# #

Fiquei no lugar da ovelha …Parte 2

1576 palavras | 3 |4.78
Por

Meu amigo me colocou no lugar da ovelha , me comeu e ainda contou para o primo…Adivinha o que deu……

Como Contei na primeira parte fomos visitar nossos amigos no interior do Rio Grande Do Sul, já morávamos em Porto Alegre a muitos anos. Nos mudamos para capital quando eu tinha 3 anos, eu já tinha uns 9 na época e todos os anos nos voltávamos para rever os amigos. Normalmente no carnaval. Então ficávamos 4 ou 5 dias. Como a família é grande , pai, mãe, 3 irmãs e eu o nenezinho, ficávamos em casas diferentes . O pai e mãe numa casa , as gurias em outra ,onde tinham outras meninas e eu ficava em outro onde os filhos eram meninos.
Era bem interior mesmo, todos tinham plantações ou criação de gado.
Como contei anteriormente, meu amiguinho me convidou para comer uma ovelha. Ele comeu e na minha vez , não consegui. Fiquei com nojo de colocar meu pauzinho naquela coitadinha da ovelha.
Meu amigo riu muito e disse que iria contar para todos os guris. Fiquei com vergonha e disse que faria o que ele quisesse. Claro que ele quis me comer. Me colocou no lugar da ovelha . Baixei meu shortinho, fiquei de quatro e ele meteu no meu cuzinho. No outro dia estávamos brincando e ele me levou para o galpão e quis me comer de novo. Reagi e disse que não , mas ele disse que se eu não desse a bundinha de novo ele contaria para os outros meninos.
Fiquei com vergonha , e disse que ele poderia colocar só a cabecinha e fiz ele jurar que não contaria para ninguém.
Baixei meu shortinho e de novo fiquei de quatro sobre o feno. Ele ajeitou seu pauzinho e meteu no meu buraquinho. Como ele tinha cuspido antes , seu pau foi deslizando pelo meu cu e quando me dei conta já tinha entrado todo. Reclamei.
—-Tu disse que ia botar só a cabeça.
—–Eu sei, mas teu cuzinho e muito gostoso. Posso deixar meu todo dentro do teu cuzinho ?
—Tâ bom, deixa , mas só um pouquinho tâ…
Ele continuou a me comer mais um pouquinho , metendo no meu rabinho igual fazia na ovelhinha.
Eu também tentei fazer como a ovelhinha e aguentar todo o pauzinho no rabo sem berrar.
Ele gozou e tirou o pau. Sentamos um pouco e ele puxando assunto falou:
—-tu não vai ficar brabo , mas ontem, tive que contar para meu primo que eu te comi.
—Tu tâ louco, tu prometeu que não iria contar.
—-Mas foi só para ele, e eu não contei o que não quis comer a ovelha , contei só que eu tinha te comido no celeiro.
—-e agora ? Será que ele vai contar para mais alguém.
—-Não. Ele não vai contar .Só que ele disse que ia pedir para teu pai para se tu poderia dormir na casa deles hoje.
—-Será que meu pai vai deixar?
—–Acho que sim , ele é muito amigo do meu tio.
Encontrei meu pai na janta e ele foi logo falando que eu dormir na casa do Tio Fulano (que era o pai do primo dele). Respondi que não tinha problema, estava tudo certo. Não queria causar problema, nem levantar suspeitas.
Depois da janta, meu amiguinho passou onde eu estava e me levou para a casa do primo. Conversamos um pouco todos juntos. Contei as vantagens de morar na cidade grande, das coisas que tinham lá, do colégio grande . Por fim perto das 11 horas fomos todos dormir.
Eu dormiria no mesmo quarto de primo do meu amiguinho. Ele tinha um 11 anos, era um alemão bem forte, tipo coloninho mesmo. Ia para escola de manha e a tarde ajudava o pai nas lidas do campo. Eu não era de reparar nos meninos, mas o alemazinho era muito bonito. Bem mais alto que eu, olhos verdes iguais aos meus, corpo queimado do sol, braços fortes do trabalho com a enxada. O mais novo de uma família de 3 irmãos. Um dos irmãos já estava no quartel e o outro dormia em outro quarto.
Deitei quietinho. As luzes todas se apagaram, as conversas cessaram. Estava quase dormindo, quando sinto ele sentar na minha cama. Bem baixinho ele falou:
—–O primo me contou o que vocês fizeram no celeiro.
—-o que ele contou? Perguntei desconversando.
—-ele disse tu deu a bunda para ele.
—-ah… sim, mas foi só um pouquinho. Ele botou só a cabecinha.
—-Ahhh. tâ. Eu também quero botar só cabecinha. Vira.
Era verão , nem estava tapado. Sem outra alternativa, virei de bundinha para cima e em seguida ele começou a alisar meu traseiro. Foi puxando meu shortinho e em segundos estava peladinho.
Com carinho ele foi alisando meu reguinho, passou cuspe no meu cuzinho e enviou o dedo.
—-Ai… Dei um gemidinho.
Ele deitou em cima de mim, cutucou seu pau na portinha de meu cu e forçou um pouco. Seu pau já era bem grandinho e não entrou no meu cuzinho. Ele passou um pouco mais de cuspe no meu cu e forçou de novo. Senti as pregas de rasgarem e seu pau foi entrando no meu cu. Dei um gemidinho:
—-Ai….Ai….
Ele colocou a mão na minha boca, e falou no meu ouvido:
—–psiu…psiu… Fica bem quietinho.
Mordi o travesseiro e obedeci. Seu pau foi entrando e logo senti o peso do seu corpo descansar sobre o meu. Ele deu um tempo para meu acostumar com a dor e em seguida começou a botar e triar o pau. Fazendo um vaivém bem lento, prensando meu corpo contra o colchão. O colchão era daqueles antigos de feno, eu acho, e não fazia barulho, mas a cama começou a ranger. Ele se deu conta e parou o vaivém. Deixou o pau todo dentro de mim, como se estivesse pensando em alguma coisa. Aí saiu de cima de mim e pediu para eu me ajoelhar no chão. Obedeci. Ajoelhei ao lado da cama. Ele deitou meu corpo sobre a cama o que arrebitou minha bundinha. Passou cuspe de novo no meu cuzinho e meteu seu pau inteirinho no meu buraquinho. Dei um gemidinho bem baixinho e deixei ele bombear no meu traseiro. Ele me segurou pela cintura para não balançar a cama e fez um vaivém até gozar no dentro do meu cuzinho.
Ele tirou o pau quando começou a amolecer. Senti um alivio e logo em seguida senti escorrer um liquido pelas minhas coxas. Ainda de joelhos procurei meu shortinho para me limpar enquanto ele batia seu pau melado na minha bunda.
Virei e falei baixinho:
—-tu disse que ia colocar só cabecinha.
Ele tapo minha boca com mão, enviou o dedo dentro da minha boca e falou no meu ouvido:
—-fica bem quietinho e vai dormir, senão conto pro meu irmão e ele vai te arrombar.
Senti o cheirinho de cu no dedo dele. Sem outra alternativa . Obedeci.
Me limpei como pude , coloquei o shortinho e deitei bem quietinho. Ele se deitou na cama dele . Mas não conseguia dormir. Comecei a me punhetiar lentamente e logo estava de pau durinho. Me enchendo de coragem levantei e sentei na beirada da cama dele.
Cheguei perto do ouvido dele e falei baixinho :
—-tu quer colocar a cabecinha de novo ?
Ele sentou na cama me abraçando por trás . Alisou minhas coxas e passou a mão pela meu pau durinho e perguntou :
—-Tu não gostou, neh.. ? Deita aqui que vou colocar a cabecinha no teu rabinho.
Não pensei duas vezes, tirei meu shortinho e deitei na cama dele. Ele me virou de ladinho e me encostou na parede. Ficou me coxeando por trás, até seu pau ficar duro de novo.
—-Quer que eu coloque a cabecinha, neh… ? Perguntou ele lambendo minha orelha.
—-aham…aham… Respondi com vozinha de putinha.
Joguei a bundinha para trás e ele tentou meter. Não entrou. Eu mesmo passei cuspe na mão e passei no meu cuzinho. Ele forçou um pouquinho e logo meu cuzinho se abriu para receber seu pau de novo. Ele meteu de uma vez só, só parou quando seu corpo bateu no meu. Ficou paradinho e disse baixinho no meu ouvido.
—–Rebola putinha, rebola putinha, bem devargarzinho no pau do teu macho.
Me senti uma putinha mesmo. Adorei ser enganado por ele. Ele já sabia fuder que nem gente grande. E eu acostumado com os menorzinhos adorei um pau maior na bundinha.
Eu nem sabia fazer direito, mas obedeci. Mexi a bundinha para frente e para trás . Ficamos assim um bom tempo, tentei me punhetiar mas tinha que usar as mãos para segurar na parede e forçar para trás. Não sei quanto tempo durou , mas depois de algum tempo ele gozou de novo. Deixou o pau lá dentro até amolecer, antes de tirar, pegou meu shortinho passou no meu reguinho para limpar a porra que começava a escorrer. Segurou um pouquinho lá depois esfregou na minha cara enquanto esfregava seu pau melado nas minhas coxas e me mandou ir dormir na minha cama. Obedeci.
Voltei para minha cama exausto e adormeci de pau duro.
No outro dia, por sorte ou azar já estaria voltando para Porto Alegre.
Quem quiser saber mais entre em contato com o e-mail :
[email protected]

⏩ O melhor site de desenhos animados pornô do 🇧🇷, HQs eróticas🔥

Avalie esse conto:
PéssimoRuimMédioBomExcelente
(Média: 4,78 de 9 votos)

Por # #
Comente e avalie para incentivar o autor

3 Comentários

Talvez precise aguardar o comentario ser aprovado
Proibido numeros de celular, ofensas e textos repetitivos
  • Responder luiz ID:dlns5khrd

    Porra nao gostei ese moleque tinha que passar mais tempo ai para da mais o cuzinho podia ter dado aos outros dois irmaos

  • Responder César ID:xlpkbkv3

    Leio todos teus contos, Boneco! Lembram minha infância no interior de SC, quando comecei a dar a bundinha, brincando de mocinho e bandido! Parabéns.

    • boneco ID:w72i68rj

      Me manda um email, para contar suas estorias.
      [email protected]