#

A vida sexual de uma BBW – Maria, Lex e Olga… e a Carla

2158 palavras | 3 |4.67
Por

Quatro mulheres, numa noite de sexo lésbico memorável.

Como contei ontem, a Maria, a mulher do meu neto Ric anda tal como eu grávida. Tal como eu pensa em sexo 48h por dia, LOL.
A uns contos atrás, falei sobre a Olga, uma hermafrodita, loira, cabelos longos ondulados e loiros, umas mamas monumentais, um cu perfeito, os olhos verdes dela são deslumbrantes. Ela esteve fora umas semanas, foi a Dinamarca onde nasceu, com os pais dela. Quando voltou a minha mulher, pois sou casada com ela e com o Tiago, se bem se lembram, chegou e levei-a logo ao quarto ver a cama que montaram, pois mandamo-la fazer de prepósito para se tornar confortável para nós três. Ela gostou muito do modelo, deitou-se, o colchão também teve de ser feito por encomenda. Depois sentou-se a beira da cama, chamou-me para ir ter com ela, fiquei de pé em frente a ela. Ela abriu-me o roupão que eu levava vestido, fiquei toda nua, beijou-me a barriga, que está maiorzinha devido á gravides, encostou a cabeça dela a minha barriga, e ficou a ouvir o coração da Teresinha a bater. Depois disse:

– Lex, amor, vamos deixar o buraco por onde ela vai sair bem aberto, minha gordinha mamalhuda?
– E como vamos fazer isso???
– Ora sua tontinha… vou enterrar o meu caralho todo na tua cona…nem sabes as saudades que ele tem dela… tadinho…
– Então vou ajoelhar para…
– Não… não… vais levar com ele já, minha putinha grávida… amo-te… e já agora onde está o Tiago?
– Está no trabalho, tem um projeto para apresentar amanhã, está a ultimar os detalhes.
– O nosso marido, é realmente um perfecionista…
– Atá na cama nos fode perfeito… eu amo-te muito, Olga, e sabes que ele também…
– Sei sim… mas agora ele não está… vem…monta-me o caralho, querida… monta-me com essa cona encharcada… quero ver essas tetas descomunais a dançarem…quero-te ordenhar vacarrona…

Eu tiro-lhe a roupa toda, aprecio bem aquele corpo perfeito, mamo-lhe nas tetas, agarro-lhe no caralhão super teso, e aponto-o a minha cona e vou-me baixando, voltada de frente a ela, e enterro-o totalmente na minha cona. Porra vai mesmo bem fundo na minha cona, estamos com as mamas ao mesmo nível agora, com os bicos a roçarem uns nos outros, tesos, os meus a deitarem leite, e a beijarmo-nos na boca, depois ela começa a mamar nas minhas mamas e a beber leite, e a ordenhar-me mesmo. E eu a cavalgar no pau monumental dela. Até que ela se esporra dentro da minha cona, e deita-me na cama e abre-me as pernas e chupa-me a cona, bebendo a esporra ela misturada com os fluidos vaginais da minha cona. Depois deito-a eu, e enfio-lhe a língua na cona húmida dela, e ao mesmo tempo masturbo-a com dois dedos na cona e com a outra mão no caralho dela. Até ela ter um orgasmo brutal pela cona e esporrou-se toda pelo caralho.
Estávamos as duas tão entretidas, que nem reparamos que tínhamos deixado a porta do quarto aberta, e a minha empregada, a minha Carla, estava parada, a tocar-se na cona a beira da porta. A Carla tem por nome Carla Maria, mas eu neste conto chamar-lhe ei apenas Carla. Ela tem apenas mais dois anos que eu tem 50 anos, baixa, gorda, cabelos curtos, mamas tamanho médio, viúva. Tem uma história bem triste, morreu-lhe marido, e uma filha adotada. Comecei por cuidar ela quando lhe dei emprego, mas agora é ela que cuida de nós todos. A todos nos dá amor, concelhos e também raspanetes. É a nossa Carla. Mas nunca a tínhamos visto como uma mulher, que como qualquer outra tem tesão também. Pelo Tiago sei que tem já mo confessou, LOL.

– Aí desculpem meninas, disse ela toda atrapalhada, mas eu queria ir embora, mas não estava a conseguir…
– Ora Carla, diz a Olga, vem juntar-te a nós.
– Deve estar doida menina Olga.
– Então porque te estavas a tocar, perguntei eu. Vem cá, Carla. Agora assume que gostaste do que viste.
– Menina Lex… eu…eu… tenho que ir tratar do almoço é isso.
– Carla… são 17h.… acho que o almoço já foi… disse a Olga a rir.
– É o jantar…enganei-me.… porque nesta casa não fecham as portas quando querem… bem querem…
– Fazer amor, é isso que queres dizer?
– Sim… isso.
– Aposto que te querias juntar a nós, digo eu.
– Não menina Lex…
– Não sejam mentirosa… querias sim.

Nisto a Olga levanta-se da cama, vai direita a Carla com o caralhão teso, uns 24cm de carne dura e grossa, a Carla nem falar consegue, a Olga para a escassos centímetros dela, agarra-lhe na mão, e poem a mão dela encima do caralho dela, olha-a nos olhos, e beija-a na boca. Confesso que tive medo da reação da Carla. Não a via como uma parceira sexual, vi-a como a Carla, entendem???
A Carla entrega-se ao beijo, e retribui mesmo. Confesso que me espantou. Depois a Olga puxa-a pela mão, ajoelha-a e a Carla abocanha o caralhão da Olga, e mama-o com maestria. Eu levanto-me da cama, ajoelho-me também, e começo a mamar no caralho da Olga também, e troco linguados com a Carla. Agora desaperto-lhe a bata que ela traz vestida, tiro-lhe a blusa, desaperto-lhe o soutien, ponho-me por detrás dela enquanto ela mama o caralhão da Olga que geme e segura a cabeça da Carla. Eu agarro-lhe nos bicos das mamas, puxo-os, estava a descobrir formas e dar prazer a uma amiga que nunca pensei ver ela assim. Meto-lhe a mão por entre as pernas, por dentro da saia dela, as cuecas dela escorrem de tão húmida ela tem a cona. Levanto-lhe a saia, rasgo-lhe as cuecas, e meto-lhe dois dedos na cona. Esfrego-lhe a cona, está a escaldar de tão quente. A Olga ergue-a, beija-a na boca, deita-a na cama, abre-lhe as pernas, aponta o caralho á cona dela que escorre líquidos em abundância, e penetra-a…a pobre Carla arregala os olhos e solta um grito e diz:

– AI MEEEEEENNNIINNNAAAAA… EEEE TTTTAAAAOOOO GGGRRROOOSSSSOOOO….EEE GRRAAANNDEEEEEEE…AAAAINNNN…AAAAAIIIII….TTTIRRRAAAAAAA…AAAAIAIINNNN.
– NNNAAAO… QUUE CCOCNNNAAAA AAAPERRTAAADDAAAA…QQQUEEEENTTEEEEEE… CCCAAARRRLLLAAAA….QQQUEEE TTESSSSSAAAAOOOOOO….TTOTOMMMAAAA…..TTTTOOOMMAAAAA.

Eu subo para cima da cama, sento-me na cara dela, afasto os lábios vaginais com as mãos, e a Carla lambe-me a cona, e suga os meus fluidos vaginais. Estava a revelar-se uma amante fogosa a minha empregada, que nunca verdadeiramente o foi, LOL.
A Olga fode-lhe a cona até que se veio na cona dela, e depois diz-lhe:

– Agora vais levar no cu, Carlinha.
– Não consigo aguentar isso no meu cu…nem pensar…
– Consegues… Lex, prepara-a.

Ela tentou sair da cama, mas eu puxei-a, deitei-me por cima dela, e comecei a beijá-la na boca…depois mamei as mamas dela… depois enterrei a minha cara na cona dela, e bebi o suminho da cona dela misturada com a esporra da Olga… a Olga foi buscar um lubrificante anal. Começo a lamber o cu da Carla, ela dizia não…não…mas abria-se cada vez mais.
A Olga segura nela, deita-a de bruços na mesa que está no meu quarto, a Carla implora que não, mas não faz nada para resistir. A Olga pincela o rego dela com o caralhão, eu coloco o máximo de lubrificante no cu dela, a Olga faz um movimento com as ancas e mete a cabeça do caralho no cu dela. Ela tenta escapar para a frente, e a Olga não tem piedade dela, e vai metendo…a Carla grita…pede que a ajude, mas eu estou sentada de pernas abertas a masturbarme, e a Olga acaba por enterrar o caralho todo no cu da Carla. Ela grita, implora que a Olga retire o caralho do cu dela, coisa que a Olga faz, mas apenas para lho voltar a enterra todo…a Carla começa a entregar-se ao fim de uns minutos…. rebola lentamente o cu…. Olho para a porta e vejo a Maria, a mulher do meu neto, parada de boca aberta. Tenho que trancar as portas todas, LOL. Nem a deixo falar, vou ter com ela, beijo-a na boca, rasgo-lhe a t-shirt que ela leva vestida, e abocanho as mamalhonas dela. Tiro-lhe as leggins que ela levava vestidas, e desato lamber-lhe a cona. Ela olha para a Carla a gemer e gritar enquanto a Olga lhe fode o cu. Depois com o caralho atolado no cu da Carla, puxa-a pelos cabelos e conduz ela até a cama, a Carla está de 4 a levar com o caralhão da Olga. Eu vou por um dos lados a Maria pelo outro, cada uma agarra-se a uma das mamas da Carla e começamos a chupar elas, e a mordiscar os bicos, e a Maria mete-lhe mesmo dois dedos na cona e masturba-a. Sai da cona dela tantos líquidos vaginais a jorro. A Carla é uma máquina de líquidos vaginais. A Olga sai do cu da Carla, agarra na Maria e com ela de 4, vai-lhe á cona, enquanto eu e a Carla nos envolvemos em beijos na boca e eu pergunto-lhe:

– Estás bem?
– Menina…a anos que não estou tão bem…obrigado.

Voltamos aos beijos na boca, a roçarmos as conas uma na outra, depois ela a mamar nos meus peitões gigantescos, a beber leite. A Maria sofria agora no caralhão da Olga, torcia-se toda tentou fugir quando a Olga lhe queria ir ao cu, mas eu e a Carla seguramos ela, e ela não teve mais remédio senão levar com ele todo. Ela chorava, pedia por favor para a Olga não lhe parar de foder o cu. Eu fistei a cona dela, e a Carla mamava nos peitões gigantescos dela. A Maria teve orgasmos brutais, e o meu neto Ric nessa noite dormiu descansado, LOL. Leiam o conto anterior e perceberão.
Acabamos as 4 no jacuzzi, a falar sobre a foda, para relaxarmos. No dia seguinte, quando acordei já a Carla havia chegado, pedi para ela se sentar comigo na mesa da cozinha.

– Amiga, quero falar contigo sobre o que se passou ontem.
– Menina, não a nada a falar…
– Carla, ouve-me. Peço-te desculpas, não por ontem, mas por não ter percebido antes que… bem olha, sou sincera, não te via a foder com a gente.
– Nem eu menina, mas quando a vi com a menina Olga, peço desculpas, mas achei tão lindo, que não conseguia deixar de parar de olhar…e quando comecei a sentir, a minha…bem cona, molhada… E quando a menina Olga me veio buscar, a minha cabeça dizia que não, mas eu queria.
– Carla, sua tontinha… e gostaste?
– Se gostei??? Menina nem dormi… estive a noite toda a …
– A fazer o que???
– A masturbar-me menina. Aí que vergonha.
– Ainda ficaste com fogo nessa tua cona boa?
– Sim menina. Desculpe…
– Desculpar o que? E o teu cu?
– Ai menina… ainda me doi…a menina Olga tem o pau muito grosso e grande…
– Carla, tu és uma mulher linda… doce… meiga… simpática… porque ainda não te arranjas outra pessoa???
– Menina… não tenho tempo para isso. Tenho 50 anos. Estou já velha.
– Carla… não estas velha nada. E olha que na foda és fogosa, querida. Olha e Jorge que mora ao fundo da rua? Eu noto que ele te espia…
– Ai menina e bom homem, mas o pau dele e pequenino…
– Carla…sua desavergonhada, disse eu a rir.
– Menina, estava habituada aos 22cm do meu marido…
– És uma caixinha de surpresas. Bem olha se quiseres repetir com a gente… por mim faço sexo contigo sempre que quiseres. Adorei.
– Porque não repetimos as 4 na próxima semana, menina???’
– Sua assanhada…

Levantei-me, beijei ela na boca, e fiz-lhe uma caricia na cara. Pisquei-lhe o olho e disse-lhe:

– Está combinado, amiga. E vou convidar a Lígia a mãe do Tiago.
– Menina ela também…
– É uma putinha na cama, Carla. como tu. Adoro-te…e olha, vou dizer ao Tiago, que fizemos sexo…aposto que ele vai querer comer a tua cona e o teu cu…. imagina-te o Tiago atolado na tua cona e a Olga no teu cu… e eu a mamar nessas mamas lindas…
– Menina… não prometa. Cumpra.
– LOL… Adoro-te.

⏩ O melhor site de desenhos animados pornô do 🇧🇷, HQs eróticas🔥

Avalie esse conto:
PéssimoRuimMédioBomExcelente
(Média: 4,67 de 3 votos)

Por #
Comente e avalie para incentivar o autor

3 Comentários

Talvez precise aguardar o comentario ser aprovado
Proibido numeros de celular, ofensas e textos repetitivos
  • Responder Ana Moreira ID:grlebg49j

    A família mais louca de Portugal….mas com imenso proveito de todos! rs

    • Lex75 ID:5vaq00tfi9

      Mais louca não sei… deve haver ainda mais loucas so que não escrevem num site de contos eróticos algumas das suas aventuras. Beijinho Ana

  • Responder Nando ID:2xm3jdj9d4

    Perfeito super detalhado