# # #

A Menina De Rua Que Mudou a Minha Vida

7563 palavras | 9 |4.34
Por

Hoje trago a vocês o conto que me foi enviado pelo Victor onde ele fala sobre a sua transa com uma menina de rua de 9 anos que mudou a sua vida.

(Obs:Os contos narrados aqui não são de minha autoria são de pessoas que tiveram a experiência relatada no conto mas mao tem coragem de postar a sua experiência e então essas pessoas me enviam os seus contos e eu conto as historias delas aqui no site alterando apenas os nomes dos envolvidos para não expor ninguém.
Sempre no inicio dos contos irei apresentar o meu nome como SexyBoy já que não pretendo revelar o meu verdadeiro nome.
E se você leitor tiver uma experiencia sexual que não tenha coragem de postar aqui no site você pode me mandar ela no e-mail:[email protected] que eu irei postar aqui no site, só peco que antes de me mandar a sua historia/conto altere os nomes dos envolvidos para evitar exposição ou problemas para eles. Não me enviem contos que contenham Scat pois acho nojento e não irei postar.)

Olá SexyBoy, o meu nome é Victor e eu tinha 38 anos na época que tudo aconteceu, sou branco e tenho o cabelo castanho escuro e liso, faço academia então tenho um corpo malhado mas não sou bombado pois não curto nada em exagero, meus olhos são verdes, trabalho como gerente numa empresa de turismo então tenho uma condição de vida muito boa, sou solteiro mas já namorei algumas vezes e só não me casei porque nunca encontrei a pessoa certa, era uma quarta feira por volta de umas 18h30 e eu estava voltando do trabalho para casa quando parei no farol que fechou, eu estava ouvindo um sonzinho enquanto esperava o farol abrir, quando uma menina aparece e me pede dinheiro, fiquei encantado com a menina e também preocupado por ela pequena daquele jeito estar no meio daquela avenida pedindo dinheiro e correndo risco de ser atropelada, falei para ela me esperar em frente ao fast-food que tinha do outro lado da avenida que eu iria fazer a volta com o carro para levar o dinheiro para ela lá, ela me olhou com uma carinha meio desconfiada e perguntou se eu não estava mentindo para ela como os outros motoristas sempre fazem e vão embora sem dar nada para ela, falei que ela poderia confiar em mim que eu não estava mentindo, ela deu um sorrizinho e disse que tudo bem e foi me esperar em frente ao fast-food, fiz a volta com o carro e fui lá conversar com ela, nos sentamos num banco que tinha lá e começamos a conversar, perguntei o nome dela e quantos anos ela tinha e ela respondeu que se chamava Alissa e tinha 9 anos, ela perguntou o meu nome e eu respondi que me chamava Victor, Alissa era uma menina linda, ela era branquinha, cabelos castanho claro, compridos e um pouco maltratados pois ela morava na rua, olhos castanho escuro, ela estava usando um shortinho verde água daqueles panos bem leves, uma camisetinha branca que tava bem sujinha e um chinelinho de dedo rosa, naquele dia tava calor e por isso ela não usava blusa, perguntei se ela morava sozinha na rua e ela respondeu que morava com uma tia dela, perguntei se ela morava muito longe dali e e ela respondeu que ficava numa calçada ali perto próximo a estação de metrô, percebi que o meu pau já tava começando a ficar duro só de eu estar olhando para ela e achei melhor dar o dinheiro para ela e ir embora para não ter problemas, dei uma nota de 50 reais para ela que perguntou se era sério que eu ia dar todo aquele dinheiro para ela, respondi que sim e ela ficou toda contente e me abraçou forte, gostei do abraço apesar do cheiro forte que ela tinha já que por ela morar na rua ela não tomava banho e por isso tinha esse cheiro forte, falei para ela voltar com cuidado para onde ela ficava e ela respondeu que tudo bem, falei para ela que no dia seguinte eu iria até o lugar onde ela ficava por volta daquele horário para visitar ela e que era para ela ficar lá me esperando pois eu tinha dado 50 reais para ela e no dia seguinte ela não precisaria ficar no meio da avenida pedindo dinheiro de novo, ela respondeu que tudo bem e eu me despedi dela e fui embora, durante o caminho de volta para casa eu não conseguia parar de pensar na Alissa, uma coisa que eu tinha certeza era de que ela não morava a muito tempo na rua pois ela não tinha toda aquela malícia das meninas de rua e nem falava muita gíria, na verdade ela não falava nenhuma gíria, chegando no meu apartamento tirei a minha roupa coloquei na lavadora e fui tomar um banho, durante o banho fiquei pensando na Alissa e em como ela tão pequena já tinha uma vida tão dura, fui lembrando da gente conversando naquele banco e fui pensando nela com aquele shortinho que me deixava com muito tesão e não resisti e comecei a bater uma punheta pensando nela, comecei a imaginar ela na minha cama peladinha comigo, depois de um tempo ali batendo uma punheta acabei gozando bastante, depois do banho me troquei e fui jantar e depois fiquei deitado na minha cama só pensando na Alissa e em como tudo o que eu queria era ficar com ela ali na minha cama, eu já não tinha mais dúvidas no dia seguinte eu iria falar com essa tal tia dela para tentar convence-lá a me deixar trazer a menina para o meu apartamento por uns dias, no dia seguinte eu não conseguia de parar de pensar na Alissa e não via a hora de vê-lá novamente, e parecia que a hora não passava até que finalmente deu a hora de eu ir embora, saí do trabalho e fui direto para o lugar que a Alissa falou, parei o carro um pouco antes e fui andando até lá, no começo fiquei um pouco preocupado porque não estava vendo a Alissa, até que me aproximei da estação de metrô e vi ela sentada em uns papelões na calçada, quando ela me viu ela veio correndo na minha direção e me abraçou forte e disse que estava muito feliz porque eu tinha ido lá visitar ela, ela falou que pensou que eu não iria mais voltar para ver ela, falei que eu jamais faria isso com ela, de repente uma mulher aparece e diz que então eu devo ser o tal Victor que a Alissa falou que foi tão generoso com ela ontem e que a tratou muito bem e disse que viria visita-lá hoje, respondi que era eu mesmo, Alissa então diz que a tia deveria pedir desculpas para ela por te-lá chamado de mentirosa quando falou sobre mim e que eu era muito legal e jamais ia mentir para ela, a tia dela então disse que não ia se desculpar com ninguém e que ela era adulta e não tinha obrigação de se desculpar com ninguém, Alissa com carinha de brava disse que aquilo não era justo, a tia dela então falou para mim que a menina tinha gostado mesmo de mim pois falou de mim o dia todo, falei que a Alissa era uma fofa e pedi para falar com a tia dela em particular, nós então fomos para o outro lado da rua onde a Alissa não podia nos ouvir, primeiro perguntei a tia da Alissa como ela se chamava, e ela respondeu que se chamava Eleonora, Eleonora já aparentava ser bem mais velha, acho que já estava quase na casa dos 50 anos, pergunto sobre os pais da menina e a mulher fala que eles eram um casal de viciados que morreram de overdose e ela acabou ficando com a guarda da menina pois a família dela não gostava do pai da menina e abandonaram a mãe da menina e ela foi a única que ficou do lado da irmã (a mãe da menina), falo que sinto muito por isso e ela diz que tudo bem, falo que gostei muito de conhecer a Alissa e que queria levar ela para passar um final de semana comigo no meu apartamento, falo que irei cuidar bem da menina e que na segunda-feira eu levo a menina de volta para ela, a mulher então diz que já estava entendo as minhas intenções com a menina, ela falou que eu era daqueles que gostava de meninas bem novinhas, falei que não estava entendendo o que ela estava querendo dizer com aquilo, ela então disse que estava na cara que eu estava querendo transar com a menina, fiquei assustado e tentei falar que não era nada daquilo, a mulher então disse que eu não precisava ficar assustado pois eu não era o primeiro a pedir isso para ela, fiquei pasmo nessa hora, ela disse que os outros homens que pediram isso para ela eram uns folgados sem grana que iriam maltratar a menina e também alguns outros eram moradores de rua igual a ela e por isso ela recusou o pedido deles, ela diz ainda que a menina é uma pestinha mas também é bonita e por isso acaba atraindo a atenção dos homens, já sem medo algum e sem nada a perder falo para a mulher que eu vou cuidar bem da menina e que vou ser muito carinhoso com a menina, a mulher então diz que tudo bem e que ela vai deixar eu ficar com a menina no final de semana, mas que eu vou ter que pagar muito bem para ela, pergunto quanto ela quer e ela responde que quer 120 reais, falo que só posso dar 100 reais, e ela diz que nada feito, peço para ela deixar por 110 reais, e ela responde que é 120 reais ou nada feito e que esse dinheiro não deve ser nada para mim e nem vai me fazer falta pois eu ando bem vestido e devo ter muita grana, falo que ela é uma negociadora difícil mas que tudo bem eu darei os 120 reais para ela, combinamos de eu dar o dinheiro para ela no dia seguinte quando eu for buscar a menina lá, pergunto porque ela e a menina foram morar na rua e ela diz que é porque ela foi despejada da casa que morava com a menina por estar atrasando o aluguel e que só atrasou o aluguel porque ficou desempregada e que não recebia o seguro desemprego por ter sido mandada embora por justa causa, ela fala que o supervisor dela ficava dando em cima dela mas ela não queria nada com ele e ele ficou bravo com ela e a demitiu por justa causa alegando que ela destratou ele, falei que eu sentia muito e ela disse que estava tudo bem, voltamos para o outro lado da rua onde a menina estava, e eu me despeço dela e falo que volto no dia seguinte para busca-lá para ela passar o final de semana comigo no meu apartamento, a menina fica toda feliz e pergunta se aquilo é sério e eu digo que sim, ela me abraça e pergunta se eu prometo que vou voltar para busca-lá no dia seguinte e eu digo que prometo que vou voltar no dia seguinte, e então me despeço dela mais uma vez e vou embora, antes de ir para casa eu passo no shopping e vou até uma loja de roupas infantis e compro umas roupas para a Alissa, eu compro uma camisolinha, umas calcinhas, uns 2 shortinhos jeans umas 3 camisetinhas, umas 2 calças de bichinho daqueles panos bem levinhos, além uma sandalinha, um chinelinhio e um tenis de princesa para ela, compro também um bikini vermelhinho de bichinho para ela, além das roupas e dos calçados eu compro também um shampoozinho infantil e um perfumezinho infantil para ela, saindo do shopping vou até o supermercado onde compro uma escova de dente e uma pasta de dente infantil, além de comprar pão de forma, frios, refrigerante, suco de caixinha e uns pacotes de bolacha recheada que eu imaginei que ela deveria gostar, volto para casa e guardo as coisas no armário e na geladeira, e guardo as roupas que comprei para ela no guarda-roupas com exceção do perfume e shampoo infantil além da escova de dentes e pasta infantil que guardo no banheiro, depois fui tomar um banho e jantar, mais tarde me deitei na cama e fiquei pensando na Alissa e em como eu não via a hora de chegar o dia seguinte e eu finalmente te-lá em meus braços, no dia seguinte o que eu menos conseguia era trabalhar pois eu só pensava na Alissa, mas tive que esperar pois não tinha jeito eu ainda teria um dia inteiro de trabalho, a hora finalmente passou e deu a minha hora de ir embora, peguei o carro e fui direto busca a Alissa, eu estava muito contente em ter conseguido convencer a tia da menina em deixar em leva-lá de volta apenas na segunda-feira no final da tarde, para a minha sorte naquela segunda feira se iniciariam as minhas férias então eu poderia passar segunda feira inteira com a menina, finalmente cheguei ao local onde a menina ficava com a tia dela, a menina novamente quando me viu veio correndo e me abraçou toda feliz, a tia da menina então fala para mim cuidar muito bem da menina e devolve-lá em segurança na segunda-feira, respondo que tudo bem, antes de irmos embora a tia da um abraço na menina e pede para a menina se comportar, percebo na hora que a menina parece estar bem desconfortável com o abraço da tia como se não estivesse gostando, dou os 120 reais para a tia da menina, pego na mão da Alissa e a levo até o local onde deixei o meu carro, abro a porta de trás e a coloco no banco de trás, entro na frente e nós vamos embora dali, no caminho percebo que ela tá meio quieta e resolvo puxar um assunto com ela, pergunto se ela já gastou o dinheiro que dei para ela no dia que nos conhecemos e ela responde que não e que deu tudo para a tia dela, pergunto porque ela deu o dinheiro para a tia dela e ela diz que a tia dela bate nela se ela não der todo dinheiro que ganha para a tia, falo para ela que depois dou mais dinheiro para ela mas que dessa vez ela não vai falar para a tia dela, percebo que ela continua bem quieta e só fala quando eu puxo um assunto, peço para ela me falar a verdade porque ela tá diferente e triste, ela fica quieta e diz que não quer falar sobre isso, falo que ela não precisa ter medo de falar sobre nada comigo e que seja lá o que for eu vou entender pois eu me importo muito com ela, Alissa começa a chorar e diz que no dia anterior depois que eu fui embora a tia dela falou para ela que eu não gostava dela de verdade e que eu só queria levar ela para passar o final de semana na minha casa para me aproveitar dela e depois de ela ter me satisfazido eu iria devolve-lá e nunca mais iria voltar para visita-lá de novo e iria simplesmente me esquecer dela, fico extremamente triste ao ouvir ela falando aquilo e falo para ela que aquilo que a tia dela falou não é verdade e que ela é uma menina muito especial para mim e que eu jamais abandonaria ela e que eu sempre vou visitar ela, ela me faz prometer que eu sempre vou visitar ela e eu prometo isso a ela que fica toda feliz, finalmente chegamos no meu apartamento, não fico preocupado do porteiro ou outra pessoa do prédio perguntar sobre a Alissa pois eles sabem que as vezes faço trabalhos sociais com ongs carentes na empresa, subimos para o meu apartamento e a Alissa fica impressionada de como o meu apartamento é grande, falo que quero que ela se divirta muito no meu apartamento naquele final de semana, levo ela para o meu quarto e falo que tenho uma surpresa para ela que fica toda curiosa, mostro as roupas que comprei de presente para ela que fica toda feliz e fala que eu sou a pessoa mais legal do mundo, falo para ela que agora vou leva-lá para tomar um banho bem quentinho para ela ficar bem limpinha e mais confortável, pego a camisolinha e uma das calcinhas que comprei para ela e a levo para o banheiro, chegando lá ligo o chuveiro e a ajudo a tirar a roupa dela, meu pau fica duro como pedra ao ver ela peladinha, falo para ela entrar embaixo do chuveiro que eu já volto para ajudar ela a tomar banho, ela responde que tudo bem e entra no box, pego a camisetinha, o shortinho e a calcinha que ela tava usando e coloco numa sacola e jogo na lixeira pois essas roupas dela estavam muito velhas, volto ao banheiro e vou ajuda-lá a tomar banho, pego o sabonete e vou esfregando todo o corpinho dela, os peitinhos que ainda eram retinhos, a barriguinha, os bracinhos, as perninhas e a bucetinha que ainda era lisinha e não tinha nenhum pelinho, esfreguei as costinhas dela e a bundinha que apesar de pequena era muito macia e gostosinha, pego o shampoozinho infantil e começo a passar no cabelinho dela e vou esfregando para deixar bem limpinho, passo um pouquinho de água nos rostinho dela que tava um pouco sujinho também, termino de dar banho nela e começo a seca-lá e então ajudo ela a vestir a calcinha e a camisolinha, passo o perfume infantil nela e depois seco o cabelo dela um pouco com o secador, penteio o cabelo dela e ela fica lindinha, nem lembra mais aquela menina de rua de uns minutos atrás, pego a escova e a pasta de dente infantil que comprei para ela e falo para ela escovar os dentes, ela me obedece e começa a escovar os dentes, após ela terminar de escovar os dentes levo ela para frente do espelho e mostro para ela como ela está linda, falo que ela está mais bonita do que ela já era, e ela pergunta se é sério mesmo que eu acho ela bonita e eu respondo que ela é a princesinha mais linda que eu conheço, ela fica toda feliz e me abraça e me da um beijo na bochecha, levo ela para a sala e coloco a tv num canal a cabo infantil e falo para ela ficar ali quietinha assistindo tv que eu vou tomar um banho e já volto para arrumar alguma coisa para a gente comer e ela responde que tudo bem, vou ao banheiro tomo um banho, me troco e volto para a sala e percebo que ela está bem quietinha deitada no sofá vendo televisão, pergunto se ela está com fome e ela responde que sim, pergunto se ela gosta de pizza e ela fala que adora mas que faz muito tempo que ela não come, falo que vou pedir uma pizza para nós e ela fica toda feliz, peço a pizza e fico com ela ali na sala aguardando a pizza chegar, me deito com ela no sofá e fico passando a mão nela, fico passando a mão nas perninhas e na bucetinha dela por cima da camisolinha, ela parece estar gostando e nem liga, ela então coloca a mãozinha dela por cima da minha mão que estava em cima da bucetinha dela e começa a acariciar a minha mão como se estivesse gostando daquilo, ficamos um bom tempo ali trocando carinhos até que o interfone toca, vou atender e é o porteiro avisando que a pizza chegou, pego a pizza e levo para o meu apartamento, sirvo um pedaço para a Alissa além de um copo de refrigerante, a menina comia super rápido, dava para ver que estava com muita fome, teve uma hora que até falei para ela tomar cuidado para não se engasgar, ela sorri e diz que não vai se engasgar, depois de comer-mos voltamos para a sala e ficamos um pouco lá vendo tv além voltarmos a fazer os carinhos, depois de um tempo olho para o relógio e percebo que já são 10h30 da noite, eu pego a Alissa no colo e a levo para o quarto, chegando lá eu a coloco na minha cama que é de casal e me deito ao lado dela, começo a acariciar ela e a falar como eu acho ela linda, e ela fala que também me acha bonito, eu então dou um selinho nela e depois falo que quero ensinar ela a beijar de verdade e pergunto se ela deixa, ela da um sorrisinho inocente para mim e diz que sim, eu então começo a ensina-lá a beijar, no começo ela se atrapalha um pouco mas conforme nós vamos nos beijando mais ela vai pegando o jeito, paramos de nos beijar e eu vou passando a mão em todo o corpinho dela e falo para ela que estou muito feliz por ela estar comigo ali naquela noite, ela fala que também está muito feliz por estar passando aquele tempo comigo e que ela confia muito em mim, ela então se levanta da cama e tira a camisolinha ficando apenas de calcinha, ela volta para a cama e nós voltamos a nos beijar, eu então começo a chupar todo o corpinho dela, começo pelos peitinhos e vou descendo pela barriguinha dela até chegar na bucetinha, eu então tiro a calcinha dela deixando ela completamente peladinha, a bucetinha da Alissa era muito lindinha, era branquinha e bem lisinha e sem nehum pelinho pois ela tinha só 9 anos, já não me aguentando mais de tanto tesão eu começo a chupar a bucetinha dela, no começo ela dava umas risadinhas pois falava que fazia cócegas mas depois de um tempo começou a dar pequenos gemidinhos de prazer, depois de me deliciar com a bucetinha da Alissa eu me levanto da cama e tiro a minha camiseta, a minha samba-canção e a minha cueca de baixo e fico completamente pelado também, volto para a cama e pego na mãozinha da Alissa e coloco no meu pau que já estava bem duro e vou ensinado ela a bater uma punheta para mim, ela aprende rápido e bate uma punheta gostosa para mim, depois de um tempo falo que agora é a vez de me chupar igual eu fiz na bucetinha dela, ela responde que tudo bem, vou ensinado para ela como ela deve fazer, ela então coloca a cabecinha na boca e começa a chupar o meu pau, ela não conseguia engolir ele todo pois só tinha 9 anos, mas ela chupava muito gostoso, depois de um tempo acabei gozando um pouco na boquinha dela que cuspiu um pouquinho e falou que tinha um gosto um pouco estranho e era meio salgado, falei para ela que era normal ela achar aquilo pois era a primeira vez que ela engolia gozo, peguei um pouco de lubrificante e passei um pouco no meu pau e também na bucetinha dela e então comecei a colocar o meu pau na entradinha da bucetinha dela, falei para ela me avisar se estivesse doendo que eu iria mais de vagar ou até parava se fosse o caso e ela respondeu que tudo bem, comecei a forçar mais o meu pau para dentro da bucetinha dela e ela não falava nada, dava para perceber que estava incomodando um pouco ela pela expressão no rosto dela mas ela não reclamava, forcei um pouco mais e então começo os movimentos de vai e vem, a bucetinha da Alissa tava bem molhadinha, quentinha e gostosinha, estava muito gostoso sentir o meu pau lá dentro dela, fiquei um bom tempo ali metendo na bucetinha da Alissa pois eu estava com muito tesão, até que finalmente eu gozei bastante e enchi a bucetinha dela de gozo, tirei o meu pau de dentro da bucetinha dela que saiu todo melado do meu gozo e de sanguinho do cabacinho dela que eu tinha estourado, saímos da cama e fomos para o banheiro onde nós tomamos um banho juntos, após o banho eu sequei ela e passei uma pomadinha anti-inflamatória na bucetinha dela e depois coloquei a calcinha e a camisolinha nela além de pentear o cabelo dela de novo, vesti a minha cueca, a minha samba-canção e a minha camiseta e nós voltamos para o quarto, perguntei para ela se estava tudo bem e ela respondeu que sim e que só doeu quando eu coloquei o meu pau na bucetinha dela, abracei ela e falei para ela que ela deveria ter me avisado que estava doendo porque ai eu teria parado, ela então diz que não falou nada porque eu estava sendo muito legal de deixar ela ficar na minha casa e ela sentia que ela deveria ser legal comigo e deixar eu me divertir com ela do jeito que eu quisesse, perguntei se era aquilo mesmo ou se a tia dela tinha falado alguma coisa para ela, ela então me olhou com os olhinhos bem triste como se fosse chorar e me pediu que eu não contasse nada para a tia dela sobre o que ela ia me falar, falei que ela podia ficar tranquila que o que ela me falasse ali ficaria só entre a gente, ela então diz que no dia anterior depois que eu fui embora além de falar aquelas coisas que ela me contou no carro a tia dela também falou para ela ser boazinha e me agradar como uma boa putinha que ela nasceu para ser e que se eu pedisse o dinheiro de volta ao devolve-lá para a tia dela a mulher iria bater nela e iria faze-lá se arrepender de ter nascido, fiquei chocado ao ouvir aquilo e perguntei se a tia dela sempre maltratava ela assim, e ela responde que sim e que a tia dela nunca gostou dela e sempre a culpou por tudo de errado que aconteceu na vida dela, falo para ela que a tia dela está errada em agir daquela forma com ela e que a tia dela pode não gostar dela mas que eu gosto muito dela e sempre vou tratar ela com muito carinho pois ela é uma princesinha linda, ela sorri e fala que eu sou a pessoa mais legal que apareceu na vida dela, falo que ela também deixou a minha vida muito mais feliz desde que conheci ela, pego ela no colo e a levo para o quarto e a deito na minha cama e me deito do lado dela, cubro ela com o edredom e dou boa noite para ela e nós dois dormimos, no dia seguinte acordo antes dela e fico apenas admirando ela dormindo e começo a pensar em como ela deve estar se sentindo feliz por estar dormindo numa cama de verdade ao invés de estar dormindo naqueles papelões naquele chão duro, sujo e frio, me levanto e vou até a cozinha preparar o café da manhã, depois volto para o quarto e acordo a menina, pergunto se ela dormiu bem e ela responde que sim e que fazia muito tempo que ela não dormia numa cama tão macia, dou um beijinho no topo da cabeça dela e a levo até o banheiro para escovar os dentes, depois vamos até a cozinha e dou o café da manhã para ela que novamente come bem rápido e diz que tá muito gostoso, falo para ela que como é sábado vou leva-lá para passear, mostrou o bikini que comprei para ela e falo que nós vamos nos divertir num parque aquático e pergunto se ela sabe nadar, ela fica toda feliz mas diz que não sabe nadar, falo para ela não se preocupar que eu vou ensinar ela a nadar, falo que antes de irmos ao parque aquático vou leva-lá em outro lugar que ela vai gostar também, falo para ela que quando nós sair-mos por ai ela deve me chamar de pai na frente das pessoas porque se não elas podem estranhar por estarem nos vendo juntos, ela sorri e me responde com um ”tá bom Papai” que me deixa todo derretido por ela, depois do café da manhã eu arrumo o meu apartamento, ajudo a Alissa a se trocar, e me troco também, nós saímos e antes de irmos para o parque aquático eu a levo num salão de beleza próximo ao meu apartamento, falo para a cabeleireira cortar o cabelo da Alissa na altura das costelas pois eu não curto menina ou mulheres com o cabelo muito curto e o cabelo da Alissa tava um pouco cumprido demais, a cabeleireira pergunta se além do corte eu gostaria que ela lavasse o cabelo da Alissa e passasse um creme nele, falei que tudo bem que ela podia fazer isso, perguntei se iria demorar muito e a mulher respondeu que um pouquinho, respondi com um ”to ferrado”, a mulher apenas sorri, e então a Alissa me manda um ”Moça não liga não, o papai é como todos os outros homens, sempre muito apressado quando se trata de ir ao salão de beleza”, a cabeleireira sorri e diz que a Alissa é uma fofa, vou lá para o banco aguardar a cabeleireira terminar o corte no cabelo da Alissa e então uma mulher que estava esperando uma outra cabeleireira terminar o corte de cabelo da amiga dela me pergunta se eu sou pai solteiro a muito tempo pois ela é raro ver o pai levar a filha ao salão de beleza, invento uma história de que desde alguns anos atrás quando a minha esposa faleceu, a mulher então fala que deve ter sido muito duro e eu respondo que no começo sim mas que com o tempo a gente se conforma e acostuma, depois de um bom tempo a cabeleireira finalmente terminou o corte de cabelo da Alissa que tinha ficado muito lindinha, a Alissa ficou toda feliz quando me perguntou se ela estava bonita e eu respondi que sim e que ela era a minha princesinha linda, paguei o dinheiro para a cabeleireira e nós fomos embora direto para o parque aquático, vou com a Alissa nos vestiários e ajudo ela a vestir o bikini vermelhinho que eu tinha comprado para ela, ela fica muito gostosinha com aquele bikini e o meu pau fica duro feito pedra só deu eu ver ela de bikini, tiro a minha roupa e visto a minha cueca e a minha bermuda de nadar e levo a Alissa para brincar no parque aquático, brinca-mos no tobogã, nos escorregadores, na piscina e em todos os outros brinquedos que tinham no parque aquático, dava para ver o quanto ela tava feliz ali junto comigo se divertindo como uma criança normal, antes de irmos embora do parque aquático eu ainda paguei um sorvete para ela que ficou toda feliz, depois de um dia inteiro de diversão no parque aquático eu levei ela para jantar fora numa churrascaria que eu adorava, eu percebi que ela não sabia cortar a carne direito e então eu fui ensinado ela a cortar a carne, ela me olhou tristinha e me pediu desculpas por ela estar me fazendo passar vergonha por não saber cortar a carne, falei que ela não precisava se desculpa e que estava tudo bem, depois daquele dia cansativo que nós tivemos nós voltamos para o meu apartamento tomamos um banho juntos e fomos nos deitar, a Alissa me abraçou e disse que me amava muito e eu respondi que também amava muito ela e nós dois dormimos abraçados naquela noite, no dia seguinte nós acordamos e já era quase meio dia, acho que dormimos demais por estarmos cansados do dia anterior, eu estava me sentindo ainda tão cansado que resolvi que naquele dia eu não iria sair para lugar nenhum, me levantei e fiz um lanche para a Alissa e depois fui preparar o almoço, fiz um macarrão e depois fui junto com a Alissa na padaria buscar um frango assado, voltamos para o meu apartamento e almoça-mos, depois fiquei assistindo um pouco de televisão enquanto a Alissa ficou jogando um joguinho no meu celular que eu havia ensinado para ela como jogar, depois de um tempo percebi que a Alissa estava ficando um pouco entediada e resolvi leva-lá até a piscina da área de lazer do prédio, brinca-mos na piscina e ela parecia estar se divertindo bastante, inclusive ela até fez amizade com outras duas meninas que moravam lá no prédio, já estava quase escurecendo quando nós voltamos para o meu apartamento, agarrei a Alissa e a joguei no sofá e comecei a fazer cóceguinhas nela que ria alto e pedia para eu parar, depois de brincar um pouco com ela levei ela para o banheiro e tomamos um belo banho juntos e inclusive chupei os peitinhos e a bucetinha dela e ela chupou o meu pau, depois do banho vesti a calcinha e a camisolinha nela, e me vesti com a minha camiseta, minha cueca e a minha samba canção e fomos jantar, percebi que a Alissa estava bem calada e quietinha durante o jantar, depois do jantar nós vamos para a sala e nos deitamos juntos no sofá e eu abraço ela e pergunto se está tudo bem, e ela responde que sim, falo que ela pode me falar se alguma coisa estiver incomodando ela e que eu percebi que ela tá incomodada com alguma coisa pois ela está muito quietinha desde o jantar, Alissa então diz que está triste pois esses últimos dias foram um sonho para ela e que depois de muito tempo ela sentiu como era ser amada novamente e que no dia seguinte ela teria que voltar a morar na rua com a tia dela que não amava ela e só a maltratava, ela diz ainda que não quer ir embora pois está muito feliz morando comigo, percebo uma lagrima caindo do olhinho dela após ela falar isso, falo para ela não ficar triste pois ela vai poder vir no meu apartamento sempre que ela quiser, ela responde que tudo bem num tom bem triste, depois daquela conversa nós vamos para o quarto dormir, cubro ela com o edredom e dou um beijinho de boa noite na cabeça dela, eu me deito ao lado dela e não consigo dormir pois só consigo pensar no que a Alissa me disse sobre não querer voltar a morar na rua com a tia dela e de como a tia a maltrata, olho para o lado e vejo a Alissa uma menina dormindo tão inocente e que no dia seguinte terá voltar a morar na rua, naquele momento eu senti uma coisa dentro de mim que me dizia que eu não podia deixa-lá voltar a morar na rua e eu também já estava muito apegado a ela, olhei para ela e falei ”Você não vai mais voltar a morar na rua, eu vou cuidar de você minha princesinha”, acho que ela nem me ouviu porque ela já estava dormindo, depois de tomar aquela decisão finalmente peguei no sono, no dia seguinte acordei cedo e fui preparar o café da manhã para a a Alissa, depois fui acorda-lá, perguntei se ela dormiu bem e ela ainda meio sonolenta respondeu que sim, falei para ela ir lavar o rosto, escovar os dentes e depois ir até a cozinha para tomarmos o café da manhã, ela respondeu que tudo bem e foi para o banheiro, fui para a cozinha e fiquei esperando ela, depois de um tempo ela veio para a cozinha, perguntei se ela tinha gostado de passar o final de semana comigo e ela respondeu que sim, perguntei o que ela achava de ela ficar morando comigo para sempre, ela me olhou com os olhos arregalados e perguntou se eu estava falando sério e eu respondi que sim, ela então começa a chorar e fala que aquilo era tudo o que ela mais queria pois ela me amava muito e não queria ficar longe de mim, falo para ela que eu também não quero mais ficar longe dela e que vou ser o melhor pai que eu puder para ela, ela então pede para eu prometer que eu nunca vou abandona-lá, respondo que eu juro com todas as minhas forças que eu não vou abandona-lá, ela me abraça emocionada, ela fala que não vai ser nada fácil convencer a tia dela, falo para deixar comigo que eu vou conversar com a tia dela e vou convence-lá, o restante daquele dia foi tranquilo e a Alissa estava bem mais feliz, no horário que combinei com a tia dela fomos até o local onde a Alissa dormia na rua com a tia dela, a mulher na hora que viu a menina ficou impressionada de como a menina estava diferente e falou que o que uns dias morando numa casa faz com uma pessoa pois a Alissa nem parecia mais aquela menina de rua de alguns dias atrás, a menina fica assustada e me abraça forte, falo para a mulher que eu quero adotar a menina e quanto ela quer para me deixar levar a menina embora comigo, ela fica brava e diz que aquele não era o combinado, respondo para a mulher que eu posso dar para a menina uma vida muito melhor do que ela teria morando ali na rua com ela, a mulher então diz que aposta que essa putinha mimada e ingrata deve ter falado um monte de mentiras sobre ela para mim, a menina chama a tia de bruxa e diz que não é nem putinha, nem mimada e nem ingrata, a mulher então diz que por ela está tudo bem e que eu posso levar a menina para ir morar comigo e que vai ser uma dor de cabeça a menos para ela e que a única coisa que ela quer para me dar a menina é uma boa grana em troca, pergunto quanto ela quer e ela diz que quer 300 reais, eu com medo de falar que era muito dinheiro e ela acabar mudando de ideia acabado aceitando a proposta dela e dou os 300 reais para ela, a mulher então fala que se eu enjoar da menina é para eu fazer o favor de não devolver a menina para ela e dar um jeito de me virar e colocar a menina em um orfanato, falo para a mulher que isso nunca vai acontecer e que eu jamais me enjoa-ria da menina, combinamos de eu voltar lá alguns dias depois para irmos até o cartório para ela poder assinar os papeis passando a guarda da menina para mim, pego a menina no colo e voltamos para o lugar onde deixei o meu carro, falo para a menina que agora está tudo bem e que ela nunca mais vai ter que voltar para aquele lugar, a Alissa me agradece por tê-lá salvado da tia dela e diz que me ama muito, respondo que também amo muito ela, coloco ela no banco de trás do carro e vamos embora dali, chegando no meu apartamento ela estava toda feliz falando que aquele era o melhor dia da vida dela, levei ela para o banheiro onde tomamos um belo banho juntos e depois colocamos as roupas de dormir, ela a calcinha e a camisolinha e eu a minha camiseta, a minha cueca e a minha samba-canção, depois preparei o jantar para nós e depois do jantar assistimos um pouco de televisão e subimos para o quarto para dormir, mas eu percebi que a Alissa não estava muito afim de dormir, ela se deitou por cima de mim e começou a falar de como ela era sortuda por ter sido adotada por um cara tão legal como eu, falei que eu é que era o sortudo por ter adotado uma menina tão linda quanto ela, a Alissa então começa a me beijar e eu falo que nós não deveríamos mais fazer aquilo pois não era certo, a Alissa então diz que aquilo só é errado se eu forçar ela a fazer e que eu não estava forçando ela a nada e também que ela queria fazer aquilo, eu então começo a beija-lá de lingua enquanto vou passando a mão na bundinha dela, eu então tiro a minha camiseta e continuo beijando ela, depois eu tiro a camisolinha dela a deixando só de calcinha, vou chupando os peitinhos e depois todo o corpinho dela, enfim tiro a calcinha dela e começo a chupar a bucetinha dela, a menina nessa hora já dava alguns gemidinhos de prazer, paro de chupar a bucetinha dela e volto a beija-lá na boca, depois tiro a minha samba-canção e a minha cueca e a Alissa começa a chupar o meu pau, era muito bom sentir aquela linguinha pequena lambendo o meu pau, depois de um tempo gozo um pouquinho na boquinha dela, mando ela ficar de quatro e coloco o meu pau no cuzinho dela, falo para ela me avisar se doer e ela diz que tudo bem, começo a empurrar mais o meu pau e ela pede para parar e se desculpa por não ter aguentado, falo que está tudo bem, ela se deita de frente para mim e eu coloco o meu pau na bucetinha dela, como ela não tem mais o cabacinho ela aguenta o meu pau na bucetinha dela sem problemas, começo os movimentos de vai e vem e ela começa a dar pequenos gemidos de prazer e pede para eu não parar pois está muito gostoso, naquele momento eu estava sentindo muito tesão e um prazer que eu nunca tinha sentido antes na minha vida e estava impressionado de como uma menina de 9 anos estava me dando muito mais tesão e prazer do que qualquer mulher adulta já tinha me dado nessa vida, era muito gostoso sentir o meu pau naquela bucetinha pequena e quentinha, depois de um tempo ali metendo na bucetinha daquela menininha gostosa eu gozei bastante dentro da bucetinha dela, quando tirei o meu pau a bucetinha dela estava encharcada do meu gozo, depois daquela transa maravilhosa fomos tomar um belo banho onde nós ainda nos chupamos mais um pouco e depois voltamos para o quarto onde dormimos pelados e abraçados cobertos apenas pelo edredom, já faz 1 ano desde que a Alissa mora comigo, ela está com 10 anos e está estudando em uma escola particular, além de fazer aulas de balé, natação e outros cursos extra currículares que eu pago para ela, meus pais são super apegados a ela e dizem que ela é a neta que eles sempre quiseram, nós ainda transamos de vez em quando mas eu agora sempre uso camisinha pois ela tem 10 anos agora e eu tenho medo de engravida-lá, hoje não tenho dúvida de que a Alissa foi a melhor coisa que aconteceu na minha vida e não me arrependo em nada de ter adotado ela e me sinto o cara mais feliz do mundo por ser o pai dessa menina, é isso SexyBoy essa é a história da minha melhor transa de todas, espero que você tenha se masturbado e se divertido muito pensando em mim transando com a Alissa.

⏩ O melhor site de desenhos animados pornô do 🇧🇷, HQs eróticas🔥

Avalie esse conto:
PéssimoRuimMédioBomExcelente
(Média: 4,34 de 32 votos)

Por # # #
Comente e avalie para incentivar o autor

9 Comentários

Talvez precise aguardar o comentario ser aprovado
Proibido numeros de celular, ofensas e textos repetitivos
  • Responder Fabrício Carmichael ID:81rmwn520c

    Muito bom esse seu conto, fofo, sexy e picante ao mesmo tempo, e Victor que lindo o que você fez pela Alissa, pelo que você descreveu dá para ver o quanto essa menina te ama, e você nem ia mais transar com ela mas ela mesmo quis continuar transando com você e tudo isso porque você nunca forçou ela e quando a gente trata com amor e carinho elas reconhecem, muita gente talvez não saiba mas quando um pai biológico ou adotivo transa com carinho com a sua filha eles desenvolvem um tipo de amor mais forte e mais puro e ficam muito mais unidos e isso vale para mães também, enfim famílias que fazem sexo juntos ficam muito mais unidas.

  • Responder Gaius ID:5h68j0zk

    Que conto mais doido. Será que esse “contador de estórias” sabe que samba canção é uma cueca? Ele veste duas, uma sobre a outra? Até ficção tem que ter um elo com a realidade. Adoção é um treco tão complicado, tão cheio de normas; não sei de onde o doido ai tirou a ideia de que basta ir a um cartório e “passar” a guarda de alguém para outra pessoa.

    • A Melhor Transa De Todas ID:81rmwn520c

      Lembrando que não sou eu que escrevo esses contos que trago para cá, apenas posto o conto de pessoas que me pedem para contar as suas histórias por isso o meu usuário se chama “A Melhor Transa De Todas”…

    • Papai Tesudo ID:81rmwn520c

      O queridão para de ser chato, o nome já diz ”CONTO”, então relaxa, leia o conto e goze, cara chato demais pqp.

    • Gaius ID:5h68j0zk

      Vá se atracar com um caralho, “papai tesudo”. chata é a puta que te pariu e te largou nesse mundo, zé ninguém. Mesmo sendo “conto”, tem que ter CONTATO COM A REALIDADE, imbecil. Descerebrados como você, aceitam que “gênios dos contos”, contem que enfiam piroca de 30cm em criança de cinco anos e está tudo bem, é só um conto. Aceita merdas desse naipe porque é só um “conto”. Vá dar meia hora de cu na praça!!

    • Novinha Lovers ID:81rmwn520c

      Aff dois babacas brigando por causa de 1 conto erótico…todo mundo sabe que 98% desse conto aqui no site não são reais, e Gaius se você leu o conto vai ver que nele o rapaz diz que meteu na bucetinha de uma menina de 9 anos que já aguenta uma rola tranquila, só é difícil para elas na primeira vez porque ainda tem o cabaço mas depois que perdem o cabaço elas aguentam super tranquilas e até gostam de transar, Gaius o qualquer outro se vocês viram um conto que não agradou vocês não percam tempo criticando e ofendendo os outros, simplesmente ignorem e deem nota baixa e vão ler outro conto, simples assim.

  • Responder Comedor de viúvas ID:831i9l1d9c

    Achei legal o cara ter tirado ela das ruas,mas não achei legal o fato de depois de ter a guarda dela continuar fazendo ela de putinha,tinha que cuidar dela como uma filhinha,dar todo amor e carinho pra ela,pois a vida dela já foi sofrida.

    • Victor ID:81rmwn520c

      Eu não fiquei fazendo Alissa de putinha, até porque ela não é nenhuma putinha, só transo com ela quando ela quer, e ela está muito bem, dou todo amor e carinho que ela precisa e sou o melhor pai que eu posso para ela, e hoje ela graças a Deus está muito bem e já nem se lembra das coisas horríveis que aquela tia nojenta dela fez ela passar, hoje ela é uma menina feliz, alegre e carinhosa e eu seria capaz de dar a minha vida por ela para ve-la bem.

  • Responder ada ID:81rf84rm99

    Como seria bom se o mundo fosse um conto de fadas !!!!!!!!