#

Comendo a peituda maconheira da escola

1892 palavras | 8 |3.88
Por

Olá! Eu fico feliz que meu primeiro conto teve uma recepção positiva pelos leitores. Eu decidi continuar contando histórias do que fazia na escola.

Eu aproveitei bem meu tempo de escola pra fazer todo tipo de sacanagem, não só encoxei muita gostosa, como também fodi muitas. E essa história é sobre uma delas.

Eu estava no primeiro ano do Ensino Médio, tinha acabado de entrar na escola. E como todo bom adolescente já estava com o instinto de fuder apitando. A vantagem de estudar em escola pública grande é que você conhece todo tipo de pessoa, até conhece gente que nunca pensaria conhecer ou acabar ficando amigo. No caso eu fiz um grande amigo na escola, o nome dele era Vinicius, nosso grupo o apelidou de Vini. Ele foi fundamental pra eu conseguir fuder a gostosa em questão. O nome dela? Rafaela.

A minha sala tinha uma abençoada quantidade de gostosas, pelo menos eu acreditava. Hoje revendo as fotos e pela memória eu vejo que a maioria só era bonita de rosto. Com exceção da Rafaela que era indiscutivelmente uma verdadeira gostosa. Ela tinha cerca de 1,60 de altura, cabelo castanho encaracolado, algumas sardas na bochecha, lábios grossos (ótimos pra meter), era branquinha. E claro seu maior atributo, os peitões. Na época todos nós tínhamos pelo menos 16 anos, mas ela já tinha peitos enormes e bem desproporcionais com o corpo. Ouvi boatos que ela até tinha dor nas costas pelo peso deles. Uma pena pra ela, uma benção pra nós.
Ela não tinha belas pernas ou uma bunda grande. Mas aqueles decotes que ela usavam me faziam punhetar uma tarde inteira.

Como podem imaginar eu, Vini e todos os garotos e algumas garotas da sala queriam ela. Junte esses números ao de outros estudantes na escola e você vê que eu tinha uma chance minúscula com ela. Então decidi apenas ficar na punheta pensando nela. Já tinha passado uns cinco meses desde que o ano escolar começou.
Um dia eu e o Vini estávamos conversando em um canto na hora do recreio, olhando as gostosas e falando sacanagem. Na hora a Rafaela passou andando pelo corredor de short jeans e blusinha branca, infelizmente com sutiã.

– Olha lá nossa peituda favorita. (Eu)

– Ela andou me mamando a umas semanas. (Vini)

– Eu só acredito vendo kk (Eu)

O Vini sacou o celular e me mostrou um vídeo que eu quase não acreditei. A Rafaela de joelhos, peitos pra fora mamando a rola dele. Tinha saliva escorrendo da boca dela e cobrindo todo pau, pingando nos peitos. Ele metia na boca dela igual uma buceta e ela gemia com a rola indo no fundo a boca. Eu fiquei confuso e sem saber o que dizer.

– Essa vadia chupa bem pra caralho. (Vini)

– Porra, como tu conseguiu pegar ela? (Eu)

Agora é importante que saibam de algo. Como eu disse na escola pública você conhece todo tipo de pessoa. No caso o Vini era conhecido por descolar uns baseados pra quem pudesse pagar.

– Ela gosta de fumar um baseado e andava comprando de mim. Mas ficou sem dinheiro. Então eu botei a cadela pra mamar kk (Vini)

– Fácil assim? (Eu)

– Parece que ela tá viciada kk Tava comendo ela todo dia a umas semanas (Vini)

– Tava? Por que parou de comer uma delícia dessas.
E por que não me contou? (Eu)

– A vadia tá sem dinheiro cara. Eu adoro uma foda mas sem dinheiro eu saio no prejuízo. E quem come em silêncio, come mais. (Vini)

Eu não podia discordar dos argumentos dele.
Por mais gostosa que ela fosse não valia apena arriscar a própria cabeça trocando foda por droga. E eu também não teria dito a ninguém que estava fudendo uma gostosa daquelas. O recreio acabou e voltamos pra sala. Mas uma ideia se formou na minha cabeça. Que eu logo botaria em prática.

A última aula era de educação física. A professora não se importava com o que fazíamos desde que ficássemos na quadra aberta ou na fechada. Eu e o Vini ficamos na quadra aberta, a Rafaela e suas amigas conversavam na outra ponta da quadra. Até que a Rafa saiu, estava com o telefone na mão. Eu discretamente saí da quadra a seguindo. Ela foi até a parte de trás de um depósito de materiais da escola. Lugar quase sempre vazio.
Eu fiquei espiando ela e quando ela terminou a ligação eu fui botar meu plano em prática.

– Oii, Rafa. (Eu)

– Oi. O que faz aqui? (Rafaela)
Ela disse com vergonha.

– Vini me contou o que vocês fizeram (Eu)

Ela ficou em silêncio por um momento.

– Eu não vou fazer isso com você tarado! (Rafaela)

– Sério? Mesmo que eu te pague seus baseados? (Eu)

Ela parecia confusa por me ouvir disser isso.

– Não entendeu cachorra? Eu pago seus baseados e você libera tudo pra mim, entendeu agora? (Eu)

Ela tinha entendido o recado. Mas ainda estava insegura.

– Deixa eu pensar um pouco. (Rafaela)

– Pensar? Não precisa pensar, hoje mesmo levo o baseado na sua casa. (Eu)

Após dizer isso abaixei a calça e a cueca. Eu podia ver bem que ela faria tudo por um baseado. Já tinha ficado viciada.
Ela com vergonha e lágrimas nos olhos ficou de joelhos e engoliu meu cacete. A boca dela era molhada e bem babada e os lábios gentilmente apertavam meu pau.
A língua dela deslizava pela cabeça do meu pau, a língua ia de cima pra baixo de direita pra esquerda. Ela chupava devagar e a língua ia aumentando a velocidade acariciando meu pau. Eu já havia sido chupado algumas vezes mas aquele garota está em um nível totalmente diferente.
Eu já não conseguia aguentar mais, meu pau já estava inteiro dentro da boca dela quando eu gozei. Dei um leve gemido e toda minha porra foi sugada por ela, parecia até um aspirador. Ela se levantou e foi embora tampando a boca. Eu subi minha roupa e tomei fôlego. Nem podia acreditar, ela era só minha apartir de agora.

Após a aula e mandei mensagens pra ela.
Ela me disse onde morava, eu disse que iria até lá trazer o baseado, que já havia previamente pego com o Vini.
Meu plano tava funcionando como eu havia imaginado.
Eu tinha dinheiro da minha mesada, uns bicos e um trabalho de meio período a noite pra comprar uma boa quantidade de droga do Vini. O que significava muito sexo pra mim. Só precisava tomar cuidado pra não gastar todo meu dinheiro com ela.

Cheguei a casa dela cerca de três da tarde. Uma casa bonita em um área mais rica da cidade. O muro era feito de tijolos artesanais com plantas trepadeiras cobrindo uma parte dele. Não eram ricos, no máximo classe média alta. Eu apertei o interfone e ela responde. Disse que viria atender. Quando eu a vi saindo da casa, meu pau ficou mais duro do que já estava. Ela estava toda molhada, a putinha estava na piscina antes de eu chegar. Ela estava usando um conjunto de biquíni fio-dental rosa claro, as tetas pareciam prestes a pular para fora e balançavam enquanto ela andava. A virilha dela estava totalmente a mostra só um minúsculo pedaço de pano cobria sua buceta. Ela abriu o portão eu entrei e forcei minha boca contra a dela em um beijo profundo. Por um segundo ela tentou me parar, não sei se foi repulsa ou uma reação involuntária. Só sei que ela parou e em seguida correspondeu meu beijo. Ela sabia que tinha se vendido pra mim e agora não tinha mais volta.

A casa estava vazia, a família toda trabalhava. Podíamos fazer aonde quiséssemos ou melhor, aonde eu quisesse.
Ver ela de biquíni meu deu um tesão fodido, após dar o baseado pra ela fomos até a beira da piscina. Ela se sentou em uma espreguiçadeira e tirou o top, os peitões imediatamente pularam pra fora me deixando louco.
Ela abaixou minha bermuda e minha cueca e foi metendo o pau na boca, dessa vez ela não começou devagar, ela chupava rapidamente meu pau que ia até a garganta dela.
Eu percebi bem rápido as intenções dela, a puta queria me fazer gozar rápido e ainda no boquete pra não levar minha rola na buceta. Eu botei minhas duas mãos na cabeça dela e forcei ela contra meu pau, infie tudo até a garganta da cachorra e precionei até engasgar. Quando estava quase enchendo a garganta dela de porra eu a soltei e foi em boa hora, por que ela estava quase vomitando. Enquanto ela tossia e se recuperava eu mandei ela deitar na espreguiçadeira e comecei a chupar aqueles peitos. Chupei as aréolas dos seios dela, passando minha língua e dando pequenas mordidinhas, ela começou a gemer gostoso, finalmente começou a gostar. Eu mandei ela me punhetar enquanto eu chupava, ela fez como eu mandei e começou a alterar entre bater suave e rápido conforme eu chupava seus melões. Estava quase no ápice e queria experimentar ela toda antes de gozar. Então mandei ela usar os seios e me fazer uma espanhola, os peitos eram macios como eu imaginava e ela os apertava contra meu pau. Eu metia neles e através deles até a boca dela que se abria para me chupar e passar sua língua em mim. Até que eu parei, peguei em meu bolso uma camisinha e botei no meu pau. Eu abri as pernas dela e puxei seu minúsculo biquíni para o lado revelando sua buceta. Vermelha, babando, implorando por um pau. Eu segurei suas pernas e a coloquei de frango assado então comecei a meter.
Beijava a boca dela enquanto metia com força, entrando e saindo rápido daquela bucetinha molhada. Ela gemia alto como uma puta, toda a vizinhança devia estar ouvindo e isso me dava mais tesão ainda. A cada entrada do meu pênis na buceta eu metia mais forte, até que não consegui mais aguentar. Sabia que ia gozar então meti uma última vez com tudo, foi literalmente uma porrada no útero dela.

Aquela gozada acabou comigo, precisei ficar um tempo descansando pra me recuperar. Após isso fui embora.
Desse dia em diante eu comecei a comer ela pelo menos três vezes por semana. Até o final do ano eu comi ela em todas as posições possíveis de todas as maneiras, sozinho e até com amigos. Eu acabei ficando tão viciado em sexo com ela que esqueci de regular quanto dinheiro eu gastava. Resultado em dezembro eu tinha gastado todo meu dinheiro fazendo sexo. No final a Rafaela começou a dar pra um traficante e deram certo juntos, o safado tá namorando ela até hoje. É meus amigos no final eu que acabei de trouxa.

⏩ O melhor site de desenhos animados pornô do 🇧🇷, HQs eróticas🔥

Avalie esse conto:
PéssimoRuimMédioBomExcelente
(Média: 3,88 de 17 votos)

Por #
Comente e avalie para incentivar o autor

8 Comentários

Talvez precise aguardar o comentario ser aprovado
Proibido numeros de celular, ofensas e textos repetitivos
  • Responder DomMk ID:4adeq532d9j

    Foi esperto, por mais que não tivesse nos planos gastar todo dinheiro, soube aproveitar a situação e colocar a putinha no lugar dela. Mandou bem!

    • 999000Man ID:831065tt0d

      Obrigado pelo apoio!

  • Responder Julio ID:81rg0li6ib

    Mano você não foi trouxa não, comeu ela pra krl, não importa de gastou o dinheiro.. foi bem gasto com bct

  • Responder Shourii Mitchosso ID:3q9adjem2

    Rui. Rui.
    Ruinzinho pacas. Todos 2!

  • Responder O ze ID:1v7f4nqk

    Um dos melhores. Não há dinheiro mais bem gasto do que com comida, meu amigo. E com certeza você comeu muito bem durante esse ano com essa peituda safada. Nota mil/

    • 999000Man ID:831065tt0d

      Tem razão amigo kk Eu comi muito bem.
      E fiz ela beber muita porra.

  • Responder Escritor mistério ID:5vaq00tfi9

    Trouxa??? Estás doido??? Fodes- te uma gaja boazona, está bem que gaztas- te o dinheiro todo, e depois??? Mais vale gastar o dinheiro todo numa boa buceta do que noutra coisa. Dinheiro voltaste a ganhar mais. Excelente conto.

  • Responder Mãezona ID:7r05elenm3

    Dispenso curioso(a), se n tiver nd pessoal nem venha encher minha paciência.
    eguinha, loira
    https://t.me/mommyPortugal