#

Encoxando a rabuda da escola no ônibus

1154 palavras | 5 |4.26
Por

A deliciosa história de quando encoxei a morena rabuda da escola no ônibus.

Essa história aconteceu a cerca de quatro anos atrás, quando eu estava no último ano do ensino médio.
Minha escola era grande. Havia centenas de gostosas estudando em todos os anos. Mas uma era especial pra mim. Camila. Ela era tudo que um adolescente deseja.
Era uma moreninha baixinha, cerca de 1,50 pra mais, usava calça legging todo santo dia, tinha pouco peito… mas não importava a bunda dela era enorme. A pele era lisa, quase sem pelos e até aonde vi perfeita. Tinha cabelos compridos negros, usava óculos e tinha carinha de anjo, embora fosse uma puta metida.

Ela era do segundo ano, eu não tinha nenhuma desculpa pra dar uma passada lá então me contentava em olhar ela de longe. Soube por alguns amigos que ela se chamava Camila e era solteira. Mas nunca achei nenhuma rede social dela. Ela era um tanto famosa na escola por ter um nariz empinado e ser, claro uma gostosa. Me lembro do dia que ela veio de calcinha branca… Eu bati tanta punheta em casa. Me lembro de como ela ficava puxando a calça já apertada pra cima, deixando ela mais transparente do que já era, parecia que ia rasgar. Todos podiam admirar a calcinha dela e sua deliciosa bunda.

Nos últimos meses na escola, surgiu uma oportunidade de ouro. Quase todos os alunos pegavam o ônibus que passava próximo a escola. Incluindo a Camila.
Porém pelo grande fluxo de pessoas e alunos eu nunca acabava perto dela, até que por obra do destino em um dia eu acabei conseguindo ficar bem perto dela. Claro, não foi apenas um acidente… eu entrei no ônibus e enquanto ia para parte de trás desviando dos alunos eu a vi espremida em um canto de costas, óbvio que iria aproveitar kkkk

Fiquei posicionado atrás dela como um predador pronto pra pegar sua presa. Ainda bem que a maioria esmagadora no ônibus era adolescente então nem precisei me preocupar em ser visto. Todos estavam conversando, gritando ou no celular. O ônibus também estava entupido de gente, então pude ficar atrás dela sem causar suspeitas mas nunca baixando a guarda. Senti o perfume doce dela e olhei para a bunda. Ela estava de calcinha preta, conseguia ver claramente pela legging de lycra preta que como de costume foi puxada até o rego. Eu estava nervoso, pensei que se eu tocasse nela poderia dar merda. Então tentei ser um cara legal e puxar assunto com a vadia.
O problema é que eu não conseguia pensar em merda nenhuma pra dizer, então eu disse algo bem simples.

-Oii, tá cheio aqui em.

A cachorra se virou e me olhou nos olhos com seu olhar arrogante e depois simplesmente voltou pra mesma posição de antes sem dizer nada. Eu fiquei puto no começo. Eu pensei que talvez a culpa fosse minha pela falta de assunto mas refletindo melhor, aquela cachorra teria feito o mesmo independente do que eu tivesse dito.
A rejeição dela tinha acabado com a minha paciência então eu quis um pouco de diversão. Fui lentamente me aproximando até encostar meu pau já duro como uma rocha na bunda dela. Foi divino, a bunda dela era macia, a legging não impedia que eu sentisse a pele dela. Mesmo de calça jeans eu podia sentir ela.

A cada curva e buraco passado eu a pressionava mais com meu pau, se ela não tinha percebido no começo que estava sendo encoxada, agora definitivamente sabia. Ela tentou ir para os lados mas não tinha espaço. Tentou ir pra trás mas só acabou pressionando sua bunda contra meu pau.
Ela então foi para frente e ficou colada na sanfona do ônibus. Eu a olhei de baixo pra cima, as pernas lisas, as coxas e a bunda, cobertas pela legging. Quem poderia resistir? Eu fui me aproximando e encaixando meu pau no centro da bunda dela. Eu acabei totalmente grudado nela com suas costas encostando no meu peito e sentindo aquela bunda perfeita. Cada vibração do ônibus me dava vontade de gozar, mas eu heroicamente aguentei.
Começamos a nos aproximar do terminal, eu não queria que aquele momento acabasse, porém não tinha nada que desse pra fazer. Só dava pra terminar de encoxar ela e gozar. Eu não gostava de gozar nas roupa assim mas não queria ter que ficar punhetando em casa.

Já que eu havia chegado tão longe, decidi fazer algo arriscado. Segurei delicadamente e o mais escondido possível a bunda dela com a mão esquerda.
Fui a puxando e a deixando na posição certa pra passar meu pau onde ficava o cuzinho dela. Meu plano era forçar meu pau contra aquele cuzinho por cima da roupa, como se eu estivesse metendo. A vadia tentou resistir um pouco no começo, se contorcendo e recusando a curvar a bundinha mas no final, ela cedeu. Pressionei meu pau pelo jeans contra ela na região anal, então eu comecei a sentir algo diferente… Como a legging de lycra era muito fina eu podia pressionando com força, sentir a calcinha dela e a entrada do cu dela. Depois dessa descoberta não parei fiquei empurrado meu pau através da calça na entrada do cu dela. Não foi possível penetrar mas foi o suficiente pra me fazer gozar. A vontade de gemer era grande mas aguentei, a Camila com certeza sentiu sua bunda começar a ficar um pouco molhada mas como sempre tentou fazer parecer que não se importava e não tinha nada acontecendo.

Após dar essa relaxada fiquei pouco receoso. Minha calça ficou molhada de porra. E a Camila poderia dizer algo a alguém. Quando o ônibus chegou no terminal, a Camila se virou e olhou novamente em meus olhos. Ela não disse nada e saiu com a mesma cara de puta de antes.
Olhei novamente pra bunda dela enquanto saia, estava um pouco molhada com minha porra. Eu fiquei um tanto satisfeito com isso. Lembrei de tampar minha calça com a camisa e botei a mochila na frente do corpo. Após aquele dia não tive outras oportunidades de encoxar a Camila. Ninguém nunca veio tirar satisfações comigo sobre isso. Também nunca ouvi nenhum boato na escola sobre nós dois. O que me faz crer que a cadela nunca contou a ninguém. Só sei que após esse dia sempre que eu cruzava com ela na escola, ela olhava nos meus olhos, me encarando enquanto passava por mim. Ela com certeza me odiou e ainda me odeia, mas que culpa eu tenho se ela é um depósito de porra ambulante? kkkk

⏩ O melhor site de desenhos animados pornô do 🇧🇷, HQs eróticas🔥

Avalie esse conto:
PéssimoRuimMédioBomExcelente
(Média: 4,26 de 23 votos)

Por #
Comente e avalie para incentivar o autor

5 Comentários

Talvez precise aguardar o comentario ser aprovado
Proibido numeros de celular, ofensas e textos repetitivos
  • Responder Garen Jones ID:w71g9a8i

    Bom conto amigo, essa época de colégio são boas mesmo RS. Eu tinha um tesão na professora de português, ela era coroa sempre ia de vestido uma vez no busão ela ficou bem perto da roleta mas eu não pude fazer nada pq estava com meus amigos, e tinha uma menina que eu encoxava ela indo pra escola de manhã mas ela era assim também, não queria papo mas queria pika kk

  • Responder Nego v ID:4ademwn8b0a

    Nota 10 para esse conto. Essas garotas são cheias de marra mesmo mas depois que levam uma boa surra de pica ficam mansinhas.

  • Responder Tempesta ID:8kqtlwp499

    Pela forma como você se refere a essa garota com certeza você é um adolescente virgem que infectou o ônibus com o cheiro das suas axilas suadas

    • .... ID:bemltsezr9

      Sentiu kkkk

    • Tempesta ID:8kqtlwp499

      Sim, eu senti o futum daqui