# # #

desde criança dormindo ao lado do meu pai, acabei virando sua mulher

917 palavras | 9 |4.47
Por

De tanto dormir agarradinha com meu pai acabei virando sua mulher

Não vou citar nomes pra evitar problemas.
Minha vida é dividida em três partes.
De 0 a 10.
De 10 a 13.
E de 13 em diante.
A primeira parte é o que me contaram.
Perdi minha mãe na hora do parto.
Ela teve complicação e não resistiu.
Eu também tive alguns problemas mais resisti.
Meu pai então me criou sozinho.
Contratou uma babá, mais quem passava a noite comigo era ele.
Para que ele podesse dormir mais tranquilo me colocava na cama com ele.
Até meus 10 anos foi assim.
Adoro dormir com ele.
Seu corpo é quente e me sinto muito confortável ao seu lado.
Adoro quando ele passa seu braço pela minha cintura, e dormimos como se fosse de conchinha.
Foi assim que comecei a notar que em alguns dias enquanto dormia ele ficava de pau duro.
Eu comecei a gostar de sentir ele me tocando com aquele pauzao duro.
Por ser criada sem mãe aprendi muita coisa nas ruas, e já sabia muito bem o que era aquilo.
Chamasse tesão.
Com o passar do tempo começou a ficar mais frequente o fato dele sentir tesão estando deitado comigo.
Eu já estava com quase 12, comecei a formar corpo de mosinha e meus peitos começaram a chamar atenção.
Meu pai tem um corpo muito bonito.
Ele vai a academia dia sim dia não.
Num belo dia senti mais uma vez seu pauzao duro encostado em mim.
Não me contive e comecei a mover o corpo bem devagar fazendo com que seu pau forçasse mais ainda minha bunda.
Não sei se ele estava dormindo.
Mais depois de um tempo senti minha bunda úmida e no meu shortinho tinha algo grudento.
Claro que eu pensei logo.
Ele gozou sarando minha bunda !
Me senti tão feliz pensando nessa possibilidade.
Tinha saciado seu desejo.
No dia seguinte notei que ele estava um pouco diferente.
Mais sério e calado, talvez por vergonha do que tinha acontecido, pensei.
Assim passou alguns dias.
Numa noite fria estavamos deitados e eu estava bem agarradinha nele procurando me aquecer.
Estavamos de frente um para o outro abraçados.
Mais uma vez senti seu pau ficando duro encostado na minha coxa.
Foi nessa hora que senti alguma coisa me dominando por dentro.
Eu estava prestes a completar 13.
Já sabia muita coisa sobre sexo, tesão, orgasmo.
Acredito que o que eu estava sentindo era tesão pelo meu pai.
Seu corpo estava tão quente e gostoso que não resisti e fui descendo a mão até alcançar seu pauzao.
Quando eu o peguei ele soltou um suspiro forte.
Então enfiei a mão por dentro do seu short e comecei a fazer carinho nele.
Estava muito duro e dava pra sentir que era muito grosso.
Ele continuou com os olhos fechados como fingindo dormir.
Então comecei a punhetar.
De tempos em tempos ele soltava um gemido gostoso e alto.
Sem que eu esperasse ele beijou minha boca.
Esse foi meu primeiro beijo.
Foi maravilhoso sentir sua língua invadindo minha boca.
Ele parecia que não ia aguentar muito mais tempo.
E de fato gozou na minha mão.
Sujou sua roupa e o lençol.
Como estava muito frio apenas mudamos de lugar e continuamos agarradinhos.
Já era madrugada quando senti seu pau mais uma vez duro encostado em mim.
Então pensei.
Quero algo mais !
Tirei meu shortinho e encostei mais ainda nele.
Peguei seu pauzao e o coloquei entre minhas coxas, bem encostado na minha buceta.
Foi uma sensação maravilhosa sentir seu pau encostado na minha buceta.
Ele então começou a mover o corpo fazendo um vai e vem.
Pude sentir minha buceta úmida e desejosa.
Notei que ele estava relutante maís já não estava se aguentando mais.
Então como ele estava nas minhas costas, eu levantei uma das pernas deixando minha buceta exposta.
Num desses movimentos a cabeça do seu pau chegou bem na portinha e quase que entrou.
Senti um prazer tão grande com isso que falei pra ele.
Quero que você me possua ! Quero ser sua mulher !
Seu pau parecia que ia explodir de tão duro.
Foi quando ele me colocou de barriga pra cima e se ajeitou entre minhas pernas e começou a chupar minha buceta.
Que sensação, não consigo descrever o que senti.
Depois de uns dez minutos ele foi subindo beijando minha barriga até chegar nos meus peitos.
Foi quando senti seu pau tocando minha buceta.
Ele foi abrindo minhas pernas e se ajeitando entre elas.
Senti quando ele encostou a cabeça do seu pau bem na portinha e beijando minha boca começou a forçar sua entrada.
Eu estava tão eufórica que só queria ele dentro de mim, não pensava em mais nada.
Quando a cabeça entrou senti um desconforto mais era suportável.
Ele continuou a beijar minha boca enquanto forçava seu pauzao pra dentro.
A cada vez que ele forçava era mais um pedaço que entrava.
Quando senti seu saco tocando meu corpo pensei.
Agora ele está todo dentro e eu sou sua mulher.
Foi o dia mais feliz da minha vida.
Depois desse dia passamos a conviver como marido e mulher.
Alguns anos depois dei a luz a um filho dele.
Ainda hoje vivemos assim.
Espero que tenham gostado dessa passagem da minha vida.

⏩ O melhor site de desenhos animados pornô do 🇧🇷, HQs eróticas🔥

Avalie esse conto:
PéssimoRuimMédioBomExcelente
(Média: 4,47 de 58 votos)

Por # # #
Comente e avalie para incentivar o autor

9 Comentários

Talvez precise aguardar o comentario ser aprovado
Proibido numeros de celular, ofensas e textos repetitivos
  • Responder capixaba-safado ID:g61za2b09

    Tão bom quanto os contos são os comentários aqui, gozei lendo facilmente

  • Responder Valmir ID:xlorifv2

    Maravilha de conto,espero que seja verdade
    Foi um tesão

  • Responder Cíntia Campos ID:gqbg04oi9

    Comigo aconteceu quase assim tbm, mas o meu no caso foi com o meu padrinho. Como vc, o que eu sei dos meus país, é o que me contaram, e tomei isso como minha verdade tbm, e nunca me importei se tem uma vírgula diferente do que me foi contado. Eu tinha 10a qdo minha madrinha sofreu um acidente, e se foi. Fiquei sendo criada pelo meu padrinho, que fazia de tudo por mim. Era “pensar” que queria algo, ele me dava, e não importava o preço, mas eu não abusava, nunca abusei pq minha madrinha me educou muito bem qto a isso. Eu sabia que era sua afilhada, e que fui adotada aos cinco anos. Eu tinha 11a qdo aconteceu um fato inusitado, e que despertou em mim uma sensação difícil de explicar. Afinal de contas eu tinha só 11a. Foi durante as férias de Julho, qdo fomos pra Campos do Jordão em SP. Me lembro que fomos dar umas voltas a noite, e voltamos logo para o hotel devido o frio. Tomamos banho, e ficamos assistindo tv até dar a hr do jantar. Não deitei na minha cama, deitei junto com meu dindo, e mesmo com aquecedor ligado, estávamos debaixo das cobertas…e de conchinha. O que aliás, foi a primeira vez que rolou isso entre a gente. Sentir o corpo do dindo me envolvendo daquela forma, foi inexplicável. E sentir o estado de excitação dele, ao encostar em mim, confesso que amei a situação. Naquele dia não rolou nada, mas na tarde do outro dia…rolou td e algo mais. Foram beijos e mais beijos, carícias das mais ousadas possíveis. Fiquei tão ou mais excitada que ele, que praticamente implorei pra ser deflorada. E ele entendeu isso, qdo fiquei por cima dele, pernas abertas, e esfregando a xotinha na rola dele, que estava super dura. Desde aquele 16/07/08, vivemos como marido e mulher.

    • Valmir ID:xlorifv2

      Bela história!
      Boa sorte

    • observadorr ID:81rg0l3oi9

      uauu q relato bom… conte mais @ observador no telegram bjos

    • jorge ferreira da silva ID:8ef23emzrc

      O conto é muito bom não duvido que seja verdadeiro, tanto pela idade da menina como pelo relato que é ela mesmo quem conta, quanto a ser pai não vejo motivos para recriminar pois para mim não tem essa de parente, seja pai e filha, irmão e irmã, tio e sobrinha ou outro parente qualquer para mim o que importa é o tesão que os dois estão sentindo desde que não seja forçado tudo é valido, quanto a idade isso depende de cada um eu mesmo comecei com minha filhinha depois que ela completou seis anos acariciava sua partes intimas e ela gostava, trocavamos carinhos e dizia que aquilo era um segredinho nosso comecei a chpar sua bocetinha e seu grelinho e ela ficava louquinha e dizia é muito bom essa brincadeira quero mais até que aos sete anos estourei seu cabacinho ela deu um gritinho e pediu para por devagar, parei fiz ela se acalmar e ela disse pode pode continuar fui fazendo um vai e vem bem lento e fui aumentando até senti que ela estava confortavel, parei tirei e limpei minha pica que esta melada de sangue e fiquei só beijando ela, passou uns trez dias e voltamos e brincar novamente fui metendo devagar a´te parar no limite dela isso é só a metade da pica pois o canal vaginal ainda não esta bem delatado e só depois é que ela suporta a pica quase toda mais mesmo assim gosamos muito, hoje ela é minha amante mesmo sendo minha filha olha é melhor coisa que existe voce treinar sua menina e depois decbaça-la e torna-la sua mulherzinha ela ainda não mestrua pois só tem onze anos mesmo assim já levei ela ao ginicologistica que já receitou antecompicional não quero que ela engravide pois pela quantidade de vezes que transamos se não nos precavermos isso pode acontecer pronto agora é só fazer minha menina gozar gostoso sem medo de nada

    • Viviane ID:gqb9j5t09

      Cíntia mulher, que delícia muiito melhor lê isso do que muitos contos aqui. Imagino que tesão que foi hein, bjs lindona.

    • Roberto ID:5pbartudqra

      Muito bom o conto

  • Responder Zica ID:8kqtlwo8rc

    Gostei! Conta mais por favor. Boa escrita