# #

Meu cu por um cavalo. (aguentei 40cm)

2005 palavras | 5 |4.26
Por

Realizei mais um sonho, fetiche, (fui a égua de um cavalo holandês premiado).

Voltando aqui, para contar mais uma aventura, dessa vez considero a mais ousada. Vou dar um pulo temporal nos meus relatos, já que essa aconteceu
a apenas 15 dias atrás. Quem já leu meus contos sabe das mudanças em minha vida depois que me separei da minha esposa e meu amante.
Venho contando aqui quase em ordem cronológica, mas agora darei um pulo, pois não consigo ficar sem contar essa história, que para muitos parecerá loucura, mais cada um tem seus conceitos, não condeno e não quero ser condenado por ninguém.
Um dos meus fetiches mais obscuros, (tão surreal, que demorei anos para aceitar esse desejo que tenho desde a adolescência), é trepar com um cavalo. Pra mim o animal, mais viril, rústico e imponente que existe no reino animal. Com o tempo essa tara ficou meio esquecida na minha mente, até porque
para realizá-la, me parecia quase impossível. Tudo mudou a poucas semanas atrás, e agora começo a contar pra vocês.

Tudo começou quando visitei um Haras, que estava tendo uma exposição de várias raças de cavalo. Fiquei encantado com a beleza dos animais
mas uma em especial, me deixou deslumbrado, como sou extrovertido, logo fiz amizade e comecei a conversar com o tratador para saber mais sobre
aquele animal em especial que mexeu com meus sentidos de uma forma diferente. Ele começa a contar toda a história daquela raça que se chama
Friesian, originário da Holanda, um cavalo de grande porte, beleza e imponência, mas também bastante dócil no trato, e também um dos mais caros
e valorizados, nesse momento ele me chama pra ver a estrela do Haras.

-Te apresento the King, esse Friesian está avaliado em mais de R$ 500 mil, e seu sêmen para reprodução não sai por menos de R$ 40 mil

Fiquei em êxtase ao bater os olhos naquele animal, foi paixão (e tesão), à primeira vista, tentei disfarçar, mais foi em vão, o tratador que se chamava
Antônio, era alto esguio, na faixa dos seus 40 anos, notou minha empolgação, e pra minha surpresa disse:

-Vc não é o primeiro a se fascinar com esse animal, todos que o veem ficam encantados, alguns até passam dos limites (disse rindo)
-Como assim passam dos limites (perguntei curioso).
-Vc sabe, alguns querem passar a mão, alisar e até apalpar.
Fiquei sem jeito com medo dele ter notado que eu serie um desses, mas pra minha surpresa ainda maior ele diz:
-Apalpar, alisar e até massagear pode, mas tem que deixar algo na minha mão né.
Meus olhos brilharam quando ele disse aquilo (parece que não seria tão difícil me aproximar daquele garanhão maravilhoso).
Parecia que ele já sabia das minhas intensões, antes de terminar meu pensamento, ele se aproximou e disse com o semblante bem sério:
-Sei que está louco pra ficar a sois com meu menino, notei assim que vc botou os olhos nele, já tenho grande experiencia nesse sentido
se é que me entende.
-Vc está muito enganado, só achei ele bonito, só isso, e acho que vc está sendo muito arrogante comigo (digo isso já saindo do estabulo).
-Bem se mudar de ideia, podemos negociar, todos que passaram uma noite com the king, nunca se arrependeram (disse me olhando de forma maliciosa)
-Pode ficar tranquilo, aqui não piso nunca mais (digo, saindo a passos largos).
-Bom, o telefone e esse mesmo aí escrito na entrada, pode ligar até de madrugada se quiser (falou com sorriso debochado).

Apesar de minha indignação de momento, muito mais por ele adivinhar meus pensamentos, Antônio estava certo, desde o dia que sair daquele Haras.
Não tirava o the king dos meus pensamentos, agora uma semana depois, e vários dias de pesquisa, eu já tinha todas as informações, que precisava
pra realizar o meu mais radical fetiche: beijar, alisar, massagear, mamar e deixar ser fodido por um cavalo. Não um simples cavalo, mas sim um garanhão
valioso, imponente e um dos mais cobiçados, talvez te todo o país. Ele seria meu ao menos por algumas horas, claro depois de negociar seu preço, não estava
preocupado com valores, o importante era conseguir realizar meu desejo por completo, e já estava totalmente determinado que iria conseguir.

-Alo? Antônio?… sou eu Mario…Podemos conversar?
-Pode vir, tenho a tarde toda.

-Então agora que já entramos no acordo financeiro as regras que terá de seguir são essas (ele diz que olhando sério).
-O que acontece aqui, fica aqui entre nós dois e mais ninguém.
-Horário das 00:00 até no máximo 04:00
-Não pode machucar o animal sequer mínima mente.
-Não pode dopar, ou introduzir nada no animal, ou seja, sexo só passivo.
-E por fim, não me responsabilizo por qualquer ferimento que o animal posso te deixar, acredito que pra chegar até aqui vc já saiba como lidar com o animal.
-Sim pode ficar tranquilo (digo de forma segura).

Espero ele terminar, abro minha bolsa e lhe passo vários maços de notas de 100,00, totalizando oito mil reais.
Ele aperta minha mão satisfeito.
-Será a experiencia, mais fascinante que vc terá em toda sua vida, pode ter certeza (diz com voz firme)
Olho pra ele um pouco envergonhado, afinal de contas acabei de negociar uma foda com um cavalo, mas digo também com voz firme:
-Pode ficar tranquilo, vai dar tudo certo, ao menos espero (digo sem conter o sorriso).
-Posso vir amanhã?
-Ficarei te esperando no portão a partir da meia-noite

Chego no Haras as 00:00 em ponto, Antônio já está me esperando
-Tudo certo, pode ficar tranquilo, estamos sozinhos hoje (diz enquanto me passa a chave do cadeado)
-Quando terminar e só enviar um msg no whats
-Ok, antes das quatro, tô saindo (digo apreensivo)

Entro no estabulo, nunca fiquei tão nervoso em toda minha vida, mas o friozinho na barriga era um estímulo a mais
Começo a lembrar de todo o estudo que fiz, de como trepar com um cavalo, encontrei até tutoriais na net, inclusive comprei alguns dos maiores praticantes de zoo do mundo, na teoria já era um expert, mas na prática só saberia, a partir de agora.

Fico frente a frente do meu garanhão, tiro minha roupa ficando completamente nu, começo a passar minhas mãos pelo seu dorso, que é macio e sedoso
nesse momento meu pau já está completamente duro, começo a sentir os pelos do seu pescoço (crina), abraço seu pescoço, como se abraçasse meu amante
sinto o calor de seu corpo, arrepio todos os pelos do meu.

Olho com cara de puta para sua vara, está mole, mas não por muito tempo, lentamente seguro seu membro, começo a apertar e massagear, ele começa
a dar sinal de vida, intensifico a punheta no meu macho (passo a chamá-lo assim nesse momento).
O pau do cavalo, diferente do homem, fica todo embutido dentro do corpo, como magica seu pau cresce nas minhas mãos, que agora estão tremulas de tesão, começo a punhetá-lo com as duas mãos, olho maravilhado, vendo a transformação do seu membro.

Pego uma fita métrica que trouxe na bermuda, seguro sua vara completamente dura, 56 cm por 18 cm de circunferência, mesmo com experiência no first fucking (não serie tão fácil a penetração, pra isso trouxe um lubrificante especial pra foda zoo).
Mas antes queria, claro, passar alguns longos minutos, mamando meu macho garanhão.

A textura do seu cacete, era espetacular, ainda mais duro e macio que um membro humano, segurei seu cacete mais uma vez com as duas mãos
bem firmes, e comecei a esfregar lentamente no meu rosto, passei nos olhos, testa, orelhas, bochechas (que sensação maravilhosa).
comecei a lamber a cabeça de forma voraz, tentei em vão enfiar toda na boca, só conseguir a metade, comecei a me punhetar ajoelhado, embaixo
do meu garanhão, estava alucinado de tesão, meu cu já piscava descontrolado, pedindo para levar aquela vara descomunal.

Costumo dizer que o cu não tem fim (já vi vídeos de dois braços sendo enterrados num gay sortudo), mesmo com minha experiência, só aguentaria no máximo 30cm. mas já sabia toda a técnica, para controlar a penetração do meu equino.
.
Empino bem meu rabo, e fico bem-posicionado, numa distância que me dava proteção na hora que sua vara começasse a entrar, seguro com firmeza
na metade de sua vara, sempre empurrando o tronco para baixo, passo lubrificante em excesso em todo seu membro.

Começo a pincelar a enorme cabeça no anel do meu rabo (rebolando igual uma cachorra no cio), fico assim vários minutos, abrindo lentamente minha
esfíncter anal cada vez mais, the king começa a ficar um pouco nervoso, começando a me sentir como sua égua, começa a pressionar a entrada no meu ânus.
Meu tesão aumenta de uma forma quase que insuportável, ao ver aquela animal maravilhoso querendo me foder de forma selvagem.

A cabeça entra por inteiro, gemi alto de dor e prazer, seguro sua vara empurrando pra baixo, para me acostumar com a penetração. Ele força a entrada
com sua força animal, não aguento e grito (agora só de prazer).
-Assiiiiim gostoooso meu cavaaalo, sente eu mordendo a cabeça da tua pica com meu cu seeeente (digo segurando sua rola e olhando pra trás).
De repente ele tenta subir as minhas costas, me usando como sua égua, tento me desvencilhar, mas não consigo, ele sobe e me penetrar de forma animal.
No último segundo ainda consigo segurar na sua vara evitando a penetração total, acredito que fui penetrado por ao menos 40 cm.

Entrei em êxtase, urrava, gritava e gemia como nunca, achei que serie possível acontecer isso com um ser humano.
-Aaaaaaggrhhhhh fooodeeee amooooor foooodeeeee aaaahhhhhaaaaahhhh…me arrrombaa gostooooooso…aaaaaaaaahhhhhhh
Ele começou a me foder, como se eu fosse sua égua no cio, e nesse momento era assim que me sentia
Ele me bombava com força, a velocidade do seu vai e vem me fazia tremer de prazer, sentia minhas entranhas sendo
completamente dilatadas, que sensação maravilhosa, segurava sua tora, até o ponto que aguentava.
Comecei a piscar meu cu para dar mais prazer a meu macho, a cada piscada, sentia toda a extensão de sua penetração profunda.

Ficamos engatados por mais alguns segundos, com ele montado com as patas nas minhas costas. Até que veio o momento sublime
Seguido de um relincho alto, seu sêmen veio de forma intensa e em grande quantidade, senti uma sensação de queimor por todo
meu reto, comecei a gritar de prazer, e gozei instantaneamente, (meu cu piscava no seu caralho, me fazendo sentir o maior prazer
da minha vida). Senti seu mastro murchar lentamente, até se despregar do meu cano anal.

Satisfeito e exausto, saio debaixo do meu macho garanhão, e começo a abraçá-lo e beijá-lo, ele me olha como se entendesse
todo aquilo que acabamos de fazer. Fico abraçado a ele, sentindo o calor delicioso do seu corpo robusto, lhe dou um último beijo
antes de me sentar e descansar meu corpo. Minhas costas doíam, minhas pernas tremiam, meu cu estava dilacerado, e ainda golfava
os últimos resquícios de porra equina. Olho no relógio, ainda tinha 1h e meia, até entregar as chaves a Antônio. Resolvo tirar
um cochilo, do lado do meu novo amante.

Votem e comentem se gostaram, obrigado a todos pela companhia. Bjos…na bunda!!!

⏩ O melhor site de desenhos animados pornô do 🇧🇷, HQs eróticas🔥

Avalie esse conto:
PéssimoRuimMédioBomExcelente
(Média: 4,26 de 35 votos)

Por # #
Comente e avalie para incentivar o autor

5 Comentários

Talvez precise aguardar o comentario ser aprovado
Proibido numeros de celular, ofensas e textos repetitivos
  • Responder Ivinho ID:g3jjxse8l

    Né veado,nem um cão escapa da sua danação provocada pela bactéria gay,não é mesmo?Cuidado veado!Sou o John Deere,Defensor dos Animais,comigo veadagem e veado tem fim!

    • Deeper ID:ben6156209

      Leu tudo e ficou com inveja kkkkkk

  • Responder Kaio ID:8kqv5bf49i

    Meu pai tem uma fazenda e sempre vou pra lá um dia vi o cavalo no estábulo de pau duro como eu estava sozinho comecei a bater uma pra ele até q não resisti e comecei a mamar nossa q delícia um pau gigante preta na boca me senti uma puta mamando um africano até q ele gozou me limpei e sai de lá correndo tomei um banho e fui pro quarto bate muita punheta pensando em como era a sensação de da pra um pau preto gigante e comecei a enfiar o dedo e o cabo da escova no cu até gozar tinha 17 anos nessa época hj tenho 21 e ainda virgem do cu louco pra da pro cara pauzudo de preferência um pau preto

  • Responder Jd2 ID:5pbammikd9b

    Porra eu queria somente assistir essa cena, Gozei muito com seu conto.

    Quando era menor eu tinha tesão em fazer isso, ja dei para cachorro e achei ótimo.

    Deixa um contato se vc for do Rio

    • Dadinho ID:831hpceoib

      Tbm dei pra um cachorro, um labrador pauzudo da porra. Eu já tinha dado duas vezes para o dono dele, que era meu amigo de escola. Um dia qdo cheguei na casa desse meu amigo, ele estava peladão no quarto, brincando com o cachorro. Ele falou que tinha dado pro cachorro, eu não acreditei. Falei que não tinha como uma coisa dessas, então ele mandou eu tirar a roupa, ficar de joelhos e apoiar na cama. Fiquei do jeito que ele mandou, ele passou bastante gel no meu cusinho, e ajeitou o bicho em cima de mim, e guiou a rola dele no meu cusinho. Pqp, a dor foi terrível, pq o cão age por instinto, e não adianta reclamar pq ele não entende nada. A cada estocada que o cão dava, eu pensava que a rola dele ia sair pelo meu umbigo de tão forte que ele socava. Mas foi tão gostoso, que gozei sem tocar na rola. Depois daquele dia, dei mais duas vezes para aquele cão pauzudo.