# # # #

Bezerrinho em Ascensão – 4º Ato

1273 palavras | 6 |4.48
Por

Mostrando à que veio, sugando a mamadeira do tio enquanto ele dormia.

Ainda restavam alguns dias antes da minha cunhada voltar e pegar o moleque. Eu me sentia um pouco mal por não ter impedido aquilo, nem sei dizer se pelo ato em si ou pelo medo de me dar mal, mas por outro lado eu tinha gostado. Só em pensar que aquele molequinho tava tarando a minha rola eu já sentia um certo tesão e na seca que eu tava, talvez não fosse uma má ideia deixar o sobrinho curioso dar uma mamadinha. O moleque tinha todo jeito que gostava, era só questão de criar a oportunidade certa pra ele matar a vontade dele.
Uma bela tarde depois de dar almoço pra ele eu disse que o tio tava cansado e ia dormir um pouco no quarto e que ele podia ficar brincando no quintal ou vendo TV na sala. Até então ele tava bem normal, mas quando eu falei que ia dormir, na mesma hora as orelhinhas dele ficaram em pé. Eu comecei a arrumar as coisas e enquanto eu lavava a louça ele veio perguntar se podia ficar comigo no quarto. Pensei assim, eita, mordeu a isca, foi mais fácil do que eu pensava. Eu respondi que o tio ia dormir, mas ele insistiu, disse que ia ficar quietinho do meu lado vendo TV. Aí eu disse pra ele que tudo bem, desde que a TV ficasse baixinha e ele quietinho e assim que terminei de ajeitar as coisas na cozinha, já fui e ele veio atrás.
Eu já tava de banho tomado, é a 1ª coisa que faço depois que chego do trabalho. Fechei a porta e ele já foi subindo na cama visivelmente alegre enquanto eu me preparava pra deitar. De forma bem natural já fui tirando o calção onde vi o jeito guloso que ele olhou pro volume na frente da minha cueca, modéstia à parte eu tenho uma mala bem pesada, um saco volumoso e uma rola bem grandinha e grossa, sempre posicionada de lado e dava de ver os lábios do garoto se mexendo hipnotizado. Mas eu ainda tava de camiseta, tirei apenas o calção e fui ligar a TV e enquanto eu caminhava eu via os olhos dele acompanhando a minha mala, chegava a ser engraçado. Pensei assim, tão novinho, mas só em ver um adulto com a cueca recheada, já tá com a boca cheia d’água.
Aí eu deitei e puxei uma cobertinha pra cima de mim e tudo que eu fazia era bem natural. Eu disse pra ele ficar quietinho que o tio agora ia dormir e que se ele quisesse era só deitar e dormir tb ou então ficar quietinho vendo TV. Ele só soltou um “ahan” e de vez em quando eu percebia ele olhando pro meu rosto enquanto eu olhava pra TV, com certeza conferindo se eu já tava dormindo ou não. Depois de uns minutinhos comecei a deixar as pálpebras bem pesadas e ele só de olho kkk até que cerrei os olhos e comecei a simular até um ronquinho. Nem passou tanto tempo assim e eu sentia ele se mexendo em cima da cama, se aproximando do meu corpo, dava de sentir ele chegando mais perto do meu quadril. Aí chamou o meu nome bem baixinho igual ele fez naquele dia no sofá, depois me cutucou de leve e eu só fingindo que já tava ferrado no sono.
Eu tava “dormindo” de barriga pra cima e do nada comecei a sentir a cobertinha deslizando por cima do meu corpo, era o moleque puxando. Ficou assim até eu sentir a cobertinha saindo de cima do meu quadril. Tanto que eu sentia até um arzinho diferente no iniciozinho da barriga e das coxas, cara que safadinho, puxou o suficiente pra descobrir só a cueca.
Depois disso eu senti mais umas cutucadas na minha barriga como que verificando o meu sono e eu ouvia, tio… tio… bem baixinho. Mas continuei imóvel e logo senti a mãozinha dele na minha cueca, segurando a minha rola por cima do tecido e em seguida um monte de apalpadinhas. Rapidinho comecei a ficar de pau duro, foi endurecendo pro lado até já não caber mais na mãozinha do moleque e de novo eu senti a mãozinha do moleque tateando todo o comprimento do meu pau, cm por cm. Nada me tirava da cabeça que ele gostava de fazer aquilo só pra ficar sentindo o tamanho da rola do cara.
Chegou uma hora que o tesão tava tanto que eu sentia o meu pau igual uma barra de ferro com a cabeça babando já. E foi aí então que eu senti a boquinha dele encostando na cabeça do meu pau por cima da cueca e aquela sensação gostosa dos lábios dele sorvendo. Que putinho cara, era exatamente pelo que eu esperava e tava bem difícil se controlar pra não soltar um gemidinho ali. Aí ele parava, dava mais umas apertadinhas sentindo os 19cm bombando alí e depois voltava a grudar os lábios e continuava sorvendo… Como era bom sentir aquele bezerrinho abusando de mim.
Mas foi aí que veio um bônus inesperado, quando eu senti ele segurando o elástico da minha cueca e puxando, senti até o pau duro pulando pra fora, agora completamente livre. Nisso ele segura o meu pau em pé dizendo bem baixinho “o piru do tio é muito grande… é maior que do Zelinho”, “será que também dá de fazer elevador no dele?”. E eu senti a mãozinha dele segurando e trazendo a pele do meu pau toda pra baixo e depois levando pra cima de novo e ele dizia assim “que legal, dá de brincar de elevador no piru do tio tb”. Eu não tenho aquele freio debaixo da cabeça do pau que segura, então o meu prepúcio desce todinho e o moleque começou num tal de ficar levando e trazendo o prepúcio do meu pau pra cima e pra baixo. Que loucura, que tesão que aquilo tava dando cara, mas eu continuei fingindo dormir só pro moleque continuar aquela safadeza dele.
Mas o ápice mesmo foi quando eu senti a linguinha dele passando na cabeça do meu pau, depois segurou e ficava lambendo a cabeça como se fosse um pirulito. Ficou fazendo isso várias vezes e de vez em quando ele grudava os lábios na ponta e ficava sugando o melzinho que saia. Dava de ver que ele tava adorando e eu fiquei impressionado com aquilo, pq parecia que sabia o que tava fazendo, aquele cara deve ter abusado muito do moleque. As vezes ele engolia toda a cebeça do meu pau e ficava ali mamando igual um bezerrinho faminto. Eu tava quase gozando ali naquela lambição de rola, até uma hora que eu ouvi ele dizendo “será que tb sai leite do piru do tio?”, ai eu não aguentei mais e jorrei porra pra cima igual chafariz. Senti uma porção pesada caindo em cima de mim e o restante nem sei onde foi parar. Tive que me segurar pra não soltar um gemidão forte ali de tão gostoso que foi aquela gozada.
Nessa hora ele parou, guardou o meu pau dentro da cueca, deitou e continuou assistindo TV do meu lado como se não tivesse feito nada. O moleque era tão bezerrinho que até sabia que após sair aquilo do pau, significava que tinha acabado.

⏩ O melhor site de desenhos animados pornô do 🇧🇷, HQs eróticas🔥

Avalie esse conto:
PéssimoRuimMédioBomExcelente
(Média: 4,48 de 33 votos)

Por # # # #
Comente e avalie para incentivar o autor

6 Comentários

Talvez precise aguardar o comentario ser aprovado
Proibido numeros de celular, ofensas e textos repetitivos
  • Responder @kjarttanFreyrsson ID:1v7f4kv4

    Dlç Manoo 🤤

  • Responder Asteróide ID:8le667z8rj

    Mama meu caralho John Deere

  • Responder Onerb ID:8d5un32hr9

    Quem me dera achar algum viadinho que me mamasse sempre,mas sempre que falo que tenho 14 anos eles cortam a amizade 😔

  • Responder Caçador ID:41ihtdis6ii

    Que sugestão boa John Deere, mas dá pra ficar melhor ainda, que tal “um veado caindo de boca no seu pau”? Hun, delícia. Fico imaginando você amarradinho na cama, sem poder usar as mãos e eu lentamente abrindo o zíper da sua calça, agarrando a rolona, sentindo a grossura dela, puxando ela pra fora da sua cueca e podendo mamar muito esse pauzão gostoso que vc deve ter, hun… que delícia.

    • Caçador de veados ID:83100j6td3

      Cuidado com a ironia veado,o que você vai cair de boca é numa periquita bem cabeluda!Cuidado veado,sou o John Deere,estou em toda parte,comigo a veadagem não vê o Sol brilhar!

  • Responder Meninão ID:83100j6td3

    Né veado,não acha melhor dizer “um veado em queda”?Concorda comigo,John Deere,Matador de Veados,fica muito melhor né?Cuidado, veado sem-vergonha,estou em todo lugar dando jeito em veado e veadagem!