# # #

Perigo na piscina: os gêmeos

1456 palavras | 10 |4.67
Por

Continuação de “Perigo na piscina: o professor tarado”

*Desculpem ter abandonado essa serie de contos 6 meses atrás. Estou de volta e vou tentar postar com mais frequência pra vocês, seus tarados.

Atenção: Este conto é a continuação de “Perigo na piscina: o professor tarado”, e para entender o contexto do conto atual, é recomendável ter lido o conto anterior.

Aviso: Todos os acontecimentos deste conto são FICTÍCIOS. O autor do conto não incentiva que tais atos descritos sejam praticados na vida real. Dito isso, comentários construtivos e sugestões para novos contos serão muito bem recebidos.

… continuando

Depois de ter vivido a melhor experiência possível em uma aula de natação na noite passada, acordo com meu celular recebendo mensagens de um número desconhecido.

— “Nicolas? Roubei seu número na ficha da recepção. Foi foda ontem comer o Gui contigo. Hoje ele não vêm pra aula, mas como é quarta-feira é dia dos gêmeos. Você não pode faltar hoje hein. Vai ter que me ajudar a macetar esses novinhos.

Eram mensagens do Paulo, professor de natação. O safado já tava me convocando pra outra festinha durante a aula. Como resultado, passei o dia todo ansioso para que o dia acabasse logo e eu pudesse ir correndo pra academia. Estava curioso para saber quem eram esses gêmeos.
Já era fim de tarde, troquei de roupa para a tão aguardada aula de natação. Camiseta preta, um shorts levemente acima do joelho de tecido moletom e obviamente, como sempre, sem cueca. Fiz minha caminhada até a academia e entrei logo no vestiário. Para minha decepção ninguém havia chegado ainda, mas essa era a oportunidade perfeita para montar a armadilha. Logo fui me despindo e seguindo em direção aos chuveiros, escolhi a ducha que ficava bem de frente para os armários, para que assim que alguém entrasse ali a primeira coisa que conseguiria ver seria meu corpo nu se banhando bem de frente pra eles.

Não demorou muito e logo ouço o ranger da porta do vestiário, me preparo com o corpo bem de frente para os armários, meu pau já meia bomba melado da baba que escorria devagar se misturando com a água do chuveiro, e logo vejo os tais gêmeos.

Ao me ver um deles arregala os olhos e cutuca o outro que vinha distraído no celular, ambos olham rapidamente para mim e disfarçam começando a guardar suas mochilas nos armários. Eles eram umas gracinhas, deviam ter uns 14 ou 15 anos, bem magrinhos, estavam usando uniforme de um colégio que ficava pelas redondezas, conforme iam tirando a roupa era possível ver seus corpos, um deles era mais definido, tinha até alguns gominhos na barriga, o outro nem tanto. Eram ruivos, o mais fortinho usava topete e tinha alguns fiapos de barba começando a crescer no rosto, o outro usava tipo uma franja de lado e nem sinal de pelos pelo corpo.

Foram se despindo, as vezes olhavam de canto de olho pra mim, cutucavam um ao outro cochichando algo, e eu apenas aproveitando aquela cena e me exibindo para aqueles garotos. Já estava quase dando o horário da aula começar, então desliguei a ducha, puxei minha toalha e enquanto me secava fui puxar assunto com os meninos.

— “E aí, tudo bem?”

— “Tudo, eu sou Felipe e esse é meu irmão Gustavo” — o de topete respondeu. Ele parecia ser mais extrovertido e sociável do que seu irmão que parecia mais tímido e só balançou a cabeça concordando com o irmão e me cumprimentando

— “Prazer, eu sou Nicolas, to começando essa semana nas aulas. Vocês já frequentam aqui a muito tempo?” — continuei me secando, dando bastante ênfase no meu pau, passando várias vezes a toalha enquanto balançava meu mastro na frente dos dois.

— “Já vai fazer uns dois anos eu acho” — era sempre o Felipe que falava enquanto Gustavo ficava em silêncio apenas se trocando.

Nessa horas eles começaram a tirar suas cuecas para colocar as sungas, Felipe fez de frente pra mim mesmo, sem vergonha nenhuma e continuou a conversar comigo, pude ver seu pau já dando alguns sinais de vida, meia bomba, pulsando um pouco, ele tinha alguns pelos ralos que desciam do umbigo e se espalhavam envolvendo o pau e as bolas. Gustavo estava de costas quando abaixou a cueca, deixando pra mim a visão daquela bunda carnuda bem rosada, quando abaixou para colocar a sunga suas nádegas abriram e eu pude ver aquele cuzinho rosa, porém que já não aparentava ser mais virgem.

— “E vocês gostam do professor Paulo? Ainda não conheço muito bem ele” — joguei um verde para verde para ver a resposta deles enquanto observava eles colocando as sungas.

— “Sim, ele é legal, a aula com ele é sempre muito boa, principalmente no final” — me respondeu com um sorrisinho safado e logo em seguida o sinal do começo da aula tocou

Coloquei minha sunga rapidamente, dessa vez era bege, um tom um pouco mais escuro que minha pele, e sem forro como de costume, fui seguindo os garotos e saindo do vestiário em direção a piscina onde o professor paulo já nos esperava com mesma sunga vermelha apertando o volume que pau fazia.

— “Opa! Chegaram! Vamos pro alongamento logo que hoje vai ser um pouquinho diferente.” — disse Paulo nos cumprimentando e começando os alongamentos antes da piscina

Nos posicionamos os três de frente para o professor, começamos a nos alongar e aos poucos ele foi chegando mais perto do Felipe, o gêmeo de topete, e começou a ajudar ele com os alongamentos, ia passando a mão pelo corpo do garoto, em alguns exercícios ele dava umas encoxadas, eu vendo tudo isso já estava com o pau duraço e babando na sunga.

— “Vamos Fê, estica mais um pouco, você consegue” — ele dizia enquanto bullinava o menino — “Nicolas, você não quer ajudar o Gustavo a alongar também enquanto eu ajudo o Felipe aqui?”

Era a deixa que eu precisava

— “Claro Paulo, ajudo sim” — Me aproximei do gêmeo de franja e já cheguei por trás esfregando meu membro rígido no meio daquela bundinha linda.

A partir daí as coisas escalaram rápido, esfrega vai, esfrega vem, quando olhei pro lado, Felipe já tinha caído de boca no professor e se engasgava tentando engolir tudo de uma vez. Nisso já coloquei o Gustavo de joelhos também e revelei o mostro que eu tinha escondido na sunga, ele meio tímido ainda começou a chupar só na cabeça do pau, mas logo pegou ritmo e me surpreendeu engolindo meus 23cm com facilidade, como uma verdadeira putinha.

A cena era perfeita, eu e Paulo botando aquele novinhos pra mamar na beira da piscina, fazendo eles engasgarem babando nossos cacetes. Em seguida puxei o meu gêmeo pelos cabelos, joguei contra a parece fazendo ele ficar empinadinho pra mim, puxei sua sunga pra baixo, dei uma pincelada com o caralho no seu buraquinho e meti de uma vez até a metado pois o garoto não aguentou tudo de uma vez. Comecei as estocadas com carinho pra amaciar aquela carne novas e fui chegando cada vez mais fundo, até que ele engoliu meu pau por completo com o rabo. Peguei ritmo e macetei forte naquele cuzinho. Ele gemia igual uma putinha, uma cadela no cio. A timidez ja havia ido embora, parecia até outra pessoa quando chorava no meu pau.
Virei ele de frente segurei pela pernas no meu colo, prencei ele na parece e continuei metendo. Enquanto isso Paulo maltratava o gêmeo dele de quatro, metia puxando o garoto pelos cabelos, virava de frango assado e socava violentamente urrrando e enforcando o garoto que gemia sorrindo, com o brilho nos olhos sabendo que nasceu pra ser uma apenas depósito de porra.

Nós começamos a revesar entre os irmãos, fodiamos os dois um de frente para o outro, botavamos eles pra mamar dentro e fora da piscina. Paulo gozou primeiro bem na cara do Gustavo enquanto ele pagava um boquete, eu fui logo depois deixando o cuzinho do Felipe recheado de porra.

Os gêmeos ja aparentavam estar exaustos, o tempo de aula chegou ao fim, mas a festa ainda não tinha terminado.

— “Segundo round no vestiário? Só saio daqui hoje depois de fazer um filho nesses putinhos” — comentei convidando o professor
— “Só se for agora, vamos maltratar mais um pouco esses moleques” — disse Paulo

…continua

⏩ O melhor site de desenhos animados pornô do 🇧🇷, HQs eróticas🔥

Avalie esse conto:
PéssimoRuimMédioBomExcelente
(Média: 4,67 de 18 votos)

Por # # #
Comente e avalie para incentivar o autor

10 Comentários

Talvez precise aguardar o comentario ser aprovado
Proibido numeros de celular, ofensas e textos repetitivos
  • Responder Guri ID:1dai7ueu41

    massa demais! me chama no tele @rmt185

  • Responder Nelson ID:3c793cycoid

    Vê se agora você não some de novo.

    • Nulgos ID:8d5q52zb0b

      Vou tentar não sumir kk

  • Responder Nelson ID:3c793cycoid

    Melhor de todos. Também transo com gêmeos só que já sao quarentão casados mas adoram uma putaria e topam tudo. Serviço completo.ahahahahahah

  • Responder Messin ID:w735kv9a

    Você tem Instagram ou twitter? Eu tenho uma sugestão pra dar mas eu não gosto de usar os comentários daqui do cnn

    • Nulgos ID:8d5q52zb0b

      Me procura no twitter @what69ever, to sempre aberto a sugestões

  • Responder Messin ID:w735kv9a

    Continua e faz os gêmeos comerem o cu um do outro

  • Responder Jardel ID:3nwpcn3020a

    Já tive uma experiência tbm com gêmeos, mas ambos só pra mim. Willian e Jean, 14a e bem putinhos. Não fui eu o felizardo que tirou as preguinhas deles, fora um primo que iniciara ambos, dois anos antes. O Jean era escandoloso, gemia feito puta e pedia pra eu não parar de socar. Em compensação o Willian era chorão, reclamava que meu pau era muito grande, mas não é, mede 16 centímetros qdo está duro, e gostava mais qdo eu metia nele de frango assado. Os dois viadinhos faziam troca-troca todos os dias, e fui privilegiado qdo mudei para o prédio onde eles moravam. Eu tirava folga toda quarta-feira e nem saía mais de casa depois que os conheci a fundo. Morei dois anos e meio naquele prédio, e durante todo esse tempo, meti muito com eles. E depois que mudei de lá, as vezes os putinhos me ligavam convidando pra ir na casa deles. Vez ou outra eu ia mesmo. Qdo foram pra faculdade perdemos contato, e nunca mais os vi. Eles estavam com 20a na época, mas foi bom enquanto durou.

  • Responder AdriSLZ ID:6suh53h6ik

    Bom

    • RcPutao ID:2ql0ptfzi

      Vc é de São Luís MA?