# # # #

Primeira Vez Que Minha Irmã Caçula Me Comeu

3945 palavras | 55 |4.71
Por

Oi, pessoal. Antes de começar a contar essa parte da história sinto que devo dizer que essa é apenas 85% verdade, não 95% como as outras. Lá eu não lembrava de 100% dos diálogos e mexi em uma coisinha ou ou pra deixar a leitura mais fluida, aqui eu juntei 3 acontecimentos de dias diferentes que eu gostaria de contar, mas compilados em um só pra não precisar fazer 3 “capítulos” e deixar a história maçante pra vocês.
Enfim, espero que curtam a leitura.
Alguns meses já tinham passado desde que eu e a Lara começamos a brincar do nosso jeito safadinho. Eu fazia amor com ela e/ou a assistia se tocar praticamente todos os dias de segunda a sexta, mas aos finais de semana meus pais estavam em casa e não podíamos fazer nada.
Aquele sábado estava sendo uma excessão, uma amiga dos meus pais os convidou pra passar o fim de semana em um sítio e como não teria ninguém da minha idade ou da Lara, nos permitiram ficar em casa, então estávamos aproveitando muito bem.
Eu arrumei um colchão da sala e a Lara estava de quatro em cima dele enquanto eu afundava meu rosto no meio daquela bundinha linda, me deliciando com o cuzinho infantil que piscava na minha língua.
Eu podia ouvir os gemidinhos as vezes abafados quando ela pressionava o rosto contra o colchão, as vezes altos quando ela não conseguia se conter. E os gemidos se intensificaram ainda mais quando comecei a alternar as lambidas entre o cuzinho e a bucetinha, ela até apertou o lençol com força e começou a tremer as perninhas. Fiquei assim só por alguns minutinhos já que ela pediu pra parar por já estar sem fôlego.
Geralmente eu me tocaria depois que ela pedisse pra parar, mas mesmo estando excitada naquele dia eu decidi ficar só admirando minha pequena Lara enquanto massageava seus pezinhos e pensava no quanto ela era perfeita e como eu era completamente apaixonada por cada detalhezinho dela.
Passado um tempinho, a Lara recuperou o fôlego e sentou no colchão, olhando pra mim.

– Que foi, minha lindinha? – perguntei com um sorriso doce, passando delicadamente os dedos pelo cabelo dela.

– Eu queria perguntar um negócio. – ela disse parecendo tímida de repente.

– Fica a vontade.

– Er… Hm… Porque que quando a gente brinca só você que faz em mim e eu não faço em você?

Eu dei uma risadinha que misturava surpresa e nervoso – Bom, meu amor, eu faço em você porque sinto vontade e acho gostoso. Adoro passar a língua e as mãos por todo o seu corpinho, gosto do seu sabor, especialmente o da sua florzinha, só de sentir o cheirinho dela me dá água na boca. E te ver sentindo prazer me dá muito tesão. Acho que é o que mais me dá tesão na vida.

– E porque eu não posso fazer? – ela franziu a testa.

– Poder poderia, eu até ia gostar… – respondi dando outra risadinha. – Mas é só se você quiser, eu não quero te induzir a nada, lindinha.

– Mas eu quero! Eu quero taaaaaanto! – esse momento foi muito fofo, pois ela fez um biquinho e juntou as mãos como se estivesse implorando daquele jeitinho infantil e bem tesudo. – Eu lembro daquela vez que você esfregou a sua florzinha no meu pé, aquilo me deixou com tesão pra caramba. Eu queria poder mexer com a mão também. E com a boca. E dar beijo onde você me dá beijo. Tipo aqui, aqui e aqui.

Enquanto falava ela falava apontou para o meu pescoço, barriga e o último, que a vez corar e morder o lábios enquanto apontava, meus peitos. Também precisei morder o lábio, só a ideia dela fazer isso estava me deixando pra morrer de tesão.

– Tá bom, minha lindinha. Mas lembra que a maninha faz porque gosta, então se você não gostar, não precisa continuar. Mesmo que a maninha esteja gostando muuuuito. – falei com um sorriso doce, por maior que meu tesão fosse, meu amor e cuidado com a minha irmãzinha sempre seriam muito maiores.

– OBA! – a Lara ficou tão empolgada que me fez rir, ela era muito gostosa e fofa ao mesmo tempo. – Eu posso começar agora?

– Pode, vem cá. – eu disse ainda sorrindo, puxando ela pra junto de mim. – Começa devagar, como eu faço com você. Primeiro me beija e se quiser tocar em mim, não fica com vergonha, pode tocar onde quiser.

– Tá bom.

Ela parecia nervosa, mas animada e respirou fundo antes de unir nossas bocas. Já nos beijávamos há um bom tempo e ela ficava cada vez melhor nisso, aquela boquinha pequena e a língua macia eram deliciosas e viciantes, eu poderia beijá-la para sempre (e pretendo fazer isso mesmo).
Ainda que timidamente ela tomou coragem e colocou as mãozinhas nos meus peitos, encaixando devagar as palmas como pequenas conchas e meus bicos começaram a ficar durinhos ao mesmo tempo em que minha pele se arrepiava. Separei nossos lábios pra deixar que um suspiro satisfeito escapasse pela boca.

– Gosta que eu te toque aqui? – Lara perguntou sorrindo doce como eu fazia com ela, mas sua voz linda de criança estava cheia de tesão e eu adorei isso.

– Muito. Mas você pode apertar um pouco mais se quiser. – sugeri estufando levemente o peito, me oferecendo de corpo pra ela (já que de coração eu me dei pra ela desde que a vi pela primeira vez).

– Não vai te machucar, maninha? – ela perguntou, olhando curiosa pra baixo.

Eu ri e disse. – Não, meu amor. É só fazer com carinho que vai ser tipo uma massagem bem gostosa. Assim ó.

Coloquei minhas mãos por cima das mãozinhas dela e comecei a massagear meus peitos com vontade, mas também delicadeza, indo devagar pra que ela pudesse aprender. Ela parecia fascinada, não desviava o olhar e a sua boca estava entreaberta, quase babando por mim.

– É tão macio. Eu gostei de pegar assim. – ela disse sorrindo, ainda com o com os olhos fixos no meu peito.

– Suas mãozinhas são quentes e fofas. Eu to gostando de sentir também. – respondi fazendo um carinho no cabelo dela, minha respiração estava um pouco acelerada, mas ainda tinha bastante controle.

– Que bom, maninha. – ela sorriu mais ainda, toda fofa. – Eu… Hm… Eu posso botar… A boca?

– Claro, minha lindinha. Fica a vontade. Você pode lamber, chupar e até morder. Mas se for morder tem que ser de levinho pra não machucar.

A primeira coisa que ela fez foi aproximar o rosto devagarinho, dar uma bitoquinha no bico do peito esquerdo e me olhar com aquele sorrisinho mais fofo do mundo. Juro, a Lara tem o dom de me fazer mudar de derretida de tesão pra derretida de amores em questão de SEGUNDOS. Agora me diz: tem como não se apaixonar por um ser humaninho fofo desses? NÃO TEM.
Mas enfim, eu sorri de volta pra ela dando a confiança que ela precisava pra continuar, dessa vez colocando a língua e lambendo suavemente uma vez, depois outra e por fim começando a chupar. Mas não era o tipo de chupada que gente grande costuma dar quando está fazendo sexo, ela chupou como um bebê suga o peito da mãe.
Essa mistura de inocência e erotismo era o que mais me dava tesão, logo um gemido baixo escapou da minha boca e minha pele estava toda arrepiada.

– Tá gostoso, maninha? – ela perguntou, mas com um sorriso satisfeito de quem já sabia que estava me agradando.

– To amando, meu amor. Continua. – pedi com a voz trêmula de tanto tesão.

Logo ela voltou a chupar meu peito e ficou com uma mãozinha em cima do outro mexendo devagar, ainda aprendendo a fazer os dois movimentos ao mesmo tempo. Até senti os dentes dela roçando de leve o mamilo, acho que ela queria dar uma mordidinha, mas tinha medo de machucar. E enquanto ela fazia isso eu não resisti e comecei a me masturbar, minha buceta estava encharcada.

– Não, maninha. Eu vou beijar a sua florzinha também. – ela disse quando percebeu o que eu estava fazendo.

– Desculpa. – falei tirando a mão e dando uma risadinha. – Mas eu não sei se você vai gostar, meu amor.

– Ué. Mas você me beija na boca depois de beijar a minha florzinha. E eu não acho ruim. – ela respondeu franzindo as sobrancelhas e deu de ombros.

– É diferente, lindinha. A maninha já é grande, então o cheiro e o gosto da minha florzinha é mais forte. Eu tenho medo de você não gostar. – expliquei calmamente, acariciando o cabelo dela com a mão limpa.

– Eu sou uma mocinha corajosa. Eu quero provar. – ela fez cara de determinada e fez o muque. Sério, a Lara é muito fofa.

– Tudo bem. Mas experimenta aqui na minha mão primeiro antes de por a boca na minha florzinha. Porque ela tá muito melada, se você colocar a carinha lá vai ficar toda lambuzada. – sugeri, passando a mão pra deixar meus dedos ainda mais melados e ofereci pra ela. – Vai com calma, primeiro sente o cheiro, depois se ainda quiser, você prova.

Ela segurou meu braço e aproximou minha mão do nariz sem chegar a encostar, deu uma inspirada curta primeiro e depois inspirou bem fundo.

– Eu gostei. A sua florzinha é muito cheirosa. – constatou com um sorriso e logo em seguida deu uma lambida na minha mão desde o início da palma até a ponta dos dedos indicador e médio. – Tem razão, é bem mais forte. É diferente do meu. – dito isso, ela lambeu de novo. – Não é ruim. É tipo… Tipo salgadinho. Acho que eu gostei.

– Acha mesmo ou tá falando só pra me agradar? – estreitei os olhos como em desconfiança.

– Verdade, maninha. Ó só. – a Lara me olhou no fundo dos olhos e lambeu e chupou minha mão até deixar limpa. – Hmmmmm. É bom.

Gemi baixinho só com esse simples ato, então disse. – Larinha, você me deixa louca de tesão.

– Que bom. Eu gosto de te deixar com tesão. – ela disse com um sorriso sincero. – Eu… Eu posso beijar a sua florzinha agora?

– Fica a vontade. – respondi ficando com a respiração um pouco mais acelerada pela espectativa, então me ajeitei melhor no colchão, ficando quase deitada com as pernas bem abertas.

Ela se acomodou entre minhas pernas e colocou a mão na minha buceta. Eu podia senti-la um pouco trêmula de nervoso, mas ainda assim ela continuou bem determinada, separou os grandes lábios com os dedos como eu fazia com ela e passou a língua de baixo pra cima. Eu estremeci e gemi, meu corpo todo estava arrepiado enquanto me entregava para aquela criança linda de 7 anos.
Não só aquela língua quente na minha buceta era um tesão, a imagem dela tão pequena entre minhas pernas era mais excitante do que eu sou capaz de expressar com palavras.

– É pra lamber mais aqui, né maninha? – ela perguntou tocando meu clitóris meu o polegar, que pulsou com o toque.

– Isso, meu amor. – quase sussurrei entre gemidos. – Pode lamber e chupar também, mas cuidado com seus dentinhos porque aí é mais sensível.

– Tá bom, maninha.

Ela ficou só lambendo no começo, mas logo que percebeu o quanto eu estava gostando ela tomou confiança pra começar a chupar. E como foi com meu peito, ela chupava mais como um bebê faminto do que como se estivesse fazendo sexo, mas nada no mundo me daria mais tesão do que a Lara naquele momento.
Eu fui gemendo cada vez mais alto e tinha que me esforçar pra não apertar a cabeça da minha irmãzinha entre minha pernas e prendê-la ali, eu queria que aquela chupada nunca acabasse.

– Eu to fazendo direitinho? – ela perguntou já com certo orgulho na voz, já que meu corpo deixava bem claro que eu estava delirando de prazer.

– Tá sim, lindinha. Você é muito, muito, muito boa nisso, então não para. Por favor, não para. – respondi em tom de suplica e vi um sorriso enorme naquele rostinho lindo um segundo antes dela voltar a enterrá-lo na minha buceta.

Eu não estava tão lúcida pra pensar em muita coisa, mas tive uma ideia, então perguntei se podia pegar a mãozinha dela, ao que ela respondeu só “urrum” sem parar de me chupar.
Eu peguei a mão dela, coloquei o polegar por cima do mindinho e deixei os outros três bem juntinhos, então fui enfiando devagarinho na minha buceta. Não eram muito longos, mas eram gordinhos. A sensação foi tão boa que meus olhos reviraram.

– Tá entrando dentro de você! – ela disse, me olhando com os olhos arregalados.

– Urrum, eu sei. – respondi gemendo e fechando os olhos devagar.

– Não tá machucando? – ela perguntou de novo, meio assustada.

– Não, amor. Tá gostoso demais. – eu mal podia me conter enquanto fazia movimentos lentos de vai e vem segurando o pulso dela. – Olha pra maninha. Olha como eu to morrendo de tesão. E tudo isso é por causa de você.

– Você é muito linda, maninha. Eu amo te deixar com tesão. – ela voltou a sorrir, inocente e orgulhosa de si mesma, apaixonante mais do que nunca até ali.

– Ainda bem que você consegue isso fácil fácil. – eu respondi sorrindo de volta. – Pode continuar me chupando se quiser. Eu controlo a sua mão, lindinha.

– Quero! – ela disse empolgada e logo voltou a mamar meu clitoris.

Eu fui ficando com cada vez mais e mais tesão, meu quadril mexia fora do meu controle e eu gemia alto. Quando menos percebi estava falando putarias mais explícitas pra minha irmãzinha tão novinha.

– Isso, me chupa, sua neném gulosa. Gosta de buceta, né? Então chupa, minha safadinha. Eu quero gozar nessa sua boquinha linda.

Foi aí que aconteceu o ápice do meu tesão. A Lara, já vermelha e ofegante pelo esforço, tirou a boca da minha buceta por um instante e disse pela primeira vez sem que eu precisasse pedir.

– Então goza pra mim. Eu quero ver você gozando bem gostoso. – e logo grudou de novo meu clitoris, chupando como se fosse o doce mais gostoso do mundo.

Acho que mal levou cinco segundos pra eu começar a gozar depois que ela disse isso. Minha buceta apertou os dedos da Lara que disse “ai” e tentou puxar a mão, mas eu estava tão fora de mim que segurei o pulso dela com força enquanto gemia o nome dela sem qualquer pudor ou autocontrole. Ainda bem que nosso quintal era enorme, seria muito difícil algum vizinho ouvir.
Só quando meu orgasmo chegou ao fim eu afrouxei o aperto no pulso e ela conseguiu puxar devagarinho os dedos de dentro de mim, me fazendo ter os últimos tremores prazerosos.
Naquele momento eu estava tão fraca que não conseguiria erguer a cabeça se tentasse, mas ouvi um barulhinho da Lara chupando meu mel que não apenas cobria seus dedinhos, mas escorria por sua mão e braço. Depois cheguei a perguntar e ela confirmou que limpou tudo com a língua.
Quando consegui me recuperar do gozo e a consciência dos meus atos voltou, eu me sentei rápido e olhei culpada pra minha irmãzinha.

– Oh, meu amor, me desculpa. Tava tão bom que eu não tava pensando direito, não devia ter te segurando. – disse sincera pegando a mão dela pra olhar, eu realmente tinha perdido todo o controle. – Eu machuquei a sua mãozinha?

– Tá tudo bem, calma. – ela sorriu pra me acalmar e fez um carinho suave no meu rosto com a mão livre. – Doeu só um pouquinho, foi o susto que me fez querer tirar a mão. Eu não sabia que a sua florzinha ia apertar os meus dedos, eu assustei e só.

– Mesmo assim, me desculpa, lindinha. Da próxima vez, se você quiser que tenha próxima vez, eu uso os meus dedos e…

– Não! – ela me interrompeu muito séria, com a testa franzida e tudo. – Usa os meus dedos! Eu que quero te fazer gozar. EU! Então é pra usar os meus dedos SIM. Combinado?

Num primeiro momento eu fiquei em choque e sem reação, mas em alguns segundos comecei a rir, não sei se de bom humor pós-sexo ou se por realmente achar isso engraçado.

– Ai ai, minha lindinha. Você não precisa nem encostar em mim pra me fazer gozar. Só ser tão linda, gostosa e fofa já me deixa cheia de tesão. Mas, se é o que você quer, eu deixo você colocar os dedos em mim.

– Eba. – ela deu um sorriso animado, depois fez uma cara pensativa. – Marina… Colocar o dedo dentro parece ser super gostoso. Porque você nunca fez isso comigo?

– Você ainda é muito pequena, lindinha. Fazer isso agora ia te machucar. – expliquei carinhosamente e a puxei pra lhe dar um beijo na testa. – Quando você for maiorzinha e estiver pronta, eu posso te ajudar se ainda quiser que seja eu. Mas eu tenho que te avisar, na primeira vez é normal sentir dor. Mas aí fica gostoso depois, eu prometo.

– Tudo bem. Eu confio em você. – ela disse sorrindo de canto e me deu um selinho.

Eu sorri toda boba e apaixonada, então a abracei e mudei de assunto. – Que tal eu fazer uma pipoquinha e a gente assistir alguma coisa juntas, hein?

– Eba! Quero, quero, quero. – ela respondeu balançando o corpo com aquela euforia bem típica de criança, como se não estivesse com a boca, o queixo e as bochechas cheirando a mel de buceta.

– Tá bom. – falei rindo e dando um tapinha na bunda dela. – Vai lá lavar as mãos e o rosto, veste uma calcinha e escolhe alguma coisa pra gente assistir.

Sem dizer mais nada ela saiu correndo e eu levantei pra ir fazer a pipoca, o que foi desafiador já que minhas pernas ainda estavam tremendo tamanho foi o meu gozo.
Quando voltei pra sala não só com pipoca, mas também um brigadeiro que tinha feito mais cedo e deixado esfriando na geladeira, a Lara já tinha colocado Pretty Little Liars na televisão.
Eu sei, não era adequado pra idade dela, mas com o que eu fazia com ela todos os dias quando a gente ficava a sós seria o maior “enfim a hipocrisia” da história proibi-la de ver uma série que ela gosta por classificação indicativa.
Enfim, passou uma cena em que a personagem lésbica (Emilly) tá indo morar na casa de uma amiga (Hanna) porque os pais se mudaram pra outro estado a trabalho e ela não quer ir embora, então a mãe da amiga começa a explicar as regras da casa e diz algo como:
“O que vale pra Hanna vale pra você, então nada de porta fechada com o namorado. Quer dizer, namorada. Como eu vou saber a diferença de namorada e amiga?”
Aí a Emilly sorri meio com vergonha e fala “Não se preocupa, eu te aviso”
Nesse momento, a Lara pausou a série e virou pra mim com as sobrancelhas franzidas.

– Maninha… As coisas que a gente faz é coisa de namoradas, né?

– Meio que sim. Não precisa necessariamente ser namoradas pra fazer, mas em geral sim, é coisa de namoradas. – expliquei.

Ela abriu um sorriso radiante super fofo e me olhou com toda a esperança do mundo. – Isso quer dizer então que você é minha namorada?

Eu ri meio de nervoso e tomei um longo momento pra pensar em como responder isso. Eu sempre amei a Lara mais do que tudo e sabia que o que fazíamos era 100% da vontade das duas, mas nunca tinha parado de fato pra pensar no que exatamente nós éramos.

– Hm… Não. – respondi a contragosto, por mais que ela fosse só uma criança eu queria que fóssemos. – Eu sei que te amo como irmã e como namorada, mas não tenho certeza se o que você sente é o mesmo.

– Que?! Como assim?! É claro que eu te amo, Marina (resto do nome completo)! – ela disse soando completamente ofendida.

– Eu sei que você me ama, sua boba. – respondi com um sorriso doce. – É que você é muito nova pra entender exatamente qual é a diferença entre amor de irmãs e amor de namorada. Se quando você souber a diferença você ainda quiser namorar comigo, eu vou ficar muito feliz porque já tenho certeza que te amo de todos os jeitos possíveis e impossíveis, Lara (resto do nome completo).

– Acho bom! Porque eu vou esperar e um dia você vai ser minha namorada, rum! – ela estava muito séria e determinada, mas com aquela voz de criança e os cantos da boca sujos de brigadeiro foi tão fofo que tive que segurar o riso.

Depois que eu disse “sim, senhora” ela despausou a série e voltou a prestar atenção. Eu sorri e neguei com a cabeça antes de voltar a olhar pra TV também.
Pra minha sorte ela não estava só completamente certa sobre ser minha namorada, como também se tornou minha esposa.

Eu sei que demorei, pessoal, então espero que tenha valido a pena esperar e vocês estejam curtindo muito o casal #Larina.
O engraçado é que eu já não tinha cabaço porque eu mesma tinha quebrado me masturbando, mas em questão de sexo, a Lara foi a primeira a me penetrar, então tecnicamente eu perdi a virgindade com uma criançinha de 7 anos. Isso é muito doido de se pensar kkkkk
Em alguns comentários alguns leitores disseram que queriam meu contato pra conversar e saber mais da minha vida e história com minha esposa. Eu não sinto a segurança pra compartilhar qualquer rede social aqui, mas estou totalmente aberta a conversação nos comentários. Não tenha vergonha de fazer perguntas, vou responder com o maior carinho.
Enfim… Abraços e até a próxima.

⏩ O melhor site de desenhos animados pornô do 🇧🇷, HQs eróticas🔥

Avalie esse conto:
PéssimoRuimMédioBomExcelente
(Média: 4,71 de 14 votos)

Por # # # #
Comente e avalie para incentivar o autor

55 Comentários

Talvez precise aguardar o comentario ser aprovado
Proibido numeros de celular, ofensas e textos repetitivos
  • Responder A Irmã Mais Velha ID:beml65tfi9

    Se alguém ler isso antes que eu poste o próximo “capítulo”, vc acha que ficaria feio um capítulo que não tenha “irmã” nem “caçula” em uma sequência de todos os outros que tem?
    Pensei em um título que ficaria legal, mas não tem essas palavras

    • Anônimo ID:5pbapku3k0d

      eu acho que ficaria estranho, mas tudo bem

  • Responder A Irmã Mais Velha ID:beml65tfi9

    Gente, criei um Twitter.
    peua187 se quiserem me mandar uma mensagem

    • Heero ID:g61vcvov0

      eu add vc, so aceitar

    • A Irmã Mais Velha ID:beml65tfi9

      Acabei de ver. Te mandei mensagem.

    • Helena, 22 anos ID:dloeleyd3

      Eu tentei te procurar no tt mas não consegui, que pena 🙁

    • Helena, 22 anos ID:dloeleyd3

      Aliás, adoro seus contos. Li todos de uma vez só kjkkk

    • A Irmã Mais Velha ID:beml65tfi9

      Oi, Helena.
      Qual o seu? Deixa eu ver se eu consigo te seguir e vc me segue de volta

    • Rafaella ID:7xbyxpzfik

      SoulSister ??

    • A Irmã Mais Velhas ID:beml65tfi9

      Isso

    • Lana ID:1dai284qr9

      eu te mandei solicitação, está com um nome meio estranho mas td bem

  • Responder Heero ID:g61vcvov0

    entao para usar o VPN precisa de um pc.

  • Responder Lana ID:gqblmk9v4

    Virgindade é só relação sexual, se vc colocou os dedos vc continua sendo virgem, mesmo rompendo o hímen, tem como romper ele andando de bicicleta, tem gente que nasce sem… virgindade esta ligado a relações sexuais com outra pessoa, se você teve com a larinha, você perdeu com ela.

    • A Irmã Mais Velha ID:beml65tfi9

      Kkkkkk mas foi isso que eu disse: o cabaço eu já não tinha, mas virgindade Virgindade mesmo eu perdi com a Lara.

  • Responder Anônimo ID:5pbapku3k0d

    Vocês são casadas de verdade?

    • A Irmã Mais Velha ID:beml65tfi9

      Olha, legalmente não. Primeiro pq é ilegal no Brasil se casar com a irmã, segundo que mesmo que pudesse provavelmente ela teria que ser de maior pra isso e ela não é ainda. Terceiro pq nossa família não sabe, ninguém sabe que somos um casal. A não ser quando a gente viaja e não precisamos disfarçar.
      Mas nós moramos juntas, houve um pedido (spoiler de contos que ainda virão) e uma cerimônia só nossa, então nos chamamos de esposa e nos consideramos casadas.

    • Rafaella ID:7xbyxpzfik

      👍👍👍❤️

  • Responder Anônimo ID:1rer4dv3

    Adorei seus contos,os melhores que já li,a Paixão incondicional que vcs duas tem uma pela outra junto com o lado erótico é simplesmente perfeito

    • A Irmã Mais Velha ID:beml65tfi9

      Muito obrigada ❤️❤️

  • Responder Heero ID:g61vcvov0

    ok, vou tentar explicar o basico sem expor o metodo todo aqui
    baixe o OperaGX e va em preferencias e ative o VPN, depois entre em proton.me – e crie 2 e-mails, um deles vc vai me passar aqui, o outro vc vai me enviar depois pelo e-mail para eu explicar o resto, e vai apagar o historico e a lixeira depois. escrevi outra msg antes dessa mas nao parece que enviou

  • Responder Heero ID:g61vcvov0

    ok, começa com navegador OperaGX, ativa o VPN nas configuraçoes/preferencias, faz um e-mail no https://protonmail.com/ – é cryptografado e nao fica no BR, esse é o primeiro passo, depois vc me passa ele, claro que vc nao vai ficar com esse e-mail isso é so para um primeiro contato para facilitar a conversa e eu nao expor o medoto aqui

    • A Irmã Mais Velha ID:beml65tfi9

      Como se ativa o VPN?

    • Heero ID:g61vcvov0

      Configuraçoes(Alt+P), na buscar no canto direito superior digita VPN, vc vai achar a opção

    • A Irmã Mais Velha ID:beml65tfi9

      Ah, precisa ser no computador?

    • Heero ID:g61vcvov0

      se nao me engano tem para celular tambem

    • A Irmã Mais Velha ID:beml65tfi9

      Eu baixei no celular, mas não tem nada de VPN nas configurações

    • Heero ID:g61vcvov0

      entao para usar o VPN precisa de um pc

  • Responder Florzinha ID:8d5sj5nv9d

    Eu tava morrendo de saudades dos seus contos sério, obrigada por postar, eu achei tão lindo que gozei sem me tocar, obrigada dnv ♡

    • A Irmã Mais Velha ID:beml65tfi9

      Uau. Que honra.
      Dá pra sentir tanto o seu carinho pelos comentários que fico até sem jeito. Obrigada por nos acompanhar ❤️

  • Responder Mais um leitor ID:830zijbv9d

    Você escreve bem, coisa rara por aqui. O conteúdo é polêmico, mas sou contra qualquer censura literária. Fala um pouco do despertar da sua própria sexualidade e como você começou a se estimular ao ponto de “perder a virgindade” assim.

    • A Irmã Mais Velha ID:beml65tfi9

      Digamos que não foi muito difícil me entender como lésbica kkkkk Quando criança eu tinha um certo fascínio pelo corpo da minha mãe quando ela usava biquini ou tomávamos banho juntas, eu olhava pros peitos, a barriga, as pernas e o que tinha entre elas… Por outro lado, meu pai ou qualquer outro homem de sunga ou sem camisa nunca chegou nem perto de me despertava tal fascínio.
      Também tem o fato de que sempre que eu assistia filmes sozinha eu pausava cenas em que peitos apareciam, sempre. Kate Winslet nua em Titanic deve ter sido a cena mais pausada da minha infância. Fora é claro os filmes Sexta-Feira 13. Engraçado que nunca me impediram de assistir a esses filmes com mortes explícitas e baldes de sangue falso, mas aposto que se descobrissem que eu assistia pra ver peitinhos iam dizer que eu “era nova demais pra isso” kkkkk
      Enfim… Quando fui entrando na puberdade (ignorando os sentimentos confusos que minha irmã me causava) eu comecei a ter meus primeiros crush’s de escola, todas meninas é claro.
      Aos 13 anos eu comecei a gostar de uma garota da minha sala, Ingrid. A gente sempre se olhava diferente e dava umas flertadas bem indiretas ao conversar, então um dia precisamos fazer um trabalho bem fácil juntas e eu chamei ela pra ir lá em casa. Percebi que toda vez que as nossas mãos ou qualquer parte do corpo se tocava sem querer ela ficava tão nervosa quanto eu e comecei a pensar em beijá-la, mas não tava tomando coragem até que ela já tava pra ir embora e a gente se despediu com um abraço muito longo, tipo super longo mesmo. Eu tive certeza que ela queria, então antes que ela se soltasse de mim eu segurei na cintura dela e a beijei.

    • A Irmã Mais Velha ID:beml65tfi9

      De começo a Ingrid puxou a cabeça pra trás com os olhos arregalados como se estivesse em choque, eu pensei “porra, interpretei tudo errado”, mas antes que eu tivesse tempo de pedir desculpa ela segurou o meu rosto com as duas mãos e me puxou de volta. A gente ficou se beijando um tempão, até que minha mãe chegou e a gente teve que disfarçar.
      A Ingrid disse pra minha mãe que não tinha dado de terminar o trabalho e ela teria que voltar amanhã, o que era mentira, ela só queria se pegar comigo de novo. E como eu também queria, encobri a desculpa.
      Agora que terminei de contar tudo isso, percebo que não precisava ter dado tantos detalhes kkkkkkk
      Enfim, a gente começou a ter um namorico por uns meses (não sei se posso chamar de namoro namoro mesmo pq a gente nunca chegou a oficializar termos), mas ela mudou de bairro e escola. A gente até tentou continuar, mas era muito longe e não estávamos tão apaixonadas assim pra valer o tempo e esforço necessário pra fazer dar certo.
      Resumindo, o casal #Irina não deu certo…
      Eu e a Ingrid estávamos sempre nos agarrando e se esfregando uma da outra por cima da roupa. Pode parecer pouco, mas pro corpo entupido de hormônios de uma adolescente de 13 anos era um puta frenesi. Então, é claro, ficar sem isso fez falta.
      Foi aí que comecei a ver pornô de madrugada e me masturbar. Não sei exatamente quando comecei a enfiar os dedos, foi um processo bem natural e nunca chegou a doer, só tive leves desconfortos no começo. Não tinha a pressão de perda de virgindade, eu não tinha muita noção das coisas.

    • A Irmã Mais Velha ID:beml65tfi9

      Ah, e aproveitando que falei de filmes, uma curiosidade engraçada sobre mim é que quando saiu Desobediência a minha adolescente interior entrou em FRENESI, juro! Kkkkkk
      Eu sei, o filme tem tema tenso e é meio triste, mas caramba! Era a Evelyn O’Connell e a Allie Hamilton/Regina George em uma cena de sexo sáfico. E elas simplesmente entregaram TUDOOO!

  • Responder Jorge . ID:81rn1pcm9c

    Axei que tinham bloqueado a sua conta aqui no site , que bom que isso não aconteceu , porque assim vocês poderão continuar contando essa linda história de amor de vocês , onde tem amor verdadeiro , Deus está presente , ok , meninas , até a próxima .

    • A Irmã Mais Velha ID:beml65tfi9

      Kkkkk não se preocupe com isso, minha esposa era um neném nessa época, mas não tanto. 7 aninhos é permitido ainda e daqui pra frente ela vai estar um pouco maior nos contos.
      Cá entre nós, pra mim ela ainda é um bebê. Amo demais minha linda kkkkkk ❤️❤️

  • Responder Jorge . ID:81rn1pcm9c

    Minha nossa , que delicia de conto , estava com saudades de vocês , por favor , não demore pra contar a história de vocês que é super linda , axei que tinham brinquedo os seus contos , não demore , toda felicidade pra vocês duas .

    • A Irmã Mais Velha ID:beml65tfi9

      Então… Eu não posso prometer frequência de certeza por causa do trabalho, também tenho que dar atenção pra minha esposa e ajudá-la com as coisas da escola e etc. Mas sempre que eu puder venho trazer mais um pedacinho da nossa história pra vcs.
      Mas obrigada pelos elogios. Fico muito feliz que a nossa história esteja sendo tão bem recebida.

  • Responder Heero ID:g61vcvov0

    ja pensou em fazer um contato mas sem usar nada ligado diretamente a vc?
    se vc quiser eu posso ensinar isso

    • A Irmã Mais Velha ID:beml65tfi9

      Seria de grande ajuda. Se não incomodar, eu ficaria grata.

  • Responder A Irmã Mais Velha ID:beml65tfi9

    Pessoal, me tira uma dúvida aqui: dá pra perceber quais foram as coisas que eu compilei num conto só ou tá tudo fluidinho?
    To curiosa pq eu me esforcei mesmo pra encaixar os eventos kkkkk

    • Heero ID:g61vcvov0

      esta fluido para mim

    • A Irmã Mais Velha ID:beml65tfi9

      Nossa, que bom. Eu to sendo uma “escritora” melhor do que esperava.

  • Responder Heero ID:g61vcvov0

    PS: discordo que ficaria chato

    • A Irmã Mais Velha ID:beml65tfi9

      Bom, eu não enjoo de transar com a mesma garota por tantos anos, mas nós somos casadas. Muito desses 9 anos é trivial, só nós sendo boiolas e taradas uma pela outra kkkkk

  • Responder Heero ID:g61vcvov0

    Obrigado, estou curioso pra saber muito mais
    adoraria poder ficar conversando com vc, parece ser legal

    • A Irmã Mais Velha ID:beml65tfi9

      Eu também gostaria, mas né? O tanto que eu já me expus aqui não é brincadeira kkkkk
      Mas sério, pode conversar comigo por aqui, eu adoro conversar

    • Jass ID:muirj6td3

      Adorei o conto, te chamei no twitter, sou meio tímida mas sempre me senti mal por também olhar parentes com outros olhos

  • Responder Lana ID:gqblmk9v4

    Acho muito lindo as suas histórias com a larinha, sou garota e quero conversar com você, tem telegram?

    • A Irmã Mais Velha ID:beml65tfi9

      Desculpa, meu bem, eu não tenho.

    • Ju ID:3ynzgpwqd9b

      Vou continuar te amando mesmo vc com raiva de mim. Adeus

  • Responder O ze ID:1v7f4nhl

    Uma linda história de amor, e de quebra muito excitante! Esse é o fim? Pensei que teríamos mais aventuras do casal Larina, queria acompanhar o desenrolar de vocês duas. Sua esposa é uma gracinha!

    • A Irmã Mais Velha ID:beml65tfi9

      De forma alguma.
      Ainda tenho algumas coisas que gostaria de contar. Mas desde a noite que contei no primeiro conto até hoje já se vão quase dez anos, não dá pra contar tudo também, se não fica chato kkkkk
      Pode ficar tranquilo ainda tem muito mais #Larina vindo aí 🤍🤍

    • A Irmã Mais Velha ID:beml65tfi9

      E sim, ela é uma gracinha. Acho que dá pra levemente notar que eu sou apaixonada por ela 😂❤️

  • Responder AnaPaula 0100 ID:7lxw6s4qrb

    Meu, que conto maravilhoso aaaaa, deixei de tocar minha sirica pra ler o conto inteiro, me prendeu até o fim… Parabéns ♥️☕🛐

    • A Irmã Mais Velha ID:beml65tfi9

      Acho que isso quer dizer que minha esposa e eu somos mais fofas do que sensuais kkkkk
      Obrigada pela leitura e pelo elogio 🤍