# #

Incesto no mundo animal, o galo carijó

1433 palavras | 4 |4.85
Por

Um conto de imaginação onde um galo conta sua experiência sexual com as galinhas do seu terreiro e sua experiência sexual com sua mãe

Sou um galo e no mundo animal não existe essa de mãe e filho pai e filha ou tal , somos indiferente a isso metemos com qualquer que esteja disposto no momento , lembro que eu nasci de uma ninhada de 15 pintainhos sendo 8 macho e 7 fêmeas , minha mãe é uma galinha 🐔 grande com penas vermelhas , ela é uma galinha gorda com as pernas amarelas bem grossas , eu sou um galo 🐓 carijó grande , puxei minha mãe e meu pai que era o maior galo do terreiro mas hoje sou eu , tenho mais três irmãos igual eu e os outros são diferentes uns pretos que são filhos do galo 🐓 índio , outros brancos do galo 🐓 branco , pois pra quem não sabe as galinhas tem filhos de vários machos diferentes , cada galo que fodeu com ela e depositou sua porra acabou fazendo seus filhos , as cadelas também são assim ficam prenha de vários cachorros , bem vou contar minha história , quando começamos a nos lembrar das coisas eu lembro que era eu meus 8 irmãos e minhas 7 irmãs , nossa mãe estava de resguardo nos cuidando , ela ia na frente da gente ciscando pra gente ir comendo os insetos que iam aparecendo , conforme aí passando os dias víamos os outros galos e galinhas metendo diariamente mas ainda não sabíamos disso , depois de uns 60 dias já éramos bem crescidos , nossa mãe saiu da dieta e numa manhã estávamos com ela a nossa frente ciscando com seus filhos , derrepente surge o galo 🐓 índio um galo alto e magro das pernas compridas , ele arrastou asas pra nossa mãe , nossa mãe ficou quieta enquanto ele rodeou ela fazendo có có có có , era o cântico do acasalamento , então ele beliscou sua nuca segurando ela , mamãe ficou de bunda pra cima bem pro alto e a cabeça na terra , ele montou nela e como eu e meus irmãos estávamos atrás vimos seu cacete entrando no cú de nossa mãe que tem o cú coberto de penas em volta , o galo índio socou umas dez vezes enquanto mamãe gritava baixinho creu creu creu , e logo ele saiu de cima , põe uns segundos vimos o cú da nossa mãe aberto bem vermelho, seu cú deu umas três cuspidas soltando a porra do galo índio , depois seu cú se fechou novamente , mas outro galo 🐓 viu e veio até ela , era o meu pai o galo carijó ele é bem maior que os outros galos , ele viu que ela já estava fora do resguardo então ele também rodeou ela cacarejando até beliscar seu pescoço e montar nela socando seu cacete no cú já lambuzado de porra do outro galo , mas meu pai tinha o cacete mais grosso e grande arregaçou o cú dela , ela gritava creu creu creu creu , ele deu umas 15 socadas e gozou um monte enchendo o cú dela de muita porra , quando ele saiu de cima ela anda ficou de bunda pra cima , seu cú bem aberto escorrendo porra , meu pai realmente era pauzudo , depois disso foi a manhã inteira com os galos comendo o cú da nossa mãe , a pobre ficou com o cú assado de tanto dar aquele dia .

Os dias íam passando e nos íamos crescendo , sempre vendo os adultos trepando uns com os outros , minhas irmãs iam se tornando belas frangas , as fêmeas começam as atividades sexuais antes dos machos , então um dia vimos as nossas 7 irmãs sendo descabaçadas , vi todas sendo comidas por todos os galos inclusive nosso pai , ele comeu todas as 7 mas consegui arrancar o cabaço de 3 somente enquanto os outros 3 galos arrancaram o cabaço das outras 4 , era o meu pai o galo carijó , o galo índio e o galo branco , os três eram responsáveis por comer as 45 galinhas 🐔 do terreiro , lembro que meu pai rodeou uma das minhas irmãs que estava com eu e meus irmãos , ele arrastou asas pra ela que ficou parada então ele beliscou sua nuca ela se pôs de bunda pra cima já esperando o que ia acontecer , com a cabeça abaixada e o rabo pro alto nosso pai montou nela e cravou seu cacetão grosso e grande no cuzinho virgem dela , a pobre coitada gritava Créu Créu Créu Créu , ele deu umas 15 ou 20 enterradas e gozou enchendo o cú dela de esperma ,ele ficou uns segundos encima dela e depois saiu ,seu cú estava bem arrombado vermelho no vivo escondendo um líquido grosso e branco , nosso pai acabou de arrancar o cabaço do cuzinho da sua filha nossa irmã, uma franga carijó , e assim ele fez com mais duas irmãs nossa , uma franga preta filha do galo índio e a outra branca filha do galo Branco .

Então todos os dias víamos nosso pai comendo nossa mãe e nossas irmãs umas suas filhas , outras dos outros galos , assim eu e meus irmãos íamos aprendendo sobre meter , eu observava que nossa mãe as vezes corria pra não dar o cú , mas ela era gordinha não corria muito e logo um galo montava nela e enchia seu cú de leite , e depois vinha outro e aproveitava que ela estava cansada e socava o cacete em seu cú ainda lambuzado de porra , uns 6 meses eu e meus irmãos já começamos a dar umas arrastadas de asas pra qualquer galinha do terreiro inclusive a nossa própria mãe já que não temos maldade quanto ser filho e mãe , mas minha primeira trepada foi com uma galinha branca bem magra , corri atrás dela que de velha acabou cansando e eu como via os outros galos fazendo belisquei sua nuca e ela com o cú pro alto subi e bem nervoso mas com o cacete duro soquei tudo no cú dela , meu cacete é muito grande e grosso como do meu pai , ela gritava Créu Créu Créu enquanto eu socava o cú dela até gozar pela primeira vez dentro de um cú de galinha madura , sai faceiro , uns minutos depois já estava encima de outra galinha 🐔 socando e gozando no cú dela , mas eu ainda não tinha pegado minha mãe , pois tinha muitas galinhas pra eu comer , vi um dos meus irmãos comendo nossa mãe , era meu irmão preto filho do galo índio , uma tarde sai sozinho pra dentro de uma mata , os galos e galinhas estavam todos cada um pra um lado eu estava ciscando e derrepente vejo nossa mãe aquela galinhona de penas vermelhas um rabo muito grande fiquei com vontade meu cacete endureceu e então eu fui até ela e rodeei envolta dela arrastando as asas pra ela, quando fui agarrar seu pescoço ela saiu correndo ,corri atrás e uns 20 metros depois eu a peguei , imobilizei ela beliscando seu pescoço e ela quieta de rabo erguido e a cabeça no chão , montei e cravei meu cacete em seu cú como já disse não importa se é minha mãe ela é uma fêmea e eu um macho , soquei uns minutos e esporrei em seu cú vermelho , quando tire de dentro vi seu cú vermelho aberto e cuspindo minha porra de dentro , como estávamos só nós dois ali , eu e minha mãe ciscavamos juntos comendo insetos e minhocas , depois de nos recuperar eu montei nela mais umas três vezes naquela tarde , gozei 4 vezes dentro do cú dela e descemos pra dentro do galinheiro .

Eu e meus irmãos comemos todas as galinhas que tem aqui , nossas irmãs e nossa mãe assim como as outras que tem , comi o cú da galinha preta ela tem o cú sem pena em volta , meti e gozei deixando seu cú bem aberto e cuspindo leite , minha mãe as vezes ficava com a gente e meus irmãos e eu comiamos seu cú , um descia outro subia não dava tempo nem de seu cú cuspir a porra de um que outro já socava e gozava .assim íamos aprendendo cada vez mais , nossa mãe estava chocando novamente e quando seus filhos nasceram eram 12 pintainhos sei que uns eram meus filhos e outros dos meus irmãos meu pai e os outros galos, minhas irmãs também tiveram seus filhos meus filhos e dos outros galos.

⏩ O melhor site de desenhos animados pornô do 🇧🇷, HQs eróticas🔥

Avalie esse conto:
PéssimoRuimMédioBomExcelente
(Média: 4,85 de 41 votos)

Por # #
Comente e avalie para incentivar o autor

4 Comentários

Talvez precise aguardar o comentario ser aprovado
Proibido numeros de celular, ofensas e textos repetitivos
  • Responder Anônima ID:w73mlk0j

    Excelente!!! Adorei a sua imaginação!! Eu nunca tinha me divertido tanto lendo um conto. E é exatamente assim, como você descreve no seu conto. Adorei também o Créu, Créu, Créu… Ah, essas galinhas! Elas adoram dar o créu… e como elas dão… E tem algumas mulheres, que são assim como as galinhas, como as cadelas. Elas adoram dar o CRÉU, para vários machos diferentes. Tem algumas, que até engravidam de vários machos diferentes. Daí já viu né, é um filho de cada macho diferente. Cada um de um pai diferente, assim como as galinhas, os galos, as cadelas, os cachorros um de cada pai diferente. É, realmente alguns humanos não são muito diferentes de alguns animais. Parabéns, eu adorei o seu conto! Ficou perfeito.

  • Responder Anônimo fã de incestos ID:3vi1x67yd9j

    Lex 75 se não comeu vai comer em breve com polenta kkkkk

  • Responder Lex75 ID:nm2yrhi

    Depois veio o agricultor e comeu galo no churrasco.

  • Responder ana ID:g3jjxsem3

    Mto bom… continue