#

A senhora da fábrica parte 2

335 palavras | 1 |4.20
Por

Dona Leusa disse que votaria no outro dia mas não não voltou depois de algums dia ela fez o mesmo caminho terminou o almoço e voltou onde ela falou que era loucura o que tinha acontecido,perguntei a ela se não gostou de pegar em pau e ela respondeu sim com um sorriso no rosto logo entendi que queria mais do quê isso coloquei ela na sala e abracei ela que fez o mesmo jogo dizendo que não, e ficou de costa tentando fugir e ralando sua bunda no meu pau ela estava de saia forcei ela ficar de encontro a mesa onde levantei sua saia e me agachei e comecei a apertar sua bunda bem enpinadnha e comecei a da mordidinha fraquinha e passa a língua foi quando ela deixou o joguinho de lado e virou-se onde deixou a buceta bem na minha e segurou na minha cabeça logo comecei a passar a língua na sua virilha e meio que querendo abrir a perna coloquei a calcinha de lado e dei uma chupada onde deu pra sentir sua buceta toda molhadinha e chupei e ela delirando esqueceu até que poderia chegar alguém, chupei foi quando ela começou a suspirar onde percebido sua buceta ficar ainda mais molhada e começou a tirar a minha boca de sua bucetinha fiquei de pé e ela perguntando se eu queria deixar ela doida e querendo saber se poderia alguém poderia ter visto faltava pouco pro o horário de almoço acabar coloquei meu pau pau pra fora e mandei ela pegar e ela começou a punhetar quando pedir pra ela ela dar uma chupada ouvimos barulho de alguém chegando paramos e fingimos está conversando normalmente até chegar a hora de Dona Leusa voltar pro seu setor e rindo pedir pra ela voltar outro pra ficar lá conversando e ela disse que voltaria.
Na terceira parte vocês não pode perder.
Até mais.

Avalie esse conto:
PéssimoRuimMédioBomExcelente
(Média: 4,20 de 10 votos)

Por #

1 comentário

Talvez precise aguardar o comentario ser aprovado
Proibido numeros de celular, ofensas e textos repetitivos
  • Responder Marcos Mondadori

    Beleza, foi audaciosa da parte de ambos, o risco que vcs correm e de serem colocados para a rua e por justa causa. Cuidado não vá causar o desemprego dela, Ela pode ser a provedora so lar. Vc nao disse se ela é ou não casada. Cuidado , come mas não dentro da fabrica.