# #

meninas curiosa (historia curta)

176 palavras | 6 |4.29
Por

atual 30 anos, moro em manaus. vou contar o q aconteceu balneário do sesc , eu tinha por volta 12 anos , fui me divertir piscina com meus primos . foi ai conheci uma menina ,parecia ter minha idade e começamos a brincar, fomos escarradores juntas tava muito proxima. meus primos foram jogar bola tava mais afim de paquera, como nao dava trab, so dize onde iamos brincar. essa menina se enconchava em mim , passou mão no meu peito, na brincadeira de passa d baixo das pernas pegava na boceta. Fomos banheiro, para o box com chuveiro ficou olhando lado, ve nao tinha ninguem. os maios pendurados, beijando encostadas na parede nua e roçando, eramos inexperientes . nos corpos nao eram desenvolvidos , esfregava a buceta na bunda e chupamos , tentava gruda a minha xoxota mas so era possível deitada. ouvimos vozes ligamos chuveiro e vestimos , saímos. Nao me lembro do rosto , naquela epoca celular era pra quem podia, se nao ,teríamos sido melhores amigas. eu sou bi mas de fato meu prazer sempre foi buceta.

⏩ O melhor site de desenhos animados pornô do 🇧🇷, HQs eróticas🔥

Avalie esse conto:
PéssimoRuimMédioBomExcelente
(Média: 4,29 de 7 votos)

Por # #
Comente e avalie para incentivar o autor

6 Comentários

Talvez precise aguardar o comentario ser aprovado
Proibido numeros de celular, ofensas e textos repetitivos
  • Responder @aleatorioeu ID:81rg0l2t0aq

    Obrigado, Lana!

  • Responder Luciana ID:w71os0kh1

    Adorei seu relato, faz lembrar da minha infância kk
    [email protected]

  • Responder Luís Jorge ID:gqbg03qraq

    Meninas são muito mais curiosas que meninos, na minha opinião né. Digo isso pq morava com minha namorada, e no prédio haviam mais meninas que meninos. Haviam duas meninas, nossas vizinhas de andar, a Denise e a Betina, ambas com 11a na época. A Betina morava com à avó e uma tia solteirona. E a Denise morava com à mãe, que era divorciada, e o irmão, o Nelson, que tinha 10a. Ambas viviam mais em casa nos finais de semana, do que em suas próprias casas, mas isso era graças a minha namorada que dava trela pra elas. Apesar que minha namorada apesar da idade(19a), as vezes parecia mais criança que as duas. Um belo dia, minha namorada ia prestar exame para um concurso, levei ela cedo e voltei pra casa. Lá pelas 09h a campainha tocou, atendi, era a Denise, com cara de quem havia acabado de acordar, e de pijama ainda. Aliás, só de pijama mesmo, e mais nada…e um pijaminha que pra uma menina de 11a, era muito sexi, pra não dizer “depravado”. Qdo abri a porta, ela foi entrando como de costume. A merda é que eu estava indo pro banho…e estava só de cueca. Ela foi direto pro quarto chamando pela Bia, dizendo que tinha uma coisa pra perguntar. Voltou, me viu parado atrás da porta, pq não fechei né, esperando ela voltar. Ela parou, olhou e meio que sorrindo perguntou.
    – cê tá pelado Jorginho ?
    – lógico que não
    E não é que a safadinha veio conferir. Olhou, deu um sorrisinho bem safado e perguntou da Bia. Falei que tinha saído, e a curiosa quis saber pq eu estava de cueca. Falei que ia tomar banho qdo atendi a porta, e não deu tempo de falar pq ela entrou direto. Ela sorriu e falou que eu podia tomar banho que ela esperava. Falei que não era legal, que Bia podia não gostar. Ela riu e falou que a Bia só ia saber se eu contasse, pq ela não ia, e que já tinha “homem pelado” tbm, e que é td igual. Me interessou o assunto, e quis saber quem ela viu pelado, ela falou que foi o irmão. Aí quem riu fui eu. Falei que uma coisa era ver um pivete nu, e outra era um adulto.

    • Luís Jorge ID:gqbg03qraq

      Ela insitiu nesse ponto, dizendo que homem é tudo igual …”é saco e bilau”. Falou e saiu rindo em direção a sala. Fechei a porta, tranquei e pensei…*foda-se*
      Entrei no banheiro e só encostei a porta. Demorei mais que o normal no banho de forma proposital, e deu certo hein. Ela não aguentou, o “bicho carpinteiro” cutucou, e ela sucumbiu. Não resistiu a tentação de bisbilhotar, e facitei pra ela. Não tinha box na época, era só uma cortina plástica, que deixei aberta, e fiz questão de ficar de frente pra porta. Notei ela tentando disfarçar, e falei na cara larga.
      – não precisa disfarçar, que eu sei que vc taí…tô te vendo viu
      – nem dá pra ver mentiroso
      – pelo espelho sua tonta
      Ela esticou o pescoço, me viu através do espelho e começou a rir.
      Desliguei o chuveiro, dei uma enxugada no corpo, superficial né, e saí do banheiro. Qdo meu viu nu, me olhou assustada, engoliu seco, e comentou sobre eu não ter pelos na região genital. Ela deu a deixa, fui pra cima né. Investi pesado, fiz ela acariciar, sentir como estava lisinho. Fiz tbm pegar na minha rola, apalpar, acariciar…e tocar uma pra mim até gozar, coisa que ela acabou achando graça. Só não meti a rola nela aquele dia, pq não teve como. Mas…qdo a oportunidade pintou, ela já estava bem doutrinada, e estava tbm tão afim qto eu. Só não gozei na xotinha pq ela já menstruava, mas na boquinha e no cusinho, perdi as contas de qtas vezes rolou.
      Com a Betina rolou algumas situações tbm, mas era mais difícil. Tanto à avó qto a tia marcavam ela em cima, e tbm não comi, só rolou mesmo sexo oral algumas vezes.

  • Responder Nilramos ID:g62lwx8r96

    É assim que começa, a curiosidade, o desejo, a busca pelo prazer, sou hétero me excito com histórias assim

  • Responder Rafaella ID:7xbyxpzb0i4

    Obrigadinha pelo relato Lana..
    Beijos!