# # #

Festa em Família – desconfiando do papai e da mamãe

1858 palavras | 0 |4.40

Sou Jovem mulher ainda, tenho apenas 23 anos, mas muitos anos de experiência.
Quando eu tinha 15 anos, meu irmão estava entrando naquela fase da puberdade. Aos 12 anos começou demorar no banho, esconder cuecas e toalhas, essas coisas de menino.
Sinal que estava crescendo, e “aflorando” seus desejos.

Mas algo me chamou atenção nesse “crescendo”, ele continuava tomando banho com meus pais, as vezes com os 2 ao mesmo tempo, as vezes com apenas 1 deles.

Minha mãe até me convidou para tomar banho com ela algumas vezes, depois dos meus 11/12 anos, mas nunca mais aceitei. E com meu pai então, mais tempo ainda. Desde meus 7 anos. Nossa, muita vergonha eu sentia, só de pensar em ficar nua na frente deles.

Mas meu irmão não tinha, nem eles, passavam nus pela casa. Meu pai com aquele negócio balançando pra lá e pra cá… e Meu irmão também! Já dando para perceber que seria avantajado igual do papai.

Meus pais sempre foram safadinhos, andando pelos cantos da casa se agarrando, se lambendo… Mas fazendo o possível para não serem vistos ou ouvidos. Mas era só parar para prestar atenção, se quisesse dava para ver e ouvir tudo.

Não sei se por ser menina, mas eu “demorei” para ter certas curiosidades, ou ter aquele “calorão” ao pensar em alguma coisa. Na verdade nunca havia sentido até meus 15 anos.

No dia que comecei desconfiar de algumas coisas e imaginar algumas coisas na minha cabeça.

Nesse dia em questão, eu estava em casa de boas, aproveitando minhas férias… Um calorão, quando meia tarde meu pai e meu irmão chegaram, estavam jogando futebol na quadra do condomínio.

Os 2 sem camiseta e suados. Foi a primeira vez que notei o corpo do meu pai, um homem de 42 anos, poucos pelos, “sarado” com barriguinha saliente, braços e pernas fortes, um homem com seus 1,88m, começando ficar grisalho. Sempre praticando esportes, e levando meu irmão para esse lado esportista também.

Foram os 2 para o banho, como sempre, não se importavam em tomar banho juntos.
Depois que subiram a escada, ouvi barulho de chuveiro lá no quarto dos meus pais. Foram para o banheiro da suíte. PERFEITO…

“No banheiro da Suíte tem como eu Espiar para dentro sem ser notada”, pensei comigo.

Começou aquele calorão que eu havia comentado, inclusive queria ver o meu irmãozinho também.

Esperei uns 5 minutos e comecei subir a escada, ouvindo o chuveiro, mas sem ouvir vozes, podia ser por ter chuveiro duplo, um em cada lado da parede, estava abafando as vozes. Não sei.

Entrei no quarto e fui indo a espreita, me escorando no guarda roupas e me abaixando um pouquinho.

Quando para minha surpresa, meu pai estava sentado, completamente nu, em um “banco” de concreto que tem dentro do box do banheiro. E bem na hora que eu olhei, meu irmão estava levantando do colo dele…

Simplesmente DESATOLANDO aquele mastro jorrando porra de dentro do cu, estremecendo a perninha e fazendo cara de prazer…

Na hora dei um gritinho de susto e bati a cabeça no guarda roupas… e sai correndo!
CERTEZA que meu pai me viu e me ouviu!

Aquela cena ficou na minha cabeça por dias… Inclusive comecei me masturbar pensando naquilo.

Minha mãe, meu pai, meu irmão… Eles tomam banho de dupla e de trio…

Será que eles fazem isso sempre? Será que meu irmão transa com a minha mãe?
Será que meu irmão também come meu pai? Eu estava ficando maluca.

O Clima lá em casa mudou MUITO pra mim. Até sair de casa eu estava pensando.
Mas parece que eles não tinham notado nada, ou não se importavam.

Um dia fui posar na casa da minha amiga, no mesmo condomínio.
Mas não conseguia parar de pensar naquilo, e no que os 3 podiam estar fazendo em casa.

Resolvi largar tudo e voltar pra casa, que nem uma loca, escabelada, desesperada, e cheia de tesão, queria ver o que estava acontecendo.

Por volta das 22:30h entrei em casa pé por pé!
Fui subindo as escadas devagar, indo em direção ao quarto dos meus pais, única peça da casa com luz ligada dentro, fraca, mas tinha luz.

Quando cheguei em frente a porta entre aberta eu não pude acreditar.
Meu pai nu, com bundão pra cima, deitado na cama, com as pernas pra fora da cama, engolindo o pau do meu irmão (que não é pequeno)… Meu irmão deitado com a cabeça no colo da minha mãe, simplesmente “mamando” os seios da mamãe, enquanto ela assistia um pouco de novela, assistia a cena na frente dela.

Meu pai então parou de mamar, passou lubrificante no cu dele e no pau do meu irmão.
Acavalou e enfiou o pau do meu irmão até o talo, largando um pequeno ‘urro’ e beliscando os mamilos… Nisso minha mãe que já estava se ajeitando, ‘acavalou’ na cabeça do meu irmão e começou esfregar a buceta na cara dele, enquanto beijava meu pai.

Não conseguia acreditar, tudo que eu tinha imaginado era verdade, todo esse tempo eles estavam me enganando, escondendo tudo isso de mim… Porque nunca me convidaram??

Perae…

Quee?

Nisso eu me acordei… No susto … Deitada na minha cama, e completamente “molhadinha”.

Era um sonho? Acho que sim… Que alívio… Que saco, queria que fosse verdade… Eu acho!

Fiquei em um misto de, queria que fosse um sonho, mas queria que fosse verdade!

Desci para o café, era domingo. E tudo dentro de casa estava no seu mais absoluto normal.
Meu pai preparando o café e falando de futebol com meu irmão!

Minha mãe de mau humor, recém acordando e pedindo para “os meninos” falarem mais baixo, meu pai provocando ela… Até me acalmei.

Meu pai veio até mim, colocou a torrada no meu prato e me deu um beijo na testa… e brincou dizendo “Vocês meninas da casa dormem muito!”

Minha mãe retrucou: “Eu não sei como vocês tem energia depois de tudo aquilo ontem”

Eu cheguei me afogar com o café… Perguntei “tudo aquilo o que? Do que estavam falando?”

Pensei comigo: “será que ela esta falando do sexo? mas aquilo era um sonho!”

Ela respondeu: “Como assim menina, tu não lembra que eles passaram a tarde fora fazendo trilha, chegaram já escuro, doloridos e machucados!”

Aaaéé mesmo… Foi isso!

CHEGA dessas coisas! Pensei… Vou aproveitar minha vida!

Se for verdade ou mentira, eu vou me atirar de vez. Eu tava MORRENDO DE TESÃO!
Sinceramente eu acho que estava até exalando o cheiro.

Demos risada e comemos churrasco meio dia, fui para piscina de tarde, brinque com meus pais e com meu irmão, ficamos olhando o pai e o mano na quadra jogando com os vizinhos, flertei com outro vizinho da minha idade, uma maravilha.

Até que começou cair a noite, e decidimos ir pra casa. No outro dia meu pai acordava super cedo, tipo 4h da madrugada para viajar.

Chegando em casa, eles naquele hábito deles, foram se pelando e indo tudo para o banho!

Eu MUITO envergonhada fui tirando a roupa também. Eles me olharam e riram. Viraram as costas e foram indo.
Quando entrei no banheiro, eles 3 estavam dento do box já…

Eu tinha 5 anos, cinturinha fininha, peitos bem formados, grandes para idade, puxaria minha mãe nesse sentido, embora acinturada, não tinha uma bunda muito grande, meu destaque era os seios mesmo. Bem branquinha, de ficar vermelha só com o mormaço, igual meu pai.

Entrei de braços cruzados, e Quando “larguei” os seios, vi o pau do meu pai simplesmente subir que nem um míssil… Minha mãe percebendo, ficou na frente dele para tentar esconder e disse: “Vem que a água já está ótima”

Entrei feliz da vida e cheia de tesão… Abracei a mamãe que estava toda molhada, esfregando seio com seio, dei um beijo no pescoço dela. Fui em direção ao papai, com aquele pau apontado pra cima, um mastro gigante. (ainda mais pra mim que nunca tinha visto um pau).

Ele me abraçou, colocando o pau entre minhas pernas, forçando a portinha da minha buceta, dizendo: “minha minininha crescidinha… meu amor, o pai te ama”

Eu tava estourando de tesão… nuuusss, inclusive tentei forçar a entrada, mas senti um desconforto, uma dorzinha!

Ele percebendo disse: “Calma!!”
Eu olhei pra ele um pouco envergonhada, pensando que eu realmente estava imaginando coisas…

Então ele completou: “Depois que você desmaiou ontem, em frente a nossa porta do quarto, ao ver nossa pequena cena de sexo, achamos que tudo seria diferente, que nunca mais falaria conosco!”

Larguei ele enquanto dizia: “Então não foi um sonho??”

Mas ele não me soltou, me agarrou forte, abriu minhas nadegas e senti o pau do meu irmão por trás, e as mãos dele agarrando meus seios e apertando meus mamilos.

Eu paralisei, estava “prensada” entre 2 paus, completamente entregue!

Meu pai disse: Agora que sabemos o que tu quer, vai participar, agora a festa da família vai estar completa!

Eu já completamente fora de mim, fui para dar um beijo nele! Ele me parou dizendo que não seria comigo! Me soltou e explicou que o pau dele era muito grande pra mim, que quem me comeria seria meu irmão, toda semana, me preparando para sexta feira, o dia que ele voltaria de viagem.

Que a mamãe me ajudaria! Me ensinaria tudo!

Meu irmão não me soltou nenhum segundo durante o banho, que coisa maravilhosa sentir aquele pau roçando em mim a todo momento.

Ali mesmo minha mãe já me ensinou a mamar… Bom, na verdade quem me mostrou mais detalhes foi o meu pai.
Mas meu pai não deixou eu chupar o dele, disse que sexta feira seria só eu e ele, que seria exclusivo, que ele me trataria como a princesa que eu sou, como eu mereço.

Eu olhei pra minha mãe e ela deu uma piscadinha 😉

Dali fomos para a cama, onde fui iniciada pelo meu irmão…

Maravilha minha mãe gemendo que nem uma cadela do meu lado, com meu pai dentro dela, e eu do lado que nem uma cadelinha, com meu irmão dentro de mim, imitando tudo o que ela fazia.

Foi difícil, foi dolorido, mas foi muito gostoso! Eu tava com TANTO tesão que estava praticamente aberta, dilatada, só esperando ser invadida.

Semaninha incrível, mas só pensava na sexta feira, como seria com o papai!

Embora durante aquela semana eu também tenha ficado apaixonada em me afogar em uma buceta deliciosa. Gratidão mamãe!

Acho que em breve eu conto durante a semana e como foi com o papai.

Quem sabe

⏩ O melhor site de desenhos animados pornô do 🇧🇷, HQs eróticas🔥

Avalie esse conto:
PéssimoRuimMédioBomExcelente
(Média: 4,40 de 43 votos)

# # #
Comente e avalie para incentivar o autor

Nenhum comentário

Talvez precise aguardar o comentario ser aprovado
Proibido numeros de celular, ofensas e textos repetitivos