# # #

Estupradas pelo pai e adotadas por mim (1 de 2)

3244 palavras | 8 |4.84
Por

Minhas enteadas foram abusadas pelo pai e ficaram viciadas em sexo. Agora resta a mim cuidar do tesão de Liandra e Lohanne de 8 e 11 anos

As duas partes desse conto já estão disponivel
Acesse /autor/familia_incesto e leia esse e outros contos

Ola caros leitores, meu nome é Antônio, contarei um pouco de minha experiencia com minhas enteadas, são Flavinha, Liandra de 8 anos e Lohanne com recém completados 11 anos. Sou casado com Lucia, uma mulher alguns anos mais velho que eu, tem 35. Estamos juntos a 4 anos, ela me ajuda muito em casa, não podia querer uma mulher melhor.
Sou gerente de um posto de combustível grande de minha cidade, tenho alguns esquemas pra desviar um pouco desse líquido precioso, consigo tirar uma boa grana final do mês, e por isso me dou alguns luxo, apesar de minha idade relativamente baixa, tenho 31 anos, sempre gostei de mulheres mais velhas e quando estava enjoada de Lucia, eu ia para algum puteiro com os amigos. Ela já tinha visto mensagens falando sobre isso várias vezes, mas parecia não se importar, afinal, eu proporcionava pra ela uma vida com muitos recursos. Nossa casa era grande, tinha dois andares, uma suíte e outro quarto que deixei separado para quando as filhas delas fossem dormir em casa, eu tratava as meninas como se fossem minhas filhas, nos dávamos muito bem, adorava as crianças. Nunca tinha pensado em nata sexual com elas, as vezes elas sentavam em meu colo, e eu ficava fazendo elas pularem, mas tudo era na inocência mesma. A única que não se dava bem comigo era a Flavinha, era muito difícil e muito apegada ao pai e aos avós maternos. Descobri que o pai dela falava coisas ruins sobre mim para todas elas, mas as meninas Loranne e Liandra não ligavam, pois sabiam que eu as trava super bem, e as meninas adoravam os presentes que dava pra elas.
Tudo ia bem, as meninas estavam na casa do pai, era quarta feira pela tarde, ainda estava no trabalho quando recebo uma ligação de minha esposa, ela estava chorando muito e não conseguia falar por telefone, pensei em todos os problemas que poderiam ter acontecido e fui correndo pra casa, dirigi como um louco. Assim que cheguei, encontrei minha esposa saindo pelo portão, chamei ela, e ela entrou no meu carro. Lucia estava no estava desesperado e apenas disse pra irmos pra casa de Fábio (Seu ex marido). Quando chegamos no local, havia várias viaturas da polícia, um rapaz sai da casa carregando todos os eletrônicos, celular, CPU, notebook… Uma policial trouxe as meninas até nós, Lucia abraçou elas muito forte, estava chorando muito, mas as crianças só pareciam estar assustadas com o que viam. Fui falar com um policial sobre o que estava acontecendo, ele foi bem claro. Fábia estava abusando das filhas a anos, não só isso, mas ele estava vendendo conteúdo das filhas por rede social, uma dessas rede era o whatsapp. Fiquei em choque, um sentimento de surpresa me bateu, jamais podia imaginar uma coisa dessa, as meninas sempre falavam bem de Fábio, eram loucas pelo pai. O policia informou ainda que era a mãe quem tinha denunciado o caso.
Voltei pro carro e Lucia pediu para sairmos dali imediatamente, assim fiz, mas antes que pudesse me afastar o suficiente, Fábio saiu algemado da casa, as meninas olharam pelo vidro de trás do carro. Foi então que as meninas se desesperaram, começaram a perguntar para onde estavam levando seu pai, Lucia respondeu falando que ele não era o pai delas, que ele era um monstro e que jamais voltariam a ver as meninas. Foi a gota d’água, as meninas começaram a gritar e pedir pelo Fábio. Eu não quis interferir e por isso fiquei calado, ainda estava chocado com tudo aquilo.
Assim que chegamos a mãe de Lúcia estava nos aguardando em casa, Lúcia não falou nada e nem com ninguém, estava se sentindo culpada por tudo, foi direto para nosso quarto e se jogou na cama, fiquei com minha sogra, ainda estávamos traumatizado com aquilo e tentamos distrair as meninas. A noite foi chegando, pedi pizza pois estávamos todos com fome, mas a única que não quis foi minha mulher.
Falei que iria deixar minha sogra até sua casa, mas Ana Flávia não queria ficar sem sua avó, e começou a chorar quando viu a velha ir embora. Minha sogra sugeriu passar alguns dias com Flavinha, pois seria melhor pra ela esquecer tudo, como a mãe delas não tava em condição de decidir nada, eu mesmo autorizei ela a levar, fui até ao quarto das meninas, tinha poucas peças de roupa, peguei tudo de Flavinha e dei pra minha sogra levar, fui deixar as duas na casa da velha, me despedir de minha sogra e voltei pra casa.
Lohanne e Liandra assistiam netflix na sala, subi pra tentar conversar com Lucia, mas ela tinha caído no sono, achei melhor ela dormir mesmo, cobri ela com um cobertor e quando fui puxar, o celular dela cai no chão, nós não éramos de ficar vendo o celular um do outro, então nossos aparelhos não tinham senha, pensei duas vezes, mas liguei o aparelho, fui na gana da galeria mas não tinha nada la, então procurei no seu whatsapp e tinha várias mensagens de pessoas solidária, fui descendo e achei uma conversa com uma de suas amigas o horário era de pouco antes dela me ligar, fui lendo e elas estavam falando sobre isso, em um dos áudios minha esposa falava que tinha instalado o aplicativo mas não sabia que ia encontrar isso, fui até os aplicativos instalados recentemente e havia um instalado a pouco mais de um mês, era um desses que clona o whatsapp, abrir e por sorte ainda estava habilitado, logo o primeiro grupo era justamente sobre isso, o nome era as 3 marias, e a foto era dele com as meninas, aparentemente em uma piscina. Comecei a ler as mensagens e vi as negociações, ele dizia que tinha vídeos e imagens, tinha muitos fazendo proposta pra conhecer as meninas mas ele não queria, procurei e até que achei um disposto a pagar, abrir o PV com esse cara, e lá estavam a negociação, custava cerca de 1000 reais o kit mediano, foi justamente oque o rapaz comprou, ele dava um link, peguei meu celular e escrevi esse link letra por letra, deixei o celular da minha esposa e fui sai do quarto.
Quando voltei, as meninas tinham dormido no sofá, achei por bem carregar elas até seu quarto, mas resolvi por bem botar elas em minha cama, dormindo ao lado de sua mãe, botei uma de cada lado. Fui até o quarto das meninas e fui acessar o link, tomei um susto quando vi, tinha dezenas de imagens eróticas com as meninas, algumas elas apareciam só de calcinha em lugares públicos, Lohanne era a mais frequente nas imagens, procurei pelos vídeos e no fim tinha 3, somente 3, abrir os vídeos e me assustei com o que vi, Fábio estava sobre Lohanne, ele penetrava na própria filha, o mais assustador era ver que a putinha estava gemendo gostosinho no pau do pai, ao fundo Ana Flávia dormia só de calcinha, na mesma cama, Liandra ficava observando e rindo, ela até passava a mão sobre sua xaninha. O video terminava com ele gozando em toda a costa de Lohanne, foram 7 jatadas que melaram toda sua filhinha. O segundo vídeo o rapaz parecia fazendo um Anal com Liandra, ela estava de quatro e segurava sua bundinha enquanto o pai penetrava no cuzinho da pequena, com uma das mãos ele filmava e com a outra puxava os lindos cachos da filha, a putinha era mais escandalosa que a irmã mais velha, do lado Ana Flávia estava deitada, ele falava pra câmera “Essa aqui ainda tem cabaço, mas daqui uns anos eu vou arrombar ela, né filhinha?”, Ela apenas sorria pra câmera, ele terminava fudendo a xota de Liandra, mas só a cabecinha, parecia que ele não queria romper o cabaço da filha.
*O último vídeo eu não posso descrever devido as regras do site CNN*
Fiquei muito excitado com o que tinha visto, meu pau tava duro, eu não deveria ficar desse jeito, mas eu confesso que não vi nada de errado nos vídeos, vi 3 cadelinhas tendo o prazer com pai, só o doce e sincero prazer, sem dor, sem força, tudo com o devido consentimento. Por isso as putinhas tinha ficado tão triste quando viram o pai sendo preso.
Peguei uma calcinha de Liandra eu acho, e fiquei me masturbando com ela em volta do meu pau, gozei gostoso olhando ela fudendo com o pai, era fogosinho, um projeto de putinha.
Dormir nas camas das meninas e quando acordei, levei a calcinha de Liandra pro cesto de lavar, peguei meu celular e fui tentar acessar o link e ele não tava abrindo, na mesma hora pensei que já tinha dado merda, peguei meu celular e formatei ele inteiro, perdendo de vez o acesso.
Liguei pra empresa e me ausentei do trabalho, pois expliquei o ocorrido e queria ficar em casa.
Minha esposa também acordou cedo e veio me explicar o que tinha acorrido, ela disse que desde sempre o Fábio tinha uma tara por criancinha, ele havia abusado de sua irmã mais nova, ela sabia de tudo quando se casou com ele, mas ele dizia que era coisa do passado, quando as meninas nasceram ele sempre se demonstrou carinho e fazia questão de dar banho e trocar as fraldas das meninas. Foi nessa hora que ela começou a chorar novamente, ela se dizia cega por nunca ter percebido algo anormal nisso.
Ela me contou que havia baixado um app pra clonar o whatsapp dele, mas ela só esperava ver mensagens pra saber se ele tava namorando com uma de suas amigas, mas acabou encontrando os abusos, ela tentou me mostrar mas a conexão já tinha caído, eu disse que nem queria ver mesmo, que tinha nojo daquilo, mal sabia ela que eu já tinha até batido uma pra filhinha dela.
Os dias foram se passando, e eu não parava de pensar naquilo, percebi logo que as meninas eram super sexualizadas, foi só olhar para as meninas com outros olhos, percebi que estava sempre sentadas de perna aberta, Lohanne não tinha vergonha de ficar passando a mão em sua buceta sobre a calcinha, mesmo estando na sala. Como nós não renovávamos o guarda roupa das meninas, muitas roupas estavam curtas e apertadas. Liandra saia andando pela casa usando um shortinho bem colado, ficava marcado em sua bundinha carnuda, ele ficava bem atoladinho na sua bundinha e de frente era possível ver a marca da sua xoxotinha. Não tinha como não ficar excitado com isso, meu pau ficava duro toda hora, sempre ia no banheiro me aliviar, sempre gozava sobre shorts, camisas, calcinha e até toalhas que as meninas sempre esqueciam dentro do banheiro. Pra piorar, Lucia estava com depressão, e foi atrás de terapia, logo eu já estava ficando sem sexo e isso contribuía ainda mais pro meu tesão.
Fui assistir uma série em minha TV da sala, Lucia saiu para o terapeuta e eu fiquei vendo filmes, deu uma certa hora e não tinha percebido que as meninas tinham acordado, e elas ainda não tinham comido nada, por isso fui acordá-las, chegando em seu quarto, a porta estava aberta, entrei e me dei de cara com Liandra trocando de roupa, ainda estava peladinha procurando por sua calcinha, ela me olhou e não demonstrou nenhuma vergonha, fui pedir desculpa e ela só me olhou dizendo que não tinha problema, fiquei por alguns segundo analisando aquela pepekinha, ela tinha o cabelo escuro cacheado longo, era pretinha, tinha os lábios bem cheios, coxas que davam inveja em qualquer adulta. Voltei pra sala e estava de pau duro, logo Liandra veio descendo, e perguntou que filme eu estava vendo, respondi e sem nem falar mais nada, ela veio e sentou na minha coxa. Isso era muito comum, mas depois dos abusos, sua mãe havia proibido ela de fazer isso em qualquer pessoa, inclusive em mim.
Ela me olhou, e disse “Deixa tio, a mamãe nem ta aqui, to com saudades do colo do senhor”. Eu estava prestes a fazer uma besteira, seu pé tocava em meu cacete, pediu pra fazer cavalinho, eu já com segundas intenções, comecei a balançar, sentia perfeitamente sua buceta roçar na minha perna. Segurei ela pela cintura e ela começou a rebolar, parei os movimentos e ela ficava roçando de trás pra frente, eu já estava sendo guiado pelo tesão, não me importei com mais nada. Ela se levantou, se virou pra mim e sentou sobre meu cacete duro, nessa hora quase gozei, ela me olhou com uma carinha de safada, e ficou se esfregando no meu pau, estava quase explodindo de tanto gozar. Lohanne desceu a escada e já chegou falando “Bonito né Liandra” eu tomei um susto mas a Liandra não se importou com a presença da irmã, continuou rebolando.
Lohanne ficou nos olhando, tirei meu pau pra fora, não aguentei. Dessa vez ela sentou com gosto sobre meu pau, mas rapidamente a irmã tirou ela de lá e foi sentar no meu colo, ela se posicionou, de frente pra mim e senti meu pau tocar direto na sua xana, levantei sua saia e vi que ela estava sem calcinha, e em um movimente só atolou meu pau dentro de sua grutinha, a menina comandou os movimentos e meu pau entrou sem maiores problemas, isso porque meu pau tinha 17 cm mas era grosso. Lohanne sentava e quicava gostoso na minha pica, sua xoxotinha já era mais avantajada que a da irmã, já dava sinais de pelinho, a de Liandra não tinha muito isso, era bem lisinha, bem infantil mesmo.
Liandra estava de pernas abertas e esfregando sua buceta, pedi pra ela tirar sua roupa, assim ela fez, tirou seu shortinho e sua calcinha, sua buceta já estava toda melada, saia uma babinha de dentro, a menina então começou a enfiar seu dedinho enquanto massageava o grelo com outro dedo, logo se mostrou bem escandalosa, quando não aguentou de tanto tesão e teve seu orgasmo ali mesmo, caiu um liquidozinho bem ralinho da sua xana, mas foi o suficiente pra escorrer no sofá.
Lohanne também dava belos gritinhos sentada em minha pica, ela aguentava tudo de boa, seus peitinhos já estavam crescendo, mesmo tendo 11 aninhos, ela já tinha mais corpo de mulher, pelo fato de ter sido apresentada ao sexo desde muito nova. É branquinha, bem magrelinha, com peitinhos ainda nascendo, cabelos escuro e usava um óculos que deixava ela com uma carinha de safada.
Sua bucetinha quente e úmida não me deram outra escolha, se não gozar dentro da pequena, segurei ela e dei três estocadas firmes, injetando toda minha porra dentro daquela putinha de 11 anos, ela também teve seu orgasmo logo em seguida, deu seus espasmos de prazer e deitou toda realizada ao lado da irmã, a bucetinha dela aceitou toda minha porra, abrir com o dedo e estava recheada de esperma. Fui na buceta da irmã checar se sua virgindade estava intacta, mas me surpreendi que não estava lá, mesmo sendo uma bucetinha tão pequena (depois descobri que Fábio já havia tirado a virgindade de Liandra com uma caneta, mas ela ainda não tinha passagem pra ser penetrada por uma rola adulta). Meu pau ficou duro novamente, fiquei roçando ele na entradinha de Liandra, era visível que sua bucetinha era muito pequeninha, mesmo pra uma garota de 8 anos, mas eu queria experimentar dela, forcei sua pepeka e segurei pra ela não ter resistência, a cabecinha logo foi abraçada pelos pequenos lábios vaginais da garotinha, fui forçando pra entrar mais e ela começou a dar alguns gritinhos de dor, então eu parava e só depois voltava a forçar, tinha que ter muita paciência pra fuder uma garotinha tão apertada. Forcei mais um pouco e senti o aperto daquela garotinha, sua xoxota parecia querer expulsar meu pau. A garotinha respirava fundo e se mostrava forte, metade do meu pau já havia entrado, olhei bem pro seu rosto e soltei meu peso sobre sua xana, meu pau entrou rasgando sua abertura, mesmo seu cabaço já estourado, ainda saiu um pouco de sangue e a garotinha me olhava com expressão de dor e de tesão, meu corpo estava totalmente sobre aquela menina, ela sumia embaixo de mim, ao nosso lado, Lohanne nos olhava massageando o seu peito e seu grelinho. Liandra estava muito tensa, sua respiração estava forte e tinha uma leve expressão de dor. Deixei meu pau atolado na sua xota pra garotinha se acostumar, quando eu comecei a tirar da sua xaninha ela deu alguns gritinhos, introduzir ele todo novamente e comecei a bombar de leve. Liandra dava belos gritinhos misturados com gemidos, a cada estocada mais fundo ela se mostrava mais escandalosa, mas ela não reclamava, na verdade estava feliz por finalmente poder transar como a irmã, ela começou a dar sinais que iria gozar novamente e eu então aumentei a velocidade e comecei a fuder ela com mais brutalidade, ela agora não sentia mais dor, seus gemidos eram de puro prazer. Dei uma ultima estocada forte lotando toda a xoxotinha de gala, ouvindo ela tendo seus últimos espasmos de orgasmo, parecida uma cadela sendo saciada por seu macho. Tirei meu pau e pude ver o rio de porra que saia de dentro daquela criança, seu gozo se misturou com minha gala junto ao sangue de sua pepeka recém fodida. “Vocês gostaram de brincar com o titio também?”, “Sim titio, o papai também gostava de fazer isso”
Mandei elas se vestirem, Lucia chegou e fomos comer, as meninas terminaram de comer e antes de subir as escadas, levantaram seu vestido e me mostraram sua xanas lotadas de porra, as putinhas ainda nem tinham tomado banho, elas fizeram isso com a mãe delas de costa pra elas, só esperei a mãe delas ir se deitar e fui até ao quarto delas, ganhei 2 mamadas e ainda gozei na carinha das meninas, fui trabalhar já ansioso pelo retorno pra casa.

Fica a lição, o que ninguém sabe, ninguém estraga! Fábio foi pra cadeia por falar muito e agora eu que adotei minhas enteadas.

Obrigado a todos que leram tudo, se possível, deixa uma avaliação 5 estrelas

Se quiser entrar em contato comigo, meu e-mail é
[email protected]

Adoro ouvir relatos, leio todos os comentários

Me desculpem os erros de português
Obrigado equipe CNN por todo o suporte.

Avalie esse conto:
PéssimoRuimMédioBomExcelente
(Média: 4,84 de 55 votos)

Por # # #
Comente e avalie para incentivar o autor

8 Comentários

Talvez precise aguardar o comentario ser aprovado
Proibido numeros de celular, ofensas e textos repetitivos
  • Responder Silva ID:8cipdh08rk7

    Oi paulo delicioso seu conto escreva mais parabens.

  • Responder Nilramos ID:41ihso7xt0c8

    “Não sou ninguém pra criticar alguém”, já vi vários casos semelhantes alguns chamam de abuso, dependendo da situação pode até ser, mas existe um pouco de descobertas e aprendizados, “cada caso é um caso”

    • Klaus ID:46kpgktvk0jp

      Isso é verdade, minha afilhada começou a mamar bem novinha, e já era tão gostosinha, que foi impossível resistir a vontade de tirar o selinho da xota dela.
      Mas fui paciente, carinhoso, e muito cuidadoso tbm. Confesso que notava que ela não tinha entendimento ainda do que fazíamos, porém percebia que ela gostava. No fundo ela encarava como brincadeira, e eu fazia questão de dizer que era carinho, perguntava se ela gostava, e a resposta era sempre sim. Tinha um detalhe, apesar de td, ela sabia guardar segredo, e pelo que sei, ela nunca falou disso com ninguém. Com 8a ela já tinha um entendimento melhor, e até curtia muito mais. Bastava ficarmos a sós que ela já queria “namorar um pouquinho com o dindo”. Desde que torei o cabacinho dela, até o dia que saiu de minha casa aos 23a pra morar com umas amigas da faculdade, transei muito mais com ela do que com a minha mulher. Eu passava semanas sem sexo com minha mulher, mas não passava uma sem fazer com ela, e as vezes rolava até duas, três vezes na semana. É que meter a rola numa xotinha de menina, não dá pra descrever o qto é bom. E uma coisa é certa, qto mais novinha, mais gostosa é a xotinha da menina.

  • Responder Família_incesto CORREÇÃO ID:yazafn43m

    C O R R E Ç Ã O
    —————————>

    O conto ficou com com o final estranho, porque a idade de Flavinha foi JUSTAMENTE censurada.

    As regras não permitem idades inferiores a 7 anos. Flavinha era pelo menos dois anos mais nova que a idade permitida e por isso, a política do site decidiu remover o numeral com a idade de Flavinha (Mesmo que não tenha contado nada muito pesado sobre ela, apenas mostrei desejo.)

    O motivo para terminar sem contar o que aconteceu com as meninas, é para justamente deixar aberto a interpretações, já que eu não posso descrever nada sexual com a pequena, mas eu não sabia que a idade dela seria removida.

    Irei colocar um conto extra pra explicar melhor o fim

    Aguardem

    • lekao ID:g3ja3lhriq

      qnt mais novinha melhor. bucetinha inchada de criança eh gostoso dms

    • Klaus ID:46kpgktvk0jp

      É como falei no comentário acima…É difícil resistir uma xotinha novinha…e minha era muito novinha mesmo qdo rolou de tirar o cabacinho dela, e confesso, foi a gozada mais gostosa que tinha dado até então. A impressão que tive, foi de ter “despejado” um litro de porra naquela minúscula xotinha, pois ficou horas escorrendo, se tanta porra que tinha. Mas com o passar dos dias me toquei que por ser muito pequena, e tbm pq eu só introduzia pouco além da glande na xotinha dela, até pq não dava pra meter 16cm numa xotinha como a dela. Coisa que só foi possível após ela completar 9a, e mesmo assim, fui bem cuidadoso. Em compensação, no cusinho ela aguentava um pouco mais, até pq eu deixava ela guiar qdo fazíamos anal, o que não era sempre, mas fazíamos.

  • Responder Crítico de Contos ID:8kqv5170qko

    Família Incesto,Cara ou Garota,Não sei como devo te chamar,Olha Q Eu já vi muito conto bom,Mais os seus contos fica no meu top 5,Ótimo conto perfeito,Acho q pra melhorar só pondo mais detalhes,Mais assim está bom do mesmo jeito,Posso dizer Q já tive esse tipo de experiencia e sei como e passar por isso,E Igual o outro comentou:Garotinha novinha Depois q leva rola e vicia,Já era,Só quer ser fudida e sentir a porra dentro,Mais enfim meus Parabéns pelo conto,Ameii

  • Responder Sra orgasmo ID:yazafn43m

    Tesão sempre fico imaginando essas crianças que é abusada. Dps q vicia na rola n qr para mais de dar