# #

O Barman e o neto do alfaiate

2290 palavras | 11 |4.73
Por

nos dois temos um segredo e se você ficar atras de mim, vão acabar desconfiando e eu posso ser preso e nunca mais vou te dar leite de homem.

Barman

Bom, agora são 5:00 da manha e eu acabei de chegar de mais um trampo, sou barman e trampo em varias festas e casas noturnas em São Paulo, já faço isso a 6 anos e nesse tempo já tive muitas experiências sexuais.
Tenho a mente aberta e penso que no sexo vale tudo, tenho 29 anos, 1,82, 80 k, malho muito, mas não sou do tipo saradão to mais pra fortão, chamo atenção pelo meu porte e não pelos gomos em minha barriga, tenho cabelos castanhos curtos, no estilo militar e uso barba bem desenhada, não por moda, mas porque sempre gostei, sou do tipo peludão, não me acho dotadão, mas tenho um pau bom, que mede na casa dos 18cm, grosso na medida de um desodorante axe e com um prepúcio do tipo que se eu não puxar a pele quando mijo faz um molhadeiro, já ganhei bons elogios pelo desempenho.
O que passo a relatar é realmente fresco, acabou de acontecer nessa madrugada. Através de um amigo fui chamado para trabalhar em uma festa de debutante, festa de gente muito rica, em um verdadeiro palácio na zona Sul.
Cheguei cedo e fui encaminhado para o escritório dos proprietários, após uma breve entrevista, acertamos que, se eu me saise bem eles me chamariam mais vezes e isso seria ótimo, já que a paga é muito boa. O lugar é enorme, me levaram até uma sala onde um senhor cuida dos uniformes dos funcionários, um cara baixinho, 52 anos, por volta de 1,65, atarracado, careca, olhar sério e bem charmoso, de nome Antonio, pediu que subisse em uma pequena plataforma para tirar minhas medidas, para fazer ajustes na calça social preta que usei, o uniforme todo preto, calça, camisa, sapatos e uma gravata cinza, enquanto ele media eu via em sua mão esquerda uma aliança grossa e essa aliança sumia entre minhas pernas imprensando meu saco durante o desenrolar da fita métrica que ele usava.
Para quebrar o gelo puxei uma conversa, perguntei a quanto tempo ele trabalhava ali e bastou isso para um meio sorriso brotar nos lábios dele e ele desatar a falar, me contou que já trabalha ali a mais de 20 anos, além de morar no local e ser um tipo de concierge, falou que acabara de ficar viúvo, perdeu a esposa para a covid, dei meus pêsames e antes que votase-mos a conversar um garotinho usando o uniforme do palmeiras entrou correndo, alegre como criança criada no interior, sem apego com jogos eletrotécnicos, ( – vovô, vovô, foi muito legal ), o guri foi conhecer o estádio e estava euforioco.
Ta bom Rafinha, mais tarde você conta pro vovô, agora o vovô esta trabalhando. O guri me fitou com o olhar, ruborizou e em seguida me lançou um sorriso que derrete qualquer coração gelado.
Alguns minutos após a chegada do guri aparece na porta um outro homem, cerca de 1,90 de altura, porte de segurança particular, 40 anos, cabelos raspados, de terno preto e camisa branca. – Desculpa sr.Antonio não consegui segurar o menino ele tá que não para de falar rsrsr.
Não tem problema Beto, mas me faz um favor leva ele la em casa, pode deixar ele ver TV e se quiser, pode descansar la também, já sei que essa noite você tambem vai trabalhar.
O grandalhão chamou o garoto e foram para casa do Antonio, assim que eles sairam, Antonio voltou a conversar e me falou que o guri é seu neto, tem 8 anos e é um espoleta, uma criança muito ativa, os pais estavam viajando e deixaram o garoto com o avô. Falei um pouco sobre mim, que sou solteiro, mas no futuro pretendo ter um filho, mas não quero me casar.
Antonio terminou os ajustes e me liberou, falando que eu poderia andar e conhecer a propriedade e me apresentar aos outros funcionarios, assim eu fiz, conheci o salão onde seria a festa, as cozinhas, o bar onde eu ficaria, muito parecido com bar de hotel, isolado por vidros um balcão bem equipado, bancos na frente do balcão e algumas mesas, um ambiente muito agradavel.
Conheci também por fora, outro predio no estilo frances guardava uma piscina no estilo antigo, uma garagem enorme, passando esse predio, uma quadra de tenis, um jardim muito bem cuidado e um adendo onde se guarda materiais e ferramentas, com um comodo onde antes existia um grande vestiario de funcionarios, hoje ainda preserva alguns sanitarios reservados, um grande mictorio de inox e alguns moveis como sofas empoeirados, já que serve como deposito hoje, por fora na parte de tras, uma escada de azulejos vermelhos, leva ao que fiquei sabendo mais tarde se tratar da casa do sr Antonio.
Durante o meu periodo de trabalho eu teria uma folga de 40 min e logo pensei no antigo vestiario para descansar mais tarde, já que ninguém vai la.
A noite começou, de boa, apresentação da debutante, dos pais, padrinhos, principes, veio a valça. E para minha surpresa entra um Mc, com um funk pesadão em poucos minutos o meu bar fica cheio de coroas, alguns fumando charuto e tomando Scot, Gim, Martine seco, Chandon e muita Mimosa pra as mulheres.
Por volta das 2:30 h, entra outro barman para me cobrir e eu poderia comer e descansar um pouco,
logo passei pela cozinha e peguei o meu kit com suco e alguns lanches e fui rapido para o antigo vestiario, logo cheguei, e enquanto comia meu lanche escutei alguém descendo as escadas, o lugar era silencioso o suficiente para eu saber que era um adulto pela força das pisadas, era também um homem, me encostei mais no canto do sofá, próximo a porta por onde eu entrei e ouvi a voz do homem e reconheci ser o Beto o motorista grandalhão que conheci a tarde.
Ouvi o vozerão bradar, _ Volta Rafinha, não é pra você vir atras de mim, já sabe que não pode ir nas festas, você sabe que nos dois temos um segredo e se você ficar atras de mim, vão acabar desconfiando e eu posso ser preso e nunca mais vou te dar leite de homem. Rafinha fazia manha que queria mais do leite do homem.
Eu já estava amassando meu pau ouvindo aquela conversa, tava louco de tesão, não vou inventar firulas, eu já experimentei sexo com um primo menor que o Rafinha, tambem já leio contos aqui e em outros sites a tempos e sempre pensei que se tivesse outra chance de foder um guri novinho eu não deixaria passar.
Quando o Beto passou pela porta, alguns segundos depois eu vi a sobra do guri passar também, sai rápido atras dele e alcancei ele no jardim, segurei ele pela mão e fiz sinal de silendio com meu dedo na frente da boca, abaixei perto dele e falei, _ Lembra de mim? _ Lembro, meu vô tava costurando sua calça !
_ Isso!
_ Você tava indo atras do Beto, mesmo ele te falando pra não ir!
_ É que eu queria mais…!?
_ Pode falar, eu sei o que você quer!
_Como você sabe, se é um segredo?
_ O Beto é meu amigo e nos tambem temos segredos ( mentira minha )
_ Você quer leite de homem e eu poasso te dar!
_ Sim eu quero, me da por favor!
Levei o Rafinha para o vestiario e entramos na parte onde fica o mictorio, o garoto é bem como eu gosto, gordinho sem exageros, avermelhado do sol, bochchas com covinhas, cabelo quase loiro, raspado nas laterais e maior em cima, corpinho todo liso, de altura, bate no meu umbigo e a boquinha macia e vermelha fica na altura do meu pau, ainda usava o mesmo uniforme do Palmeiras e eu podia sentir o cheiro de sexo, de porra seca e urina vindo dele, isso é afrodisiaco para mim, eu sentia meu prepucio cheio de pre gozo, a cueca já molhada.
Coloquei mau pau pra fora e mandei ele abrir a boca, meti o pau na boquinha macia e puxei a pele, deixando o liquido transparente escorrer na boquinha, quase gozei só de fazer isso, puxei pra fora da boquinha e esfreguei, nos labios, no nariz, nas bochechas e nas orelhas, eu estva louco de tesão por aquele guri, estava louco para deixar meu DNA naquele garotinho, misturar meu sêmen com o sêmen de outro macho dentro de uma criança que se mostrava avida por leite de macho.
Apartir desse momento ele não falou mais, apenas obedecia minhas ordens, socava meu pau fundo na boquinha até ele engasgar, quando ele fez menção de tirar a roupa eu não deixei, porque o uniforme sujo de porra de outro macho já fazia parte da foda, apenas abaixei o shorts e levantei a camiseta, mamai nos peitinhos e senti o sabor da saliva do Beto, o gosto do sêmen na barriguinha, a surpresa foi quando meti minha língua no cuzinho e oguri estremeceu e soltou uma lufada de esperma fresco em minha boca que engoli com praser, o garoto estava cheio e eu ainda ia lotar mais o cu dele com meu espera, com meu leite.
Eu já tava nessa a 25 min e precisava gozar e voltar para meu posto, quando virei ele de frente, me deparei com um pinto ainda pequeno, porem acima da media e grossinho, durinho e com a cabeça exposta, abocanhei e chupei por um tempinho, logo em seguida me ergui e afundei meu pau na garganta dele , tirava guspia na boquinha dele e voltava a meter o pau, pqp que tesao, levei ele pro sofa e coloquei pendurado no braço, o cuzinho a meu dispor, encostei a cabeça do pau e estoquei forte, o pau se enterou pela metade e ele soltou um grito, começou a chorar e pedir pra tirar, tentou sair, mas não deixei, soltei meu peso e o resto da rola entrou, esperei alguns segundos e comecei a bombar sem do, chamando ele de putinha de macho e viadinho safado, falei que ele vai ter o macho que ele quiser e sem que eu imaginase ser possivel para ums crinaça, passei a setir meu pau ser espremido dentro daquele cuzinho, ser mastigado, acho que foi algo involuntario, mas o cuzinho tava brincano com meu pau la dentro, a espuma começou a sair e se acumular no meu pubes e no meu saco, já era um chantily de porra de macho, esperma do Beto, acumulado no cuzinho, junto com meu pre gozo, metia e olhava pro relogio, depois de foder por 15 min, tirei meu pau do cuzinho dele com cuidado, ele parecia em estado de choque, a cara lavada de lagriamas, não falou nada, mas o pintinho duro o tempo todo, voltamos pro mictorio e vi meu pau e meus pelos lotados de espuma de porra, olhei pro Rafinha e ele com uma cara amarrada me perguntou se eu não ia dar o meu leite pra ele, eu ri e mandei ele entrar no mictorio, ele reclamou que tava gelado, mas mandei ficar, centou de bundinha com as peninhas penduradas e abetrinhas, o shorts pendurado em um dos pes e a camiseta na parte de atras do pescoço, ele olhou meu pau cheio de espuma e eu mandei logo, que eu não ia lavar e falei que era chantili de leite do Beto, ele olhava pra cima e eu mirava meu pau na boquinha aberta dele, mas antetes de meter meu pau na boquinha dele eu soltei um mijao, játo certeiro, forte e grosso na boquinha, fes ele engasgar, mas tomava ainda, quando mirei na cabeça, no rostinho, nos peitinhos e no pintinho, puxei a camiseta e terminei de mijar, voltei o pau pra boquinha e socava sem do, sentindo os engasgos dele, os dentinhos rapando meu pau já que a boquinha é pequena pra grossura do meu pau, mas isso me da tesão, diferente de outros caras que não gostam eu me amarro em dentinho de criança e ate mordidas, já que eles não tem força, foder aquela boquinha no mictorio me fez gosar em segundos depois da mijada, ele se esforçava para engolir meu leite mas escoria pelas laterais da boquinha até cairem na camiseta do Palmeiras que ele usava.
O ambiente todo cheirava a meu suor, esperma e mijo, perguntei se ele tava feliz e respondeu que sim, mas que tava cançado, mandei ele subir e tomar banho, falei que agora nos tinhamos um segredo tambem e ele sorriu de um jeitinho sacana, subi minhas cueca e calça, me arrumei sem sequer passar uma agua no rosto ou no pau, acompanhei o Rafinha até a escada e esperei ele entrar, voltei pro bar que estava vazio, já que a maior parte dos convidados já tinham ido embora, voltei com 5 min de atraso, o barman que ficou no meu lugar me olhou rindo e mandou, encontrou o sr Antonio pelo jeito!?
Na hora eu percebi que o sr Antonio apalpava todos os barmans dali e que alguma coisa rolava, mas o barman nunca imaginaria que eu tinha acabado de comer o neto do coroa, um guri de 8 anos tesão de mais.
Bom isso era pra ser um relato de algo que acabou de acontecer, não sei se vou ser chamado para trabalhar nesse local novamente, espero que sim, se acontecer mais coisas eu vou curtir contar aqui.

Avalie esse conto:
PéssimoRuimMédioBomExcelente
(Média: 4,73 de 33 votos)

Por # #

11 Comentários

Talvez precise aguardar o comentario ser aprovado
Proibido numeros de celular, ofensas e textos repetitivos
  • Responder Belarmino Marta

    Né veado,em vez de ir atrás de mulher,parte pra veadagem e com um garotinho,uma mariconinha não é?Muito bacana!Mas se contenha,eu John Deere,Matador de Veados,vai curar essa veadagem na base da coça cura-veado sem-vergonha!

    • Julio Mão amiga

      KKKKKKK LOUCO POR ATENÇÃO, COITADO, MAS EU QUEBRO TEU GALHO CADELA! VEM QUE METO MEU BRAÇO ATÉ O OMBRO NO TEU CU VADIA!

  • Responder Novim 16

    Pass teu tele pra gente falar sobre teu sobrinho hehe

  • Responder luiz

    quero ve vc e \Beto fazendo sexo com o menino

    • Julio Mão amiga

      cara o Beto é um puta homão, se rolar conto certeza

  • Responder Gosteidocnto

    Caralho que delícia tu e a putinha, conta tbm sobre tu e teu sobrinho rsrsrs

    • Júlio Mão amiga

      Obrigado, foi muito tesão e adrenalina fazer isso! Só não vou contar o que rolou com meu priminho porque o site não permite a idade. 😉😉

    • Anônima

      Conta o do priminhoo, fiquei com tesão só de imaginar

    • Gosteidoscnto

      Que idade foi? Tô curioso agora

  • Responder JC&M

    Isso sim é um conto bom.
    Não deixe de contar as próximas aventuras.

    • Júlio Mão amiga

      Obrigado, se rolar novamente vou contar com certeza.