# #

Minha filha, minha perdição (Pai e Filha) 2 de 2

3091 palavras | 16 |4.89
Por

Desci com minha língua até seu cuzinho e subi lambendo até sua bucetinha, que delicia o sabor da bucetinha da minha filha

Continuação…..
Até aquele momento eu não toquei no assunto sobre o que aconteceu no dia anterior com minha filha, e ela também não disse nada, mas notei que ela ficava me olhando com aquele sorriso lindo angelical que derrete o coração de qualquer pai.
   Fiz uma pequena porção de frios, azeitona, salame, queijo e etc, abri uma coca-cola, servi na mesa, puxei a cadeira e sentei, minha filha que estava sentadinha em outra cadeira, levantou e veio em minha direção, passou debaixo do meu braço direito e sentou no meu colo, e começou a comer junto comigo, começamos a conversar, ela disse que a mamãe tinha ligado um pouco antes de eu chegar, falou alguma coisa de seu irmão Diego, rimos juntos, seu rostinho ficou corado, olhei para ela e exclamei:
– Nossa, como você é linda minha filha, se você soubesse o tanto que o papai te ama!?
   Na sequência peguei um cubinho de queijo e fui levando até a boca dela, mas fiz isso sem malícia, na realidade fiz isso por que ela estava comendo só o salame, então quando eu cheguei perto da sua boca, ela fechou os olhinhos e abriu a boquinha, quando eu coloquei o queijo em sua boca, ela colocou a língua para fora e alcançou o meu dedo colocando em sua boca, e xupou meu dedo como tinha feito no dia anterior, meu pau ficou duro na hora, minha respiração acelerou quando senti a língua dela pincelar meu dedo e seus lábios puxando meu dedo para dentro de sua boca, tenho absoluta certeza que ela sentiu meu pau duro, ela estava sentada em cima, sinto dizer, mas o animal e o perverso estão ganhando, não falavamos do assunto, mas as atitudes falavam por si.
   Decidi parar por ali, levantei da cadeira com ela no colo e em seguida à coloquei de volta na cadeira, olhei para ela e disse:
– Papai vai tomar banho.
   Ela não disse nada, apenas colocou o cotovelo em cima da mesa, encostou sua cabeça em sua mão, me olhou de cima à baixo, e continuou comendo, pensei comigo:
– O que será que se passa na cabeça dessa menina?
   Dei um beijinho na testa dela e sai indo em direção ao meu quarto, tomo banho lá no quarto por que adoro o chuveiro de lá.
   Tirei a roupa, meu pau estava duro demais, a cabeça do meu pau estava inchada, parecia que ia gozar, entrei no chuveiro e comecei meu banho, estava com muito tesão, e minha na minha mente se iniciou uma discussão, o animal disse:
– Chama ela pra tomar banho.
O pai respondeu:
– Melhor não, o banho é o menor dos problemas, por que daqui para frente se continuar vai piorar.
– O perverso retrucou:
– Que nada, é só dar banho nela, só pra matar a saudade de ver ela peladinha, poder tocar na bucetinha dela, não precisa rolar nada, mas pelo menos nos anima para bater uma punheta mais tarde.
   O perverso venceu, abri a porta do box e chamei:
– Laís, filha.
Ouvi os passinhos com o chinelo dela, parou na porta do banheiro e respondeu:
– O quê? quer toalha?
– Eu respondi:
– Não, eu trouxe.
E continuei:
– Você ainda não tomou banho, quer tomar banho com o papai.
   Ela abriu o maior sorriso do mundo, balançou a cabeça positivamente e respondeu:
– Sim papai, eu quero.
   Ela já desceu a saia e depois a calcinha, eu nem piscava, fiquei ali olhando aquele corpinho que poderia ser só meu, era só eu tomar posse, sua bucetinha pequena, parecia uma bonequinha, toda lisinha, meu pau já estava babando, ela tirou a camisa pela cabeça, jogou no chão e veio, abri espaço para ela passar e fechei o box, ela parou na minha frente e olhou para cima como se esperasse uma ordem.
   No banheiro do quarto, tínhamos uma banqueta de plástico onde a Carol sentava quando tomávamos banho juntos, ela sentava ali para eu poder lavar o cabelo dela quando ela estava meio carente.
   Meu pau estava duro e babando já, estava eu e minha filha sozinhos em casa, a noite começando, pois ainda não era nem oito da noite, os dois pelados no banheiro, e esses pensamentos quase me fizeram gozar de tanto tesão, e a Laís depois que entrou não tirava os olhos do meu pau, peguei a banqueta que mencionei antes, sentei para ficar mais ou menos na altura dela, peguei um pouco de sabonete líquido e comecei a ensaboar ela, comecei pelos ombros, os bracinhos, a barriguinha, suas pernas, então passei os braços em volta dela para abraçá-la, puxei ela contra o meu corpo, meu pau bateu na barriginha dela e desceu entrando no meio das suas coxas, ela praticamente estava montada no meu pau, eu apertei o corpinho dela contra o meu, meu pau entrava apertado entre suas coxas lisinhas, parecia que estava entrando em uma buceta, minhas mãos, que ensaboavam suas costas, foi descendo ate chegar na sua bundinha, que bundinha gostosa minha filha tem, delicia de bunda, eu ensaboei, passei por tudo, enquanto isso continuava forçando meu pau entre suas coxas, peguei mais sabonete e passei novamente na sua bunda, na intenção de ficar mais liso, coloquei uma mão em cada nádega e abri a bundinha dela, e com meu dedo indicador fui deslizando pelo seu reguinho ate sentir meu dedo no seu cuzinho, nossa, que cuzinho lindo, cheio de preguinhas, minúsculo, passei o dedo em volta do cuzinho e senti ela contraindo e quando senti ela piscar o cuzinho no meu dedo, cheguei a arrepiar de tesão, aquela sensação do que estava acontecendo era fora da realidade, eu de pau duro roçando na bucetinha de minha filha de 10 anos e passando o dedo no cuzinho dela e morrendo de vontade de possuir ela, fazer da minha filha uma putinha, queria tratar ela como uma putinha mesmo, é muita emoção isso, quando eu forçava meu pau entre as coxas dela, sentia a cabeça do pau roçar na minha mão do outro lado, afastei um pouco o rosto e olhei para ela, que estava com os olhos fechados, eu estava ficando cada vez mais louco de tesão, não podia acreditar que aquilo estava acontecendo, que eu estava fazendo aquilo com a minha filha, que tesão maluco é esse, virei ela com carinho, agora ela estava de costas para mim, pude olhar mais de perto sua budinha, que coisa mais lindinha, imaginei meu pau entrando naquele rabinho, segurei meu pau que estava com a cabeça inchada, passei na sua bunda lisinha e fui pincelando a bunda dela até encontrar o cuzinho, nossa que delicia era aquilo, eu estava com tanto tesão e meu pau estava tão sensível que eu sentia o cuzinho piscando no meu pau, montei ela no meu pau, encostei seu corpo no meu e passei minha mão ensaboada no seu peitinho,  brinquei em volta do mamilo, passei a mão na barriguinha, desci até sentir sua púbis lisinha, e ai senti meu dedo escorregando entre os lábios da bucetinha da minha filha, com o braço esquerdo eu movimentava lentamente o corpo dela para esfregar no meu pau, e com a mão direita explorava sua bucetinha, fiquei um tempo assim curtindo minha filha, já não aguentava mais, peguei o chuveirinho, tirei o sabão dos nossos corpos, virei ela de frente pra mim baixei a cabeça para xupar seu peitinho, quando comecei a mamar no seu peitinho, senti a mão dela pegar no meu pau, ai lembrei que em varios momentos do dia eu vi aquela mãozinha delicada, com dedinhos finos e unhas pequeninas, meu tesão aumentou, levantei a cabeça pra respirar fundo, que tesão aquela mãozinha no meu pau, olhei para ela, e ela aproximou seu rostinho no meu enquanto iniciava uma punheta no meu pau, ela virou seu rotinho como se fosse para eu beijar a bochecha dela, e esfregou seu rostinho no meu como se pedisse para eu cheirar ela, beijei sua bochecha passando a lingua e fui lambendo até seu pescocinho, vi e senti ela se arrepiar inteira, eu estava transformando minha filha de 10 anos em uma putinha safada, não aguentei mais, afastei um pouco ela do meu corpo, me levantei, troquei ela de lugar comigo, sentei ela no banquinho e me pus na sua frente com meu pau duro na frente do seu rosto, peguei no seu queixo com carinho, levantei para que ela olhasse pra mim e disse para ela:
– Olha como você deixa o papai, me deixa louco de amor você minha filha.
   Ela só me fitou, sem dizer nada, pegou meu pau com as duas mãos, fechou os olhinhos e lambeu a cabeça do meu pau, vi a baba que saia do meu pau grudar da sua língua e ficar esticado quando ela se afastou um pouco, quando ela viu a babinha, ela foi e xupou a cabeça para sugar a baba e engoliu, em seguida ela encostou a cabeça do meu pau nos labios dela e deslizou pra dentro da sua boquinha, cheguei a tremer de tesão, aquela cena não parecia ser verdade, eu ali em pé somente ao som do chuveiro ligado, olhando para minha filha de olhos fechados mamando meu pau mais gostoso que no dia anterior, a sensação de estar fazendo algo errado, fazendo escondido, do pecado, da luxuria, sentindo a liguinha quente passando na cabeça do meu pau e sugando para dentro daquela boquinha linda, juntei seus cabelos como um rabo de cavalo, segurei firme e comecei a fazer um pouco de força para entrar mais em sua boca, estava agora fodendo a boquinha da minha filha, que doideira era aquilo, eu socava na boca dela e tirava o pau, ela deixava a boquinha aberta e colocava a ligua para fora esperando meu pau entrar de novo, continuei mentendo na boca dela como se fosse uma bucetinha, larguei os cabelos dela, e chamei sua atenção dizendo:
– Laís.
Então ela olhou pra mim ainda com o pau na boca.
E eu disse:
– Assim minha filha, olha pra mim enquanto mama o pau do papai.
Ela tirou meu pau da boca deixando a liguinha para fora sem tirar os olhos de mim, e colocou na boca de novo forçando para entrar mais, e foi chupando meu pau assim olhando nos meu olhos, e chupou muito gostoso, mamava, chupava a cabeça, lambia, apertava meu pau, eu estava quase explodindo, mas não queria terminar ali, me afastei um pouco, ela franziu o rostinho como se tivesse emburradinha, agachei na sua frente e pedi:
– Fecha os olhos meu bem.
Ela fechou.
– Agora abre a boquinha, deixa eu ver sua linguinha.
Quando a lingua dela saiu do boca, carinhosamente passei a minha língua na dela e chupei suavemente sua lingua sentindo o gosto de sua saliva , nossa que delicia, ela abriu o olho, então perguntei:
– Quer beijar igual a mamãe me beija?
Ela respondeu:
– Uhum.
Então dei um selinho, dois selinhos, em seguida lambi seus labios, ela abriu a boca e colocou a ligua para fora de novo, comecei a chupar sua lingua devagar e com carinho, comecei a beijar sua boca muito gostoso e bem devagar para ela aprender, meu tesão aumentou, quase gozei beijando a boca dela.
   Ja não aguentava mais, levantei, desliguei o chuveiro, enrolei ela na toalha, ja estava fora de mim, minha filha me deixou louco, esqueci do mundo, ali naquela hora nada mais existia, peguei ela no colo, sai do banheiro, acomodei ela na cama e sequei ela, coloquei a toalha de lado e me vi ali, com minha filha sentadinha na minha cama, seus pezinhos nem alcançavam o chão, peladinha, eu de joelhos na sua frente de pau duro latejando, abracei ela, que abraço gostoso, sentir o corpinho peladinho dela grudado em mim, depois de alguns segundos eu disse no seu ouvido:
– Agora é a vez do papai.
   Me levantei assim abraçados, subi em cima da cama, acomodei ela nos travesseiros, nem acreditava que tinha ela ali deitada peladinha na minha cama só pra mim, ninguém para nos incomodar, debrucei em cima dela e comecei a mamar seus peitinhos, que delícia, dei toda a atenção para aqueles peitinhos, e o maior tesão era saber que era minha filha, que era só minha, eu chupava, mamava, passei a língua por tudo, queria sentir o gosto de cada curvinha, cada dobrinha, ela era minha, fui descendo com a lingua, levantei suas perninhas, chupava suas coxas, mordiscava, desci minha língua da coxa até a virilha, chupei e lambi os dois lados da virilha, não queria apressar, queria aproveitar ao máximo, sentir tudo, antes de cair de boca na sua bucetinha, me levantei um pouco para ter a visão privilegiada o que iria acontecer, olhei para ela, ela estava com carinha de séria, tipo como se estivesse prestando atenção em tudo, desci meu olhos escaneando seu corpinho como se tivesse tirando uma foto mental daquele corpinho lindo e perfeito, até que meus olhos encontram sua bucetinha, que coisinha mais linda, desci meu rosto até quase encostar na bucetinha, olhei para ela e quebrei o silêncio perguntando:
– É do papai?
Ela afirmou com a cabeça e respondeu bem baixinho:
– Tudo.
   Então eu levantei suas perninhas para frente, deixando ela na posição de franguinho assado, a bucetinha ficou estufadinha, tirei minha língua para fora e desci com minha língua até seu cuzinho e subi lambendo até sua bucetinha, que delicia o sabor da minha filha, senti certinho a bucetinha dela na minha língua, comecei a chupar sua bucetinha com carinho e intensidade, senti na pele dela enquanto chupava sua bucetinha, ela ficar toda arrepiada, mamei, lambi, aquela buceta rosinha, pequena, cheirosa, intocada, e sendo tocada pelo próprio pai, me deliciei, eu olhava as vezes pra ela e via ela piscar os olhos em longas pausas quando sentia minha língua entrar nela, mamei sua bucetinha por muito tempo, não sei dizer quanto, não estava com pressa, não estava preocupado, eu não estava estuprando e nem machucando ela, estava tendo um momento só nosso, parei de chupar quando vi que estava toda vermelhinha de tanto eu chupar, me levantei ficando de joelhos na sua frente, passei meu braço esquerdo por baixo dela, levantando seu quadril, e com a mão direita coloquei um travesseiro em baixo dela deixando sua bucetinha na altura do meu pau, quando coloquei meu pau entre suas pernas em cima da sua barriguinha, decidi ali que não iria nem tentar enfiar meu pau nela, por que por mais tesão que eu tivesse, não iria jamais machucar minha filha, quando coloquei meu pau em cima dela, ele foi até o umbiguinho dela, e jamais iria entrar naquela bucetinha sem machucar, então eu passei a cabeça do meu pau na sua bucetinha que estava toda melada, e encaixei meu pau na sua bucetinha e iniciei uma punheta com a cabeça do meu pau esfregando na sua bucetinha, ora descia até seu cuzinho e voltava na bucetinha, enquanto minha outra mão explorava seu corpinho lindo, seus peitinhos, meu tesão aumentou quando olhei para ela com os olhinhos serrados, suas pupilas estavam dilatadas e sua respiração pesada, ela estava gostando do pau do papai esfregando na sua bucetinha, a cabeça do meu pau parecia que ia explodir, levantei seu corpinho e abracei contra o meu, me virei e deitei de costas com ela por cima, afastei um pouco ela, cuspi na minha mão para lambuzar mais meu pau, puxei ela pra cima e ela ficou com a bucetinha em cima do meu pau, ela colocou suas mãozinhas em cima do meu torax, com minhas mãos comecei a guiar seu quadril lhe ensinando o movimento de vai e vem, e em segundos ela aprendeu a cavalgar no pau do papai, e logo sozinha ela já estava rebolando devagar para frente e para trás, aquela visão da minha menina, da minha filha rebolando e esfregando a bucentinha no meu pau começou a dar vontade de gozar, então eu disse:
– Assim Laís, esfrega bem gostoso no pau do papai.
E ela obedeceu.
Foi quando ela me surpreendeu dizendo com aquela voz linda e meiga de menina:
– Goza papai.
Eu não aguentei e comecei a gozar,
Então pedi:
– Fala de novo.
E ela:
– Goza papai, goza.
Começou à sair esguichos de porra por todo lado, até no meu rosto, vi ela passando a mão na porra que se acumulava no meu abdômen e levando até a boca enquando esfregava no meu pau.
Pedi para ela me abraçar, ela se deitou em cima de mim se lambuzando com minha porra e escorregou para o lado, se aconchegando em meus braços, e em poucos segundos ouvi sua respiração ficar pesada e logo ela caiu em um sono profundo, e eu continuei ali quase desfalecido de tanto prazer e sem sentir culpa de nada, por que não tinha machucado minha filha e nem forçado ela à nada.
   Hoje tenho 40 anos, minha esposa 39, meu filho tem dezesseis e minha filha 21 anos, e até hoje mantemos nosso segredo, ninguém descobriu ou desconfiou de nós.
   Na próxima irei relatar a primeira vez que fizemos sexo de verdade.
    E para que saibam, mesmo depois de tanto tempo, sempre que estamos juntos por sermos pai e filha, parece sempre ser a primeira vez.
   Até a próxima….

Avalie esse conto:
PéssimoRuimMédioBomExcelente
(Média: 4,89 de 35 votos)

Por # #

16 Comentários

Talvez precise aguardar o comentario ser aprovado
Proibido numeros de celular, ofensas e textos repetitivos
  • Responder Annike

    Que saudade quando meu pai me chupava escondido eu tinha 9 anos

  • Responder Só Óleo

    Que sonho sentir uma bucetinha teen assim no meu pau

  • Responder @Jhikkdd

    Tinha que ter um mlk tbm, pra meter nós dois

    • tkpevert

      com certeza e eu adoraria ver tudo batendo punheta e depois limpar todos, quanto mais novinho melhor ( DISCORD tkpevert#8115

  • Responder Abelha do sexo com11anos

    Gosei d+ neste

  • Responder Carlos

    Maravilha de conto

  • Responder Tom

    conto gostoso, é assim que se faz com uma menininha, sem pressa com carinho, deixando ela mexer e gozar.

  • Responder Nilramos

    Show, adorei… Já estou ansioso pra ler o próximo, meus parabéns vc tem minha admiração

  • Responder Liah

    Conto top, com muito carinho e sem machucar amei. Parabéns!

    • Júlio_SC

      Olá Liah, muito obrigado, sempre tratei as mulheres a minha volta com ternura, imagina a minha filha então como seria, hoje ela já é adulta, muita coisa mudou, mas nos amamos mais a cada dia.
      Beijos

    • Liah

      Parabéns Júlio ameii seu conto e as continuações, foram ótimas tmbm.👏👏

  • Responder @safado

    Gozei caraca

  • Responder broca drow

    cara gosei gostoso com o seu conto. continua

    • Júlio_SC

      Valeu irmão…

    • Joel

      Julio_sc tenho uma filha de 13 aninhos, já está muito gostosinha, todos os dias, quando ela está se arrumando para ir para o colégio, eu fico admirando aquele corpinho, ela tem uma bundinha linda, umas coxas que dá tesão de olhar, eu quero muito comer ela, mas fico preocupado,
      Dá uma dica aí cara como posso fazer isso, como você conseguiu?

    • tkpevert

      gozando muit aqui também