# # #

Suzana 3

5532 palavras | 23 |4.13
Por

Acabei pegando a namoradinha novinha do meu filho e comendo ela gostoso.

Para entender bem o relato leia as duas partes anteriores. Depois de receber a mensagem da Suzana, desliguei o computador e fui na cozinha. Abri a geladeira, peguei um pedaço de torta salgada, um copo de coca e enquanto comia, pensava na Mãe e na filha. Nossa era inacreditável o que estava acontecendo. Se fosse contar ninguém acreditaria. Até eu estava duvidando, que era realidade e não um sonho. Terminei o lanche e fui escovar os dentes pra dormir. Ao me deitar olhei aquela mulher bonita e nova do lado e pensei… Que disperdício. Tinha me enrolado direitinho até ter filho e ficar aquela merda na cama. Sabia que não tinha outro na parada era a natureza dela. Via meu casamento ir pro ralo e tudo que construimos. Tava dormindo profundamente e bati uma pensando nas duas.

    Acordei cedo, ía levar o caminhão para lavar num lava-jato, acima do colégio Cintra. Era perto de casa e dava pra vir a pé. Marquei de buscar às 10h00. Na volta meu celular tocou, olhei, era Suzana, que perguntou se podia falar.
– Sim gata! Diga suas mágoas, estou sozinho.
– Diga, que aprontou com minha mãe ontem?
– Eu já tinha todas as respostas prontas.
– Nada gata! Não aconteceu nada.
– Não mente pra mim! Não faz eu perder a admiração e respeito, que tenho com vc. Eu vi seu pau duro quando deixou ela. E hoje saiu cedinho pro salão, coisa que não vejo a muito tempo. Até o brilho dos olhos dela mudou. Algo aconteceu…eu sei. Conheço minha mãe. Conta aí… vai? – Estava chegando na praça dos eskeitistas e me sentei num banco.
– Olha Suzana… Fiquei de pau duro sim, não nego. Mas foi porque ela me abraçou com medo no escuro da caverna. Vc me deixou na pior e meu tesão tá na flor da pele. E sua mãe é uma gata e parece com vc. Se ela resolveu se arrumar, foi porque fiz vários elogios a ela, para levantar sua auto estima. Isso daí eu sou culpado… entende? – ficou em silêncio na linha, então chamei o nome dela… Respondeu.
– Vc tá falando sério?
– Lógico garota! Vem cá e pense. Sua mãe como eu, não está sendo satisfeita por seu pai, só lavando passando e cozinhando pra vocês, nova e bonita que nem ela, não tem direito de ser elogiada por um homem e se sentir bonita e desejada?
– Vc tem razão… desculpe. Não quero vê-los  separados, mas que o papai merece um chifre… lá isto sim… merece. Ela te acha um tipão de homem e não quero vê-la sofrer.

– Nunca vou fazer isso, eu estou louco de tesão por vc. Sei que é errado mas não consigo me controlar.
– Eu já sabia, eu estou muito dividida, gosto do André mas também de vc, sempre gostei de homens mais velhos. A muito sonhava com que está acontecendo com nós agora. Sentia inveja do seu relacionamento com Andreia. Por isso, que perguntei do  seu relacionamento sexual com ela. Eu também tenho muito tesão por vc, não nego, mas não quero estragar seu casamento… entende?
Entendo sim! E ainda tem a nossa diferença de idade…
– Não ligo pra isso… juro! Bom minha mãe mandou convidar vocês para assistirem o culto de hoje a noite na nossa igreja, papai está em Guimarães, vocês vêem?
– Diga a ela que sim! Aah! Vou colocar mais crédito pra você mandar mais fotos pra mim. Segunda vou viajar e queria ter suas fotos comigo, na volta apago… pode ser?
– Pode sim! Vai ser uma punheta danada heim? E deu uma risada gostosa.
– Advinhona…
– Tchau! Tenho que desligar.
– Tá ok! Tchau!

    Ufa! Não foi fácil mas consegui enrolar Suzana, o primeiro round eu tinha ganho. Uma menina novinha dessa, não era páreo pra mim, com minha experiência. A mãe era presa fácil, mulher casada, que o marido não dá assistência dá nisso… chifre. Ambas eram loucas por sexo, mais uma vantagem pra mim. Só dependia de fazer um sexo bem feito, completo e teria as duas na palma da mão. O perigo era a mãe, que era mais vulnerável. Mulher casada que só teve um parceiro ruim de cama, quando pega um “mala”… enlouquece. Faz todo tipo de besteira, o primeiro é querer largar o marido. Perde a noção do perigo, esse filme eu já tinha visto antes. Eu ía prosseguir com muita cautela. Às 10h00 fui pegar o caminhão e levei pro posto perto de casa no Anil. Aproveitei e coloquei crédito pra Suzana.
Avisei Andreia do convite e disse, que tinha aceitado. Mas André disse que não podia ir pois tinha que tocar na igreja. Então pegaria carona com nosso pastor que morava em frente a nossa casa. Géssica ía com o primo pois tinha que cantar e já tinham ensaiado. Às 19h00, já  estávamos lá. Quando Silvana e filha vieram nos receber, quase caí de costa tava toda chique e arrumada, até maquiagem ela fez. Me comprimentou com um forte aperto de mão e os três beijinhos tradicionais. Seu olhar brilhante, sorriso franco e alegre me deixou cativado, tava linda é bem vestida. O perfume suave e gostoso me chamou atenção.
Comprimentou Andreia normalmente e nos convidou a entrar. Quando comprimentei Suzana, ela me confidenciou.
– Notou a mudança?
– Notei! Foi para melhor. Coloquei crédito.
– Eu vi! Tiro e mando mais tarde. Cuidado com seu celular. – Acenei concordando. – Quando terminou o culto vários irmãos e irmãs vieram nos comprimentar, eu estava a certa distância da Andreia quando senti me puxarem pelo braço, era Silvana.
– Me liga, preciso muito falar urgente com vc. Sua mulher tem meu número. Dá pra ligar hoje?
– Se não der hoje, ligo a manhã cedo. Vc tá linda!
– Obrigado! – Deu um sorriso luminoso.
– Nos preparamos, para ir, e as convidamos para deixá-las em casa, mas disseram que iam demorar.

    Me levantei bem cedinho, peguei a mala que deixei arrumada, os documentos e dinheiro. Andreia também se levantou, despedimos e fui pegar o caminhão no posto. Tinha desligado o celular, só liguei quando estava dentro da cabine. Durante o trajeto ouvi, que mensagens chegava no celular. Entrei com o caminhão dentro da Poty após o porteiro me liberar. Fui no escritório para pegar a autorização de carregamento. Tinha que carregar 400 sacos, para Turiaçu. Encostei o caminhão e fiquei aguardando o carregamento, só então fui olhar o celular. Suzana tinha mandado três fotos. Uma foi tirada em frente o espelho mostrando o corpo inteiro totalmente nua, a outra, nua dá cintura pra cima e mais um closet da bucetinha, mas com as pernas abertas. Nossa! Sem comentários, meu pau reagiu na hora. Era hora da onça beber água, ía ligar pra Silvana. Tinha pego o número no Cel da Andreia. Disquei e aguardei ela atender.
– Bom dia gata! Não deu pra ligar ontem.
– Tudo bem! Foi o que pensei.
– Qual a urgência?
– Neto! Tem duas noites, que não durmo direito, pensando no que aconteceu. Porque vc fez aquilo comigo? Vc tem uma mulher bonita, nova… É diversão? Eu não sou uma qualquer, nunca trai meu marido, sou boa mãe. Porque Neto? – Senti que ela estava quase chorando…
– Posso me explicar?
– Pode! É isso que eu quero…
– Então me ouça com atenção, sem me interromper. Primeiro… sei que vc não é uma qualquer e se fosse não me interessava. Segundo… não costumo me divertir dessa forma. Terceiro… todos vêem a pinga que tomo, más não os tombos que levo. Ter mulher bonita e jovem não é sinônimo de felicidade. A muito tempo, não tiro vc do pensamento, e quando tive vc perto de mim não resisti. Não vou me desculpar porque se tivesse outra oportunidade, faria de novo. Quando te vi na igreja ontem, tão linda quase meu coração saiu pela boca. É sobre minha mulher nosso problema é sexo. Não me satisfaz. Dá para vc entender? – Ela respondeu devagar…
– Entendo! Eu também sofro com isso. Mas vc sabe o que vc fez é errado? Nós somos crentes! E pecamos!
– Também somos seres humanos, vamos deixar um pouco a religião de lado. Temos também o direito de ser feliz. Agora me diga só uma coisa, vc gostou ou não?
– Na hora fui pega de surpresa, e como estou carente… – A interrompi na hora.
– Não enrola…gostou ou não?
– Não estou enrolando… O pior que gostei e por isso estou assim. Quero saber que vc pretende fazer em relação a nós dois? – ” BINGO” tava na mão. – Nós temos família, responsabilidades, não podemos abandonar tudo de uma vez. Temos primeiro ficarmos nem, que seja uma vez, para saber o que vamos sentir. Depois veremos. Não somos os primeiros  no mundo a trair e nem seremos os últimos.
– Sei não! – Tinha que dar o golpe final.
– Me dá uma chance só. Quero te levar pra cama, levar ao paraíso, fazer tudo que tiver vontade e realizar todas suas fantasias… sei que tem.
– Neto! Neto…vc tá confundindo toda a minha cabeça. – O caminhão já estava carregado, tinha que tirar nota.
– Linda quando estiver lá no Ferry, te ligo para falarmos com calma ok?
– Tá bom! Vc vai demorar?
– Uns dois a três dias, mas vou por crédito pra vc, para falarmos constantemente. Tchau! – Desliguei e fui no escritório pegar a nota. Cheguei no posto Maracanã enchi o tanque e troquei a carta de crédito do frete e pegando o troco. Depois de carimbar a nota no posto fiscal, coloquei o caminhão na fila para embarcar no Ferry boat para atravessar a baia de São Marcos. Aproveitei para ligar de novo, para Silvana.
– Alô! Oi Neto, já está no Ferry?
– Sim gata! Vou mandar um presentinho pra vc. E enviei a foto que tinha mandado pra filha. Esperei um pouco e logo o celular tocou. Era ela
– Nossa Neto! Vc é louco! – mas deu uma risada. Então não achou ruim…pensei!
– É muito grande, e também muito bonito!
– Que bom que gostou! Quero que me mande dos seus seios.
– Tá doido mesmo, acabei de crer. – resolvi não dar corda e perguntei…
– Que dia o Edu vai chegar?
– Lá pra quinta ou sexta-feira. Quarta eles vão tocar em Cururupú.
– Certo! Vou comprar a passagem e mandar crédito para vc ok? Quando estiver decarregando em Turiaçu te ligo de novo. Olha… quando chegar lá já quero ver a foto.
– Não sei se vou fazer isso!
– Sei que vai…vc é boazinha! Tchau! – Desliguei sem dar tempo dela opinar. Saiu o primeiro Ferry, só daria para ir no das 9h00 . Aproveitei para comprar os créditos numa das barracas de comidas. Quando deu o horário consegui embarcar no “cidade de pinheiro”. Às 13h00 estava decarregado em Turiaçu e resolvi olhar o celular e lá estava uma mensagem com uma foto de um par de peitos lindos sem mostrar o rosto. A filha tinha por onde puxar. Eram um pouco menores que que os dá Suzana, com os bicos maiores pois deu de mamar, mas eram fimes e empinadinhos. Já não tinha mais volta…tinha se entregado. Ia fazer mais um teste para ver seu grau de obediência. Liguei pra ela que atendeu de imediato.
– Oi já está em Turiaçu?
– Estou descarregando. Obrigada pela foto!
– Não sei onde estava com a cabeça e nem onde arrumei coragem. Gostou?
– Muito! São lindos! Como eu esperava. Vou chupa-los muito quando chegar. Vou dirigir direto e quando chegar em Capanema te ligo. E quando eu chegar lá quero outras fotos deles com seu rosto e da sua buceta.
– Do rosto não… alguém pode ver.
– Pode confiar ninguém vai ver. Quando estiver voltando dentro do Ferry, apago todas quero curtir vc enquanto estiver na estrada e bater umas pra vc, olhando elas.
– Louco! Te cuida, cuidado nessas estradas.
– Não se precupe, quero voltar pra ficar com vc bem gostoso.
– Vai com Deus meu amor. – Desliguei, pronto até de meu amor já estava me chamando isso era muito bom de ser ouvido de uma mulher. Passei uma mensagem para Suzana agradecendo as fotos e dizendo a hora, que ia ligar pra ela a noite.

    Quando cheguei próximo a Capanema, que o celular pegou rede ouvi os alarmes de mensagens apitar. Cheguei no posto enquanto abastecia fui tomar um refrigerante e apreciar as fotos da Silvana. Sorri satisfeito. Paguei o abastecimento e flertei com a caixa do posto que já conhecia de outras viagens. Cheguei em Mãe do rio tomei banho no posto, jantei, e fui pra cabine do caminhão. Era um Ford Cargo 2422, trucado, semi-leito com ar condicionado e refriar, com cheirinho de eucalipto. A cama era confortável e todo cortinado. Me deitei e liguei para Suzana.
– Oi Neto! Já chegou?
– Sim! Estou me preparando pra dormir, Olhar suas fotos e bater uma.
– Gostou? Queria ver vc batendo. Neto minha mãe está muito diferente, alegre, sei não heim? Mas estou feliz com a mudança dela. – Olha gata! Só vou dizer uma coisa quando chegar aí vou chupar essa bucetinha e fazer vc chupar meu pau isso sim. – Safado! Vou ter que desligar…tchau! Aah! Deixa eu contar uma coisa fiquei sabendo de umas safadezas do seu filho, e vou conferir se é verdade. Boa noite! – A danada desligou. Nossa! Era complicado manter contato com as duas ao mesmo tempo. Tava na hora de ligar para a mãe. Resolvi primeiro tomar uma água com gás. Desci do caminhão e fui no restaurante que havia jantado. Pedi a água e nesse momento entra duas mulheres, que chegaram numa moto e eram minhas conhecidas. Uma loira gostosa pra burro, e sua fiel escudeira, magrinha e pequena. Rosângela só tinha um probleminha… Era muda e Mirtes sua amiga inseparável e tradutora. Tinha terminado o noivado com o gerente, de um laticínios, onde trabalhava com a Mirtes. Gostava de uma cervejinha, a ali era seu ponto preferido. Tinha um rosto razoável, mas o corpo era de parar o trânsito. Me comprimentaram com abraço e beijinhos. Convidei pra sentarem comigo, que foi aceito. Uma vez quase deu certo de ficarmos, quem sabe se não dava dessa vez. Diziam a boca pequena, que Rosângela chegava a chorar num pau, chupava como um bezerra desmamada, dava o cu como ninguém. Por isso era muito assediada. Pedi logo uma cervejinha pra elas e marcar o ponto. Mirtes não era muito bonita más dava pra comer bem. E diziam que as duas, também brincavam e teve um cara que ficou com as duas. Me lembrei da ligação, então pedi a Mirtes para não deixar ninguém sentar, que ia fazer uma ligação. Corri no caminhão e quando peguei o celular tinha duas ligações. Da esposa e da Silvana. Retornei para Andreia, que só queria saber, se tinha chegado bem. Depois liguei para Silvana. Que perguntou porque não atendi, e expliquei que tinha chegado e fui tomar banho e jantar. Agradeci as fotos, teci incontáveis elogios. Expliquei que tava cansado e de manhã ligaria pra ela.

    Corri para o bar e me sentei novamente com as duas. Tinha muita gente querendo estar no meu lugar. Se não estivesse na hora que chegaram, não tinha conseguido. Eu me virava bem me comunicando com ela. Já tive uma empregada muda, mas isso não tem relevância agora. Depois de uma meia dúzia de cerveja, já tinha convencido ela a ficar comigo, mas não aceitou ficar no caminhão e sim na sua casa que aceitei incontinente. Ela levou Mirtes que também ía dormir lá e depois veio me buscar na sua moto. Peguei o celular, fechei o caminhão e sai andando e me encontrei com ela no caminho, era perto. Morava numa casa com área ou alpendre, onde deixava a moto, sala, quarto com banheiro e cozinha. Entramos e Mirtes estava na sala vestida numa camiseta muito grande pra ela, com os peitinhos quase furando. Rosângela me puxou pro quarto e encostou a porta. Nos abraçamos e começamos a se beijar, ela beijava muito bem. Focamos vários minutos nesse beijo, que subiu um tesão louco. Me elogiou, que beijava bem e tinha gostado muito. Tiramos a roupa e fiquei extasiado com sua beleza. Os seios eram uma obra de arte, e eu admiro muito uma mulher que tem os seios bonitos. Barriga chapada, cintura fina, um Sr par de pernas, uma buceta começando a nascer cabelos, pois tinha se depilado recente, muito linda!
Caímos na cama e depois de outro beijo, passei a mamar nos seus peitos. Desci para sua buceta, que tinha um cheiro bom, mostrando ser bem higiênica. Abri suas pernas e comecei a chupar. Eu chupo porque gosto, adoro sentir uma mulher gosando na minha boca.e solver seu líquido. Rosângela não demorou a gozar com um escândalo imenso. Notei que era multiorgástica. Me retribuiu chupando e fazendo jus a sua fama, me fazendo gozar rápido. Eu continuei de pau duro, eu conseguia gosar três e até quatro vezes sem tirar, dependendo da mulher. Isso acontece comigo até hoje. Subi em cima dela e enquanto eu gosava duas, ela gosou quatro, dando razão a minha suspeita. Me arranhava as costas, enlaçava as pernas em volta da minha cintura, notei que gostava de apanhar e dava-lhe na cara sem dó. Achei que ía acordar a vizinhança toda. Descansamos uns 4 minutos e veio chupar de novo, me devolvendo o tesão e virou-se ficando de quatro na beira da cama e como num passe de mágica, apareceu um tubo de lubrificante, que com calma passei no seu cuzinho e na cabeça do pau. Encostei e tive que fazer força para introduzir, explicando o motivo do lubrificante. Foi entrando devagar, as paredes foram se abrindo como se não quisesse receber o intruso, quando deu no meio dei uma recuada e enfiei com vontade. Sua bunda era muito linda redonda e volumosa e firme. Motivo dos olhares masculinos onde passava. Comecei um vai e vem lento e fui aumentando, ela se jogava pra trás com violência, não falava mas gemia que só. Eu segurava no seu cabelo e dava-lhe palmadas na bunda, que ficou vermelha. Depois de duas gosadas bem dadas, demos mais um tempinho. Ela me convidou para tomar banho. Sentados na cama por intermédio de sinais perguntei se Mirtes não toparia também. Deu um sorriso cúmplice e fez sinal, para convidá-la. Me enrolei na toalha e fui onde ela. Estava sentada no sofá com as pernas encolhidas. Quando percebeu minha presença falou…
– Eita! A festa tá boa heim? – Fui por trás do sofá e a abracei pelas costas cruzando os braços em volta dela e com as duas mãos em concha em seus peitos. Não teve reação e então convidei…
– Não quer participar?
– De quem é o convite? – Expliquei que era de ambos. Levantou-se e coloquei o braço no seu ombro e a conduzi para o quarto. Nem me preocupei de fecha-lo, ela ficou em pé ao lado da cama e eu levantei a camiseta e tirei. Ficou só com uma calcinha branca, que tirei também. Seu corpinho era proporcional a seu tamanho era arrumadinho. A bucetinha era depilada. Abracei-a e quase sumiu em mim. Abaixei para beija-la, sob o olhar atento de Rosângela. Chupei seus peitinhos e depois pedi para Rosângela se levantar também. Pedi que queria ver as duas se beijando, Mirtes ficou na dúvida, mas Rosângela deu de ombros e abraçou a colega e deram um beijão de língua de fazer inveja. Me aproximei e falei com Mirtes que transmitiu meu recado para a outra. – Aqui vai rolar tudo sem frescuras ok. Elas concordaram. Com Rosângela ainda em pé, coloquei Mirtes para chupar um peito e eu outro, ela aproveitou para pegar na buceta dela é enfiar os dedos. Deitamos ela na cama e enquanto a beijava e chupava os seios Mirtes chupava sua xana. Depois invertemos a posição, e fizemos até ela gosar. Mudamos de parceira, fizemos o mesmo com a Mirtes. Todas as duas gosaram e notei que o gosto do líquido de Mirtes era um pouquinho mais ácido. Subi em cima da Mirtes e meti-lhe a vara com gosto fazendo-a gosar muito e gemer muito também. Coloquei as duas pra fuderem também, se chuparam, fizeram um 69 e quando Rosângela estava por cima coloquei-a na beira da cama e enquanto Mirtes chupava sua buceta eu enfiava no cu dela. Fiz o mesmo com a outra. Depois que paramos Mirtes disse: – Eu estava achando muita gritaria, mas como não gritar numa vara dessa. Queriam que dormi-se lá, mas resolvi ir para o caminhão.

    Comecei carregar cedo e lá pelas 10h00. Com o caminhão carregado, enlonado e nota tirada caí na estrada. Almocei e completei o tanque em Sta. Maria e segui na estrada. Falei com a esposa, Silvana e Suzana. Silvana estava apaixonada e só me chamava de amor. Lá pelas 20h00, estava em Maracassumé, onde parei para tomar um banho e lanchar um X- Bacon. Não quis jantar. Dei mais uma ligada para Silvana. Ela atendeu…
– Oi amor! Onde vc já está? – Falei e disse que ía descansar umas duas horas e depois pegaria a estrada novamente.
– Menti, que quase me matei de tanto masturbar olhando suas fotos. Então me confidenciou que também tinha feito o mesmo vendo a foto do meu pau e pensando em mim.
– Sabe Neto! Eu já sou compulsória, como meu marido não dá conta do recado, recorro à masturbação para me satisfazer. – Me contou que já tinha sido cantada várias vezes, mas não tinha cedido. Falou também de um rapaz, que tocava na banda do marido, tinha se apaixonado por ela, se declarou várias vezes, mesmo assim resistiu e pediu pro marido dispensa-lo. Ele percebeu o porque.
– Esse segredo vc não pode contar pra ninguém. Já flaguei a Suzana se masturbando, não tive nem como brigar com ela. – então fiz uma proposta pra ela.
– Vamos fazer um sexo por telefone. Vc está no seu quarto?
– Sim estou! – Mandei ela tirar a roupa, eu estava na cama com as cortinas puxadas. Ela obedeceu, ranquei meu pau pra fora e mandei ela se tocar enquanto fazia o mesmo, e fui falando que estava chupando seus peitos, fui falando pousadamente tudo que queria fazer com ela. Gemia do outro lado da linha enquanto eu falava…
– Isso amor me come gostoso…vai enfia tudo… aí amor estou quase gosando! Vai fode me arrebenta…vai vou gosar…vaiiiii! Estou…estou gossandooooo….

      Duas horas depois peguei a estrada. Quando deu 00h45 estava no Cujupe colocando o caminhão na fila do Ferry. E às 9h00 , da manhã cheguei em São Luis. Já tinha ligado para Andreia, deixar os xapas no ponto, para irmos descarregar a farinha na Raposa. Ao meio dia já tínhamos descarregado 200 sacas de 50 kg e 400 fardos de farinha Tia Neném no feirão da carne. Na quinta-feira levei o caminhão para dar uma lavada geral, para tirar o sal da maresia, na travessia da baía. Chegando em casa, notei, que o mar não estava pra peixe, o ambiente estava carregado. Quando entro no nosso quarto, deparo com Suzana chorando e Andreia tentando contornar uma situação.
– Amor foi bom vc chegar.
– Que aconteceu? – Suzana continuou com a cabeça baixa, sem me encarar. E Andreia me contou que os dois tinham brigado e terminado o namoro. Ela descobriu que André estava saindo com outra garota. Uma loirinha sem sal, filha de um policial rodoviário federal, que morava perto do Cintra. Também pediu que eu a leva-se em casa. Eu tinha que ir em São José do Ribamar receber uma conta e realizar umas vendas. Depois iria depositar o recebimento para o meu irmão, já fazendo um adiantamento, para compra de matéria prima. Eram umas 10h00, e só chegaria à tardinha. Chamei Suzana e entramos no carro. Após andar um pouco Suzana falou…
– Neto vc vai aonde? – Expliquei meu itinerário e ela pediu…
– Deixa-me ir com vc, prometo não atrapalhar. A mamãe foi ficar com minha vó no hospital e só vai chegar à tarde. Deixei minha chave, meu irmão tá no trabalho e não vai almoçar em casa. Pensei só dar uma dura no André, mas ele aproveitou a deixa para terminarmos…azar o dele. Além disso vc não vai sair perdendo, te garanto. – Me deu um sorriso cheio de promessas. – Tudo bem… vamos lá. Mas depois eu cobro heim?
– Vc sabe que pago né? – Acenei que sim. Ela viu meu celular no console e pegou. Não disse nada. Ela procurou e só achou as fotos de Andreia nua e do meu pau que tinha mandado pra ela. Olhou pra mim e perguntou…
– Apagou? – Balancei a cabeça concordando. Tinha apagado tudo no Ferry. – Humm…sua mulher e bonita de corpo.
– Prefiro vc! Ela me olhou com cara safada e redarguiu.
– Eu também! – ficamos em silêncio e com um olhar perdido visualizava a janela do carro. Ela tinha chorado lá em casa, era o orgulho ferido, ou encenação…pensei. Meu celular continuava na sua mão. Cheguei em Ribamar, e recebi logo do Carlinho. Fui em três clientes rapidinho e passei no banco do Brasil de lá mesmo e depositei no caixa eletrônico. Antes do meio dia já tinha resolvido tudo. Voltamos para São Luís. Dei uma olhada de esguelha, estava vestida com um short branco, blusa laranja tomara que cai, e tênis branco. Seus cabelos estavam soltos e toda hora mexia neles. Seus seios tremulavam soltos por baixo da blusa sem sutiã. Tava linda! Que cara burro meu filho. Suas pernas morenas, gostosas, era uma tentação. Coloquei as mãos nelas, em sentido protetor, senti a pele, parecia seda de tão macias e delicadas.
– Tá triste? – Respondeu rápido…
– Que nada já passou. Quando entramos em São Luís perguntei?
– Onde quer ficar? – Deu os ombros e disse:
– Não sei… não tenho nada em mente.
– Não vou deixá-la sozinha, vai ficar comigo até sua mãe chegar. – Me olhou com um sorriso maroto dizendo.
– Não posso ser vista, sozinha por aí acompanhada de um coroa gostoso, que vão pensar de mim? Então temos que ficar num local discreto, se possível onde posso pagar minha promessa. Use a cabeça.
– Na igreja? – me deu um tapa no braço.
– Besta! – E rimos. Levei-a num motel perto do seu bairro. Meu coração batia acelerado, chegamos na portaria, peguei a chave de um apartamento tipo A e entramos na garagem. Já dentro ela olhava tudo com curiosidade. Dando sua opinião.
– Bonzinho…gostei! Tinha uma piscina de hidromassagem que olhou curiosa. Me sentei na cama e esperei ela fazer a avaliação. Parou na minha frente e me puxou pela mão, para me levantar. Nos abraçamos e sem uma palavra nos beijamos. Um beijo suave, que depois foi esquentando, ficando selvagem, molhado, procurei sua língua com a minha…perdemos o controle, as mãos, pareciam ter vida própria, a respiração ofegante demonstrava o tesão que se apossou de nós. Levantei sua blusa e acariava aqueles peitos que muitas punhetas me fez bater, apertava beijava, chupava, estava descontrolado. Terminei de sacar a blusa, e tentava freneticamente tirar seu short. Não estava conseguindo, tamanha era aflição que acabei precisando da sua ajuda. Ela ficou nua na minha frente e brincou…
– Calma! Nao vou fugir. – Me ajudou a tirar a minha e fiquei ali em pé de pau duro na sua frente. – Nossa Neto! Assim pelado parece maior. – Nem dei bola, joguei-a na cama e tornei beija-la. Enquanto meu pau encostava na sua pele macia. Chupei seus peitos, fazendo-a gemer, fui em direção a sua bucetinha, desci pela barriga, seus pelinhos uriçaram. Abri bem suas pernas e e enfiei a língua naquela xaninha dos sonhos. Passava a língua de forma de não deixar nada sem explorar, achei e explorei o buraquinho da bucetinha, levantei mais e dei uma linguada no seu cuzinho, arrepiou-se toda. – Nossa Neto! Que gostoso! Cheguei no seu grelinho e pareceu que tinha recebido um choque, segurava minha cabeça em encontro de sua bucetinha rebolando na minha boca. Começou a falar coisas sem nexo e gemer, logo senti seu líquido inundar minha boca era saboroso. Gritou. – Estou gosando porraaa! … Em seguida esmoreceu. Dei um tempinho para se recuperar.
– Porra Neto! Nunca gosei assim, foi divino. – Achei graça dos palavrões ditos por uma crente. Depois foi minha vez, me chupou até gosar na sua boca. Chupava muito bem e engoliu tudinho. Não baixou… Continuou duro tamanho era meu tesão. Subi nela e logo se abriu toda, mesmo molhada entrou com dificuldade, era muito apertada. Depois que entrou tudo comecei a bombar rápido, enlaçou as pernas e pedia… – Vai enfia tudo. Tá muito gostoso! Vai meu safado! Faz o que seu filho nunca deu conta, gosa dentro gosa… Estou gosandooooo… Meu amor, te amooo… – Gosamos juntos. Depois de um merecido descanso, tomamos um belo banho onde ganhei mais uma chupada. Lá servia uma boa comida. Pedimos um filé a parmegiana com fritas para reforçar. Enquanto fazia fomos pra hidro. Jogamos água um no outro, estávamos felizes. Então perguntei se ela queria me dar o cuzinho.
– Hoje vc tem direito a tudo! Nunca dei tão gostoso…juro! – então entrei no assunto da sua mãe.
– Vc não acha que sua mãe merece um cara para dar uma foda boa também?
– Merecer…merece. Mas se ela der, larga meu pai e não quero isso. – Não toquei mais no assunto. Comemos e ficamos assistindo filmes pornô, então perguntou…
– Neto vc teria coragem de largar sua mulher por mim. – Olhei sorrindo e devolvi a pergunta…
– E vc teria coragem de deixar tudo e viver comigo? – Respondeu sem pestanejar…
– Teria sim, vc topa?
– Menina tá muito cedo para pensarmos nisso, tá muito recente.- Comecei acaricia-la de novo e tornei chupar sua bucetinha…depois coloquei-a de quatro peguei um envelope de lubrificante, passei no seu cuzinho, no pau e encostei na entrada e fui empurrando devagar… Reclamou da grossura, mas não fugiu da raia, tornei a forçar entrando a cabeça, esperei um pouco e enfiei mais até a metade, disse que tava doendo, acalmei-a e logo enfiei o resto. Dei mais uma parada e comecei a fazer o vai e vem. Logo gemia e dizia que estava gostoso. Fudi muito seu cuzinho. Gosou bastante e depois foi minha vez. Ficamos lá até às 16:00 hrs então levei-a pra sua casa.
    Continua.

⏩ O melhor site de desenhos animados pornô do 🇧🇷, HQs eróticas🔥

Avalie esse conto:
PéssimoRuimMédioBomExcelente
(Média: 4,13 de 15 votos)

Por # # #
Comente e avalie para incentivar o autor

23 Comentários

Talvez precise aguardar o comentario ser aprovado
Proibido numeros de celular, ofensas e textos repetitivos
  • Responder Arthur ID:45xyqk9kb0kj

    Neto! Tem duas noites, que não durmo direito, pensando no que aconteceu.

    Neto, tem duas noites que não durmo direito pensando no que aconteceu!

    Não sabe utilizar uma vírgula não desgraçado?

    Você me chama de analfabeto e é pior do que alguém mal alfabetizado, energúmeno, você é fanho e escreve fanho também?

    Por isso esse monte de vírgula sem sentido?

    Inclusão literária de fanhos, é isso? (kkkkk)

    Você é deprimente, se eu fosse você nem me replicava, acabo com você digitando com uma mão somente.

  • Responder Juca ID:g3iqvgd9io

    Zorro, vc tem Telegr4am?

  • Responder Zorro ID:5pbaat9rb0in

    Obrigado espadachim, amigo de longa data.
    Nem ligo pra esses otários. Não saio de rota com os comentários desses invejosos. Estou esperando vc publicar algum trabalho seu nesse Site. Mostre pra esses invejosos também o grande escritor que vc é. Mostre o quão criativo vc é… vou aguardar.

  • Responder Doidão ID:5h7lvkxz2

    Coisa horrível não tem criatividade vai e pega a dos outros , já pensou se a moda pega hein Zorro ?

    • Zorro ID:5pbaat9rb0in

      Seu apelido já diz o que vc é… além de doido é burro. Vou explicar de novo. Eu publiquei noutro site mas um não passou por causa da idade. Então retirei todos e publiquei nesse site. Que me receberam de braços abertos. Os contos são meus não necessito plagiar ninguém. Agora pessoa como vc que não tem inteligência pra escrever porra nenhuma fica criticando que sabe. Te desafio achar noutro site alguns que estão publicados aqui seu OTÁRIO.

  • Responder Arthur ID:6suh53i8rio

    Coisa feia em zorro seu bosta, copiando e colando contos aqui? Alem de mal alfabetizado é plagiador.

    • Zorro ID:5pbaat9rb0in

      Como já disse e repito vc não passa de um OTÁRIO invejoso, pois não tem capacidade de criar nada. Pelos seus comentários da pra ver que mal terminou o primário. Me mostra o contrário publicando algo.

    • Zorro ID:5pbaat9rb0in

      Pelos seus comentários nota-se que nem terminou o primário. Esta pegando carona noutro idiota igual vc. Como esse relato é meu posso editar no site que quiser. São vários capítulos vou postar mais um hoje. Leia pra vc se aprende escrever.

    • Anonimo ID:5pbaat9rb0in

      Esse Artur é um piolho babaca, pensa com a cabeça dos outros. Pra cima desse bundão invejoso. Cade seus contos? escreve em vez de estar falado merda.

    • Arthur ID:7n7gxq3oii2

      Zorro você realmente é uma coisa insignificante mesmo, insignificante e com complexo de inferioridade ainda, escreve mal e imputa aos outros um analfabetismo que não existe, não no meu caso pelo menos, você é ridículo, tão ridículo a ponto de comentar duas vezes por ter perdido a linha, incapaz de passar vergonha se respalda publicando comentário com outro nome de usuário, lixo ridículo.

  • Responder Rafael ID:on90enqb0ap

    Muito bom… moro no Maranhão também, perto de Maracaçumé rs

    • Zorro ID:5pbaat9rb0in

      Moro atualmente em São Luís. Mas morei em Boa Vista de Gurupi.

  • Responder Putão ID:41igzf7jhrcm

    Mas se ela tinha terminado com o filho, onde houve a traição? Pq a esposa do cabra vei não conta e as outras quengas acho que ngm nem lê e pula logo pra parte da Suzana.

  • Responder Anônimo ID:5h7lvkxz2

    Vergonhoso colar contos hein!

    • Anônimo ID:8d5st9uqr97

      Texto copiado dá nisto, fica confuso kkkkk

  • Responder Anonimo ID:h5hqywozjk

    Adorei os detalhes

  • Responder Anonimo ID:h5hqywozjk

    Muito bom, continua logo 🤤

  • Responder Anonimo ID:h5hqywozjk

    Excelente, não demora pra continuar a part 4 aguardando ansiosamente…

  • Responder Anonimo ID:5pbaat9rb0jm

    Que conto maravilhoso, vc escreve muito bem. Pode escrever profissionalmente.
    Virei seu fã, continue.

  • Responder Anônimo ID:830wya64qj6

    O dito “autor” Zorro copia e cola seus contos de outros sites. Basta dar uma pesquisada no Google para conferir.

    Este conto por exemplo está publicado no link abaixo desde 2018. Este e vários outros que ele cópia aqui. Então, se se deixe enganar, confira o link:

    https://www.contoerotico.com/conto/115772/685161/suzana-parte-3.html

    • Zorro ID:5pbaat9rb0in

      Oi OTÁRIO não te passou pela cabeça que foi eu que escrevi pra outro site. Já escrevi para outro site. Parei por problemas com a idade. Isso por acaso é crime OTÁRIO. Procure saber antes de acusar. Conheço vários escritores que postam o mesmo conto em sites diferentes. Meu intuito é fazer meu trabalho chegar ao maior número de leitores possível. Satisfeito invejoso. Porque não vejo nada seu escrito em lugar algum.

    • Espadachim ID:5pbaat9rb0in

      Vc não passa de um idiota, e que te acompanha também. Porque Vc não acusa a Vanuza também? Porque é mulher. Ela também escreve o mesmo conto em dois sites diferentes. Ela pode pois é dela. O Zorro não copiou ele escreveu e depois retirou tudo do outro site. Passei uma mensagem pra ele pra saber o porque seus contos tinha sumido e ele me explicou. Me deu o nome que ia usar aqui e o site. Ele é uma pessoa seria e grandé escritor.. Não se abata amigo e continue seu trabalho de nos dar alegria e tesão. Esses invejosos que se fodam

    • Arthur ID:7n7gxq3oii2

      Zorro você é deprimente, você escreve uma réplica e uma tréplica por cima com outro nome de usuário, perdedor do caralho.