# # # #

Feriado é pra curtir muito – Parte 2

3021 palavras | 5 |4.76
Por

Continuação daquela tarde do feriado no meio da semana.

Daniel chegou perto de onde estávamos, falei com ele que sua avó tinha ligado e disse que demoraria mais do que pretendia, que ele ficaria ali em casa comigo até ela voltar. Cleitinho perguntou se eles estavam com fome e eles disseram que sim, eu já tinha feito arroz e tinha farofa, era só colocar mais carne na churrasqueira… Enquanto isso os dois foram brincar de bola, Cleitinho e eu ficamos na cerveja e assando a carne.

Cleiton: “Até eu fiquei com fome, os moleques me deram uma canseira. HAHAHA”

Eu: “Se Daniel ou Renanzinho morassem comigo, eu ia ter que malhar duas vezes ao dia. Senão ia ficar seco de tanto que ia jogar porra pra fora. HAHAHA”

Cleiton: “Pow, fala não. Renanzinho lá em casa, tem dia que nem roupa a gente usa, pra facilitar o processo.”

Eu: “Pirocada direto. HAHAHA”

Cleiton: “Mano, teve um dia que a gente acordou, ele já sentou. Dei aquela gozada gostosa de manhã. Fui preparar o café, comemos. Depois fomos assistir um filme de desenho, o pau já ficou duro, coloquei ele sentado na pica pra assistir ao filme, acabou o filme, comecei a quicar o moleque, gozei de novo. Colocamos outro desenho, quando acabou, só levantei já colocando de quatro e foi mais uma gozada. Ficou a manhã toda com o pau engatado no cuzinho.”

Eu: “Pow, Cleitinho, libera ele pra dormir uma noite aqui comigo, cara. Prometo que entrego ele inteiro e em bom estado. HAHAHA”

Cleiton: “Vamos ajeitar essa parada aí, ué.”

A carne estava quase pronta, fui no banheiro do meu quarto mijar, quando passei pela cama, vi que o lubrificante estava em cima, peguei e coloquei no bolso. Voltei e Cleitinho já estava cortando a carne para o almoço, chamei os meninos, que vieram correndo, arrumamos o prato deles. Daniel sentou pra comer e nisso Cleitinho disse que ia ao banheiro, Renanzinho logo pediu para ir junto pois queria mijar também. Enchi meu copo e sentei na cadeira ao lado de Daniel.

Eu: “Tá gostosa a carne que tio Cleiton fez?”

Daniel: “Tá sim, tio.”

Eu: “Só de sentar do seu lado, olha como o tio fica.” – Coloquei o pau pra fora e balancei. Depois guardei de novo.

Daniel deu uma risadinha. Continuei falando.

Eu: “Quer almoçar sentado no colo do tio?”

Daniel: “Aham!”

Eu: “Então vem!”

Puxei Daniel e coloquei no meu colo. Ele tentou se ajeitar, mas ficou se mexendo.

Eu: “Assim você não vai ficar confortável, tem que sentar direito pra não te machucar nem machucar o tio e você não escorregar.”

Daniel: “Sentar como?”

Eu: “O ideal seria você sentar com o pau do tio dentro do seu cuzinho, pra ficar encaixado direito. Quer sentar assim?”

Daniel: “Quero!”

Eu: “Então deixa eu ajeitar.”

Cheguei ele pra frente, tirei o short dele, coloquei na cadeira que ele estava sentado antes, ele ainda estava sem a camisa, coloquei meu pau pra fora de novo, só abaixando a frente do meu short. Peguei o lubrificante no bolso, passei em mim e no cuzinho dele. Puxei e fui encaixando. Como ele tinha dado fazia pouco tempo, entrou com mais facilidade. Quando entrou tudo, ele ficou paradinho e voltou a comer. Nesse momento que Cleitinho volta com o filho do banheiro. Aquilo tinha demorado no máximo 5 minutos.

Renanzinho vai correndo sentar onde estava seu prato para almoçar e Cleitinho vem para meu lado pegar o copo dele e colocar mais cerveja. Nisso Daniel se mexe, se ajeitando no meu colo, Cleitinho olha pra baixo e vê a cena. Daniel pelado no meu colo e eu com a parte da frente do meu short abaixado. Ele deu uma risada.

Cleiton: “Tá de caô.”

Eu só olhei pra ele e dei uma piscada de olho e um sorriso de canto de boca.

Cleiton: “Tá gostosa a linguiça, Dani?”

Daniel: “Tá sim, tio!”

Cleiton: “Tu não vale porra nenhuma, mano.” – Disse isso rindo e sentou ao lado do filho.

Eu: “Tenho que aproveitar, cara. Não é todo dia que tenho o dia todo.”

Continuamos ali batendo um papo aleatório, bebendo enquanto os moleques almoçavam e Daniel com meu pau enfiado no cuzinho. Até Daniel terminar de almoçar. Quando acabou perguntei se ele queria refrigerante, ele aceitou e eu pedi pra Cleitinho pegar pra ele, senão ele teria que sair de onde estava. Quando Cleitinho se levantou vi que tava de pau duro. Serviu o refrigerante para Daniel e para Renanzinho também. Beberam tudo, perguntei se Daniel queria mais comida ou refrigerante e ele disse que não. Fui até o ouvido dele e falei.

Eu: “O tio ficou com muita vontade de gozar com você sentado assim. Posso te dar leitinho de novo?”

Daniel: “Pode sim, tio!”

Segurei Daniel pela cintura para firmar, me levantei pouca coisa empurrando a cadeira para trás e deixando com mais espaço. Abri as pernas, só segurei pela sua cintura e comecei a quicar no meu pau. Logo ele já estava gemendo.

Eu: “Hoje você sai daqui com esse cuzinho ardendo.”

Daniel: “Ai, tio!”

Eu: “Tá gostando, né safadinho?”

Fiquei quicando Daniel no meu pau, Cleitinho levantou, ficou próximo da cabeça dele, colocou o pau pra fora e perguntou se ele queria chupar, Daniel só balançou a cabeça que sim. Cleitinho empurrou o pau na boca do moleque. Renanzinho ainda estava almoçando.

Renan: “Também quero brincar, pai.”

Cleiton: “Termina de almoçar que o pai brinca com você. Mas tem que comer tudo.”

Renan: “Ebaaa.”

Continuei quicando Daniel por mais um tempo, até que anunciei que ia gozar. Senti seu cuzinho apertando meu pau e foi o momento que jorrei leite dentro daquele buraquinho quente que aguentava rola como um adulto.

Cleitinho tirou o pau da boca de Daniel, sem gozar, guardou na bermuda e Daniel estava com o corpinho deitado pra trás, no meu peito. Parecia cansado. Tirei lentamente ele do meu colo, vi meu pau saindo bem devagar daquele cuzinho arregaçado.

Eu: “Vai lá no banheiro limpar, pra não sujar sua cueca.”

Daniel saiu e foi se limpar. Coloquei mais um copo de cerveja e virei de uma vez. Renanzinho avisou que tinha terminado de comer e queria brincar também. Peguei o lubrificante que estava na cadeira do lado, junto com a bermuda de Daniel e joguei pra Cleitinho, que já foi passando no cuzinho do filho e em seu pau. Eu aproveitei o momento e fui no banheiro mijar.

Quando cheguei no banheiro, Daniel estava sentado no vaso, colocando a porra pra fora. Entrei no box, mijei ali mesmo, já aproveitei pra lavar meu pau no chuveiro. Daniel me olhando com uma carinha de safado. Cheguei perto e enfiei a cara dele no meu saco e comecei a esfregar meu pau, meu saco, os pentelhos na sua cara. Ele já foi abrindo a boquinha procurando encaixar a pica. Tava meia bomba e dei pra ele chupar, mas não demorei nada no banheiro. Deixei ele terminar, se limpar e fui pra fora.

Voltei para área da churrasqueira e lá estava Cleitinho sentado com a pica cravada no cuzinho do filho, que estava de olhinho fechado e gemendo. Sentei na mesa e fiquei apreciando aquela cena maravilhosa. Daniel voltou do banheiro, falei pra ele vestir a bermuda, ele vestiu e veio pra perto de mim. Coloquei ele sentado no meu colo e fiquei fazendo carinho na perninha dele. Ele colocou a mão no piruzinho e apertou. Coloquei também e vi que estava duro.

Eu: “Tá gostando de ver?”

Daniel: “To!”

Eu: “Depois o tio brinca mais com você. Vou deixar você descansar um pouco.”

Daniel: “Tio, eu gostei da hora do quarto, quando parecia que eu ia fazer xixi.”

Eu: “Que bom! Você teve a sensação de gozar, só não soltou leitinho como o tio. Mas daqui um tempo vai soltar e vai ser igual.”

Dei um beijinho no pescoço dele. Falei pra ele ligar pra avó e ver se estava tudo bem, perguntar que horas ela vinha buscar. Fomos na cozinha ligar pra ela não escutar o barulho de Renanzinho gemendo na pica no pai. Quando ela atendeu, disse que Daniel queria falar com ela. Ficaram conversando um pouco. Ela pediu pra falar comigo, disse que sairia de lá por volta das 17h e viria buscar Daniel, novamente disse que não precisava se importar e que eu levaria ele pra casa. Iria de carro. Ela me agradeceu, nos despedimos e falei com Daniel que eu ia levar ela pra casa, que ele ia me mostrar o caminho. Quando voltamos pra fora, Renanzinho tinha saído da pica no pai e estava em seu colo ganhando beijinhos. Quando viu Daniel, se levantou e foram brincar. Abri uma cerveja e enchi nossos copos.

Eu: “Feriado tem que aproveitar ao máximo.”

Cleiton: “Esses moleques vão ficar viciados em pica.”

Eu: “Mais?”

Rimos e ficamos batendo um papo. Eram quase 16h e ainda tinha até as 17 pra aproveitar. Deixamos eles brincando e ficamos na cerveja, nem vimos a hora passar. Era por volta das 16:45, meu celular toca e era a avó de Daniel, informando que estava saindo de lá e ia pra casa, chegaria em mais ou menos meia hora. Chamei Daniel pra avisar, ele ficou triste, pois não queria ir embora.

Eu: “Não precisa ficar triste, você sabe que pode voltar quando quiser. E quando Renanzinho estiver aqui, vou avisar pra sua avó e ela te traz.”

Daniel ficou de cabeça baixa. Abracei ele, encostei no meu corpo e perguntei perto do ouvido.

Eu: “Daqui a pouco vou te levar, quer tomar leitinho na boquinha pra se despedir?”

Daniel: “Quero!” – Ainda com a cabeça encostada em meu peito.

Eu: “Então vem cá. Mas tá mole e você vai ter que deixar duro pra sair o leitinho.”

Tirei ele do meu peito e abaixei o short. Daniel se abaixou entre minhas pernas e começou a chupar. Não demorou nada pra ficar duro. Aquela boquinha quentinha e pequena fazia milagre. Cleitinho perguntou se Renanzinho também queria e ele aceitou. Novamente estava aquela cena linda; dois marmanjos dando de mamar pra dois moleques novinhos.

Ficamos bebendo, eu vigiando a hora. Quase perto da avó dele chegar, puxei a cabeça de Daniel pra cima e comecei a bater uma punheta pra gozar. Mandei ele abrir a boquinha e quando estava quase gozando coloquei na cabeça do meu pau.

Eu: “Issoooo, toma leitinho gostoso.”

Segurei até gozar tudo na boquinha dele. Daniel engoliu e foi limpar o que tinha ficado no meu pau. Quando acabou falei pra ele lavar a boca que eu já ia levar ele pra casa. Enquanto isso Renanzinho ainda estava mamando gostoso na pica do pai. Que pelo jeito não ia gozar nem tão cedo. Eu também só gozei porque tinha que levar Daniel, senão estaria ainda ali.

Fui pegar a chave do carro e Daniel foi se despedir. Deu um abraço em Renanzinho, e como despedida, Cleitinho pediu um beijo no pau. Daniel beijou e também deu um abraço em Cleitinho. Nisso Renanzinho perguntou se podia ir junto. Não vi problema e Cleitinho deixou. Foram correndo pro carro e sentaram no banco de trás. Avisei pra avó que já estava levando. Daniel me mostrou o caminho e quando chegamos ela estava na calçada do prédio esperando. Veio até o carro falar comigo e agradecer novamente pela ajuda de cuidar dele a tarde. Apresentei Renanzinho pra ela, os meninos se despediram e Daniel veio me dar um abraço. Saiu do carro comigo falando que quando quisesse ou precisasse poderia deixar ele lá em casa, e que quando Renanzinho estivesse por lá eu ia avisar pra eles brincarem.

Segui com carro e assim que sai dali, Renanzinho perguntou se podia ir no meu colo até lá. Como não tinha movimento na rua e estava quase deserta por conta do feriado, deixei. Parei o carro e coloquei ele no meu colo.

Renan: “Não tio, eu quero igual o Daniel quando estava comendo.”

Eu: “Ah, safadinho. Tá esperto demais, heim. HAHAHA”

Renan: “Por favor, tio!”

Eu: “Vem!”

Achei que não fosse ficar de pau duro, pois tinha gozado pouco tempo, mas quando ele abaixou o short mostrando a bundinha, não tinha como ficar de pau mole. Aí eu vi que ele estava com a bundinha melada.

Eu: “E essa bundinha melada, Renanzinho?”

Renan: “Meu pai que me deu leitinho aí naquela hora, tio. Esqueceu?”

Pois é, ele ainda estava com a porra do pai dentro do cuzinho. Isso facilita muito e não ia precisar de lubrificante. Puxei ele e coloquei encaixado no meu pau, quando ele sentou tudo, liguei o carro e fomos pra minha casa. Cheguei lá, abri o portão pelo controle e buzinei chamando Cleitinho. Parei o carro e fui saindo, ele veio ao meu encontro.

Eu: “Olha como ele pediu pra vir pra casa. Queria vir no meu colo igual Daniel quando almoçou.”

Cleiton: “Ah, moleque HAHAHA.”

Sai do carro, segurando ele pela cintura, Cleitinho fechou a porta pra mim e fui até a mesa da área da churrasqueira. Coloquei ele em cima, de quatro, e comecei a socar. Quando Cleitinho chegou perto, segurei Renanzinho novamente no ar e pedi pro pai tirar o short que estava só a bundinha de fora. Assim que tirou voltei com ele pra posição e voltei a socar. Cleitinho botou o pau pra fora e mandou o filho continuar chupando igual ele estava antes de ir levar Daniel em casa. E assim ficamos.

Eu: “Olha que cuzinho guloso. Aguentando pica de verdade.”

Cleiton: “Tá uma putinha, né?”

Eu: “Agora é o tio que vai te dar leitinho no cuzinho. Misturar com a porra do seu pau que tá aí dentro.”

Cleiton: “Enche o cuzinho dele de leite.”

Eu: “Daqui a pouco vai ganhar. Mas tem que ser obediente e aguentar direitinho enquanto o tio soca gostoso.”

Cleiton: “O pai vai te dar leitinho na boquinha pra você engolir tudo, tá?” – Disse isso segurando o filho pelo queixo e virando seu rosto pra cima.

Renan: “Tá!” – Gemendo com o corpinho balançando com minhas estocadas.

Cleiton: “Pai te ama, filho!”

Renan: “Também te amo, pai!”

Continuei socando e Cleitinho dando pica na boca, mais um pouco.

Eu: “O tio vai te dar leitinho. Quer?”

Renan: “Quero!”

Cleiton: “Vai, enche o cú dele de porra.”

Eu: “Lá vai! AAAAAAAAAAAA que delicia de cuzinho. Puta que pariu, que putinha gostosa.”

Fiquei com o pau dentro de Renanzinho, fazendo carinho em suas costas, apertando sua bundinha, enquanto seu pai batia a punheta pra gozar na sua boca.

Cleiton: “Bota a boquinha aqui. Issooooooo! Toma tudo, vai!

Quando Cleitinho tirou o pau da boca do filho, eu desengatei o pau do cuzinho e vi que tava um buraco arrombado. Dei um tapinha na bunda e ele piscou o cuzinho, de forma involuntária. A porra veio até a portinha e voltou pra dentro.

Eu: “Caralho, tá arregaçado e cheio de porra.”

Cleiton: “É assim que ele gosta.” – desceu o filho da mesa – “Vai tomar um banho, filho. Coloca tudo pra fora.”

Renanzinho saiu correndo pro banheiro.

Eu: “Acho que não tenho nem mais porra pra sair. Esgotei a reserva.”

Cleiton: “E olha que foi só um dia. Imagina o final de semana todo assim. HAHAHA”

Eu: “Aí eu tomo umas proteínas pra aguentar. HAHAHA”

Um tempo depois, Renanzinho voltou e pediu refrigerante, disse que estava com fome. Cleitinho deu uma coisa pra ele comer. Nisso já estava no final da tarde. Falei pra eles dormirem ali naquela noite, mas Cleitinho não tinha levado as coisas do filho e nem tinha programado pra dormir fora. Terminamos mais algumas cervejas e pouco depois eles começaram a ajeitar as coisas pra irem embora.

Cleitinho disse que o filho ficaria com ele até o final de semana, já ia engatar de uma vez…pra não precisar levar o garoto no dia seguinte, quinta, pra casa da mãe e pegar na sexta de novo. Como ele estava de home office, era melhor já ficar de uma vez. Comentei de irmos ao clube no final de semana, se tivesse sol, ou poderíamos vir pra cá se não tivesse com tempo bom pra piscina. Ele topou e terminou de ajeitar as coisas pra ir embora. Fui até o carro com eles, antes de entrarem e abrir o portão, Renanzinho me abraçou e me deu um selinho. Entraram no carro, abri o portão e se foram.

Na área da churrasqueira só tinha ficado as carnes que sobraram pra guardar, já tínhamos recolhido os copos, os pratos, já estavam todos na pia. As garrafas de cerveja já estavam no lugar. Fui ajeitar isso antes de entrar e tomar meu banho.

Quando entrei no chuveiro, o cansaço bateu, acho que a bebida também. Mas estava satisfeito com o dia que tinha passado. Que delícia!

Sai do banho e fui pegar as carnes que já estavam prontas, em um pote na cozinha, pra comer. Passei o dia só beliscando, mas nada de comida. Estava pelado mesmo. Dentro de casa e sozinho, é o jeito que gosto de ficar. Quando sentei na sala pra comer e assistir alguma coisa na TV o celular apita uma mensagem, era de Cleitinho. Abri e tinha uma foto do cuzinho de Renanzinho, todo vermelho, parecia que estava assado.

Mensagem de Cleitinho, seguida da foto: “Olha o estrago que ficou isso daqui, não vou poder nem socar essa noite, pra dar um descanso. KKKKK”

Minha resposta: “Fala com ele que o tio vai dar muito beijinho e linguada pra sarar. KKKKK”

Nos despedimos e quando terminei de comer, fui deitar. No dia seguinte ainda era dia de semana e precisava trabalhar.

⏩ O melhor site de desenhos animados pornô do 🇧🇷, HQs eróticas🔥

Avalie esse conto:
PéssimoRuimMédioBomExcelente
(Média: 4,76 de 25 votos)

Por # # # #
Comente e avalie para incentivar o autor

5 Comentários

Talvez precise aguardar o comentario ser aprovado
Proibido numeros de celular, ofensas e textos repetitivos
  • Responder luiz ID:dlns5khrd

    Conto Perfeito

  • Responder asdf ID:7xbywvp49b

    Cara, sou doido pra participar dessas festinhas… Será que rola uma parceria aí?
    Ainda vai ter mais contos? Asioso pelo próximo.

  • Responder professor 30a ID:gqb5vjkv3

    me chama pra socar meus 20cm grosso no cuzinho nesses mulekes

    • Anônimo-SP ID:xlorikhm

      Tem alguma forma de entrar em contato com você…

  • Responder Frth ID:4adfha5shrj

    Mija neles