# #

Proctologista

879 palavras | 0 |4.17

Fui ao proctologista para exame e fui totalmente dedado

Fui ao médico proctologista em emergência por estar com muita dor, e tratar, nisto o médico que veio me atender era um coroa maravilhoso e muito experiente. Eu estava vestido, com roupa normal e estava sem cueca, quando ele pediu para deitar na maca e arriar um pouco a calça, deixando só a cueca eu ri e falei que isso não seria possível, arriei as calças e ele riu, falando que era normal na dor o paciente não colocar a cueca ou até mesmo se vestir adequadamente, vi que ele me olhava maliciosamente, e perguntou se eu não tinha algum outro lugar com dor, fiz de não entendo e falei que a dor era de perto da virilha até em cima da bunda, como que alguma coisa pontuda atravessando meu corpo. Ele pediu para eu me virar de bruços mesmo coberto que iria dar umas apertadas e ver se encontrava o local certo. Fiz o que ele pediu: virei e como realmente estava com um pouco de dor ainda, fiquei com a bunda empinada bem sensual dizendo que estava doendo e pedi para ele colocar uma almofada por baixo para aliviar a dor, deitei-me e, enquanto ele colocava as luvas, afastei um pouco as pernas e elevei ainda mais um pouco a bunda; ele veio me examinar e ao tirar a coberta de sobre mim, notei que sua respiração estava ofegante, tentando se controlar; meu pau ficando duro e minha bunda ficou toda arrepiada com o ar gelado da sala; ele tentou disfarçar, mas vi perfeitamente que estava de pau duro que, pelo tamanho da barraca armada, deveria ser enorme.

Teve um momento em que ele passou a mão pela minha bunda bem suave e foi apertando e perguntando se estava doendo, falei que sim e levantei um pouco mais a bunda, quando senti sua boca encostar nas minhas nádegas; aí o coroa não se conteve mais. Caíu de boca no meu cú e chupou com vontade; que coisa loca, em retribuição, eu esfregava minha mão em sua pica por cima do avental; ele lambia meu cú com verdadeira volúpia e, talvez devido ao local e àquela situação maluca, gozei imediatamente, um gôzo imenso que me fez tontear; enquanto eu gozava, ele me puxou para a beirada da maca e afastou bem minhas pernas; tirou seu enorme mastro e pediu para eu dar uma mamada antes dele perfurar meu cú e tirar a dor de imediato, mamei bem gostoso, um cheiro de suor e perfume foi me deixando mais louco e abri bem a boca para ele fuder minha garganta como se fosse uma buceta e meteu bem fundo, só que ele gozou logo!

Uma ejaculação forte, que parecia não ter fim! Ele chegou a perder as forças! Por fim, me disse que eu era maravilhoso e que eu não saísse daquela posição que ele queria meter gostoso no meu rabo, com mais calma ele foi ao banheiro, escutei a torneira aberta e logo que fechou já veio encasacando seu mastro grosso. Ele chegou, já exibindo uma superexcitação! Convidei-o a entrar com um rebolado na beirada da maca e vi que estava deslumbrado, deixando a ereção bem à vista. veio passando a mão nas minhas costas, e intencionalmente veio com aquela enorme elevação plastificada se colocar atrás de mim. Puxando-me para si e me ajeitando, beijou, lambeu e meteu a língua no meu cú apertando bem a minha bunda. Não me fiz de difícil. Segurei seu pau com vontade, senti toda a sua extensão e procurei apontar sua cabeça na minha entrada dos fundos toda babada.

Não sei dizer o tamanho ao certo, mas dava para segurar com as duas mãos e ainda sobrava uns centímetro de pica bem grossa e cheia de veias, que maravilha! O pauzão parecia que ia explodir de tão tesão. Ele forçou aquele mastro no meu cú e, lentamente, foi rompendo as pregas e deslizando para dentro de mim, latejava e escorregava; uma delícia! Iniciei um movimento de rebolar para ele entrar mais gostoso, bem lento, fazendo-o delirar de prazer. Que trepada! Agora, mais calmo, mais confiante, ele mostrou do que era, realmente, capaz. Segurou na minha bunda com as duas mãos, apertou e foi enterrando até chegar no tálo durante todo o tempo da consulta, apertava ainda mais a minha bunda e arreganhava para ver todo seu caralho enterrado no meu cú, pediu para eu passar a mão e ver o que eu estava conseguindo, disse que sua esposa nunca consegui nem a metade de sua pica na bundona dela, falou que eu tinha uma bunda bem gostosa e que iria sempre marcar a consulta nos últimos horários para ficarmos mais a vontade, ele ia falando e estocando meu rabo, eu passei a contrair meu cú para fazer ele ficar mais tesudo e não demorou para encher meu rabo de leite, mordendo minha orelha ele falou que gostava de comer um rabo urrando e que não poderia fazer agora por estarmos ali….

Avalie esse conto:
PéssimoRuimMédioBomExcelente
(Média: 4,17 de 12 votos)

# #

Nenhum comentário

Talvez precise aguardar o comentario ser aprovado
Proibido numeros de celular, ofensas e textos repetitivos