# #

O sócio do marido

1216 palavras | 4 |4.58
Por

Não é uma continuação do meu conto anterior, mas faz parte da minha vida

Como dito antes, sai do interior e me casei com um empresário rico, que apesar de ser bem mais velho ainda me deixou apaixonada. E talvez por conta disso que eu acabei desenvolvendo um fetiche por caras mais bem velhos.
Temos três filhos registrados pelo meu marido, mas que foram concebidos durante anos em que um foi homem contrado por ele apenas pra me engravidar e gerar herdeiros, então meio que me apeguei ao tesão de foder no risco de engravidar de outro homem. Estou explicando tudo isso antes pra que saibam o que estarão a ler…
Nossos filhos começaram a estudar a partir dos 4 anos, cada um deles nessa idade passou a ter acompanhamento especial pra aprenderem e amadurecerem como meu marido queria, assim poderiam se tornar herdeiros do seu negócio. Por conta disso meu tempo com eles era curto durante os dias, ou melhor nas noites, e como meu marido também não parava em casa pelas viagens, acabei ficando sem ter o que fazer. Então decidi usar esse tempo pra cuidar de mim, procurei nutricionista e entrei na academia pra manter a forma, afinal depois da terceira gravidez meu corpo tinha ganhado bastante peso.
A medida em que fui treinando me apeguei de fato ao ato de se exercitar, meu corpo rapidamente ganhou forma e quando dei conta me vi completamente diferente da menina magrinha que saiu do interior. Estava mais esbelta, principalmente as coxas e a bunda, meu marido percebeu isso e mesmo com a idade quando voltava pra casa não perdia a oportunidade de me comer pra provar as mudanças do treinamento. A partir disso passei a preservar essa boa forma, pois queria alimentar o apetite sexual dele, pois com 28 anos meu tesão sempre se acumulava a cada viagem.
Porém após um prejuízo nos negócios, meu marido precisou recorrer a sócios pra conseguir manter as redes dele e por conta do esforço, estresse e outros motivos somados, sua saúde ficou um pouco debilitada. Durante esse tempo ele precisou ficar em casa de repouso e quem assumiu o posto dele nos negócios foi seu primeiro sócio, Pedro, que era também um amigo de longa data dele, no auge dos 50 anos. Pedro muitas vinha na nossa casa pra conversar com meu marido e repassar o cenário a ele, com isso muitas vezes precisou dormir aqui. Por ser homem de confiança do meu marido, nunca me senti desconfortável de tê-lo por perto, até o dia em que ouvi uma conversa dos dois onde meu marido se disse preocupado por não estar me dando tanta atenção na cama e tinha medo de que eu procurasse outro alguém. Me surpreendeu a resposta de Pedro que se dispôs a cuidar disso pelo amigo já que tinham confiança um no outro. Ouvir aquela conversa me deixou ansiosa e nervosa pelo que podia acontecer, mas mesmo assim continuei fingindo não saber de nada enquanto Pedro aos poucos foi tentando criar mais proximidade entre nós. Ele era bom de conversa, sabia encontrar as palavras certas e mesmo comigo sabendo da sua tentativa de me seduzir, fui me entregando aos poucos a minha vontade de cair nas mãos daquele homem.
Numa noite em que eu estava quase subindo pelas paredes no auge do meu período, deixei meu marido dormindo no nosso quarto e fui até o quarto de hóspedes onde Pedro dormia, então bati na porta e esperei. Quando ele abriu e me viu, soube o motivo de eu estar alí, então não disse nada, apenas me puxou pra dentro e fechou a porta novamente. Suas mãos ásperas procuraram imediatamente minha bunda por baixo da camisola de seda, fui me derretendo a cada beijo que ele depositava no meu pescoço enquanto descia as alças dos ombros pelos meus braços.
Quando fiquei despida a sua frente, com um olhar faminto me perguntou se eu realmente queria isso, então apenas confirmei pra ele manter em segredo do meu marido, fingindo não saber do acordo dele, isso pareceu dar mais tesão a ele que baixou a cueca e me mandou chupar seu pau. Não era nada acima da média, na verdade me decepcionou um pouco não pelo tamanho, mas por ter muita pele enrugada. Mesmo assim não deixei de cair de boca e mamar muito no seu cacete, sem muita experiência, mas sendo conduzida por ele que sempre forçava mais, me fazendo engolir cada centímetro até deixar todo babado.
Então ele sacou sua rola da minha boca e me mandou ficar de quatro na cama, então com os dedos começou a socar dois deles na minha bucetinha que de tão molhada escorria o melzinho de dentro, afinal era quase dois meses sem foder. Nessa hora meu tesão tava no ápice, nisso o ouvi perguntar se o negão tinha comido meu cuzinho. Até me surpreendi por ele saber sobre Antônio, mas simplesmente disse que sim enquanto me acabava em gemidos. Pedro então tirou os dedos de dentro e passou os dois no meu cu, molhando e massageando conforme dizia que sua vontade era primeiro provar o cuzinho da mulher do amigo e pediu pra mim gemer alto para o corno ouvir.
Com as mão o safado abriu minha bunda e com jeitinho empurrou o cacete pra dentro do meu cuzinho que nem resistiu, mesmo sem ser invadido a anos por um pau, desde as enrabadas de Antônio que era bem maior, porém Pedro tinha mais técnicas, quando metia atarrachava cada pedaço do caralho no meu rabinho. Eu comecei a gemer alto quando ele foi aumentando a força e a frequência em que socava pra dentro, até me puxou pela cintura e colou minhas costas no peito dele, sussurrando como meu cu era delicioso apertando seu pau. Sua mão apertava meu peito com força enquanto a outra se mantinha dedilhando clitóris pra me fazer gozar sendo enrabada e ouvindo suas putarias baixinho no ouvido. Não resisti muito e acabei tendo o orgasmo pela primeira vez dando o cu, isso fez Pedro rir e me deitar na cama, tirando o pau de dentro de mim e me botando pra chupar de novo, dessa vez sentir o gosto do meu próprio cu na boca e isso me deixou com ainda mais vontade, então engoli seu pau até fazer ele gozar no meu rosto. Pela quantidade de porra ele devia tá com muito tesão também, mas depois disso seu pau amoleceu e não deu mais sinal de vida, mesmo comigo chupando por alguns minutos.
Ele então disse pra eu voltar ao meu quarto pois estava cansado da viagem, mas que nos outros diria iria me procurar de novo pra não deixar a mulher do amigo na vontade, que se fosse pra ser corno que fosse dele. Sai do quarto me sentindo estranha, no misto de culpa e satisfação… mas sabia que não resistiria a ele de novo agora.

Avalie esse conto:
PéssimoRuimMédioBomExcelente
(Média: 4,58 de 12 votos)

Por # #

4 Comentários

Talvez precise aguardar o comentario ser aprovado
Proibido numeros de celular, ofensas e textos repetitivos
  • Responder Bruno ID:g61v1mld30

    Ola adorei suas histórias se quiser provar um carioca só me falar [email protected]

  • Responder Jhom ID:g3jadkqrj5

    Você qe é da ccb né??
    Li um conto seu sobre isso, esses dias atras ….

  • Responder Gian Carlo ID:81rf708b0ai

    Meu Deus ,que tesão Dani

  • Responder M. Morenno ID:fuos3f20i3

    Quando a vontade bate e o tesão está lá em cima, fica difícil resistir.
    Muito excitante!! Esse sim é amigo pra ajudar em todo momento.