# # #

Minha filha, minha perdição (Pai e Filha) 4 de 3 parte final – Tomando posse do que é meu

2320 palavras | 9 |4.71
Por

Meu pau estava sujo de sangue, não era nenhum exagero, limpei com a toalha, cuspi nele e entrei denovo naquela bucetinha que agora era minha de verdad

Tranquei todas as portas e janelas, e subi as escadas, fui olhando quarto por quarto, eu estava pelado, olhei mais alguns cômodos, até que encontrei minha filha linda, deitada na cama, com os peitinhos brilhando, 12 aninhos, que delicia de ninfetinha ela se tornou, me deixava maluco, fazia eu perder a razão, quando cheguei perto da cama, ela virou de bruços e se arrastou brincando, como se fosse fugir de mim, alcancei seus pezinhos e puxei ela de volta, peguei seu quadril e levantei deixando ela de quatro, ela ja tinha crescido, estava mais alta, sua bunda estava mais redondinha, olhando aquela bunda não resisti e dei um tapa, ela se assustou e deitou de novo e reclamou:
– Ai pai, doeu, com carinha de bravinha?
   Sem falar nada, levantei seu quadril de novo, a marca da minha mão estava na sua bunda, então passei minha mão na sua bucetinha e ela soltou um gemido, continuei passando meus dedos na sua bucetinha, enquanto ela rebolava eu dei outro tapa, ela só disse:
– Ai pai.
   E continuou rebolando, então segurei nos lacinhos do biquíni, um de cada lado, e desatei bem devagar como se estivesse desembrulhando um presente e deixei o biquíni cair lentamente, então eu descobri por que é tão proibido se relacionar com uma menina novinha, por que senão o homem não consegue fazer mais nada na vida, principalmente se for sua própria filha, eu nunca fui uma cara safado, tipo tarado, que fica secando as mulheres, muito menos crianças, vivi muito bem satisfeito com minha esposa por anos, o que esta acontecendo comigo é totalmente fora do meu controle.
    Vendo minha filha de quatro na cama, branquinha queimadinha de sol, buceta rosinha toda melada, me levando a loucura, dei a volta na cama e olhando ela de quatro, seus peitinhos, a bunda arrebitada, ela não tirava os olhos do meu pau, parei do outro lado da cama com meu pau roçando no seu rostinho delicado, ela olhou pra mim e colocou meu pau na sua  boca e começou a chupar, que delicia, nunca vou enjoar dessa boquinha me mamando, enquanto ela mamava meu pau, passei a mão na sua bunda e deslizei meu dedo ate sua bucetinha, estava toda meladinha, ela só gemia, quando ela era mais novinha não gemia, não fazia muito barulho, ficava só prestando atenção, agora ela gemia gostoso, eu sentia meus dedos deslizando pela sua bucetinha deliciosa, bucetinha suculenta, minha ninfetinha, uma putinha só minha, eu melava meu dedo na bucetinha e depois bolinava seu cuzinho enquanto ela mamava meu pau.
   Passei a mão no seu corpo virando ela para ficar de barriga pra cima, ela virou sem tirar meu pau da sua boquinha, minha filha linda que tempos atrás mal sabia pegar no meu pau, agora estava ali comigo, peladinha e gemendo pra mim, e eu fazendo dela minha putinha, ao mesmo tempo que este pensamento me incomodava, me dava um tesão sem controle, então deslizei minha mão pelo seu corpinho delicioso enquanto ela mamava, babava, adoro o barulho da sua boquinha chupando meu pau, peguei nos seus peitinhos, apalpei com vontade, passei a mão pela sua barriguinha linda e meus dedos alcançaram sua bucetinha, passei a mão por cima sentindo seus pentelhinhos recém nascidos, quando ela sentiu minha mão, abriu as pernas, ja era putinha do papai mesmo, delizei meu dedo pela sua bucetinha, quando ela sentiu meu dedo roçando sua bucetinha, parou de me chupar e abraçou forte minha cintura e soltou um gemido abafado com meu pau na sua boquinha, nossa que gemido gostoso, meu pau estava latejando dentro da sua boca, comecei a masturbar ela, e vi seu corpinho se contorcer de tesão, e ela voltou a mamar meu pau, agora com mais tesão, eu tentava enfiar meu dedo na sua bucetinha, mas não ia até o fim, então tirei meu pau da sua boca, deitei do seu lado e comecei a mamar seus petinhos durinhos, entravam inteiros na minha boca, ela abraçava minha cabeça e se contorcia, enquanto eu deslizava meu dedo da sua bucetinha até o seu cuzinho, era maravilhoso, ouvir minha filha gemendo pra mim era impagável, deslizei minha lingua pelo seu corpo, e quando cheguei na sua bucetinha, ela segurou minha cabeça e disse:
– Ai pai, eu não vou aguentar.
   Ela estava ofegante, seu peito respirava forte, seu rosto estava corado.
   Então respondi:
– Você vai sentir agora o tanto que o papai te ama.
   E lambi sua bucetinha enfiando minha lingua o mais fundo que pude, deslizei minha lingua para cima passando pelo seu clitóris, ela gemeu muito alto, ainda bem que estávamos sozinhos.
   Puxei seu corpo para a beira da cama, levantei suas pernas, ela estava à minha merce, era só minha, eu chupava sua bucetinha, queria engolir a minha filha de tanto tesão que eu estava, segurei as duas pernas para cima com o braço direito, e enquanto chupava sua bucetinha, comecei a passar meu dedo no seu cuzinho que piscava sem parar, eu enfiava minha lingua na sua bucetinha e quando tirava a língua  forçava o dedo no seu cuzinho, essa menina estava se descabelando, ela falava, gemia, puxava meu cabelo, então eu parei e olhei sua bucetinha, estava inchadinha e toda melada, então eu decidi, vai ser agora.
   Levantei, empurrei seu corpinho para o meio da cama, coloquei um travasseiro embaixo dela, vi sua bucetinha inchada brilhando, meu pau esta muito duro e latejando, olhei para minha filha e perguntei:
– Quer ser minha pra sempre?
   Ela respondeu:
– Quero pai, pra sempre sua.
   Com a cabeça confusa, em meio aos pensamentos, pois aquele era um limite que não teria mais volta, então minha filha me trás a realidade, ouvi sua voz doce dizendo:
– Vem pai, pode vir.
   Passei meu pau na sua bucetinha para deixar bem melado, coloquei na bucetinha, ela parecia beijar a cabeça do meu pau, comecei a forçar e meu pau para entrar na buceta e pulava pra fora, então coloquei meu pau de novo, projetei meu corpo um pouco para frente, e fui forçando, então a cabeça entrou, senti aquela sensação novamente, sua bucetinha latejando, pulsando, parecia que estava mamando meu pau, olhei para ela, que ja estava de olhos fechados, dei mais uma cuspida, passei meus dedos para lubrificar mais, então comecei a forçar de novo e entrou mais um pouco, vi suas mãozinhas para frente como se tentasse me segurar, fiquei preocupado e perguntei:
– Laís, quer que o papai pare? ta doendo?
   Ela meio confusa, com a respiração ofegante falou:
– Não pai, não para, continua.
   Então mais uma empurrada e a cabeça passou e entrou até a metade, já não tinha mais volta, arrebentei seu hímen, o cabacinho da minha filha era meu, enquanto meu pau latejava dentro da sua bucetinha, ela que pulsava apertando meu pau, a bucetinha estava toda vermelha e inchada que delicia, deixei acostumar um pouco, então tirei um pouco meu pau e cuspi de novo, e voltei a enfiar, custou um pouco, mas entrou de volta, e essa menina começou a gemer, agora escrevendo isso, meu pau ficou duro só de lembrar ela gemendo no meu pau a primeira vez que ela sentiu ele dentro dela, comecei um vai e vem bem devagar, e fui aumentando o ritmo, meu pau entrava até a metade, então estiquei minhas mãos e alcancei os peitinhos dela, e ela começou a gemer mais ainda, peguei em suas mãos puxei ela pra cima de mim, para sentar ela no meu pau, preferi ela comandar o ritmo, seu corpo estava todo suado, que tesão ver minha própria filha assim no meu pau, toda suada e de buceta inchada, puxei ela pra mim sem tirar o pau de dentro dela, acomodei ela no meu colo, abracei ela, e fui soltando o peso do seu corpo, estavamos os dois agachados, então ela foi descendo bem devagar e começou a rebolar no meu pau, ela subia um pouco e descia rebolando, e começamos a nos beijar, aquilo foi o céu, minha filha cavalgando no meu pau, eu sentindo aquela bucetinha apertada engolir meu pau, e ela chupando minha língua com vontade, comecei a meter com mais intensidade, e ela foi descendo cada vez mais, e rebolava mais forte e mais rápido, e ela parou de me beijar, seu gemido aumentou, olhei para ela enquanto cavalgava, seu corpo todo estava arrepiado, então ela desceu até o fim, senti pela primeira vez sua bucetinha engolir inteiro meu pau, meu pau latejava dentro daquela buceta apertada,  então eu disse pra ela:
– Assim Laís, sente o pau do papai inteiro dentro da sua bucetinha, chupa meu pau com sua bucetinha minha filha.
   Ela só sabia dizer:
– Ai pai, te amo.
– Ai que gostoso pai.
   Eu ouvi isso e minha loucura subia mais ainda, perdi o controle, segurei seu quadril e comeceu a meter naquela buceta apertada, meti com vontade, com a vontade que eu estava de meter desde a primeira vez que eu toquei naquela bucetinha, agora ela tava pronta, deitei ela de novo, e eu ja em cima dela, comecei a meter naquela bucetinha inchada e essa menina gemia, gemia tão gostoso no meu pau que eu já não estava mais me aguentando, então levantei um pouco meu quadril e dei mais umas três bombadas forte e enfiei meu pau o mais fundo que pude naquela buceta apertada e parei com meu pau enterrado dentro dela, então ela começou a tremer e apertar meu corpo com as mãos, e começou a ter espasmos,  eu continuei enfiando meu pau bem devagar enquanto segurava ela tendo espasmos, senti sua bucetinha apertar meu pau, eu não podia gozar, estava me segurando ja, e ela deu uma ultima tremidinha e gozou feito louca.
   Minha filha teve seu primeiro orgasmo no meu pau, que tesão.
   A buceta dela parecia uma mão apertando meu pau de tão forte que pulsava.
   E toda vermelha e sua olhou pra mim e disse:
– Nossa pai, acho que gozei.
– To sentindo seu pau latejando dentro de mim.
   Eu não estava mais aguentando, falei pra ela:
– Agora é a vez do papai.
   Ela mal conseguia abrir os olhos, só consentiu com a cabeça.
   Então olhei pra baixo, fui tirando meu pau, estava sujo de sangue, não era nenhum exagero, mas limpei com a toalha, cuspi nele, e comecei a entrar denovo naquela bucetinha que agora era minha de verdade, fui forçando, e ele foi entrando, enquanto meu pau deslizava pra dentro da bucetinha da minha filha, minhas mãos passavam pelo seu corpo, e senti ela se arrepiando de novo, quando parei, meu pau tinha entrado quase todo dentro dela, meu tesão aumentou mais ainda, levantei suas perninhas e comecei a meter na sua bucetinha, tirava até aparecer a cabeça do pau e enfiava de volta, e fui acelerando, e minha filha começou a gemer de novo, segurei suas coxas para trás deixando suas pernas bem abertas e comecei a meter com vontade, nem acreditava que eu estava metendo naquela bucetinha, que tesão de bucetinha apertada, então pedi pra ela me dizer:
– Fala pra mim que você é só minha.
  Então ouvi sua voz embargada e trêmula dizer:
– Eu sou só sua papai, só sua.
– Mete gostoso na sua filha.
  Ela falava e gemia.
– Mete pai, ai que gostoso.
– Mete seu pau na sua menina, agora eu sou sua pra sempre pai.
  Não aguentei mais, tirei meu pau pra fora e explodi em cima dela, ela tomou um banho de porra, nunca, eu digo nunca gozei do jeito que eu gozei aquele dia, enquanto eu gozada, sentia meu saco esfregar na sua bucetinha quente, lambuzei ela inteira de porra, depois enfiei meu pau de volta e ele ficou dentro até amolecer.
   Ela me puxou para cima dela, deitei em cima do seu corpinho, estava tendo espasmos ainda, meu orgasmo ainda não tinha acabado, e senti minha filha fazendo carinho em mim enquanto eu desfalecia em seus braços, e acabei pegando no sono com meu pau dentro dela.
   E assim foi o dia em que tomei posse do que é meu.

   ” Hoje minha a Laís minha filha é uma mulher adulta, nunca teve problemas psicológicos, e este era meu maior receio, não teve nenhum trauma, principalmente por eu não ter usado força contra ela, eu feito ela sofrer de qualquer outra forma, ainda moramos todos juntos, nosso relacionamento é muito saudável e minha esposa nunca descobriu, em todos esses anos fizemos muitas loucuras juntos que se for da vontade dos leitores relatarei, agradeço à todos que leram o conteúdo e espero que quem espera viver isso, não trate mal seu filho ou sua filha, tente fazer da melhor forma possível, pois não esqueçam, um dia eles crescem, como a minha cresceu”.
   Abraço à todos!!!

Avalie esse conto:
PéssimoRuimMédioBomExcelente
(Média: 4,71 de 28 votos)

Por # # #

9 Comentários

Talvez precise aguardar o comentario ser aprovado
Proibido numeros de celular, ofensas e textos repetitivos
  • Responder Júlio_SC

    Olá pessoal, fico muito feliz que gostaram, é muito difícil se expressar escrevendo para não ficar muito longo e não perder os detalhes que são mais importantes.

  • Responder op

    mt bom bem detalhado incrível

  • Responder PervCTBA

    Você nasceu para isso, nos conte mais experiência seu pervertido. Me sentia mal por ter tesao em vídeos assim. Agora já sei que gostam os novinhos e que é normal.

  • Responder Nilramos

    Delícia, já estava ansioso pra ler e valeu a pena, gozei enquanto lia

  • Responder ada

    nota 1000 !!!!!!!!!

    • Buceta meladinha

      Delícia seu conto, só faltou gozar dentro, não tem nada mais gostoso que sentir um pau pulsando dentro da bucetinha.

    • Nilramos

      Além de gozar dentro faltou um anal pra ficar mais gostoso

    • Júlio_SC

      Muito obrigado Ada.

    • Júlio_SC

      Nilramos, já estou escrevendo, espero que gostem.