# #

Eu e Beto, uma noite prá não esquecer

2046 palavras | 8 |4.50
Por

A tarde correu, caprichei no jantar de meu doce Beto, quando ele chegou com Luciano eu já estava xerozinho de banho tomado e vestido com a bermuda azul e blusa branca que ele tanto gostava, seus olhos brilharam ao me ver, duas semanas sem sexo pra Ele, era uma eternidade, eu ia fazer com que ele se sentisse recompensado nesta noite, lhe dar todo o chamego que um Homem como ele merecia.
Jantamos cedo, Luciano foi lá pros fundos jogar baralho no quintal, tava escovando os dentes, Beto entrou no nosso banheiro, gostoso demais tu fica nessa bermuda meu lek disse-me, passou a mão sobre o schort na piroca dura, vem pra nossa cama logo, ela tá doida prá tu esconder ela em ti e eu doido prá gritar meus ai mamãe.
Entrei no quarto, ele tava deitado só de cueca branca, a danada parecia tar mais grossa e grande ainda presa dentro dela, vem meu bebê, vêm peladinho já me disse, vou te mostrar que meter é coisa boa de novo e fazer tu sentir a saudade que eu tava de ti, vêm, se entrega pro teu Doce Beto, que hj tu vai sentir mais doce ainda, vêm.
Mesmo com vergonha, fiquei nuzinho, na beirada da cama ele me puxou pra baixo dele, não me beijou, comeu minha língua com vontade, aquele sabor doce da boca dele me endoidava, com as mãos alisava meu corpo todo, a língua parecia não querer desgrudar da minha tão cedo, fiquei alisando a pele macia de suas costas, tirou a língua da minha, saudade meu lek, hj teu Homem é puro desejo e saudade disse rosto a rosto comigo, tira ela com tua bokinha tira, desci aquela fileira estreita de pelos que descia do peito até a piroca, minha língua lambendo tudo, tirei sua cueca, a piroca cheirosa como sempre, saltitou em meu rosto, seus pelos tinham aumentado, não teve ninguém prá apará-los graças à Deus, levei sua cueca até seus pés, a tirei e fui subindo com minha língua de novo, quando cheguei lá nas bolas, ele me puxou e me pôs de bruços, em cima de mim falou baixinho em meu ouvido, na boca quero ela depois bebê, agora ela quer entrar em vc até o fundo, tá com fome de ti lek, ela e eu.
Senti ela dura feito rocha em meu bumbum e costas, tava quente, uma quentura gostosa, ele foi seguindo o caminho que tanto conhecia, retesei meu corpo todo por instinto, relaxa minha criança, esquece os fdp, esquece o mundo, esquece tudo, tu tá com teu Homem, da teu xamego pra Ele, num vai doer nada, falou em meu ouvido.
Senti a cabeça de que eu sentia saudades encostando na portinha, ele foi empurrando pra dentro de mim bem devagarinho, senti a dorzinha de sempre, me alisando ele me acalmava e ia entrando em câmera lenta, aos pouquinhos com muito carinho, quem via meu doce Beto na rua, nunca imaginaria que aquele rosto sisudo com cara de bravo, era tão paciente e carinhoso quando queria, ele foi avançando sempre me acarinhando com as mãos, não tinha mão apertando meu ombro nem cintura, eu tava ali debaixo daquele calor que vinha do seu corpo gostoso totalmente livre, fiquei alisando seus cabelos cheirosos com minha mão, ele foi indo enfiando a grossa e grande piroca até o talo, quando senti as bolas e seus pelos em minha portinha, ele parou dentro de mim, depois bem calmamente começou a girar o quadril, eu sentia aquilo tudo quentinho girando dentro de mim, tava um silêncio total aquele quarto, só se ouvia os carros passando na rua em frente ao nosso quarto e o roçar de dois saudosos corpos se juntando de novo, meu bebê, disse Ele, continua a mesma coisinha gostosa de sempre, rebola pro Papai, rebola, fiquei rebolando sentindo ele ávido lá dentro, seu quadril parou de girar e começou as idas e vindas em seu bebê, sentia a dor daquela coisa linda indo e vindo mas seus gemidos de prazer compensavam tudo, ele aumentou o ritmo, um Macho de 28 anos há duas semanas sem meter, tinha fome, muita fome, eu sentia sua fome indo e vindo, percebi na hora que não ia ser uma gozada ou duas que saciaria seu apetite, eu estava ali prá dar prazer à ele quantas vezes ele quisesse, aquele Homem, meu Homem merecia.
Seus gemidos foram ficando mais altos, para de rebolar pro teu Beto não falou ele, no atraso que tou, vou gozar rapidim, quero te leitar com tu rebolando pro teu Papai, rebolando bem gostoso, de repente os gemidos dele viraram gritos, sentia os saltos da piroca lá dentro, o leite quente escorrendo prá dentro de mim, ai Beto, ai Beto, tb tava com saudades disso tudo Nego falei, ele com o peito arriado em minha cabeça disse, assim que tem que ser bebê, um com saudades do outro, tem e vai ser sempre assim.
Ele levantou, vêm me disse, vamo tomar um banho e beber alguma coisa, a hora dos teus ai mamãe tá chegando, vou te por prá mamar até ficar com calo na língua falou rindo.
No banheiro me ensaboou todo, girou meu ombro até estalar, depois tomamos uns copão de grapette e voltamos prá cama, se deitou de bruços, aquelas costas e ombros fortes tudo ali prá mim, faz uma massagem no Papai bebê, saudades da porra dessas tuas mãozinhas tb tou, peguei o creme de massagem, espalhei nele todo, fiquei bem uma hora massageando pescoço, costas, ombros, pernões, os pés deixei pro final, com carinho fui passando o creme nas solas, entre os dedos, ele dizendo, ó Deus, que que eu fiz prá merecer isso tudo, aí lek, tu acaba com teu Beto desse jeito.
Depois deitei no peito dele, fiquei alisando a piroca dura de novo e suas bolas lindas que eu tanto gostava, tá na hora de aparar teus pelinhos de novo eu falei, prá que disse ele, tu gosta com pelos mesmo, ninguém mais vê nem pega minha piroca não bebê, só tu mesmo, deixa assim, quando tu achar que a mata cresceu demais, tu apara, empurrou minha cabeça bem suave pro meio das pernas, os ai mamãe iam começar agora, pra felicidade dele e minha.
Eu dei uma mastigadinha suave na pele do saco dele, ele gemeu, olhando pro rosto lindo do meu Homem vi que gostou, continuei mordiscando, passando a língua naquela pele salgadinha gostosa, eu olhava meu Beto e via Deus no rosto dele, ele pra mim era o próprio Deus que eu estava e tinha obrigação de agradá-lo, de cuidar dele, de obedecê-lo, respeitá-lo em tudo dali prá frente, aquele ex monstro do Presídio, tinha largado tudo prá se embrenhar num fim de mundo desconhecido prá me trazer de volta, o ex marginal tinha se transformado num Grande Homem, cabia à mim mostrar ao meu doce Beto que ele nunca ia se arrepender de ter ido me tirar das garras daquele monstro que pela vida toda eu achava ser meu Pai, minha amada Mãe admirava tanto ele e tinha bons motivos prá isso, ela tinha me colocado nas mãos dum Homem de verdade, com ele eu não sabia o que era medo, não tinha medo de nada.
Comecei a passar a língua naquelas bolas, os olhos dele reviravam de prazer, ai meu doce lek, pra que tu faz isso comigo hein, qq dia vou te encher de porrada, tu vai ver, disse ele, meu amor não tinha mudado nada, os ai mamãe começaram, era música aqueles ai mamãe entrando em meus ouvidos, no mundo naquele instante só existia ele e mais ninguém prá mim, de tudo esqueci, guardei aquelas bolas em minha boca, as acarinhando por inteiro com a língua, ele se retorcia todo, as mãos fortes alisando minha cabeça, nem ele nem eu tínhamos pressa, o Deus que eu saboreava não ia deixar eu dormir naquela noite, nem eu queria, estava sonhando acordado, sugava as bolas, a piroca dura estava calma sobre elas, esperando a hora de ser engolida inteirinha por mim, eu soltava as bolas, lambia sua virilha toda, voltava prá elas em seguida, meu Nego tava em êxtase, sempre gritando ai mamãe, ai mamãe, eu vou matar esse mlk, ai mamãe, ó o que ele faz comigo mamãe, ai mamãe, que coisa boa este meu bebê, eu ia fazendo minha obrigação, cumprindo meu dever de sua fêmea, uma hora ele não guentou mais, as bolas que chacoalharam tanto em minha boca queriam colocar o leite dentro de mim, me puxou pro pirocào, com gosto coloquei a cabeça rosada em minha boca e fui engolindo ele todo, quando senti as bolas em meus lábios, ele apertou minha cabeça enquanto sentia o doce de seu leite me alimentando, me agradecendo por libertar ele de dentro das bolas onde ele estava guardado, eu engoli tudinho olhando nos olhos dele, ele gritando ai mamãe e tb olhando nos meus, as mãos agora soltavam minha cabeça e alisavam meu rosto e cabelos, meu Beto foi me buscar no inferno e me trazido direto pro Céu, eu tava com a cabeça nas mãos e no colo de Deus, era assim que eu me sentia nas mãos do meu Homem.
Aí meu lek, qq dia tu me mata nessa bokinha linda disse ele suave prá mim depois, tá fudido comigo hj, não dormiu nada ontem mas não me chamo Alberto Oliveira da Silva se te deixar dormir um só minuto hj, tava morto de saudades meu bebê, saudades de tudo em ti, tu vai matar essa saudade toda esta noite, tirar até a última gotinha de leite que guardei pra ti esses dias todos.
Alisei o peito dele, ele alisou meu queixo dizendo, ai meu lekinho, meu doce lekinho, meu bebê, meu menino, tu num tem noção do quanto eu gosto e preciso de tu mlk, tu me anima à viver, chamei tanto pela morte antes de ti e agora nunca mais quero morrer, alisei o peito dele, num esquece nunca que sou teu meu Nego lhe falei, eu sei bebê, mesmo que tu quisesse, teus cadernos com mil coraçãozinho desenhado não te deixam mentir pro teu Beto, eu sei que tu é todo meu, fdp que encostar um dedo em ti de novo, eu mato na porrada, vai ter o mesmo destino dos outros que te machucaram tanto.
Ficamos quietinhos uns minutos, depois ele me falou bem suave, quero que tu queime ou jogue teus cadernos fora bebê, só tem coisa ruim e maldade contigo ali, deixa só os dois que tu começou a escrever depois que te tomei daquele velho sujo, tá bom Beto respondi mas não tenho coragem não, queima então pra mim, vou queimar hj mesmo disse Ele, o que tá na tua cabeça vou queimar nos meus carinhos, demora mas vou apagar tudo, tu vai ver.
Ele se abaixou um pouco, me pôs de ladinho, quero de novo meu rapazinho gostoso, quem mandou tu gostar de Macho igual Eu, agora tem que me aguentar todo dia, tu sabe que eu gosto todo dia, aqueles se gozar te mato, se gozar te arrebento lá nos teus cadernos vão virar fumaça hj, depois que sumirem de dentro da tua cabecinha linda tb, teu Homem é gostoso bebê, tu vai querer todo dia também, prometo.
Ele foi entrando suave de novo em mim, as mãos se apoiando e segurando minha cintura, falando só coisas bonitas à mim, tava inteiro dentro de mim de novo, sim, meu homem era o mais gostoso do mundo, era meu Deus, meu norte, sul, leste e oeste, por mim ele ficaria ali dentro de mim eternidade afora, meu Homem, meu Beto, meu Doce e Amado Beto.

⏩ O melhor site de desenhos animados pornô do 🇧🇷, HQs eróticas🔥

Avalie esse conto:
PéssimoRuimMédioBomExcelente
(Média: 4,50 de 20 votos)

Por # #
Comente e avalie para incentivar o autor

8 Comentários

Talvez precise aguardar o comentario ser aprovado
Proibido numeros de celular, ofensas e textos repetitivos
  • Responder Marcos ID:41ih1e32k0j9

    Realmente tá cada conto melhor que o outro. To amando o romance. Mas tem que dar alguém pra Luciano tbm, o pobre merece ser feliz.

  • Responder LUARA ID:83105bakzjp

    Mega feliz o Beto e o bebê juntos novamente (como tem q ser)um completa o outro e o Lek,depois de sofrer tanto,nada mais justo,merece ser muito feliz junto do seu amor.
    Beto e o bebê TOP os dois juntos.

  • Responder Sla ID:2ql0ptfzjl

    Perfeito Marcus,pfvr não muda nd.. deixa sempre assim, um romance perfeito

  • Responder luiz ID:dlns5khrd0

    Pois é Beto ja comeu o Lek poderia deixar Luciano ficar com o Lek na proxima noite, pensa nisso,

    • Sla ID:2ql0ptfzjl

      Credo moço

  • Responder Lex75 ID:5vaq00tfi9o

    Só falta aparecer um unicórnio a cagar arcos íris.

  • Responder Inaldo ID:w73wwqra1

    Nem li…Parei no “xerozinho”…

  • Responder Baby Boy ID:vpdkriqlp

    Meu Deus ♥️