# # #

Presente, um menino de 10 anos

916 palavras | 15 |4.39
Por

Fui visitar uma amiga que faziam no mínimo doze anos que não nos víamos pessoalmente.
Nesse tempo ela casou teve um filho e se separou.
Quando eu cheguei no aeroporto eles foram me buscar, ela e o filho, um menino lindo de dez aninhos, ele era muito educado e muito fofo também.
Logo que chegamos na casa dela ela me perguntou se não teria problema de eu dormir no quarto do Guilherme (filho dela), no quarto havia somente uma cama de casal, eu disse que pra mim não tinha problema e o Gui já gritou feliz “oba o tio vai dormir comigo”, confesso que fiquei meio encabulado mas tudo bem.
Eu havia chegado às 11:30h e depois de instalado fomos almoçar fora, o Gui já estava todo meu, querendo sempre me agradar.
A tarde passou tranquila e eles me levaram para conhecer um pouco da cidade, já eram 19:30h quando estávamos voltando pra casa e no caminho, o o Gui falou, “mãe você tinha razão em falar que o tio Ricardo era muito lindo”, fiquei um pouco envergonhado e falei que ele também era muito lindo.
Chegando em casa Roberta mandou o filho tomar banho e quando ele saiu usava só uma cuequinha branca, durante o banho dele ela me falou que ele era muito delicado e que ela tinha quase certeza que ele era gay, ela sabia que eu era bi, então me disse que se ele quisesse eu poderia ter mais intimidade com ele, eu falei que ele era apenas uma criança, e ela me disse, “nós não iniciamos a nossas vidas sexuais quando éramos crianças? prefiro que seja com você do que alguém que eu não conheça”.
Fui tomar meu banho para depois dormir, o Gui olhou pra mim e disse, “vamos dormir tio Ricardo?”, eu disse vamos e Roberta, disse, “divirtam-se meninos”.
Entramos no quarto e Gui chaveou a porta, e disse, “tio você se importa de eu dormir pelado?” eu falei que não, e então ele tirou a cuequinha e o pauzinho dele estava muito duro, ele perguntou se eu achava ele bonito e eu disse que sim, logo ele veio e sentou no meu colo eu ainda estava com o calção do pijama e ele perguntou, “tio a mãe me falou que o Sr. também gosta de meninos, você poderia ser o meu primeiro homem?” falei que a mãe dele havia me falado que achava que ele era gay e que ela havia me dado o consentimento para transamos, o meu pau já estava endurecendo e ele me pediu para me ver pelado, tirei ele do colo e abaixei meu calção, meu pau já estava durão, pedi para ele deitar na cama, chupei ele todinho e quando cheguei no pauzinho e no saquinho dele ele foi a loucura, gemia baixinho e era sinal que estava gostando e eu também é claro, depois deitei e pedi para ele fazer o mesmo comigo, nossa apesar de não ter experiência ele fez muito bem, pedi para ele virar a bundinha pra mim e aí pude ver seu cuzinho todo cheio de preguinhas, passei o dedo e ele se arrepiou todo, paramos um pouco e coloquei a cabeça dele no meu ombro e perguntei se ele queria mesmo dar o cuzinho pra mim, falei pra ele que iria doer as primeiras vezes, e ele com um carinha de medo disse que sim mas que ele iria aguentar, e ele levantou foi até o roupeiro e voltou com um tubo de KY e falou, “a mamãe comprou pra mim e disse que isso iria ajudar a entrar mais fácil” e disse ótimo então, mandei ele ficar de quatro, comecei a passar e logo coloquei o primeiro dedo e ouvi um Aí, falei pra ele relaxar e disse que iria colocar mais um dedo, e ele disse que doía bastante e eu falei que no início era assim mesmo, fiquei brincando bastante tempo no cuzinho dele até relaxar, falei no ouvido dele que era hora de eu comer ele e coloquei ele de frango assado, não queria perder a carinha dele, besuntei meu pau também, meu pau não é grande tem uns 15 centímetros mas é um pouco grossinho, encostei a cabeça e fui penetrando, quando a cabeça estava toda dentro ele disse que achava que não iria aguentar e eu falei que ele era bem machinho e tinha que aguentar, e fui colocando mais e mais até encostar meu saco na bundinha dele, falei que iria deixar lá dentro um pouco pra ele acostumar, ele dizia que estava doendo muito e eu falei que iria passar, logo comecei a bombar e passado uns três minutos o que era dor eu vi que estava se transformando em prazer, fiquei uns dez minutos trabalhando até que não aguentei e gozei dentro dele, cheguei perto da boca dele e o beijei e perguntei se ele tinha gostado, ele disse que doeu mas gostou, disse pra ele para irmos dormir e que iria fazer o leitinho do cuzinho dele mas que era pra ele não se preocupar e que era para no outro dia a mãe dele ver que ele perdeu o cabacinho no cuzinho.
Aninhei ele no meu braço e dormimos os dois pelados.

⏩ O melhor site de desenhos animados pornô do 🇧🇷, HQs eróticas🔥

Avalie esse conto:
PéssimoRuimMédioBomExcelente
(Média: 4,39 de 56 votos)

Por # # #
Comente e avalie para incentivar o autor

15 Comentários

Talvez precise aguardar o comentario ser aprovado
Proibido numeros de celular, ofensas e textos repetitivos
  • Responder Comedor de cu ID:81rfhywov2o

    Criança tem que levar pau msm

  • Responder Adoro novinhos . ID:81rt8gdv99k

    Que palhaçada é essa a mãe só entrega o filho ou filha, menor, pra alguém comer, se ela for uma drogada, faz isso por dinheiro, de maneira nenhuma uma mãe, vai entregar o Filho para alguém comer por supor que o filho seja gay, nem tesão deu esse conto.

    • Castro ID:bf9xgcdqrdr

      Cara, vc não precisa acreditar ok. Mas vou te contar uma parada que rolou, não comigo, e sim com um colega de trabalho. Ele teve um caso com uma outra colega de trabalho, que tinha um filho de 11a. Ela desconfiava que ele era gay, mas não queria acreditar. Um dia estávamos num bar perto do trampo, e meu colega estava meio pra baixo. Perguntei o que estava pegando. Ele me chamou de canto, e contou uma parada que me deixou estupefato. A colega que ele tinha uma caso, pediu a ele um favor, mas daqueles pra guardar pra sempre, se o fizesse. Ela contou da desconfiança, e como o menino era super apegado, e só falava dele em casa, ela queria que ele “cantasse” o menino, afim de saber se ele era gay ou não. E no caso de ser, se o menino quisesse algo com ele, estava liberado, desde que não fizesse nada forçado. Pediu que ele fosse cuidadoso, pq talvez o guri fosse “virgem” ainda. E mais, ela preferia que fosse com ele, do que correr risco do filho se envolver com alguém que o machucasse.
      E então o que vc me diz disso ?
      Enfim, ele não aceitou, e pelo que soubemos, ela arrumou um que topou, torou o rabinho do menino, e metia com os dois, mãe e filho.
      E então, diz aí, acha impossível ?

  • Responder Erick AM ID:8d5xleab0d3

    A mãe dele deu ele de presente né? Eu não entendi quase nada.

  • Responder Daniel ID:wc3szwhmn

    Tbem acho….Nao deu nem tesão pelo absurdo da escrita.

  • Responder Athila Mesquita ID:44odpuz020br

    GOSTARIA QUE ESCREVESSE A PARTE DOIS DA HISTÓRIA

  • Responder Hernando ID:469cqk9rb0am

    Qlqr coisa estou no telegram como @liketee

  • Responder Hernando ID:469cqk9rb0am

    Os tempos estão modernos, mas nem tanto. Alguns meninos estão bem mais a vontade em se assumir gay, é verdade. Mas o aparato de vigilância por parte dos pais (principalmente mãe) aumentou e a polícia está babando atrás de pedófilos.

    • Lucas ID:40vpqk9shrc4

      Conto horrível, com pedofilia consensual pqp.

  • Responder Vantuil OB ID:mujqotchir

    Isso é o mesmo que chegar no açougue, pedir guizado e o açougueiro te dá filé mignon

  • Responder luiz ID:dlns5khrkn

    Legal quando a familia apoia o menino tudo é mais facil de ser resolvido, aproveita alua de mel

  • Responder VinnyBR ID:41ii0ywozri5

    Não foi ruim, porém rápido!

  • Responder Anônimo ID:funxuw0d22

    Continua, escreve im conto mais longe. Mais bem elaborado e detalhado que vai ficar ótimo.

  • Responder Linhares ID:on9190loijk

    Q conto merda!

    • Dre ID:1wm27540i

      Concordo, bem doente mental. Deu nem tesão pelo absurdo da escrita.