# # # #

Naya – A Garotinha do Papai #3

1347 palavras | 15 |4.55
Por

Conta a história de Naya, uma adolescente viciada em sexo, narrada pelo seu pai voyeur. (O Primeiro Flagrante)

A passagem de tempo dos seus 11 anos também foi tranquila. Ela estava cumprindo o nosso acordo. Por algumas vezes peguei o Francisco lá no mercadinho chamando ela para conversar, mais ela não dava bola, e nem explicava o porquê dessa mudança de comportamento dela. Isso deixava ele triste. Eu ficava observando, e percebia que ele parecia ser apaixonado por ela. E esse tratamento dela, estava deixando ele angustiado. Naya completou 12 anos, e estava cada vez mais visível aos olhos dos meninos e homens do povoado, que ela seria uma adolescente gata, e muito gostosa.
Um certo dia recebi um telefonema de um dos fornecedores do mercadinho, solicitando que eu fosse ao banco sustar o cheque que eu havia dado ao seu motorista, pois o mesmo havia sido assaltado, e a empresa pediu isso a todos os seus clientes. Naya estava de férias e ficava quase o tempo todo entre o mercadinho, a casa dos meus pais, e a nossa casa. Pedir pra ela fica com minha mãe lá em cima por que teria que ir na cidade resolver um problema no banco, e achava que iria demorar. Ela disse: Tudo bem pai, eu fico com minha vó.
Chequei na cidade e fui direto ao banco. Resolvi o problema do cheque em menos de 20 minutos. Sair, passei na frente de uma lojinha de presentes e comprei um urso enorme pra levar pra Naya. Peguei o carro e voltei. Estacionei o carro na frente da minha casa, que ficava nos fundos do mercadinho, e deixei o urso em cima da cama da Naya para fazer uma surpresa. Era por volta de umas 12:30 e nesses horários não tinha movimento no mercadinho. Entrei e só estava meu pai no caixa. Perguntei pela Naya e ele disse que ela estava lá em cima com minha mãe. Subir e para minha surpresa minha mãe estava sozinha, disse que a Naya estava no mercadinho. Desci já encucado com isso. Imaginei que ela tinha ido na padaria conversar com o Francisco, aproveitando que eu tinha saído. Fui até o passeio da padaria e vi o Silvio no caixa, e o Francisco ao seu lado jogando no celular. Descartei essa hipótese. Voltei pro mercadinho, passei pelo meu pai, e seguir em direção a minha casa. Iria lá pra ver se ela tinha ido pra lá. A gente poderia ter se desencontrado.
Ai lembrei do deposito do mercadinho. Como os meninos que trabalham aqui moram distantes, já na zona rural do povoado, as vezes eles trazem marmitas e almoçam do deposito, e ficam lá até acabar o intervalo do almoço. Cheguei na entrada, e ouvir vozes. Eram o Moacir e o Jefinho que conversavam. Já estava saindo quando ouvir o Moacir falar: Olha como as perninhas estão grossas. Pensei: Ele não pode estar falando das pernas do Jefinho. Tirei as sandálias, e fui devagarinho pra ver o que acontecia ali. O deposito tinha muitas prateleiras, que ficavam em forma de labirinto. No início tinha produtos de gêneros alimentícios, no meio ficava os produtos de higiene, e no fundo fardos de açúcar, sal, arroz. E uma mesa que o pessoal usava pra fazer as refeições.
Fui entrando devagar e fiquei escondido atrás das prateleiras com caixas de sabão em pó. O deposito estava escuro, só tinha acessa a luz do fundo, aonde eles estavam. Como fiquei no canto da prateleira, seria impossível eles me verem. Moacir estava sentado em cima de uns fardos de açúcar com a Naya sentada nele, e o Jefinho também estava sentado em outra pilha de fardos de açúcar, em frente aos dois. Lá estava eu novamente sendo voyeur da minha filha. Confesso que sentir tesão com o que via, e fiquei quieto vendo até onde eles iriam. Moacir passava as mãos nas coxas da Naya, e o Jefinho ficava só vendo. Ela estava com um shortinho curto e um top curto mostrando a barriga. Moacir disse: Olha Jefinho, como a Naya é gostosinha, e bem safadinha. Naya ria sem dizer nada. Jefinho demonstrava está bem excitado e com o pau duro.
Eles estavam despreocupados pois meu pai estava sentado no caixa, e sempre falava alto, e saia gritando bastante antes de chega em algum lugar. Provavelmente a Naya falou a eles que eu ia resolver algo no banco, e iria demorar. Moacir falou pro Jefinho. Quer vê uma coisa Jefinho? Claro. Disse Jefinho. Moacir, com a mão esquerda afastou os cabelos loiros da Naya, e começou a beijar seu pescoço. Pegou a mão direita e começou a esfregar a bucetinha dela, por cima do shortinho. Naya ficou de olhos fechados, se arrepiando toda. Jefinho passava a mão no pau por cima da bermuda, como se estivesse se masturbando. O tesão era grande naquele deposito.
Jefinho pediu pra ela sentar em cima dele. Ela desceu do colo do Moacir, e foi de encontro a ele. Pegou ela pela cintura e a colocou no colo dele. Ela percebeu que ele estava de pau duro e ficou tentando se encaixar direito, até a regada do bumbum sentar em cima do pau. Ali no escuro meu pau já estava pulsando, aquela brincadeira estava me matando de tesão. Jefinho disse: Olha isso Moacir. Jefinho foi mais ousado, e colocou a mão por dentro do shortinho da Naya, alcançando sua bucetinha. Ficou uns minutos esfregando o clitóris dela, e tirou os dedos todos melados. Ela tinha gozado. Naya estava em êxtase, e gemia baixinho. Moacir mandou ela voltar ao colo dele. Ela obedeceu. Jefinho ficava cheirando os dedos e os colocava na boca pra sentir o gostinho da bucetinha dela. Moacir fez o mesmo que o colega. Colocou ela no colo novamente e já meteu a mão dentro do shortinho. Ficou uns minutos com os dedos dentro dela. Tirou, e eles estavam encharcados. De onde eu estava, dava pra sentir aquele cheiro do fluido vaginal dela. Jefinho falou: Eu quero chupar essa bucetinha. Quando ouvir o que ele falou, resolvi que era hora de parar com a brincadeira. Naya estava entregue, e cheia de tesão. Seria uma presa fácil dos dois.
Sair devagarinho de onde estava, e na entrada do deposito gritei: Moacir, Jefinho. Esperei um pouco e comecei a adentrar como se não soubesse de nada. Cheguei onde eles estavam e encontrei todos afastados, e com cara de assustados. Naya estava em pé, perto da mesa e veio falar comigo. Oi Pai. Chegou agora foi? Sim filha, respondi. Você está fazendo o quê aqui? Não mandei você ficar com sua avó? Ela respondeu: Eu estava com ela, e vim aqui pra ver se os meninos queriam esquentar as marmitas no micro ondas, mas eles já comeram a comida fria mesmo. Vem, vamos almoçar. Chamei. Ela saiu na minha frente, e nem falou nada com os dois. Olhei pra eles, e eles estavam com as cabeças baixas, com as marmitas na mão, para simular que estavam almoçando.
Fomos para casa, e almoçamos. Falei com ela que tinha uma surpresa pra ela no quarto dela. Ela subiu correndo, e deu um grito. Tinha adorado o urso gigante que estava na cama dela. Subir e vi a felicidade dela abraçando o urso, que era quase do seu tamanho. Obrigado pai! Te amo muito. Também te amo filha. Desci e me tranquei no meu escritório. Comecei a lembrar de tudo aquilo que tinha visto agora há pouco. Tirei o pau pra fora e comecei a bater uma punheta. Gozei pensando na minha mocinha. Resolvi que dessa vez não iria chamar a atenção dela. Do forma que vi acontecer hoje, teria como controlar a situação, deixando somente eles tocarem nela, sem penetração. Já fiquei bolando um jeito de inventar uma outra ida a cidade, nesse mesmo horário para ver se eles tentariam algo novamente.

⏩ O melhor site de desenhos animados pornô do 🇧🇷, HQs eróticas🔥

Avalie esse conto:
PéssimoRuimMédioBomExcelente
(Média: 4,55 de 42 votos)

Por # # # #
Comente e avalie para incentivar o autor

15 Comentários

Talvez precise aguardar o comentario ser aprovado
Proibido numeros de celular, ofensas e textos repetitivos
  • Responder Edson91 ID:vpbi7d9j

    Mano, tô gostando d+ dessa historia. Por favor continue.

  • Responder Dasilva ID:1dai5li499

    Mais uma fascinante narstiva de desejos e cuidados para não deixar ela ser entregue totalmente aos dessjos e tesão sem pensar e cabar de uma forma errada e piorar mais no futuro, bela descrição de uma iniciação com cuidados, parabéns!
    continue.

  • Responder Valdir ID:830xmr68rc

    Boa noite Trc_22BR, Esse é um fetiche que muita gente tem. Tenho um fetiche de ver alguém comendo ou sarrando minha filha. Antes eu ia com minha mulher em casas de swinger para ver comerem ela e me masturbar, mas nos separamos. Minha filha mora comigo e gostaria de exercer esse fetiche com ela. Já está com 11 anos e tem um corpinho que já chama a atenção. Estou convencendo ela a “brincar” com meus amigos. Faço seguidamente churrasco aqui em casa e convido alguns amigos e instruo minha filha a usar biquínis pequenos na piscina e sentar sentar nos colo deles. Só em ver que eles ficam de pau duro já me dá tesão.

    • Cris ID:5pbartu2k0a

      Deixa um contato amigo

    • Cris ID:5pbartu2k0a

      Deixa o contato valdir

    • Quero cuzinho 10 ID:8d5ex5ovm3

      Amaria poder participar desse seu fetiche .. de que cidade vc é?

    • Valdir ID:830xmr68rc

      De preferencia procuro alguém que já tenha uma certa experiência com filha, sobrinha ou outra menina qualquer, pois pode machucá-la .A penetração tem que ser feita com muitos cuidados

    • Trc_22BR ID:1ren0eqk

      Valdir por mais que seja visto como tabu, isso é mais normal do que se imagina. Tem casamentos que não duram e a mulher sai deixando uma menina pro pai criar, ou as vezes o pior acontece e a mulher morre. E quando a menina tem sua sexualidade aflorada precocemente, o pai é o primeiro homem por quem ela vai sentir desejo, principalmente se a relação dos dois tiver muita intimidade.

    • Ojuara ID:vpbi7d99

      Vc poderia fazer um teste com ela. Tipo convencer algum amigo seu, que ela conhece a participar. Em algum churrasco seu amigo colocaria ela no colo, ele estando com o pau duro. E vc daria uma saida até a cozinha, ou banheiro. Para vê qual reação ela teria. Se ela gostar qd vc retornar vai estar ainda no colo do seu amigo. Se ela rejeitar esse contato, vai sair assim que sentir o pau duro.
      Se ela gostar, da próxima vez pedi pro seu amigo alisar as coxas dela pra vê a reação. Vai fazendo isso pra vê até onde ela ir com as investidas.
      Agora tem que ser um amigo de muita confiança, para o cara não sair falando por ai.

    • Leo12786 ID:8d5qf7hfi9

      Depois que comecei a ler os contos também comecei a ter esse fetiche. Tel leo12786

    • Valdir ID:830xmr68rc

      Bom dia Ojuara. Já fiz algo parecido. Quando ela de biquíni estava o colo de um amigo em que tinha mais afinidade, observei que ele ficou de pau duro, disse que ia no banheiro e fui até meu quarto no primeiro andar que tem janela para piscina e área de churrasco, sem que eles me vissem fiquei na janela observando os dois, ele passava a mão na barriguinha dela e ela somente sorria, excitado bati uma bela punheta. depois desci lá mas fizeram com que nada tinha acontecido. Mas vou falar com ele para que possa continuar as brincadeiras, com a promessa de manter segredo e ir até onde ela deixar.

    • Valdir ID:830xmr68rc

      Oi Leo12786. Esse é um fetiche que é muito frequente, mas a sociedade esconde e não aceita como normal. Quando se começa não se quer parar mais. É muita tesão envolvida.

    • Ojuara ID:vpbi7d99

      Boa noite Valdir. Se vc já teve essa experiência, e tem um amigo confiável para compartilhar é meio caminho andado.
      Continue convidando ele pra sua casa, e peça pra ele ficar atiçando ela, sempre que vc sair pra ir no banheiro. Alisando a barriga as coxas. Falando algumas palavras não muito obcenas.
      E oriente seu amigo pra ele dizer a ela que isso que está fazendo é um segredinho deles. Depois ele conta pra vc as reações dela.
      Se ela já estiver com a sexualidade aflorando, com certeza sentirá tesão.
      E em pouco tempo até estará pedido a você para fazer algum churrasco, e falando pra você chamar seu amigo. É certo.

    • Valdir ID:830xmr68rc

      Bom dia Ojuara. Já conversei com esse meu amigo para continuar com as brincadeiras com ela, dei total liberdade pra ele, mas que tivesse cuidados para não machucá-la e respeitasse o tempo dela. Eu estaria observando sem que ela notasse. Domingo próximo programei outro churrasco e vou convidar ele novamente. Comuniquei milha filha e ela somente sorriu, pelo sorriso creio que ela esta gostando da brincadeira. Com essa idade já começam a sentir cosquinha na pepeka. Vamos ver como se comportará domingo próximo, já que ele deverá ir um pouco mais afundo.

    • Ojuara ID:vpbi7d99

      Exatamente Valdir. Você está no caminho certo. Logo estará com ela nas mãos.