# # # #

As crianças do condomínio 2

1864 palavras | 5 |5.00
Por

Vou continuar a história que comecei explicando como conheci e comecei a interagir com os meninos do condomínio.

Meu nome é Michael, continuando a história, eu Léo e Matheus tínhamos tido a primeira experiência dos 3 juntos, e eu e Matheus já havíamos ficado por duas vezes. Devido à intensidade que foi nosso encontro, eu sentia uma conexão especial com os dois meninos, porém não sabia se era recíproco o sentimento.
No dia seguinte eu estava saindo trabalhar e encontrei com Léo indo para a escola, me cumprimentou, falou de um jogo e que da próxima vez ganharia de mim. Totalmente aleatório porque ele havia ganhado, mas entendi que era pra despistar a mãe dele que estava perto.
Os meninos já eram vacinados na malandragem mesmo. Durante a semana não jogamos mais pois como eles tinham aula a mãe dava uma barrada nos horários, até que na sexta feira, voltando do trabalho estavam os dois esperando pra jogar. Convidei eles pra casa. No caminho passamos pela frente da casa do Léo e a mãe dele falou “já tá importunando o moço, deixa desse vício de jogar menino”. Eu cumprimentei ela e expliquei que eu também era viciado nos jogos e que era legal poder jogar com eles se não gerasse nenhum problema com ela. Ela disse que tava tudo bem, o medo dela era deles me incomodarem, e pelo menos a tv dela ficava livre e não com os dois pendurados lá.
Fomos pra minha casa, fui pro meu banho e os dois já foram jogando. Saindo do banho pedi uma pizza pra jantarmos e fui jogar com eles. Jogamos até a pizza chegar, jantamos e quando íamos voltar a jogar o Matheus disse que poderíamos “jogar” algo diferente. Todos entenderam o recado e fomos já pro meu quarto. Entrando o Léo já foi tirando a roupa e deitando na cama. O Matheus que entrou em seguida tirou a roupa e já foi ficando de quatro na cama chupando o Matheus que ficou com a bundinha virada pra mim. O Léo era mais cheinho, tinha uma bunda maior, uma barriguinha, e uma tetinhas, mas o Matheus era desses pele e osso, magrelo, alto e sem bunda. Ele chupando o Léo de quatro deixou a bunda pra cima e ja ficou com o cuzinho a mostra pra mim, não perdi tempo e já comecei a lamber o cuzinho dele, ele era branquinho e tinha o cuzinho rosinha, o Léo era mais moreno um pouco, com um cuzinho mais escuro também. Quando senti o cuzinho dele bem molhado e já tinha dado uma alargada com a língua, me posicionei e fui empurrando o pau de vagar nele.
Ele dava gemidinhos e chupava o Léo. Quando estava quase gozando eu parei um pouco e deitei na cama, ele sai do Léo e veio me chupar, mas eu disse que precisava de um tempo se não já ia gozar. Então ele se deitou e levantou as pernas pro Léo que começou a comer ele.
Deitei do lado dele e comecei a chupar ele enquanto o Léo socava nele. Rapidinho e já senti os jatinhos na boca e o Léo avisou que estava gozando também. Quando o Léo tirou o pau, dei uma lambida no cu do Matheus que tinha um pouquinho de porra escorrendo. O Léo virou pra mim e disse “falta só você gozar”. Olhei pra ele e disse que queria gozar nele, mas que ele não aguentava. Ele disse que queria tentar de novo. Deitou, levantou bem as pernas e mandou eu ir. Deitei primeiro e lambi bem o cuzinho dele, deixei molhadinho e com o dedo fazia movimentos pra dar uma abrida. O Matheus comia ele, mas o pau do Matheus não era muito mais grosso que um dedo. O meu era um pouquinho mais. Encostei na entradinha e fui empurrando bem de vagar. Senti o cuzinho dele ir engolindo centímetro a centímetro meu pau. Ele reclamava as vezes, eu recuava um pouco, é começava novamente o avanço. Pouco momentos depois ele já estava com meu pau dentro do cuzinho dele, que delícia. Não demorou eu gozei. Quando tirei o pau, começou a escorrer muita porra, até eu assustei com a quantidade, mas estava com um tesao imenso.
Voltamos pra sala, eles jogaram mais um pouco e disseram se poderiam voltar no dia seguinte, sábado, pra jogarem de novo. Disse que sim. Eles foram pra casa.
No dia seguinte, me mandaram uma mensagem eram 15h se já poderiam ir, disse que sim pois já estava jogando a um tempo.
Quando chamaram e fui abrir a porta eu tive uma surpresa. Estavam os dois e junto com eles uma menina, um pouco mais nova que os dois, ela tinha 12 anos, pele branca, cabelos escuros, meio encaracolados, meio lisos, da altura do Léo quase, magrinha e de olhos escuros também.
O Matheus disse “essa é a Nanda, ela mora do lado de casa e sempre joga com a gente”.
Disse oi e convidei eles pra entrarem. Os dois já se sentiam em casa, já tomaram seus lugares no sofá e foram pegando os controles. Ela estava mais tímida, já havíamos nos visto pelo condomínio mas era a primeira vez que nos falávamos e ela vinha em casa. Eu disse pra ela ficar a vontade, que os dois eram espaçosos, então pra ela não dar mole e arrumar o canto dela. Ela riu e se sentou vendo eles jogarem.
Chegou na vez dela, ela jogava bem até, empatou um jogo com o Léo que era o melhor de nós ali. Depois do jogo deles, fomos eu e Matheus jogar, estava tão entretido no jogo que nem percebi o Léo e a Nanda, mas quando terminamos o jogo, os dois já estavam se beijando no sofá do lado e ele com a mão por dentro da blusa dela.
Eles haviam comentado que ela normalmente participava das aventuras deles, mas não tinha ideia de como seria a reação dela comigo ali. Preferi não falar nada, fiquei só olhando. Nisso o Matheus já sacou o pau e foi pra frente dela. Ela sem hesitar já abocanhou o pau dele, nisso o Léo já foi tirando a roupa também é começou a abaixar o short dela. Eu estava paralisado só aproveitando aquela cena dos 3 adolescentes se pegando na minha frente. Nisso o Léo já falou, vamos lá pro quarto? Eu fiz que sim com a cabeça. No quarto já estavam os 2 pelados e ela de calcinha apenas. Não tinha peitinhos ainda, somente o mamilo que era um pouco pra frente, meio redondinho já. Eu ainda estava de roupa e ela virou pra mim e perguntou “não vai tirar a roupa não?”. Era o que eu precisava, já tirei minha roupa e fui pra cima da cama com eles. Ela se deitou e o Léo foi de um lado e o Matheus do outro pra ela chupar eles. Me ajeitei no meio das pernas dela e olhei pra aquela menina só de calcinha deitada, meu corpo começou a tremer. Comecei beijando as coxas dela, subi pra barriguinha, desci bem devagar até chegar na calcinha. Por cima da calcinha fui dando beijinhos e sentindo o cheirinho dela. Que situação mágica. Segurei na lateral e comecei a puxar a calcinha dela pra baixo. Meu pau estava até doendo de tão duro que estava.
Comecei a contemplar aquela bucetinha, passando a mão de leve, dando beijinhos, passando a língua, fui explorando casa pedacinho. Ela não tinha pelos ainda, porquinhos bem loirinhos ainda. Ela tinha os pequenos lábios bem curtinhos, os grandes tampavam eles, só dava pra ver quando abria mesmo. O clitóris ainda era pequenininho. Com as mãos abri bem a bucetinha dela pra poder lamber, quando abri vi escorrendo o melzinho, ela estava molhadinha, estava gostando de tudo aquilo. Lambi cada centímetro da bucetinha dela, levantei às pernas dela para poder acessar o cuzinho, passava a língua nele, forçava ela um pouco dentro, voltava pra bucetinha. Aquilo estava uma delícia. Me levantei e o Matheus já veio e começou a meter nela. Que delícia ver aquelas duas crianças transando ali. Nisso senti o Léo abocanhando meu pau. Me deitei na cama e puxei ele pra cima de mim pra poder chupar ele também. Ficamos ali num 69 gostoso. Depois de um tempo o Léo pediu pra comer a Nanda. O Matheus saiu e veio comigo. Eu estava deitado, ele veio me chupar e logo já subiu no meu pau, ajeitou direitinho e começou a subir e descer. Olhava pro lado e estava o Léo comendo a Nanda, e o Matheus cavalgando no meu pau. Passou um tempinho e o Léo avisou que ia gozar. Ele tirou o pau da Nanda e veio pra cima de mim, abri a boca e ele gozou na minha boca. Que delícia. O Léo deitou do meu lado na cama. Nisso o Matheus saiu de cima de mim e foi comer o Léo. Olhei pra Nanda e sem precisar falar nada ela já veio pra cima de mim. Ela me olhou e disse que não sabia se conseguiria, que ela já tinha transado com alguns meninos, só que mais da idade dela e eram mais finos e menores que eu. Disse que sem problemas.
Ela se ajeitou e foi descendo, senti uma parte do meu pau nela, estava delicioso, ela ficou se mexendo com pelo menos a cabeça do meu pau dentro dela. Eu estava com muito tesão e então o Matheus anunciou e gozou no cuzinho do Léo. Pedi pra Nanda sair de cima porque também iria gozar. Ela saiu e com a mão deu duas bombadas e eu gozei. Depois ela se virou e foi lamber o cuzinho do Léo que estava com a porra do Matheus, achei aquilo o máximo.
Faltava ainda ela gozar, deitei ela na cama e comecei a chupar novamente sua bucetinha, com o dedo, colocava na bucetinha dela bem de leve, escorregava até o cuzinho, colocava metade do dedo no cuzinho dela e voltava pra bucetinha. Não passou muito tempo e vi aquela menina se contorcer toda e depois relaxar. Lambi a bucetinha dela. Não queria mais parar, estava uma delícia. Nos recompomos e voltamos pra sala. Ainda tinha tempo e voltamos a jogar. Mais tarde um pouco chegaram mais dois garotos pra jogar. Mas não rolou mais nada naquele dia. Desde então, sempre tem alguém aqui em casa, ou o Léo, ou o Matheus, ou os dois juntos e as vezes com menos frequência vem a Nanda. Já estamos a mais ou menos 8 meses nessa brincadeira. Está uma delícia, e eles quem ditam as regras.

⏩ O melhor site de desenhos animados pornô do 🇧🇷, HQs eróticas🔥

Avalie esse conto:
PéssimoRuimMédioBomExcelente
(Média: 5,00 de 16 votos)

Por # # # #
Comente e avalie para incentivar o autor

5 Comentários

Talvez precise aguardar o comentario ser aprovado
Proibido numeros de celular, ofensas e textos repetitivos
  • Responder Fui ID:g61t9lv9d

    Deliica. parabens

  • Responder Lipe qro leke ID:gsudra6ii

    Deixe eu te fuder mlk?

  • Responder Me chama ID:ona28get0d

    Delicia

  • Responder Junior ID:funxvftql

    Muito bom tenho 16 e qurria vc

    • Nil ID:xlq8e38m

      Te quero também Júnior..ao novinhos