#

Conhecendo um glory – primeira vez

565 palavras | 6 |5.00
Por

Relata uma experiência real de um homem curioso. Que ama punheta.

Sempre vejo vídeos de pornografia.
Vivo na punheta.
E a ideia de uma outra pessoa fazer um agrado no meu pinto me deixa babando. Se for um homem me tocando melhor ainda. Gosto da ideia de um homem submisso se sujeitando a mim. Dá mais tesão ainda.
Mas como sou casado e isso é no sigilo. Tudo fica complicado. Talvez por isso não tenho tantas aventuras. E algumas bem inocentes, porém um tesão nível máximo.
Eu estava louco para experimentar o glory rola. Buraco na parede.
Havia já meses que estava de olho num local novo que tinha inaugurado aqui em Curitiba. Inclusive já tinha visto propaganda na internet.
Mas a coragem? Medo de ser reconhecido. E lá dentro como funciona. Sou mega tímido.
E eu não queria chupar ninguém.
Mas um belo dia de sol. Tomei coragem.
Fui lá. Passei na frente umas dez vezes antes entrar.
Coloquei um boné, coisa que não uso, roupa de cor diferente da minha rotina, máscara e fui.
No que eu fui por a mão na fechadura alguém já abriu.
Uma mini recepção, um cara educado explicou os horários, valores. Por fim falou que tinha uma trans e um garotinho. Abriu a porta e entrei no corredor.
Tudo pintado de preto, várias cabines abertas e somente duas fechadas.
Por estar muito nervoso entrei na primeira aberta.
Estava rolando um vídeo hetero. Mas não muito animado pra meu gosto.
Logo percebi que tinha uma pessoa no lado da cabine. Fez um barulho qualquer.
Fiquei vendo o vídeo. Mas resolvi arriscar.
Abri a calça, abaixei a cueca, o pinto estava mais animado. E arrisquei colocar no buraco da parede.
E num instante senti um toque suave. Talvez limpando a baba. E de repente recebi aquela boca engolindo inteiro. Tudo bem que meu pinto não é gigante, uns 16 cm no máximo.
Que tesão. Não aguentei e colei na parede, segurei na parte de cima da divisória. E meu pinto sendo chupado com muita vontade. O meu tesão era tanto que não consegui segurar muito tempo. Aí ia gozar. Pensei vou tirar, o que fazer. Vai que a pessoa não curte porra. Mas o tesão foi muito forte. E enquanto pensava o que fazer. Acabei gozando gostoso.
E a pessoa (trans) não recuou. Engoliu tudinho sem interromper. E para minha alegria continuou. Agora estava curtindo gostoso, relaxado. Mas estava tão bom que logo veio a segunda dose de porra.
E a diversão só continuou. Queria sair e experimentar outra cabine. Mas estava tão bom que fiquei alí mesmo. Só curtindo. E claro que rolou a terceira exporrada. Acabei saindo.
Feliz. Pernas moles. Queria brincar mais. Mas não tinha mais aguentava mais nada. As pernas não ajudavam.
Acabei me afastando. Empacotei o pinto na cueca. Nem limpei pois estava impecável. Fechei a calça e sai.
Se tivesse força eu queria comer um cuzinho do garotinho. Mas não ia acontecer nada.
Passei o dia nas nuvens. Muito sono. Feliz.
Minha mulher não chupa assim. Mas gostei muito da experiência.
Pretendo voltar. Mas tenho muito medo de ser descoberto por alguém. Por isso que preciso ser cauteloso.
Se quiser falar comigo [email protected]

Avalie esse conto:
PéssimoRuimMédioBomExcelente
(Média: 5,00 de 3 votos)

Por #
Comente e avalie para incentivar o autor

6 Comentários

Talvez precise aguardar o comentario ser aprovado
Proibido numeros de celular, ofensas e textos repetitivos
  • Responder [email protected] ID:xlpkba41i

    Hummmm nunca experimentei, mas acho que não iria gostar, eu gosto de corpos de arretos esfregação, beijos !!

    • Barbeiro ID:477hqpbz49b9

      Entendo perfeitamente você. Mas eu preciso do sigilo. Bem como queria experimentar.

  • Responder Roberto ID:81rrywrk0aq

    Oi que tesão de conto cara,fique de pau duro eu quero ir ai,pronto ire u s dias a curitiba

    • Barbeiro ID:477hqpbz49b9

      Legal que gostou. Venha conferir. Embora acho que Curitiba é muito conservadora em vários aspectos.

  • Responder Casado Curioso ID:vpbvqw40m

    Estou adorando suas aventuras de riscos e descobertas. Nota máxima.

    • Barbeiro ID:477hqpbz49b9

      Olá. Que bom que está curtindo. Acho que tem muito homem casado na mesma situação. É um risco essas aventuras, mas por um lado se eu nunca experimentar como vou saber se é bom. Abraço