# # # #

Meu querido sobrinho

2267 palavras | 12 |4.81
Por

Minhas aventuras sexuais reais com meu sobrinho bem safadinho

Ola, vou contar esse relato usando esse codinome, Pepezin. Tenho 23 anos, solteiro, mas adoro uma putariazinha proibida, como incesto, zoofilia, preteen.
Não sou o cara mais bonito, mas tenho minhas qualidades. Tenho um corpo razoavelmente definido, apesar de não fazer academia. Também tenho um pau bem descente, com seus 16 cm, mas bem grosso. Consigo chamar a atenção das mulheres, e sempre me dou bem nisso.
Moro com a minha mãe, e tenho uma irmã, de 28 anos. Minha irmã é linda, uma delícia. Baixa, loira, com um belo par de coxas, e uma bunda maravilhosamente grande, que arranca olhares de todos. Eu, como um bom tarado por incesto, já fantasiei várias vezes com ela, fodendo aquela bunda gostosa em várias posições.
Minha irmã era casada até pouco tempo atrás, mas, após várias discussões e desavenças, ela resolveu se separar do meu ex-cunhado. Sem ter muito lugar para ir, recorreu a minha mãe, para poder ter um lugar para ficar provisoriamente. Minha mãe aceitou prontamente, e trouxe ela e meu sobrinho pra morar conosco. Eu não sabia, mas isso seria maravilhoso para mim.
Meu sobrinho se chama Diego. É um garoto lindo. Tem 9 anos, loiro e branco, como minha irmã. Também puxou a genética dela ao ter uma bundinha bem grandinha para a idade e sexo dele, mas isso nunca me chamou muito a atenção, até esse momento. Eu e ele sempre nos demos muito bem. Acho que ele gosta mais de mim do que do próprio pai dele, que é muito rígido na criação do filho. E, na minha visão, o que aconteceu entre eu e ele, aumentou ainda mais o nosso laço afetivo.
Voltando ao relato, minha irmã e o Diego, ao se mudarem pra casa da minha mãe, pegaram o meu quarto, que tinha uma cama de casal, para os dois dormirem, enquanto eu dormiria em um colchão na sala. Eu aceitei na boa, não queria fazer parecer que os dois não eram bem-vindos aqui, até por que eu adoro eles. Minha mãe e minha irmã trabalham juntas em uma grande empresa aqui da cidade, que inicia suas atividades ainda na madrugada, o que faz com que elas saiam para o trabalho ainda com o céu escuro. Já eu, trabalho na mesma empresa, mas em um setor e horário diferente (comercial), podendo ter um tempo a sós com meu querido sobrinho.
A rotina foi assim. Minha mãe e irmã saiam para o trabalho as 5 da manhã, e eu ficava com o Diego até às 7:10, quando vinha uma van e o levava para a escola. Depois disso, eu me arrumava e ia pro trabalho. Antes do meio dia, a vã trazia ele denovo, e deixava com minha vizinha, que cuidava dele até minha irmã voltar do trampo à tarde.
Logo no começo, comecei a reparar como ele tinha crescido. As vezes, quando muito calor, ele andava só de cueca pela casa, exibindo aquele rabinho apetitoso pra quem quisesse ver. Eu já tava ficando com vontade de pegar ele de jeito. Tinha ocasiões em que eu estava sentado no sofá, e ele vinha todo contente sentar no meu colo, pedindo carinho. Eu, como um bom tio que sou, enchia ele de chamegos. Com aquela bundinha rebolando em cima do meu pau, não tinha como eu esconder as várias ereções. E ele, já bem safadinho, aumentava mais ainda o ritmo das reboladas e dos pulinhos no meu colo. Era uma delicia, mas ao mesmo tempo uma loucura, por que se alguém me pegasse ali, eu estaria perdido.
E assim foi. Sempre que ele tinha a oportunidade, vinha se engraçar pro meu lado. Deixava eu passar a mão nele, as vezes até deixava apertar a sua bunda, quando não tinha ninguém perto. Ele já sabia que uma sacanagem era gostosa, apesar de nunca ter feito.
Certo dia, passada algumas semanas da mudança deles, meu sobrinho não teria aula de manhã, e alguém teria que ficar com ele. Eu rapidamente me prontifiquei, com a desculpa que se eu não ficasse, teria que pagar um extra para a minha vizinha pra cuidar dele. Minha mãe até perguntou se não teria problema no meu trabalho, mas eu disse que não, que daria tudo certo.
Minha mãe e irmã saíram de madrugada, e eu fiquei sozinho com o Diego. Quando vi que estava tudo seguro, fui até o quarto, e o encontrei dormindo calmamente. Para não acordá-lo, acendi apenas a lanterna do meu celular, e pude ter uma visão deliciosa. Ele estava com uma cuequinha vermelha, bem encavada na bundinha branca e gulosa dele. Só usava aquilo. Meu pau já começou a endurecer e a babar dentro da cueca(como estou agora, contando esse relato para vocês).
Tirei meu shorts, ficando só com a roupa de baixo, e deitei ao seu lado, entrando debaixo da coberta. Na hora ele notou a minha presença. Me olhou, com aquela carinha de sono, e me perguntou:
-Tio, você vai dormir aqui?
-Eu vou, vim fazer companhia, a não ser que você queira que saia… – eu disse
-Não tio, pode ficar. – respondeu ele.
Depois de uns 5 minutos, ele já dormia denovo. Comecei a passar a mão pelo seu corpo, pelas suas coxas, barriga, bunda, no piruzinho, sentindo o cheirinho do cabelo dele, me aproveitei bastante. Mas não queria fazer nada com ele dormindo, então abracei ele e dormi junto.
Acordamos umas 8 horas da manhã. Mandei mensagem para o meu superior na empresa, dizendo que eu teria que fazer um exame urgente, e que não poderia comparecer no trabalho. Ele estranhou, mas no fim aceitou numa boa.
Fui fazer o café da manhã dele, enquanto ele ficou na sala assistindo desenho. Dei seu café, e depois eu falei pra ele ir tomar um banho. Enquanto ele se molhava e ensaboava, eu ficava na porta do banheiro, só olhando aquele corpinho se limpando, sem ele perceber. Tive a vontade de entrar e tomar banho junto com ele, mas tive medo de que ele estranhasse. Ele terminou, se secou, e saio do banheiro. Quando ele ia se vestir denovo, eu disse:
-Não precisa se vestir denovo não. O tio vai te ensinar uma brincadeira depois. Se cobre com a coberta e fica na sala vendo desenho.
Ele aceitou, e enquanto isso, fui tomar o meu banho também. Depois, me sequei, e saí do banheiro só enrolado numa toalha, com meu pau durão bem marcado no tecido. Ele me olhou, olhou para a toalha, e perguntou:
-Tio, você tá com o pipi duro?
-Tô sim. Ele tá bem duro. Você quer ver?
Ele ficou meio sem graça, enquanto fui chegando mais perto. Parei poucos passos dele, e perguntei denovo:
-Quer ver?
-Quero. – disse ele
Fui tirando a toalha, e deixando o pau bem a mostra.
Ele estralou o olho, ficou encarando meu cacete. Era a primeira vez que via um caralho além do dele.
-Tá grande, né Diego? – perguntei
-Tá tio. Mas por que tá grande assim?
-É que o tio tá com muita vontade de brincar com você. Você quer aprender a brincar com o tio?
-Não sei tio… será?
-Vamos, não vai ser ruim, e o tio não vai fazer nada que você não queira.
-Ah, então pode ser.
Cheguei mais perto, tirei a coberta de cima dele, e sentei ao seu lado.
-Quer pegar nele? Eu deixo.
-Acho que sim. – ele disse
Peguei a mão dele, e posicionei sobre meu cacete.
-A brincadeira é assim. Você fica mexendo no pipi do tio, pra cima e pra baixo, desse jeito. – expliquei, enquanto ajudava ele a pegar direito no meu pau e a fazer o movimento certo – daí, depois, o tio brinca com você.
Ele ficou punhetando meio desajeitado, mas depois de um tempo, pegou o jeito. Meu cacete babava horrores, de tanto tesão que eu estava.
-O que é isso, tio?
-Isso é tipo um suquinho que sai do pipi da gente quando tá brincando. – respondi.
-Xixi? – perguntou ele.
-Não, é diferente. Você quer provar?
Ele balançou a cabeça afirmativamente.
-É só colocar a boca onde tá saindo o suquinho.
Ele foi se aproximando, e com a boquinha sedosa dele, beijou a minha glande.
-O melhor é botar inteiro na boca. Sai mais suco. – eu disse.
Ele abriu um pouco mais a boca, e engoliu a cabeça do meu pau inteira. Nessa hora, eu quase gozei na boca dele, mas segurei, porque eu precisava brincar mais com ele.
Ele deu uma chupada, para tirar a baba que estava envolta da glande, e tirou a boca.
-Gostou do suco?
-Não tem gosto de nada, mas acho que gostei. – respondeu ele.
-Quer tomar denovo? – perguntei
Nem precisou responder, já foi botando a boca e sugando. Aquilo me levou da terra ao céu umas mil vezes, eu amei.
-Não tá saindo mais? – perguntou?
-Tá saindo bem pouco, né? Faz o seguinte. Continua chupando, e com a mão, fica brincando com o pipi, que nem você está a fazendo antes. – eu disse.
Ele começou a punhetar o meu pau novamente, enquanto chupava o “suquinho” até a última gota.
Pra não gozar cedo demais, depois de alguns minutos, falei:
-Agora deixa o tio brincar com você. Fica assim.
Coloquei ele na posição “de quatro”, com a bundinha bem empinada, e com a cabeça dele encostando no sofá
Abri a bundinha recém lavada dele, ainda cheirando a sabonete, e comecei a lamber. Nesse momento, senti ele se arrepiar, e seu corpo tremer em minhas mãos.
-Quer que eu pare? – perguntei.
-Não, tio.
Eu tinha ele na palma das minhas mãos. Ele estava adorando aquela “brincadeira”, assim como eu.
Voltei a afundar minha cara no meio de suas nádegas volumosas demais pra um menino tão novinho, lambendo e beijando seu cuzinho rosa. Desci um pouco mais, e comecei a chupar seu piruzinho, enquanto meu nariz se esfolava no seu rabo, sentindo aquele cheiro gostoso de sexo.
Tirei o rosto da sua bunda. Ele me olhou de canto de olho, com uma carinha bem safada, quase implorando por mais.
-Tá gostando? Quer que eu continue?
Ele apenas respondeu com um “uhum”, balançando a cabeça de forma afirmativa.
Afundei mais uma vez minha cara no teu rabinho, e comecei a chupa-lo como um louco. Dei leves tapinhas em suas nádegas, como se fosse uma vadia, uma putinha qualquer. Lambia aquele corpo macio, sedoso, virgem e intocado. Escutei seus gemidos baixinhos, como se fosse uma súplica pra continuar. Naquele dia, ele foi meu, só meu.
Passado um tempinho, deixei seu rabo bem lubrificado com a minha saliva. Levantei, e posicionei meu cacete entre suas nádegas.
-Agora o tio vai fazer uma brincadeira diferente, tá?
-Tá bom tio.
Iniciei o movimento, esfregando meu pau no meio da sua bunda. Esfregava desde a cabeça até as bolas, já ensaiando o movimento de quando eu fosse usar o seu cuzinho pra engolir meu caralho.
Peguei meu celular, e aproveitei para tirar várias fotos e vídeos, enquanto meu pau repousava, pulsando, sobre sua bunda virgem. Tenho até hoje essas fotos e vídeos no meu celular, para relembrar esse momento maravilhoso.
Deixei o celular de lado, e continuei com a minha tarefa. Fui tentando abrir o cuzinho, aos poucos.Primeiro com os dedos, para sentir seu corpo angelical por dentro. Era quente, uma fornalha, bem lisinho e úmido, de tantas lambidas e salivadas que eu dei. Depois, tentei dar uma forçadas com o cacete, de leve, para não machucar e assustar ele. Dava uma forçadinha, e voltava a passar o pau entre suas nádegas. Depois, dava mais uma forçada, e continuava. Levaria mais um tempinho pra poder colocar meu pau dentro dele.
Ficamos nessa a manhã inteira, sem pressa, eu tinha muito tempo. E, sem eu perceber, chegou o meio-dia. Eu nem estava com fome, de tanta vontade que eu tinha, mas eu não podia deixar ele sem comer.
Parei a “brincadeira”, ele levantou e perguntou, meio inconformado:
-Já acabou tio?
-Claro que não, o tio tem mais uma brincadeira pra te ensinar. Mas já é meio dia, você precisa comer. Mas se você quiser, pode ficar aí no sofá mesmo, sem roupa, que o tio já volta pra gente continuar.
-Tá bom tio – respondeu ele, com um sorriso feliz.
Como fiquei a manhã inteira “ocupado” com ele, nem deu tempo de fazer o almoço. Fui e comprei uma marmitex pra gente. A parte difícil foi esconder a minha ereção quando o motoboy veio trazer a camida kkkkkkkk
Dei o almoço para o Diego, ele comeu, escovou os dentes, e logo voltou para o sofá, esperar pelo titio. Agora ia começar o segundo round kkkkk
O relato já está muito grande, e eu já estou cansado de digitar. Vou deixar a parte dois para uma próxima
Escrevam nos comentários o que vocês acharam da primeira parte do meu relato, e também falem sobre as suas experiências nesse assunto.
Um abraço a todos, até a próxima!

⏩ O melhor site de desenhos animados pornô do 🇧🇷, HQs eróticas🔥

Avalie esse conto:
PéssimoRuimMédioBomExcelente
(Média: 4,81 de 59 votos)

Por # # # #
Comente e avalie para incentivar o autor

12 Comentários

Talvez precise aguardar o comentario ser aprovado
Proibido numeros de celular, ofensas e textos repetitivos
  • Responder AdriSLZ ID:6suh53h6ik

    Gostei

  • Responder Dddtggh ID:4adfha5shrj

    Come a irmã e a mãe…

  • Responder Gaelzinho_20 ID:8d5rtty49c

    Muito bom cara

  • Responder luiz ID:dlns5khrd

    Poxa vc me matou de tezao achei que vc ia inaugurar elçe ai vc cansou e deixou para outro dia

  • Responder Henrique.04 ID:g3iqrij8j

    Se quiser mandar as fotos/videos tô aceitando kkkk

  • Responder none ID:8kqxqgy20d

    adorei o conto. Eu tive um tio que me abusou muito mais ou menos nessa idade, sei bem como é…

  • Responder Gayzinhode12 ID:mujk7xud2

    Continua pfvr

  • Responder @Carloss42 ID:gqb0dg044

    Conto muito bacana e detalhado..continua

  • Responder MENINO K MENINO ID:gstyxpc8j

    CONTIUNA QUERO SABER O RESTO DA HISTORIA
    DEPOIS LEIA MEUS CONTOS TABEM SAO REAIS

  • Responder @kjarttan ID:1v7f4kv4

    Delícia de Conto Mano! Continua pfvr

  • Responder Daskk ID:8kqyku2b0d

    Continua

  • Responder @Gwen_Lolita ID:8eez7kaim0

    Coisas proibidas são as melhores né rs