# #

Niver do Beto Festinha surpresa virou Festão, foi boa mesmoooo

4641 palavras | 11 |4.00
Por

Fui buscar o relógio que tinha comprado pro Beto, dourado, lindo, o dele já estava véinho, eu tava feliz, muito feliz, sabadão chegou, um dia lindo, gostoso, logo que acordei entreguei meu presente pro Beto, não falei nada mas não queria entregar na frente do meu Pai, a noite tinha sido tranquila, dormimos feito anjos, nada de sexo, pow lek, meu menino bom, tava louco por um relógio dourado, mas dindin nunca sobrava, tu nem relógio tem pow, vai gastar teu dinheirinho suado com esse traste aqui, eu gosto desse traste falei.
Sábado pra eles, Beto e os outros, até meio dia, era um dia normal, umas dez hs fui lá na oficina, levei café e uns sanduíches pra eles, Beto tava orgulhoso com o novo relógio no pulso, quando eu estava saíndo, ele tirou o relógio antigo de pulseira preta do bolso, pôs no meu pulso, é teu agora, fica sendo nossa aliança bebê, já já saio, a tarde é nossa até umas 4 hs, vou te pegar como nunca te peguei antes bebê, sem mimimi, quero chegar na tua mãe, satisfeito, feliz, ê Beto falei, meu Pai tá em casa, esqueceu? É por isso mesmo bebê, hj ele vai saber que teu homem sou Eu, em alto e bom som, à noite quero ver ódio nos olhos dele, tu vai mostrar hj que teu Nego sou eu, mesmo que tu não queira, não vai me contrariar, nao vou admitir bebê.
Manhã correu tranquila, oficina fechou, em casa só estava, eu, Beto, Luciano e meu Pai, a rapaziada sabia que a tardinha ou a noite estaria tudo lá na minha mãe, almoçaram, Beto foi pro quarto, fez sinal pra mim ir junto, Luciano e meu pai na sala vendo tv, tomou um banho rápido meu Nego, de cueca se jogou na cama encostando a porta, dentro da cueca a piroca já pulsando, duraaaaa, como sempre, minha mão foi colocada lá, gostava de me ver vermelho de vergonha o danado, meu menino bom que tem muita coisa pra aprender na vida disse, vou te comer agora como se come um adulto, nós já se conhece na cama e muito bem, tu não tem motivo mais pra ficar com mimimi comigo, começou a me alisar, morto de vergonha falei, Assis e meu Pai tão ae Beto, Assis é parceiro, irmão, camarada, sabe que nós tá fazendo, se bobear ele já tá é na rua ou lá no portão e se não se incomodar vai ficar quieto vendo tv, não me incomoda em nada e tb não deve incomodar tu lek, vai acostumando, ele tb mora aqui, tá bom falei mas meu Pai, nem terminei a frase, calmo mas com firmeza ele continuou, teu Pai que se exploda bebê, pra mim não diz nada o verme e a partir de agora não vai dizer nada pra tu tb, deixa pra amanhã Beto eu disse, amanhã é o caraio lek, acabou essa história, abaixou a cueca, a coisa linda dura como pedra pulou pra cima, sabe o que é isso aqui lek, tesão, quero e vou te comer agora, pode gemer, gritar, quero que o escroto escute tudo, essa porra tem que me olhar com cara de ódio hj, e vai, veio subindo em mim, não Beto, tou com vergonha disse, vergonha é ele que tinha que ter, piroca durassa tou, eu posso, ele que não devia ficar assim quando olha pra tu, não sou teu pai bebê, ele é, se tu não entendeu o que tou te falando por bem, vai entender por mal, começou a me lamber, chupar minhas costas, foi descendo até lá e não tinha suavidade não, tava feroz meu Beto, me deixou bem molhadinho lá e colocou a tora na portinha enfiando tudo numa estocada só, a dor foi demais mas não dei um pio, grita, geme que eu sei que tá doendo bebê disse no meu ouvido, se ficar quieto, vai sofrer na minha mão agora, não paga pra ver, aí Beto não, por favor não eu disse, não adiantou, ele ia mostrar pro meu Pai que ele tava no comando agora, a dor aumentava, eu mordia o travesseiro já chorando, posso ficar aqui até de noite te castigando bebê mas posso voltar a ser teu doce Beto, é tu que vai escolher, começou a tirar tudo, enfiar de novo fortemente e gemendo alto o danado, tava me esfolando vivo, num guento assim não Beto falei, então geme, geme alto, grita que eu paro, a tua dor nem começou ainda, continuei quieto, ele não se abalou, saiu de dentro de mim, me ajoelhou na cama, por trás socou com força a coisa toda dentro de mim, ae eu gritei, não teve jeito, continuou me segurando, enfiando e tirando repetidamente ae obedeci, gemi, gritei, ele gemendo alto junto, soltou a primeira leva de leite dentro de mim, eu caí na cama chorando, sem choro bebê, foi pro teu bem, o safado agora vai se convencer que tu não é dele, não é cachorro vc pra ter Dono, mas se tiver, Dono teu sou Eu, ele que se atreva a pôr as mãos de novo no meu bebê, enxugou minhas lágrimas com a mão, não quero te ter chorando meu bom menino, que fizemos é coisa normal, aos poucos tu vai acostumar e vai gostar, prometo.
Me virou de frente e começou de novo a me mordiscar os mamilos, ser meu doce e amado Beto de novo, tu gosta assim bebê, mas do outro jeito tb vai achar bom com o tempo, prometo que vai, eu já tava molinho ae quando enfiou a língua na minha boca eu já tava entregue, ele tava certo, não podia com ele, tinha e iria agradar aquele belo homem, sempreeeeeeee, me virou de novo e ae foi penetrando no que era seu, suave, feroz, ia se revesando dentro de mim sem meios termos e eu tava gostando, fui me entregando a meu Beto, todinho deleeeee, quando gozou de novo, foi aquele gozo de desmaio, feliz, satisfeito de ter feito seu bebê satisfazê-lo por completo, do jeito que ele queria, eu tb tava Feliz, por mim e por Ele.
Fomos pra minha Mãe à tardinha, como todo sábado aliás, mas esse era especial, ia ter festa surpresa, que foi surpresa mesmo até pra mim, chegamos, a casa tava cheia de balões do Palmeiras, time do Beto, obra dos meus irmãos, com certeza, Beto gostou lógico, tu é foda mlk me disse, dessas bolas ae nem eu sabia Nego, respondi. Foda foi minha mãe que mandou foi fazer um bolo gigante, pra desgraça do meu Pai, ela adorava o safado e sabia que era o primeiro bolo da vida dele em seus 28 anos, tinha doces, tinha tortas, no fogão de lenha no quintal pra quem gostava, um caldeirão de carneiro já estava a ferver, eu não gostava dessas coisas não rs mas é bom quando as coisas que a gente faz dá certo né, Beto tava feliz e até envergonhado de tanto carinho acho, mal sabia Ele que os camaradas dele logo estariam ali também. Meu véio pra variar foi lá pro Compadre por os papos em dia e mostrar o nariz que graças à Deus já tinha perdido o arroxeado, tava bem melhor.
Primeiros a chegar foram meu tio, tia e primas, vinham todo fim de semana mesmo, chegaram mais cedo pra ajudar na farra, danado do Beto já era enturmado com quase toda a família.
Foi escurecendo, bolo bem escondido dentro de casa, chegou a turma do Beto, Claudionor, Preá, Aroeira, Luciano já estava com nós claro, já era da casa, Beto não gostou de eu ter chamado eles não, achou que tava abusando da boa vontade da minha mãe, relaxa falei, quem manda aqui hj sou Eu, tá abusado bebê, amanhã lá em casa te mostro quem manda na bagaça falou rindo, era bom ver meu Beto assim, Felizzzzzzz, mal sabia ele que Miguel tb ia vir, eu rezando pra minha mãe gostar daquele sem vergonha que eu já adorava, Luciano lá na rua estava com meu irmão fazendo a alegria das mocinhas, danado tava lindo todo arrumado, só perdia em blz pro Beto lógico, era bom ver Luciano rindo, o esquisito no olhar suavizava, ficava mais lindão ainda.
Meu Pai veio do Compadre, infelizmente com o tal Juvenal que calafrios me dava, nem tudo era perfeito, mas trouxeram uma caixa de cerveja, presente do Compadre pro artilheiro falou meu Pai, Beto e Luciano já tinham notado a aversão ou medo que eu tinha do Juvenal, várias vezes já tinham me perguntado pq eu sempre queria ficar longe dele, eu disfarçava lógico, não podia nem queria falar o por que, no próximo sábado tinha pescaria, ia rezar a semana toda pra ele não ir.
As conversas foram ficando animadas, cervejas rolando, batidas tb, minha tia lá temperando o carneiro, um cheiro de Natal invadia a casa, Beto me disse num canto baixinho, até carneiro meu bebê, tou me sentindo rico aqui, obrigado, agradece minha mãe falei, isso é coisa dela, Luciano entrou, me falou, se prepara lek, tu sabe que eu tb nunca tive bolo, sai pra lá invejoso Beto respondeu rindo, uma hora Assis te conta o dia que me conheceu lek, Assis é foda, meu tio vinha passando com um monte de madeira nos ombros fortes, vai ter fogueira, hj é São João cantando, as comidas começaram a vir pra mesona do quintal, muita comida como sempre, eita exagero Beto falou, e Luciano rebateu, pra quem já passou fome como eu Beto, toda casa devia ser assim, Beto abraçou ele, tb já passei camarada e muita, só não gosto de lembrar, ae voltou a ser o Beto risonho de sempre, bora povo, comer e beber até o dia amanhecer gritou rindo, Beto sabia por flor na dor, Luciano tb ia aprender, ali na minha casa, ninguém nunca teve vida fácil mas aprenderam, pq esse Gigante Lindo não ia né.
Carneiro começou a rolar nos pratos, uns dentro da cozinha, maioria no terreiro mesmo, era pimenta, farofa, minha véia não tinha preguiça de cozinhar não, Aroeira já alto gritou, ô festa boa, pena que temos que ir embora no último ônibus, onze e meia, mei tio sempre animado gritou no outro canto, eita, tá pensando que minha Mana é pobre é, Natal aqui dorme cem pessoas, só vai embora quem quer, ae o povo se animou maís ainda, bora buscar mais cerva Beto falou, tu num tava duro de dia Luciano disse, tu acha que o artilheiro do time tem crédito não aqui é abestado, goleirao tb tem, bora que uma caixa é .minha, Juvenal e meu tio completaram, bora pro Compadre, cada um traz uma, vi que a farra ia continuar Domingo afora, pra completar só faltava Miguel chegar, queria que ele viesse.
Beto encostou em mim, bora lã lek com nós, vou não falei, vai sim respondeu, esquece esse medo do Juvenal, tu tá com dez segurança aqui hj e pra esse ae basta Eu, boraaaaaaa, fomos, lógico que tomaram uma meia dúzia de garrafas lá no bar mesmo, Juvenal me olhando sempre com olhar de cobra, ele sabe que eu sei pensei, meu Pai deve ter contado, Luciano percebeu, pôs a mão no meu ombro, relaxa menino bom, hj não, não vou estragar nossa festa, amanhã ele explica no jogo pq te olha desse jeito, já vi olho assim na vida, quer te pôr medo, não vou deixar, prometo.
Voltamos com uma meia dúzia de caixas de garrafas de cerveja, cada um trazia uma caixa, umas três, quatro casas antes da minha, já se ouvia as gargalhadas, Miguel como sempre, já havia chegado e tava é enturmado com todo mundo, ah mulato danado, Beto entrou, cabra safado, quem te chamou aqui gritou, oxi, sou convidado de honra Miguel respondeu no grito tb, ah mlk danado tu, disse pra mim, quando saiu ontem com o Assis foi pra isso né, foi oras, respondi, deixa que amanhã te cato na cinta danado disse rindo pra mim, numa mesa separada no quintal, já tava o bolo com os docinhos do lado, verde e branco todo, o símbolo do Palmeiras cobria o bolo todo em cima, Beto com os olhos marejados falou alto, alguém tá querendo que eu chore hj mas me seguro, sou Machooooo, pra descontrair entrou Miguel, ô xibungo, tu virou homem quando? caiu o povo na risada, farra seguiu animada, minha mãe e Miguel conversavam como se fossem amigos há anos, meu Pai já chamando ele pra jogar no time de manhã, fiquei feliz.
Peguei um pedação de carneiro no caldeirão, fui fazer um prato pro Miguel e meu Pai, tava desfiando o do meu véio, Beto entrou na cozinha, prá quem é bebê, Miguel e meu Pai disse, traz pra mim e Miguel, tua mãe tá ae e teu pai num é aleijado, mamata dele contigo acabou hj, depois volta e faz o teu, não te vi comer nada ainda, como isso não Nego disse, não comia, hj vai comer, tou feliz, quero ver tua mãe feliz também, ela só te vê fim de semana, dá essa alegria pra ela e pro teu Nego e saiu.
Levei os pratos, Miguel já foi falando, hj estouro de tanto comer, come muito não meu tio gritou, já já saí o churrasco, as brasas da fogueira já tavão indo pra churrasqueira ao lado, Aroeira já meio tonto falou, nunca imaginei que um dia em SP fosse ver tanta comida, comida Sr vai ver é.no almoço, sobrinha vai fazer lasanha, leitão a pururuca é comigo, eitia que nós morre dessa vez Aroeira, lá na casinha nós passa é bem também, o lek nao tem preguiça de cozinhar não, Luciano emendou
Teu Mano lek? disse Luciano.
, ,Beto respondeu, tá no quartel, sai às sete, vem cedo pro jogo.
Churrasco começou a sair, vai fazer teu prato lek, se eu fizer tu vai comer carneiro e churras junto Beto disse e levantou da mesa, tou indo já falei, demorou, eu faço, isso Beto falou minha mãe, esse menino só quer comer besteira, deixe comigo, ponho ele na linha, Sra vai ver. Voltou com um pratão de farofa, carneiro, ainda jogou linguiça do churrasco em cima, pelo menos linguiça eu gostava, mas prá engolir o carneiro Aiai, foi na marra mesmooooo, hora de cortar o bolo, criançada já já vai dormir chamou minha Mãe, Compadre ia chegando com quem fez o bolo, pronto, bar fechado, madrugada é nossa agora.
Cantamos o Parabéns, o Machão nao queria, segurou, segurou mas as águas rolaram, tu me paga lek malvado, tu vai ver, Miguel entrou na conversa lógico, ah Oliveira, deixe de ser besta, quando eu casei chorei maís que tu agora, de arrependimento, ae descontraiu o Beto, deu o primeiro pedaço pra minha Mãe, o segundo pra mim, entregou falando, tu me paga menino ruim, nunca tinha visto Beto chorando, quanto mais chorava, mais lindo ficava meu Doce Beto, foi lá pro fundo da casa depois, de longe nós víamos ele no.muro, era um soluço alto, Luciano fez menção de ir lá, Miguel segurou ele no braço, vá não Assis, deixe Ele, vai saber quantos anos esse choro tá pra sair, tá lavando a alma dele, já já ele volta novo tu vai ver, Luciano olhou pra mim, é o girassol no olho que tu carrega menino bom, que faz isso com a gente, ninguém entendeu nada mas nós dois sabíamos, bastava.
Meu Doce Beto, lavou o rosto no tanque de roupas mesmo e voltou pra nós, não falou nada, nem precisava, tava novo de novo, mais leve com certeza, Miguel encheu os copos, o olho do Beto pra mim dizia, obrigado meu bebê, obrigado, farra continuou, minha tia, irmãos e primas foram dormir, era colchão, rede lá dentro prá quem quisesse dormir, eu que não ia, nunca vi um Homem tão bonito quanto Beto estava nesse dia, parecia um Anjo que veio dar uma volta na terra meu Doce Beto, não vai dar bolo pro pai falei pra minha Mãe, ele quer só no café de manhã filho.
Entrei na sala onde dormia eu, Luciano e Beto, peguei dois schorts prá eles, os chinelos, entreguei pros dois, tá na hora de ficar à vontade vcs, se trocaram na cozinha mesmo e as conversas e as cachaças continuaram, um papo animado todo mundo e eu gostava de ficar ali com eles só ouvindo, vai dormir Mãe, deixa comigo que eu vou ajeitando tudo aqui, já vi lá dentro os lugares pra todo mundo dormir depois, se é que vão e ri, Compadre, Comadre, Juvenal já tinham ido embora, meu Pai já tava deitado também, ficou Eu, a rapaziada e meu Tio só no quintal, meu tio só na churrasqueira, ia picando as carnes e trazendo pro povo ir beliscando, me lembre das batatas doce depois hen, pro povo no café de manhã, esqueço não Tio falei, Beto veio sentar do meu lado, agora dum lado tava Luciano, do outro Beto, tava bem guardado, tá cansado não Lek, vá dormir, nós se vira Beto falou, tou não, fico aqui com vcs, tu é foda lek Luciano disse, tu tá cansado sim, só ficou aqui pra tua mãe ir descansar né, foi respondi, amanhã descanso, se eu deixar Beto disse, já tava com carinha de safado de novo, meu Tio entrou tb pra deitar, depois ponho as batatas tio falei, Miguel e Aroeira já tavam com sono, ajeitei eles lá dentro, ficamos em cinco acordados, Beto não quis ir pra cama, meu primeiro aniversário, vou dormir é o caraio, Luciano só dormia quando deitava os três mesmo, falei pro Beto, hj não tem gol, vai tá morto, te mostro o morto ressuscitar lek e riu, depois Preá e Claudionor tavam fechando os olhinhos também, levei eles pras caminhas no chão da sala, a tua cama Beto e os sofás tão livres quando quiserem, quer ir vá Assis Beto disse, eu só vou quando o lek for, vou não Luciano respondeu, vamos bebericar cerveja até o sol nascer, ficamos ali, eles bebendo, eu vendo aqueles dois lindos, cortava umas carninhas pra eles de vez em quando, ajeitei as batatas na fogueira, de manhã estariam no ponto, farra tava é boa né Assis Beto falou, tava não, está, é esse bebê atentado que Deus mandou pra cuidar de nós que faz as coisas dar certo, tá merecendo umas boas palmadas mas só pq me fez chorar meu bebê, tava olhando pra mim tão puro, nem parecia aquele Homem atentado na cama o safado.
Dia ia amanhecendo, fiz um caldeirão de café, quando o povo levantasse já tava pronto, pelo jeito depois do jogo a farra continua Beto falou, mas depois do jogo vcs dormem um pouco eu disse, quem dorme com Miguel em casa Luciano disse rindo, bicho é atentado, traz café pra nós bebê, chega de cerveja por enquanto, querem bolo ou outra coisa perguntei, Luciano disse não, Beto safado falou, se tivesse só nós dois aqui, tu ia ver só o que eu ia comer, Luciano emendou, vou dar uma prensa no Juvenal hj Beto, não sei pq mas ele gosta de por medo no nosso menino, coisa boa não é, eu sei disse o Beto, num é de hoje, meu bebê sabe pq, tenho certeza mas não quer contar, se eu tivesse coragem bebê, te dava uma surra, tu ia contar tudo e maís alguma coisa, não falava não Beto, nao tem nada pra falar, tu não sabe mentir, vejo no teu olho que tem e é muita coisa bebê, tem coragem Assis, de tirar a verdade de dentro dele, nesse mlk tu nunca vai achar ninguém pra machucar ele a não ser o Pai, Deus não deixa Assis, sem problema, vou tirar de dentro do Juvenal, já tou vendo o nariz dele no meu caminho, hj o lek vai ficar no campo com nós, ele que se atreva a assustar meu menino de novo.
Fiquei pensando depois no que o Beto falou pro Assis, não falei nada, mas fiquei triste, muito triste, mas não ia estragar o dia dele, nem o meu, a tristeza foi embora rapidinho.
Futebol de manhã tava correndo, mesmo com a ressaca braba, Beto e Luciano tavam lá na luta, eu tava chateado ou cansado sei lá, fiquei acocorado perto da trave vendo as defesas do Luciano e papeando com Ele quando a bola tava longe e bem longe do Juvenal claro, tava lá a coisa, o filho e o netinho dele, filho dele era todo diferente do Pai, rapaz sossegadão mesmo mas mesmo assim eu quis ficar bem longe
Logo atrás da trave, uns 30 metros depois ficava o velho Estábulo, há muito tempo não ia ali, deu vontade de rever nem sei pq, fui lá, me pareceu tão diferente, as madeiras já apodrecendo, parecia que eu havia estado ali há muito, muito tempo, fiquei mais chateado ainda, fui andar um pouco lá pro fundo, no mato, sentei num tronco de árvore, peguei um graveto, tava fazendo tipo uns desenhos na terra, do nada vi a sombra de pernas bem na minha frente, me assustei, não tinha ouvido barulho nenhum, era meu Pai, se tava chateado, agora ia ficar é triste mesmo. Levantei os olhos, ele com a Jeba enorme e dura dentro da calça quase na altura da minha cabeça, abaixei a cabeça e fiquei calado, olha pro teu pai disse, olhei, ele com a mão nas partes disse, veio aqui pra matar a saudade do Papai né, não pai, só quis andar um pouco e abaixei a cabeça de novo, pegou no meu queixo, levantou meu rosto, olha pra mim quando eu tiver falando safado, pro teu bem olha falou, olhei, olhar dele tava calmo, o nariz quebrado dava um ar nele de cowboy de filme de faroeste, tava feio não meu véio, eu só queria voltar lá pra perto do Luciano mas não tinha coragem de levantar e ir, continuou falando, mlk, errei contigo, pra teu azar vc errou muito mais comigo, vai pagar óbvio mas não tenho raiva nenhuma de ti não meu bezerrinho, vamos lá pro campo, já já é o intervalo pro segundo tempo mas grava na mente, teu Proprietário sou Eu, só Eu, desde o começo era pra ser tu e Eu, Deus queria assim mas vc escolheu o caminho errado, Oliveira é bom artilheiro, joga bola bem mas não tira tu da minha posse não, fora do campo quem vence a parada sou Eu, tu sabe disso, tu precisa de Homem e sei que sente falta disso, enfiou a mão nas partes e botou na minha cara, depois da Bahia lek, vc vai tar diferente, vai ser tudo diferente, vai definitivamente a saber respeitar teu Pai, teu Dono, vai ser feminha de verdade, se virou, foi pro campo, eu segui um pouco mais atrás, fiquei lá perto do Luciano, acabou o primeiro tempo em seguida, Luciano foi lá pro meio dos jogadores tomar água, fiquei lá sozinho mesmo, Beto veio até mim, tá triste ou cansado bebê, carinha não tá boa, do campo vi tu indo lá pro fundo, depois teu pai foi atrás, te falou besteira o verme é perguntou, não respondi, tou cansado acho, blz, vamos embora logo depois do almoço hj, de tarde nós descansa, se quiser vamos ao cinema depois na sessão das oito, faz tempo não te levo, meu Pai não vai querer ir embora cedo não falei, ele fica uai, nós vamos, tu tá precisando descansar, Assis e eu também, ele quer ir pro baile hj também, se eu guentar vou com Ele, depois que teu pai sair pro trampo, tá bom respondi, bora lá pro meio do povo bebê, nao te trouxe pro jogo pra tu ficar aqui sozinho não, jogo recomeçou, Beto conseguiu fazer um gol, único da partida, o time do meu Pai ganhou, fomos de volta pra casa, hora de almoço, comida sei que ia tar é boa mas fome, eu tava sem nenhuma, queria mesmo era banho e cama, povo tomou banho, foram comer, Beto falou pra minha Mãe, hj vamos fazer igual cachorro, comer e ir embora, tamo tudo morto, vamos descansar lá em casa, meu Pai emendou, eu e meu lek vamos no horário de sempre a tardinha, não disse Beto, ele vai comigo e com a turma, vai no cinema a noite, tem que descansar o lek também e começaram a lambança nas comidas, faz teu prato lek ou quer que eu vá fazer me disse, deixa Beto, vou comer lá em casa hj, levo pronto daqui tudo respondi, blz lek, pode ter certeza que vai comer, prometi pra tua mãe que dessa parte cuido Eu disse o danado, isso mesmo Beto falou minha mãe, arrumamos tudo pra ir embora, minha mãe e minha tia encheram um monte de potão de comida pra gente levar, tinha cerveja de monte, lá se foi uma caixa também pra casa..
Lá fomos nós, Claudionor e a turma desceram no ponto deles do ônibus, o nosso era quatro pontos depois, chegamos tudo carregado de coisa, minha mão até doía do peso, Luciano mal entrou falou, vou comer mais um pouco e desmaiar, fiquei com vergonha de repetir o pratão lá, Beto riu, aproveita e faz o do lek então, eu disse, por favor Beto agora não, de noite eu como, lá lá lá lá lá rapaz, vai comer agora e a noite também, Luciano respondeu, mlk triste nunca quer comer, vou alegrar ele, pegou meu pé no sofá e começou a fazer cosquinha, eu gritei, eu comoooooooo, deu fome agora, Beto emendou, ah, se fudeu bebê, descobri o segredo, tá lascado, caiu na gargalhada, comi mas só Deus sabia como eu tava por dentro, Assis foi pra cama dele, tem cinema às oito goleirão, se quiser ir, caraio, vou dormir até a hora do baile Luciano respondeu e se jogou na cama, falou com o Juvenal Beto gritou da cozinha, não, filho colado nele o jogo inteiro Luciano respondeu, sábado na pescaria nós prensa Ele, o lek não vai, fica com a mãe dele, tá carente dele, me disse umas dez vezes a véia hj, Beto olhou pra mim, entendeu disse, entendi mas queria ir, queria lek, queria mas não vai.
Fomos tudo dormir, eu dormi feito Anjo, acordei já tava escurecendo, cinema tava é baum, Beto me agradecia toda hora pela festa mas minha madrugada ia ser triste, tenebrosa mesmooooo.

Avalie esse conto:
PéssimoRuimMédioBomExcelente
(Média: 4,00 de 13 votos)

Por # #
Comente e avalie para incentivar o autor

11 Comentários

Talvez precise aguardar o comentario ser aprovado
Proibido numeros de celular, ofensas e textos repetitivos
  • Responder Jardel ID:830y6fs7qio

    O Beto é igual ao pai..gosta de manda muito..o moleque deve encontrar alguém que lhe dei carinho . amor

  • Responder Deere ID:xlorij8l6

    Né veado,espalhando o bicho da goiaba pras mariconas que cruzam teu caminho não é(não que eu me importe),mas vai saber se esses veados já não estão contaminados,já que vocês todos estão!
    Eu sou John Deere,Matador de Veados…cuidado veado!

    • John Deere Mamador de mac ID:g62lcerm49

      Baitola

  • Responder wayne ID:dlntwke8lr

    esta na hora do pai deli sofre mais o pai tem que domar ourtra sura do lusiano e o luc
    iano tem que ficar com lek os tres tem que ficar juntos beto e lusiano

  • Responder No Errado ID:40voza5bb0j2

    Coisa horrível esse negócio de capar o lek. Por mim, matava logo Juvenal e o Pai do mlk. Faz logo um triângulo amoroso e deixa o Assis comer o lek

  • Responder Fernando ID:g61z12izl3

    O conto com o Beto está chato! Ele quer muita atenção e se acha de mais, tem que tirar rápido este personagem!!!!!!

  • Responder luiz ID:dlns5khrkn

    acho que Marcus perdeu a mao nesse conto nao teve graça, o muleque sem a rola do pai, é sem graça, ele tem que ser putinha dar para o pai, Juvenal, Beto poderia deixar Assis comer o muleque tambem e tem o safado que quer comer todo mundo , solta essa putinha deixa ele cumprir o destino dele. poderia formar 2 grupos de comedores do moleque o de Beto e o do pai dele

  • Responder Branquinho ID:8d5i4ilv9br

    Ele deveria ser um pouco mais putinho também, tem muitos caras que ele poderia dar! Esse conto me lembra muito eu quando criança, adorava dar pra vários caras que eu conhecia, mas o melhor foi o meu padrasto ele carrancudo e machão igual o pai do Lek aí, mas na hora do sexto era um sexto carinhoso e forte, bruto mas nao demais! Eu amava!

  • Responder Branquinho ID:8d5i4ilv9br

    Sinto muito tesâo no pai dele, acho q ele deveria sentir falta do pau dele, até pq ele gostava, mas ao mesmo tempo não gosto dessa maldade do pai, deveria ser só o sexto mesmo, bom e forte.

  • Responder Kimchan ID:3ynzegwchrb2

    Mata o pai do menino,o beto merece ele demais!

  • Responder Derson ID:xlpkck0ki

    Por favor não matem o Beto e luciano, eles poderiam ter um triângulo amoroso com o lek, o pai dele e Juvenal que deveriam morrer.