# # #

Amanda, na primeira vez encarou duas rolas

3013 palavras | 12 |4.73
Por

Meu nome é Olavo, sou pastor de uma conhecida igreja evangélica, tenho 25 anos de casado, não sou o tipo atlético, mas me mantenho em forma na medida do possível, possuo uma rola de 20 cm bem grossa que faço questão de apresentar as minhas ovelhinhas mais novas.

Uma certa vez fiquei hospedado no sitio do pastor Odair, um amigo que também faz parte da igreja que prego. Ele está numa posição bem mais favorável que a minha, o que é possível ver pelo tamanho do sitio. La fui recebido por ele, a esposa e sua enteada, Amanda que na época tinha uns 14 anos.

Ele me mostrou toda a propriedade, bem extensa, junto com as benfeitorias feitas por ele. Mas o que eu me interessei foi pela Amanda, era uma adolescente com um corpão perfeito, era aquele tipo de menina que cresceu rápido, alta, branca, tinha um rabão enorme e seios pequenos, dava a sensação de que ia virar um mulherão do tipo cavala. Sempre que possível dava uma espiada para admirar a ninfeta. Ficava imaginado se ela já tinha sentado numa rola ou teve aqueles melões mamados. Ia ficar duas semanas por la então tinha tempo já que minha esposa não suporta o campo.

Odair: ela vai virar um mulherão né?

Ele falava isso enquanto estávamos no deck que ele mandou construir na orla de um pequeno braço do rio que passava por sua propriedade. Tomando banho estava Amanda e mãe, que era uma versão mais velha de Amanda.
Eu: realmente vai! E vai te dar trabalho.
Odair: ela já da.
Eu: ahhh ela ainda é uma criança
Odair: olha eu ate tento ver dessa maneira, mas quando passo pelo quarto dela pra ver se ta tudo ok e vejo aquele corpo num pijaminha… é complicado.
Eu: ahhh eu sei como é… a gente perde ate a noção.
Odair: sabe é?
Eu: eu te falei que uma sobrinha da minha mulher passou um tempo em casa, lembra?
Odair: lembro sim
Eu: pois é… teve um tempo que me divertir muito com ela.
Odair: sério??? Essa parte você não contou.
Eu: sim, e olha era uma tarada de primeira. Eu te digo, é nessa idade que é bom pegar. Elas não tem frescura e fazem de tudo.
Odair: cara… eu acho que isso é verdade, já peguei a Amanda com umas conversas esquisitas com as amigas. Parece que ela anda interessada em fazer algumas bobagens.
Eu: então melhor fazer com um homem de confiança como um tio, o padrastro… ou ambos!
Odair: eita, logo dois? Tá achando que é igual como era na escola? A gente comeu muita menina doida, mas Amanda não é assim.
Eu: olha, logo ela vai sentar na vara de alguém, melhor pegar a vaga que já é tua… eu te ajudo e já aproveito pra pegar meu lugar na fila.
Odair: rapaz, o senhor tem uma conversa… Mas será que ela topa?
Eu: ela tá na fase da curiosidade, então dando estímulo certo ela topa
Odair: estímulo? Droga? Não vou dopar a menina!
Eu: claro que não, vai ser na conversa… com calma.
Odair: ahhh sim… se for assim eu quero. Como vai ser?
Eu: vamos ter que sair daqui do sitio, logico que não rola com a mãe dela em casa né?
Odair: verdade, mas olha na outra semana a Anadie (mãe da Amanda) vai na frente e vamos ficar ainda dois dias aqui… posso dar um jeitinho da pequena ficar.
Antes de terminar as duas, mãe e filha se aproximam, Amanda tremendo de frio, faço uma piada e ela sorri. Com o passar dos dias eu vou me aproximando de Amanda, ganhando confiança, mas tenho ser rápido. Logo a mãe vai voltar pra cidade e vamos ficar só com ela. Uma tarde estou sozinho com ela vendo tv e vejo ela emburrada no sofá.
Eu: que foi Amanda?
Amanda: nada tio
Eu: certeza?
Amanda: sim… só chateada.
Eu: esses meninos só servem pra deixar vocês com raiva (soltei uma isca qualquer)
Amanda: ainda mais quando chamam a gente de infantil (opa peguei algo)
Eu: infantil? Você? Desculpa mas esse moleque é pau no cu.
Ela arregalou os olhos com o palavrão, afinal era um pastor respeitável, mas sorriu e concordou.
Eu: mas pq ele te chamou de infantil?
Amanda: ele saiu com os amigos e foi em clube, tiraram muitas fotos lá e em quase todas tem uma…(ela evita falar palavrão)
Eu: uma vadiazinha?
Amanda: isso… uma vaca do lado dele.
Eu: (querendo encurta esse relato de ciúme adolescente) foi perguntar o que significava aquilo e ele disse “nada” e vcs discutiram e ele te chamou de infantil, certo?
Amanda: isso mesmo… parece ate que o senhor leu a conversa (deu um risinho)
Eu: hoje só to os cacos, mas já fui adolescente
Amanda: ohh tio.. (ela ri mais um pouco)
Me aproximo dela, sento bem encostado e peço pra me mostrar as fotos com a tal garota. A menina da foto é bonita, mas se tivesse que escolher ainda fico com a Amanda.
Eu: não entendo esses moleques, tem uma namorada toda gostosa e procuram essas coisas na rua.
Amanda: ahhh tio mas não sou gostosa
Eu: naquele dia no rio te vi de maio, tens um belo corpão. Muito mais delicioso que essazinha dai.
Amanda: ai obrigada tio (envergonhada)
Eu: eu e Odair concordamos, nos namoramos uma menina que assim como vc, toda gostosinha.
Amanda: o senhor e o pai? Mas vcs namoravam a mesma menina?
Eu: sim… não era nada sério. Livia era o nome dela, era tao linda como você
Amanda: eu to besta que vcs dividiam a namorada
Eu: eu já te falei que já fui adolescente e o Odair era muito cachorrão
Amanda: tio eu não acredito… ele ta sempre falando sobre ser direito
Eu: eu tmb, mas coloco mulher bonita na jogada a gente vira bandido. Tu a mãe sabe bem disso.
Amanda: verdade tio, quando ela casou com o pai, ela me disse pra tomar cuidado. Qualquer falta de respeito ela cortava o pinto dele.
Nos rimos e perguntei se ele fez algo
Amanda: não tio, ele sempre me respeitou. Mas assim, já vi ele olhando minha bunda
Eu: mas olha que safado
Amanda: não foi nada de mais, acho ate engraçado
Eu: se eu cheguei esse dias bati logo o olho. Se fosse mais novo ate te pedi a em namoro
Amanda: para tio (ela ri)
Nisso encerramos a conversa pois Odair e Anadie chegam. Ele me olha desconfiado, e depois explico a situação e que temos uma chance, conto da história do ciúme e da nossa namorada fictícia. Explico que ele deve monitorar a situação para entrar em cena. Nem demora muito, na noite seguinte Amanda está chorando pelo tal garoto, eles terminaram. Odair vai consola-la como uma padrasto gentil e amoroso, Anadie fala que é frescura da menina isso, isso faz a atitude do padrasto ter mais pontos com a menina.
Eu deveria partir um final de semana antes da esposa do Odair, mas invento que terei de resolver um assunto numa cidade próxima do sítio, então só iria depois de Anadie. Ela mesma deu a ideia de ficasse por la, dizendo que o Odair ia só depois. Mas precisava fazer com que Amanda não fosse. Estava bolando algo quando a própria Amanda pediu pra ficar mais uns dias, foi perfeito.
Na manhã seguinte, após a partida de Anadier. Fomos até a cidade fazer uma compras, dei a ideia de fazermos um churrasco no deck, sugeri a Amanda aproveitar os últimos dias e pegar um sol.
Eu: Branquinha assim o bronzeado vai ficar lindo
Amanda: não tem graça de maiô tio
Eu: usa um biquini ué?
Amanda: não tenho, mamãe acha vulgar
Odair que estava dirigindo diz.
Odair: a mãe dela que implica, mas hoje pode. Vamos ali e compramos um bonito.
Amanda se animou e compro logo dois, a raposa velha do Odair fez ela compra só os de lacinho. Voltamos para o sitio, arrumamos o churrasco e enquanto já estava tudo na brasa. Vem a Amanda, era uma bela visão, apesar de estar curvada, ela estava um espetáculo o biquini era vermelho e branco. Mostrava as curvas daquela novinha, meu pau se manifestou, Odair no papel de padrasto, a abraçou e apalpou ate onde era permitido naquele momento.
Odair: Olha isso Olavo, ta uma perfeição né?
eu: o senhor tava inspirado pra fazer essa menina hein?
Amanda: ai para… esse biquini parece pequeno agora, o outro nem dava pra usar, menor ainda. Só comprei pq achei bonito no provador
Realmente era pequeno, os seios estavam bem espremidos, mas era o que deixava ela uma delícia. Depois ela ganhou confiança e já andava de boa perto de nós, mergulhava e volta para o deck. No meio da tarde, com Amanda no colo do Odair (ela nunca tinha feito isso), “contei” a ela sobre nossa ex-namorada fictícia. Ela ficou interessada na versão dele, ele inventou algo superficial, eu complementava, ela perguntou como era a mecânica então já comecei a falar coisas mais pesadas.
Eu: foi o Odair que transou com ela primeiro, esse safado
Odair: vcs só ficavam se chupando, resolvi ir ate o fim.
Amanda ouvia a conversa com atenção, vidrada.
Eu: ela tinha uns seios bem grandes, não dava pra resistir.
Odair: era… não lembro.
Eu: era um pouco maiores que os da Amanda
Amanda: nossa, maior ainda? Eu já acho grande os meus (ela fala olhando para os seios)
Odair, não perde tempo e da uma puxadinha no meio do biquini
Odair: deixa eu ver
Amanda: ei pai, não (ela cobre os seios rindo)
Eu: deixa só a gente conferir, só ta a gente aqui
Amanda: tenho vergonha tio
Odair: mostra para o pai amor, só pra gente dizer se são maiores… pq lindos eles já são
Depois de mais alguma insistência ela aceita. E são belos seios, grandes e durinhos. Os mamilos marrons e proporcionais. Ela cobre rapido.
Amanda: pronto
Eu: são bem maiores, e nem era tão lindos
Odair: minha filha que seios lindos
Amanda: ai gente para, são normais (ela abaixa os abraços)
Odair aproveita e da um beijo no pescoço dela, massageia um dos seios fala um pouco baixo mas auduvel.
Odair: são perfeitos já deixou seu namoradinho pegar neles meu amor
Amanda: não pai… humm (segura o pulso de Odair mas não tira de cima do seio)
Amanda se apoia em uma das pernas, levantando o busto enquanto Odair morde e beija seu pescoço, ele aperta os seios com mais força. Eu assisto em silêncio, com medo de quebrar o clima, apenas massageio o pau sob a bermuda.
Odair desce até os seios e passar a mamar cada, Amanda se entrega ao padrasto, geme e puxa o cabelo dela. As vezes ela abre os olhos, e quando me vê parece perceber que o que está fazendo. Mas logo o Odair da mais um chupão e ela esquece. O dair se ajeita na cadeira e a faz sentar de frente pra ele de pernas abertas, ele crava a mão na sua e passa a simular uma leve cavalgada com ela, ele chupa os seios com mais força. Do meu ponto de vista a cena e espetacular, ela de costas de cabelo negro solto com um belo rabo pulando no colo do padrasto. O laço do biquini de abaixo e desfeito logo ela estava nua, tiro a rola e massageio com mais vontade. Odair da um logo beijo na enteada que oferece os seios pra serem mamados mais uma vez.
Levanto me livro da bermuda e vou ate a mesa de madeira do deck, tiro tudo de cima dela. Fico esperando o momneto em que Odair me olha, faco um gesto e ele entende. Ele pega a Amanda no colo e leva ate a mesa, deita de peito para cima deixando em uma posicao de frango assado.
Amanda: foi pai?
Odair: quero chupar essa bucetinha amor.
Ele se abaixa ate o ventre da menina. Os dedos de odair abrem a buceta da enteada e invade com a lingua. Amanda geme, a cada circulada ou chupada ela geme mais. Dou a volta na mesa mesa e massageio o seios dela. Ela me olha com uma carinha de prazer. Sua boquinha tenta falar algo mas so consegue ficar aberta, meto meu dedo pra ela chupar. Odair chupa o grelo da enteada com vigor.
Eu: quer pica meu amor?
Amanda me olha e responde sim com um “hum hum”
Odair: tua fica ta pedindo pica
Ele levanta tira o bermudao, liberando um pau um pouco menos que o meu, mas com tanta veia que parece uma arvore antiga. Ele mete na buceta lubrificada da enteada sem muita cerimonia.
Amanda: devarga pai, e muiti grande…aiii
Ela faz cara de dor e reclama mas ele nao liga, comeca socar como se ela fosse uma puta experiente. Ela balanca toda a cada estocada, odair parece um bicho comendo um pequeno animal. Amanda se acostuma com as bombadas e comeca a gostar. Me aproximo e meto meu pau na sua boca que suga e geme ao mesmo.
Odair: sente minha rola amor? Ta gostando putinha?
Eu: mete com força odair. Arregaca essa xota
Tiro minha rola da boca dela e bato com o pau na cara dela. Ela pede mais.
Amanda: mais rapido pai… mete fundo…ahhh
Odair soca ainda mais rápido, levanta a pernas de Amanda e puxa com força até seu corpo. Ele da uma última estocada e goza dentro da menina, ele fica um tempo ali, como se quisesse ter certeza que deixou até a última gota de semen nela. Ele abaixa as pernas dela com carinho e sem fôlego vai sentar em uma das cadeiras. Amanda se levanta e fica na beirada mesa, molhada de suor, sacudindo as pernas e com um sorriso de moleca.
Amanda: mas já papai?
Ele só gesticula que precisa de um tempo. Me aproximo e dou um abraco e um beijo nela.
Eu: deixa ele descansar um pouco sua danada, posso brincar tmb amor?
Amanda olga para o padrasto que esta tomando um gole de agua e ele faz um gesto liberando a foda. Pego ela pela mao e levo ate a espreguiçadeira que ela estava com o pai antes. Coloco aquela a garotinha pra mamar meu pau e olha, pela habilidade de fazer um rabo de cavalo antes e a chupada com vontade, acho q ela treinava com o namoradinho. Ela tenta engolir tudo, da uma leve engasgada e ri.
Eu: calma amor… nao sufoca
Amanda: queria ver se cabia
Eu: embaixo cabe, fica de quatro e levanta bem o bumbum.
Vejo o Odair de relance massageando o pau, acho q ele ja ta quase pronto pra outra. Então me adianto me coloco atras dela e meto a rola na buceta recem deflorada. Apesar de apertada, ela desliza, alem de lubrificada tem o seme do pai ali. Passei a mete sem pena, pois vi q ela aguenta.
Eu: rebola amor
Amanda: assim tio?
Amanda rebola na minha pica e fico parado admirando sua bunda subindo e descendo. Dou tapa em cada lado da bunda e meto com forca. Odair se aproxima, levanta a cabeça dela pelo rabo de cavalo e mete a pica dentro da boca da Amanda.
Odair: agora toda noite vou te dar leite pica minha filha
Eu: se nao der eu dou
Ja estava escurecendo e se Anadie voltasse agora, veria nos dois comendo a filhota dela na beiro do rio. Mais algumas bombadas e gozo tres jatos de leite grosso dentro da pequena.
Arrumamos tudo e voltamos pra dentro da casa. Eu apaguei… quando deu umas 23h fui pegar uma agua e do corredor ouvia o som “plaft, plaft, plaft” o som vinha do quarto de Amanda. Odair estava cravado no cu da Amanda, o impacto da metidas fazia ondas no rabo dela. Cheguei bem no momento que ele finalizava gozando no cuzinho dela. Odair cai de lado, e ela deita de bruços.
Amanda: oi tiooo (ela não cansa)
Odair so levanta a cabeça e sorri. Amanda levanta e me puxa dizendo que quer tomar banho. Tento olhar para o pai dela mas já estamos fora do campo de visão de ambos. Entramos no box e tomamos banho, me abaixei e dei uma longa e demorada chupada, dessa vez foi ate o fim, ela gozou em pé.
Amanda: ai tio… isso foi mais gostoso do que quando o papai fez na mesa
Eu: eu te fiz gozar bebê, agora vira quero meter nessa raba gulosa
Saimos do box e ela se apoiou na pia. Dei umas duas cupidas no anel dela e comecei a meter.
Amanda: calma tio… ainda nao me acostumei… aii
Eu: relaxa que entra… nao posso sair daqui sem gozar nesse cuzao gostoso
Depoi que entrou fiquei parado, estamos em frente ao espelho da pia, vejo o rosto dela, no meio da cara de dor ela sorri. Dou estocadas pra ver ela lagrimar. Meto mais rápido e ela geme.
Eu: vai aprender dar esse cu amor
Amanda: aiiii… simmm…. Devagar
Soco ainda mais, sem pena. O gozo vem farto, inundo o reto dela de semem. Ainda fiquei uns 4 dias por lá, Amanda teve todos os seus buracos invadidos, se revezando entre eu e o Odair. Dois anos depois, Anadie se separou de Odair, mas pelo que ele me contou Amanda ainda o visita atrás de leite do ex-papai.

⏩ O melhor site de desenhos animados pornô do 🇧🇷, HQs eróticas🔥

Avalie esse conto:
PéssimoRuimMédioBomExcelente
(Média: 4,73 de 52 votos)

Por # # #
Comente e avalie para incentivar o autor

12 Comentários

Talvez precise aguardar o comentario ser aprovado
Proibido numeros de celular, ofensas e textos repetitivos
  • Responder Leitor_cnn ID:6stz27xtm0j

    Muito bem escrito

  • Responder Flávio ID:3eexzpcdzrd2

    Mentira deslavada do caralho.

  • Responder Mr.Allok ID:gsuanufij4

    Copiou e colou até os erros de escrita

  • Responder cadelinha sedenta ID:81rdelfxv48

    sou uma mulata cavala de 19 aninhos, queria tanto sentir o cajado desse pastor…

    • Anônimo ID:h5hndg2qmr

      Posso dar o meu pra vc raphaelsantos70 meu Skype

    • Helio ID:xgmkrkd22

      Oi cadelinha sedenta, tenho um cajado para te presentear…
      [email protected]

  • Responder breno ID:1ien0g8k0

    Breno26 tele

  • Responder Vantuil OB ID:mujqotchir

    O conto é bom, da tesão. Só acho estas fodas tuas muito fáceis. Tem que ter mais envolvimento, e só depois tirar cabaços.

  • Responder Dasilva ID:1dai5li4994

    Contos sempre excitantes e bem escritos, coma sempre essas putinhas que querem receber leite a vontade e sem pena

  • Responder CarlaoMV ID:e3dsxsihk2

    Legal…

  • Responder Seu comilão ID:4aosjybvk0a4

    Foursquare detectado.

  • Responder Lex75 ID:5vaq00tfi9o

    Adorei esse conto. Parabéns.