei, lambi, e tudo o que vocês puderem imaginar eu fiz com a xana dela. Depois de uns 5 minutos eu percebi que não estava mais saindo o mel e eu olhei pra Manu, e ela estava com os olhos fechados dormindo, e como ela parecia exausta, enfiei meus dedos nela e raspei minhas unhas lá e ela nem sequer reagiu, então eu percebi que ela realmente chegou no limite e eu me deitei ao lado dela e ela me abraçou dando um sorriso fofo e inocente (ainda com os olhos fechados) e eu peguei ela e coloquei ela em cima de mim e a danadinha usou os meus seios como travesseiro e logo eu comecei a adormecer também.
Ao acordar a noite, a Manu não estava em cima de mim e na verdade, não tinha ninguém em casa, fui pro banho, pensando em tudo, em como ia ser minha vida com Gustavo, no meu incesto lésbico com Manu entre outras coisas. Eu estava com medo do futuro, eu não queria que o Gustavo me deixasse passar por tudo aquilo sozinha (o que era meu maior medo) e se minha mãe descobrisse sobre a Manu? Minha vida estava começando a arruinar quando eu escuto o barulho do carro chegando, enquanto eu estava secando meu cabelo e eu só ouço o meu pai dizer:

PAI: Vanessa, vamos resolver essa situação, se arruma e vamos na casa da sua tia agora.
EU: M-Mas pai, está de noite e…
MÃE: Sua tia quer resolver essa situação ainda hoje, vamos logo guria.
EU: Cadê a Manu?
PAI: Está na casa da sua vó, ela não precisa passar por essa situação, agora se apronte e vamos.

O que será que minha tia quer falar comigo nessa hora tão tarde? Bom isso fica pra próxima parte caso vocês quiserem claro. Sei que essa história não foi tão sexual assim, mas como eu disse, isso são relatos reais, e nem sempre nos relatos a sexo em toda parte. Espero que entendam que eu realmente preciso compartilhar essa situação, pois é um trauma que eu quero compartilhar caso tenham pessoas passando por algo parecido.
A gente se vê caso vocês quiserem a continuação, beijo molhadinho pra vocês.

⏩ O melhor site de desenhos animados pornô do 🇧🇷, HQs eróticas🔥

Avalie esse conto:
PéssimoRuimMédioBomExcelente
(Média: 3,87 de 15 votos)

Por # # # #
Comente e avalie para incentivar o autor

5 Comentários

Talvez precise aguardar o comentario ser aprovado
Proibido numeros de celular, ofensas e textos repetitivos
  • Responder Anonimo ID:dcszgtuhk

    Olá, eu quero avisar que gostei mt desse conto, em minha opinião, bons contos ñ são apenas sexo, tem que possuir uma bela história, o que dá enredo a história. Deve continuar.

    Quanto ao seu trauma, eu entendo, passei por isso, quando minha mãe descobriu que eu fazia amor com minha irmã mais velha a bastante tempo, eu tinha uns 12 anos, ela 10. Eu acho que o que pode ter acontecido com vc foi que vc estava bem mal com o que aconteceu com sua mãe, vc queria extravasar, por isso vc deve ter feito sexo com sua irmã nessa loucura. Pois cmg foi a mesma coisa….

    • Primos e Irmãs ID:81rcpa5thk

      É, eu realmente estava precisando descarregar naquela hora, mas a Manu adora fazer sexo comigo, até hj kkkk

  • Responder Mirella mancini e Thiago ID:gsu9tbe42

    Oi amiga sou casada com meu irmão gêmeo e meus pais são primos e somos todos normais minha mãe é médica ginecologista e fala que filhos de primos não tem muito risco seria legal vc ter filhos com seu primorido (mistura de primo com marido) se vc quiser uma amiga me passa seu email

    • Primos e Irmãs ID:81rg5nqfii

      A gente já pensou em ter filhos biológicos, mas a gente tem muito medo msm, a gente já sofreu demais pela repressão famíliar, não aguentariamos ver nosso filho sofrer por nossas escolhas… não é questão de probabilidades, mas sim traumas…

  • Responder Alex ID:1dawlygb0b

    Eu quero continuaçao, ta bem legal, so nao demora