# # #

Um estupro nada convencional

1555 palavras | 10 |4.38
Por

é cê tem um baita culão, vou por até as bolas.

Ai… e lá vou eu para um aniversário de criança. Tudo bem que era uma festa num condomínio bacana, mas era aquela coisa de passar o dia e eu não sou mais afim de brincar com as outras crianças. Pudera já tenho 15 anos, sou uma “mocinha”, ainda antes do almoço, eu demonstrando um tédio maravilhoso, sou meio que intimado pela minha mãe a sair da mesa e andar, tentar conhecer alguém, enfim fazer alguma coisa, desde que levasse minha cara de bunda para longe. Então levantando disse: não me esperem para comer. E sai todo putinha. Tendo de sorrir para todo estava me matando e eu não via a hora de me distanciar, enquanto caminhava vi em cima de um tratorzinho um funcionário que muito simpático me perguntou onde ia, respondi que não fazia ideia e ele disse que no final da rua, havia um lago e um bosque com marrecos, mas era meio longe, agradeci e pensei, quanto mais longe melhor. E nesse percurso eu o encontrei pelo menos mais uma 3 vezes, até que cheguei ao lugar, que era bem interessante, mas o que faria ali. Nisso vejo o tratorzinho vindo em minha direção, veio que aquele homem simpático, desceu e me disse: bonito aqui né? Eu: é bonito sim, mas não vi os patos. Ele: estão presos, quer ir lá levar a comida dele comigo, aí você vê. Inocente fui, eu não fazia ideia que aquele homem (de seus 30 anos, loiro, alto) queria era outra coisa. Assim que chegamos a um cercado ele se aproximou de mim e com um saco na mão disse: pega aqui o milho e joga por cima da cerca. Enquanto eu fazia isso, não notei o quanto escondido da visão da rua estávamos e quando me dei conta. O homem veio por trás de mim e espremendo meu corpo no alambrado com o seu disse no meu ouvido: cê tem um bundão sabia e eu vou comer agora. Assustado eu tentava argumentar, tentava me livrar dele, mas ele estava decidido e disse: fica quieto caralho, se não vou te encher de porrada. E ao mesmo tempo foi arriando minha bermuda. Mal ela havia chegado no joelho senti sua mão grossa e espera lambuzar meu rego com cuspe, então forçando minha nuca disse: vai inclina. Não tendo outra escolha, com os dois antebraços e a testa apoiados no alambrado, inclinei até sentir ele encostar o pau na minha bunda, então com uma das mãos sobre minhas costas, ele começou a enfiar o pau dentro do meu cu. Era uma situação bem diferente de tudo que eu já havia passado, minha cabeça a mil, assustado, ouço ele dizer: é cê tem um baita culão, vou por até as bolas. E quanto mais forte ele bombava, mais medo eu sentia. Ali eu só ouvia o estalar da metida que ele me dava e o grasnar dos marrecos, então do nada comecei a chorar, mas eu estava confuso, pois ao mesmo tempo em que chorava meu pau ficou duro e aquele estupro estava começando a ficar diferente para mim. Quando ele viu imediatamente disse: engole o choro porra, tá de pau duro é porque tá gostando. E ele metia sem dó. Com as mãos me segurando pela cintura ele socava a pica com vontade, estralando seu corpo no meu. Eu sem saber o que fazer, consegui ver por debaixo do meu corpo, suas pernas abertas seguravam sua calça nos joelhos e eu podia ver seu sacão peludo que balançava com as estocadas. E eu sem conseguir controlar meus sentimentos, percebia que não demoraria para gozar, mesmo sendo comido de uma maneira tão estranha e rude. De súbito, parei de chorar e ao mesmo tempo comecei a gozar, de prazer, de medo, não sei, mas gozei. Logo depois ele tirou o pau do meu cu e se colocou ao meu lado batendo uma punheta, permaneci imóvel e ele disse: olha aqui, OLHA AQUI PORRA. E assim que olhei ele começou a gozar ao meu lado enquanto dizia: ai ó, essa porra veio desse seu culão gostoso sabia e se contar isso pra alguém eu te mato de pancadas, beleza e se voltar aqui como seu rabo de novo. Subiu as calças e foi embora como se nada tivesse acontecido, todo moído principalmente no psicológico, me vesti e voltei a festa. Agi como se nada tivesse acontecido e pouco depois minha mãe diz: gostou do passeio? Eu: sim vi uns lugares legais. Ela: gostou de ter vindo hoje? Eu: gostei, só não gosto de ficar preso dentro dum salão. Ela: ah que ótimo, porque nós fomos convidados para vir almoçar amanhã e eu disse que viramos. Fiquei perplexo e só me dei conta quando já estávamos em casa. Passei a noite tentando entender o que havia acontecido e o que eu faria no outro dia. Resolvido, assim que fui para o banheiro lavei meu cu como nunca tinha antes, foi tanta água na mangueirinha que saiu e entrou nele que o deixou como uma flor. Assim que chegamos, eu sai em direção ao lago e para minha alegria ou não, lá estava o homem, só que dessa vez eu resolvi ser ousado que ele e assim que me aproximei e ele me olhou eu disse: vamos ver os patos? Ele: é marreco, gostou do marreco né? Vai indo que logo to la. E poderoso em meu shortinho agora meio enterrado na bunda, sai rebolandinho. Chegamos juntos ao lugar e eu já fui para o mesmo lugar de antes, porém ele me puxando pelo braço, me fez entrar em uma espécie de deposito e la dentro ele tomou conta de tudo. Fechando a porta atrás dele disse: fica peladinho vai, quero ver tudo, quero ver esse pintinho ai também. Assim que coloquei o camiseta e o shortinho em cima de uma bancada, ele me pegou pela cintura e me colocou sentado em cima de uma pilha de sacos, automaticamente coloquei as mão para trás me apoiando, ele separando minhas pernas foi aproximando a cabeça até encostar o nariz no meu saquinho e fungando disse: ow cuzinho cheiroso, hoje eu enfio até a língua. E foi o que fez, começou a me lamber e enfiar a língua em meu cuzinho (tava meio dilatado sim), ao mesmo tempo, com uma das mãos começou a acariciar meu pintinho até ficar duro. Ai sim fiquei perplexo, achei que nada mais me assustaria, a não ser aquele homão abocanhando meu pintinho e chupando como um louco, mas ele foi além e me disse: quer que eu coma seu cuzinho de novo? E arreganhando as pernas respondi: enfia até o saco hoje. E ele tirou a calça, a cueca, se colocou de 4 em cima de uns papelões e disse: então vai ter de enfiar esse pintinho no meu cu. Na hora até brochei e ele continuou: se enfiar ele em mim e gozar, eu faço tudo que quiser depois. Eu: mas eu nunca fiz assim antes. Ele: faz logo porra, se não te arrebento. Ai submisso mostrei a ele meu pinto já meio mole, ele me puxou e começou a chupar de novo até endurecer e eu fui atrás dele, lotei de cuspe aquele cu e enfiei meu pintinho. Meti um tempo e então disse que ia gozar. Ele me mandou gozar dentro e foi o que eu fiz. Assim que terminou, voltei a me deitar de costas nos sacos e disse: agora vem e mete em mim. Enquanto ele ficava em pé e vinha em minha direção com aquele pauzão apontando para mim, arreganhei as pernas e disse: soca tudo até o fundo. E então comecei a sentir aquele pauzão entrando e me rasgando de tesão, enterrou tudo até encostar o saco em mim e começou a bombar, cada vez mais forte e mais rápido, meu pintinho meio mole e melado dava sinal de vida e o homem então começou a acaricia-lo, metia sem do mais uma vez e assim ele meteu até que eu não aguentando mais comecei a gozar em sua mão e ele disse: também estou quase. Pedi então para ele tirar, me virei e abrindo a boca disse: fode na minha boca e goza dentro. E ele com as duas mãos segurando em minha cabeça, começou a fode na minha boca até que comecei a sentir os jatos e a porra quente preenchendo minha boca, enquanto seu cacetão pulsava despejando porra quente em minha boca, eu mamava fazendo ele escorrer pelo canto, pelo queixo e pingar no chão, acariciando seu saco peludo, eu mamei mais um tempinho até que toda porra tivesse saído do seu pau, engolindo uma boa parte. Ai fiz como ele, me vesti e o ignorando voltei para o almoço.

Vibradores com 19% de desconto na Vibrio!

Avalie esse conto:
PéssimoRuimMédioBomExcelente
(Média: 4,38 de 26 votos)

Por # # #
Comente e avalie para incentivar o autor

10 Comentários

Talvez precise aguardar o comentario ser aprovado
Proibido numeros de celular, ofensas e textos repetitivos
  • Responder Djon ID:g3jc2bfv3n

    Né veado,e você está perdido assim,contaminado com a bactéria gay,criada por cientistas homossexuais pra deturpar a sociedade,mas não se preocupe porque eu,John Deere,vai curar você dessa terrível peste!

  • Responder Marcos Augusto ID:xglt6ud2k

    Faz um telegram

  • Responder Yago ID:g620cw08mp

    Fodo um novinho desdes meus 19 anos(hj tenho 21) ele tinha 14 anos quando foi ele pela primeira vez (hj ele tem 17) ele é meu vizinho toda tarde a mãe dele sai pra trabalhar e o pai dele é caminhoneiro então ele passa as tarde só então eu vou pra casa dele com a desculpa de assistir filmes ou jogar videogame pra fuder ele tirei a virgindade dele e quase toda tarde até hj vou lá deixar meu leitinho no rabinho rosa do meu amigo

    • 7P ID:h5ien4xico

      Boa, tem que dar leite pra puta mesmo. Mas ainda não deixou ele comer o seu rabo também? Levar pica de novinho também é gostoso. Hahahah!

    • Carlos ID:gqb0dg0444

      Bora trocar ideia? Chama ae tele. @Carloss41

    • Also ID:7zv1ks67v31

      Meu come! Sou pai de três filhos adultos e tenho a tara de da para um novinho como você!

    • Tega ID:on90tu1oid3

      Queria eu ter um novinho pra mim fizer sempre deu sorte em

    • Moa ID:7r03o5p0hiq

      Vou aí também ti dá gostoso

  • Responder Lex75 ID:5vaq00tfi9o

    Bom conto.

  • Responder 15y ID:7xbyxq3m9b1

    Chama aí
    Por favor
    [email protected]