# # #

Thamires, só sossega na vara

1546 palavras | 5 |4.61
Por

Ola, sou olavo, já me apresentei em outro conto, sou pastor e quando tenho oportunidade levo alguma ovelhinha perdida para o abate. Sempre é bom ensinar as pequenas o prazer se ser invadida com uma rola grossa.

Há uns dois anos, recebemos a visita da sobrinha da minha esposa, Thamires, uma mulatinha de 13 anos, magrinha de corpo perfeito, seios pequenos e um bumbum bem avantajado. Na verdade não era uma visita e sim uma longa temporada, pois o motivo era afastar a mocinha de certas influências da cidadezinha em que morava. E o melhor lugar pra colocar juízo na cabecinha de uma menina fogosa e na casa do pastor (juízo de 20 cm e cheio de veias).

Os primeiros dias foram normais, minha esposa cuidou de matricular a menina na escola e outras partes burocráticas. Logo ela já estava habituada na rotina de casa, eu a tratava bem e ela se sentia tão bem comigo que já me chamava de tio de forma natural. um tempo depois minha esposa me contou o motivo dela ter que ficar com gente, essa safadinha andava se esfregando com os moleques da cidade dela, a mãe pegou ela nua com um a garoto em casa. a partir daí passei a tratar a Thamires como a “filhinha do papai” fazendo todas as suas vontades, já buscando uma intimidade maior. A menina não saia do meu lado, para não levantar suspeitas por parte da minha mulher, sempre dava uns sermões de “leve” na presença dela assim mantinha a aparência de homem rígido.

Todo esse trabalho surtiu efeito quando uma tarde, estava no quarto vendo tv e Thamires veio falar comigo, ela sentou na cama do meu lado.

Thamires: Tiooo, queria te pedir uma coisa.

eu: oi meu amor, o que?

Thamires: Sabado, as meninas da escola vão fazer um trabalho na casa de fulana (não lembro o nome), posso ir.

eu: trabalho é? vc não tá me enrolando né?

Thamires: Claro que não tio, eu juro.

eu: hummm… é trabalho de quê?

Thamires: Ciências

eu: é e sobre o que? (thamires nunca foi boa aluna, então nem saberia inventar um assunto)

Thamires: ai…tio ta bom, não é trabalho. vai ser o aniversário da fulana

eu: ahhh ta, sabia. pois não vai pta lugar nenhum

Thamires: nãooo tio, por favor, me deixa ir. A titia é muito enjoada e nao ia deixar, mas o senhor é legal, por favor.

eu: deixa a Ruth saber que você a acha chata

Thamires: mas é verdade o senhor é mais legal que ela

eu: rumm… não sei. vc vai ficar pelada na festa tmb?

ela arregalou os olhos de susto, não esperava que eu soubesse, mas não desmentiu.

Thamires:ai não… eu só fiz uma vez, prometo não faço mais isso.

eu: posso ate deixar… mas o que eu ganho com isso?

Thamires: ganha!? não sei tio… o que o senhor quer?

eu: a gente podia ver um filme hoje noite, aqui no quarto, tipo namoradinhos

Thamires: namoradinhos… mas nao sei.

eu: não precisa não. e vc não vai no aniversario.

Thamires: não titio, tá a gente namora… mas não sei, a tia vai brigar

eu: so se vc contar

Thamires: não, eu não conto

eu: então vai tomar um banho e vem pra ca… vou ligar o ar e baixar um filme

Thamires: mas tio e aula?

eu: hoje voce não precisa ir… vamos passar a tarde vendo filme e comendo lanche

Isso deixou Thamires muito animada, mas não mais do que que estava de pau durissimo com a situação, ia comer ela antes que um moleque fizesse isso. nossa conversa não deixou claro minha maldade, apesar da desconfiança dela, então deixei a mostra na mesinha perto da cama, camisinhas e um lubrificante. Thamires voltou cheirosa do banho e com um top que cobria os pequenos seios e um shortinho de algodão, assim que viu o q que tinha na mesa perguntou apreensiva:

Thamires: tio… a gente vai? (apontando para as camisinhas)

me aproximei dela, peguei na cinturinha fina e dei um aperto de leve

Thamires: (silêncio)

eu: claro… vc nunca fez né? pode falar meu amor (já desconfiando da resposta)

Thamires: já Tio… (envergonhada)

dei uma abraço igual os que dava antes, com um beijo no pescoço

eu: ahh sua safada, ja andou sentado na pica né?

Thamires: aiii tio para… só foi umas duas vezes

eu: e foi com quem?

Thamires: primo luis, o senhor não conhece

eu: e vc gostou?

Thamires: na primeira vez doeu… mas na segunda foi muito bom

me levantei da cama e abaixei o bermudão, fazendo saltar minha rola dura que nem pedra

eu: e o pau dele…era maior que o meu?

Thamires: ai senhor… muito maior. tio eu não aguento isso aí não

aperto a bundinha gostosa dela por dentro do shortinho.

eu: cabe sim amor… coloco devagar que cabe.

levo a mão dela ate meu pau, ela instintivamente começa punheta-lo, logo fica maior e mais duro. me abaixo e dou um logo beijo de lingua nela, tiro o shortinho e a blusinha deixando nua. Chupo os pequenos seios com força, so ouco ela gemendo. viro ela de costas, ainda de pé ao lado cada, e enquanto falo que vou socar minha rola nela, meto dois dedos na bucetinha.

Thamires: ai mete titio…mete

coloco ela na cama e abro suas pernas, enfio a lingua bem fundo, ela puxa meu cabelo com força, vou passando a lingua em seu grelinho e alterno chupando. ela geme e da gritinhos agudos, percebo que ela vai ter um orgasmo e aumento o ritmo, ela grita bem alto se contorce e goza na minha língua. Me deito do lado dela e ela se encolhe no peito.

eu: gostou?

Thamires: ahaaamm… quero de novo…

eu: eu faco… mas também quero (segurando a rola)

como uma mulher experiente ela sorria, puxa os cabelos longos para trás e após uma punhetinha rapida ela passa a chupar meu pau. e que chupada senhores. Thamires se esforcava pra engolir tudo, ia e voltava tirava da boca e voltava a punhetar me olhando e sorrindo. Ver uma garotinha sugando minha pica com olhar inocente era uma visao.

Estava prestes a gozar quando fiz um.movimento pra que ela parasse. Ela me empurrou e continuou mamando ate eu gozar na sua boca… ela engoliu tudo.

Thamires: gostou titio? (Me pergunta se apoiando em mim)

Eu: safada, me fez gozar… mas ainda vou te comer

Thamires: sera? Ate ficou mole

Eu: ja ja ele acorda.

Thamires: tio imagina se a titia aparece e nos pega assim. O q sera q ela ia fazer?

Eu: certamente ela ia me matar… mas pra nossa sorte ela so volta segunda, ate la vamos treoar todo dia.

Thamires: todo dia? Sera q o senhor aguenta?

Eu: Claro… olha como estou?

Apontei para o pau duro de novo, dei outro chupada demorada nela, a bucetinha já estava bem molhada pronta pra receber pica.

Eu: vou meter de uma vez

Thamires: nao tio…vai me machucar

Dei dois tapinhas no rosto dela e segurei o pescoço sem machucar

Eu: quieta que eu sou teu macho agora!

comecei a meter, a cabeça da pica foi enlarguecendo a entrada, ela fazia cara de dor e gemia.

Thamires: tio vai me rasgar!

Tava na metade e ela empurrava meu corpo com as maos, e continuava entrando ate a base do pau chegou na entrada. Ela ofegava.

Eu: falei que entrava… gulosa, coube tudinho.

Dei um tempinho e passei a bombar devagar ela se segurava em mim, cada bombada ela ia relaxando mais e ficando mais lubrificada, alguns minutos ja socava sem dó, virei de ladinho e meti pra entrar mais fundo.

Thamires: continua tio… ta gostoso agora!

Virei ela de quatro e mete mais rapido, segurando nos quadris, tava tapas na bunda que estalavam no ar dei mais algumas estocadas e ejaculei fundo nela.

Dormimos por algumas horas e depois falei que ela tava liberada pra ir na festa. Compramos uma roupa mais jovem, afinal as que ela tinha era muito “comportadas”. Só exigi que fosse uma saia, ela aceitou. Levei ela ate a casa onde ia ocorrer o aniversário e lhe disse q na volta ia querer presente, ela não entendeu.

La pelas 2h fui busca-la, suada de tanto dancar e sabe- la mais o que. Quando chegamos em casa, ja entrei beijando ela, mandei chupar o meu pau q ela o fez. Coloquei a de quatro no sofa, puxei a calcinha de lado, lambuzei o cuzinho del a com lubrificante e enterrei o pau, ela chorou um pouco mas aguentou, soquei sem pena. Ela gemia e apertava o estofado, bombei com violência segurando firme a bundinha dura dela ate que finalmente despeijei tres jatos de leite grosso dentro dela.

Por alguns meses visitei seu quarto algumas vezes para desejar boa noite receber uma gulosa. Infelizmente, Thamires teve de voltar pra casa da mãe no final do ano letivo.

Avalie esse conto:
PéssimoRuimMédioBomExcelente
(Média: 4,61 de 44 votos)

Por # # #
Comente e avalie para incentivar o autor

5 Comentários

Talvez precise aguardar o comentario ser aprovado
Proibido numeros de celular, ofensas e textos repetitivos
  • Responder Helio ID:xgmkrkd22

    É assim mesmo que começa,
    depois não conseguem mais parar de dar…
    Alguma novinha safada a fim…?
    [email protected]

  • Responder Marcos - Ribeirão Preto-S ID:gsv3mj6zm2

    Confessa aí pastor de araque. É caô né?

    • Anonimo ID:fuoofsoijn

      Eu tenho uma prima de 5 anos q, tem altura de uma menina de 8, o irmão dela tem 8 e é da mesma altura, ele tem menos de 5cm de rola, recentemente eles estavam passando o sábados na minha casa, eles estavam na sala sozinhos, fui lá, e vi o garoto sair de sima dela depreça estava com o pau de fora e sua irmã com short abaixado, outro perguntei oq eles estavam fazendo, pediram para n contar, o garoto subiu na irmã e colocou o pau na irmã, o pau dele n tem tamanho de estourar o cabacinho da irmÃ, ela ainda é virgem

      Desculpe a escrita errada

  • Responder Vantuil OB ID:mujqotchir

    Isso não existe. Muito fácil

  • Responder dasilva ID:1dai5li4994

    Essa sim foi uma putinha experiente e levou o aue gostsva e ja queria parabéns delicioso conto ate gozei sem me esforcar muito que maravilha, continue, trm bons e excitsntrs contos melhor que muitas outras coisas