# #

Dia de chuva, dia de dar a bundinha..

1021 palavras | 1 |5.00
Por

Pedi para ver quem tinha o pau maior….o dele era grande mas entrou….

Meu apelido é boneco ,tenho 56 anos, casado com a mulher a mais de 30, já contei varias estórias aqui no site, sobre o meu começo no sexo. Sempre fui precoce, entrei na escola aos 6 anos, aos 13 no segundo grau e aos 21 já estava formado na faculdade.
Era uns dos mais novos dos primos, por isso eles sempre “abusaram” da minha inocência. Na escola também sempre fui o mais novo, então meus amigos sempre eram mais velhos que eu. Um ou dois anos pelo menos.
Comecei no sexo muito novo, sendo passivo para meu primo que sempre inventava um jeito diferente de me comer. Depois fui passivo para outros primos e alguns amiguinhos.
Meu primo desde aquela época era meio tarado, e continua sendo, era muito malandro e inventava varias brincadeiras para poder me comer. Primeiro foi o troca-troca, onde só ele comia, depois foram as disputas de jogos , onde eu sempre perdia e tinha que dar a bundinha para ele, depois foram as revistinhas de sexo, que para eu ver tinha que dar a bundinha para ele, depois as brincadeiras de medico, onde eu sempre levava “injeção” na bundinha, depois foram as brincadeiras de papai-mamãe, onde ele sempre era o papai e eu sempre levava ferro.
Mas ele era muito legal comigo e eu acabava sempre fazendo o que ele pedia. Até dar para o irmão dele ou para os seus amigos.
Ele fazia troca-troca com os amigos dele. Mas me usava como moeda de troca. Ou seja, ele comia os amigos e eu dava a bundinha no lugar dele.
Acabei me acostumando a levar pau na bundinha, gostava de ter meu corpo comparado com o corpo das minhas irmãs e principalmente de ter uma bundinha mais gostosa que as delas(segundo meu primo).
Por sorte ou azar, mudei de bairro aos 9 anos e me afastei um pouco dos meus primos.
Com uns 10 anos, já na quinta seria, era o menorzinho da turma. Vivia na rua brincando com meus amigos , principalmente jogando futebol . Nos dias de chuva tínhamos que inventar outras brincadeiras.
Num desses dias de chuva fui na casa do Gilmar um colega de aula. Não tinha vídeo game naquele tempo, então estávamos de bobeira no quarto conversando, o assunto chegou em meninas e logo estávamos falando das gostosinhas da classe. Logo estávamos de pau duro e como quem não quer nada , falei :
—-Vamos ver quem tem o pau maior.
Eu sabia que o Gilmar por ter quase dois anos a mais provavelmente tinha um pau maior, mas só queria ver o pau dele.
Tiramos nossos paus para fora e ficamos nós exibindo. O dele era bem maior, grosso e pontudo. Não pude deixar de dar uma boa encarada no pau dele. Então ele disse:
—-Viu , meu pau e bem maior que o teu.
—-Sim , eu vi, mas não adianta ter grande e não saber usar. Falei encarando o pau dele.
—-Eu sei sim, fica de quatro aí que eu mostro.
—Tâ louco isso aí nem entra no cu.
—Entra sim. Deixa eu tentar.
—-Bem capaz, Tâ louco, deve doer um monte.
—-Eu boto bem devagarzinho, tu nem vai sentir.
—-Não, acho que não. Respondi já meio vacilante. Ele percebeu.
—-Pega aqui. Falou ele me mostrando o seu pau.
Meio sem jeito peguei de leve no pau , dei uma punhetiada e falei:
—-Acho que não entra em mim , é muito grande. Falei sem soltar o pau dele.
Ele aproveitou a proximidade e passou a mão de leve no lado da minha bunda.
—-Ah…deixa eu botar só um pouquinho.
—-Mas se doer tu para. Perguntei ainda com o pau dele na mão.
—-Sim, eu paro e só tu pedir que eu paro.
Pensei um pouco com o pau dele na mão e ele foi alisando minha bundinha.
—-Tâ bom, eu deixo tu botar um pouquinho ,mas só a cabecinha e se doer tu para.
Baixei meu short e me inclinei sobre a cama. Ele foi logo tentando socar seu pau no meu cu. No seco assim não entrou, Pedi um pouco de calma e cuspi na mão e passei no reguinho.
—-Tenta agora. Falei abrindo um pouco as bandas da bunda.
Ele cutucou meu cuzinho e enviou a pontinha do pau no meu cuzinho. Dei um gritinho. Ele recuou mas pedi para ele tentar de novo. Foi enviando a pontinha de novo, entrou rasgando meu cuzinho, gemi um pouquinho ,mas aguentei.
—-Tâ doendo. Perguntou ele.
—-Tâ um pouco, mas acho que eu aguento. Respondi abrindo mais as bandas da bunda com as mãos.
O pau foi entrando e logo senti ele bater seu corpo moreno na minha bundinha branca.
—–Eu disse para ti colocar só a cabecinha, tu tâ botando tudo.
Ele foi tirando o pau quase até escapar.
—-Quer que eu tire, ou quer que eu coloque. Falou ele colocando o pau todo de uma vez.
Adorei a metida e pedi.
—-Faz de novo que eu vou ver.
Ele quase tirou o pau e colocou com força novamente.
—-Tâ bom , eu deixo tu colocar tudo , mas só desta vez, não pensa que vai me comer de novo.
Ele começou um vai vem gostoso, tirando e botando dentro do meu cuzinho. Fez uns 4 ou 5 minutos e aumentando o ritmo anuncio que iria gozar.
Ele já gozava , e gozou dentro do meu cuzinho. Tirou o pau , fiquei mais um minuto assim naquela posição meio de quatro, até que senti um fiozinho de porra escorrer pelas minhas coxas. Coloquei rapidinho o short e pedi para ir no banheiro. Me limpei um pouco. e voltei para o quarto.
Conversamos alguns minutos como se nada tivesse acontecido. Depois falei:
—–tu não conta para ninguém neh….
—-Claro , claro, pode deixar, eu não vou falar.
Brincamos mais um pouco com seus carrinhos e voltei para casa . A chuva , assim como a cosquinha no cuzinho tinham passado.
Claro que sempre que chovia eu ia na casa dele.
Meu email : [email protected]

⏩ O melhor site de desenhos animados pornô do 🇧🇷, HQs eróticas🔥

Avalie esse conto:
PéssimoRuimMédioBomExcelente
(Média: 5,00 de 8 votos)

Por # #
Comente e avalie para incentivar o autor

1 comentário

Talvez precise aguardar o comentario ser aprovado
Proibido numeros de celular, ofensas e textos repetitivos
  • Responder luiz ID:dlns5khrd

    deve ter dado outras vezes para ele e aposto que ele contou para todos os amigos e vc teve que dar a todos