# # #

Meu marido nem imagina que cheguei a chorar com o pau do seu Gabriel dentro do meu cuzinho

6533 palavras | 6 |4.42
Por

Traí meu marido linguarudo fazendo tudo que ele sempre quis fazer comigo

Olá meu nome é Fernanda. Tenho 26 anos, cabelos loiros, olhos verdes, 1.68m, 60kg, seios médios, cintura fina, quadris largos, bumbum um pouco acima da média, mas não muito grande, alias meu bumbum é a parte do meu corpo que tanto eu como meu marido mais gostamos.

Não sou nenhuma beldade, mas me considero uma mulher bonita, pois sempre cuidei do meu corpo.

Vim aqui porque quero dividir com vocês essa história que aconteceu comigo recentemente

Tudo começou a mais ou menos um ano atrás.

Sou casada há seis anos com Rafael, e só tive um namorado antes dele, na verdade meu marido foi o primeiro homem a quem me entreguei. Hoje temos uma filhinha linda de quatro aninhos.

Meu marido é muito bom para mim, ele é super atencioso comigo e nossa filha. Ele é trabalhador, honesto, um homem batalhador, seus defeitos é falar alto e quando bebe, às vezes fica falando para os amigos sobre nossas intimidades. Eu já briguei várias vezes com ele, até perdi a conta de quantas vezes me prometeu parar com isso, mas é só juntar os amigos e começar a bebedeira, lá vem ele de novo com sua língua solta. Nossos amigos em comuns já conhecem a fera e nem ligam para seus comentários, o problema é quando no meio da conversa tem alguém que não faz parte da nossa turminha.

Meu marido é mecânico e temos uma oficina há poucas quadras de casa, graças a Deus temos muitos clientes e dá para a gente levar uma vida razoavelmente bem.

Antes de a nossa filha nascer eu ficava o dia todo no escritório, hoje contratamos uma funcionária para fazer meu serviço, mas mesmo assim ainda sou a responsável pelo financeiro da nossa empresa, e pelo menos uma vez por semana dou uma passada lá para acompanhar o andamento do serviço.

A oficina vive sempre cheia de gente, tem muitos amigos e clientes sempre entrando e saindo. Quando estou na oficina, evito sair pra fora, pois graças à língua solta do meu marido, alguns clientes e amigos ficam me comendo com os olhos. Cansei de receber cantadas chulas, sorrisinhos maliciosos e ouvir gracinha de pessoas que se dizem amigos dele, por esse motivo os churrascos são feitos na oficina e só os mais íntimos recebemos em casa, na realidade são poucos amigos que frequentam nossa casa.

Em uma festa de aniversário na casa de amigos, conheci um casal bem bacana, o seu Gabriel e a Bea, meu marido já os conheciam, pois é um dos nossos clientes. Mesmo eles sendo um pouco mais velhos do que nós, descobrimos que tínhamos muitas coisas em comuns. Seu Gabriel e a Bea formam um belo casal.

Bea com uns trinta e cinco anos, morena alta, rosto bonito, corpo perfeito e seu Gabriel um pouco mais velho na faixa dos cinquenta, meio grisalho, moreno alto, corpo atlético, resumindo ele é um homem muito bonito e comunicativo.

Com o passar do tempo essa amizade foi crescendo e se tornamos amigos.

Um dia eu e o Rafael fomos convidados a ir ao aniversario da Bea na casa deles, e aí foi que tudo começou.

No dia do aniversário deixamos nossa filha com minha mãe e fomos para a festa, confesso que estava meio receosa, talvez por eles pertencerem a outro nível social. Seu Gabriel é um empreendedor de sucesso e a Bea médica, mas quando chegamos a casa deles vi que estava totalmente enganada, pois fomos muito bem recebidos tanto pelo seu Gabriel como pela Bea.

Estávamos sentados em uma mesa quando a Bea e o seu Gabriel sentaram com a gente para conversar e não mediram esforços para deixar a gente bem à vontade. Um tempo depois a Bea pediu licença para receber umas amigas, e meu marido foi falar com outros amigos que tinha acabado de chegar me deixando a sós com seu Gabriel.

Fiquei meio sem jeito, pois nunca tinha conversado com ele a sós. De repente na maior naturalidade ele me disse:

– Sabe Fernanda, o seu marido é um felizardo por ter uma mulher como você.

– Por que o senhor acha isso?

– Porque além de ser uma linda mulher, você é sex e o Rafael fala muito bem de você pra mim!

– Mas o que meu marido fala para o senhor?

– Ele me disse que em casa você gosta de provocá-lo com roupas curtinhas e coladas no corpo, usar lingeries sex, além de ser muito fogosa e não ter frescuras na cama.

Após ouvir o que seu Gabriel me disse, meu rosto avermelhou e começou a arder que nem brasa. Pensei comigo; o filho da puta do Rafael vai me pagar quando chegar em casa!

Não estava acreditando que até para seu Gabriel meu marido falava sobre nossas intimidades.

Seu Gabriel vendo meu constrangimento pegou na minha mão suada, olhando nos meus olhos disse:

– Não fique com vergonha minha querida, queria que a Bea fosse como você!

– Com o tempo àquela chama que existia no inicio do nosso casamento foi se apagando e muitas vezes ela me evita quando a procuro na cama, na verdade, hoje ela acaba me trocando pela bebida!

– Queria que ela fosse igual a você! Que me provocasse! Se perfumasse pra mim, que não tivesse tabu! Queria que Bea fosse uma dama na sociedade e uma putinha na cama como você é para seu marido.

– Vou te confessar uma coisa; espero que me perdoe, mas até já me masturbei pensando em você!

– Queria tanto vê-la com as roupas que usa para provocar seu marido, me desculpe estar te falando sobre isso, mas só de imaginar fico de pau duro.

Estava louca para esganar meu marido. Como ele teve coragem de me expor assim para nosso amigo! Quando me recompus do choque que levei e fui falar com seu Gabriel meu marido chegou à mesa então resolvi ficar quieta, mas com muita raiva dele. Enquanto os dois conversavam eu me remoía por dentro, então Inventei uma dor de cabeça repentina para a gente ir embora.

Quando estávamos saindo, Seu Gabriel me deu um abraço e sussurrou no meu ouvido que tudo que tinha me dito era verdade e que ele sentia muito tesão por mim, espero que a Bea não tenha notado nenhum ar de constrangimento no meu rosto.

Assim que entrei no carro, meti a boca no meu marido e falei a ele tudo que seu Gabriel havia me dito, não é que o desgraçado sorriu e falou que era bom saber que eu deixava os homens loucos, mas que só ele podia usufruir do meu corpinho. Com aqueles papos de bêbados, me fez jurar que era só dele e como não se deve discutir com bêbado, concordei e deixei quieto, mas a raiva era tanta que até me passou pela cabeça a possibilidade de meter um par de chifres bem grande na cabeça dele para largar de ser otário.

Durante a semana fiquei pensando no que seu Gabriel havia me dito. Aquelas palavras de certa forma tinham abalado minhas estruturas, era diferente das gracinhas e cantada que recebia dos amigos na oficina, pois lá era um bando de moleques babacas, nem se compara com a classe e elegância que tinha seu Gabriel, ele sim sabia como seduzir uma mulher.

Nenhum homem além do meu marido havia me dito olhando nos meus olhos que sentia tesão por mim, o danado com certeza tinha plantado a sementinha do desejo no meu subconsciente.

Eu me sentia estranha só de imaginar que outro homem me desejava de forma tão intensa, cheguei até me masturbar lembrando-se do volume imenso que formou na calça social que seu Gabriel usava naquele dia, e pelo que percebi não era pouca coisa não.

Até o aniversario da Bea, nunca tinha imaginado trair meu marido, pois eu o amo mesmo com todos os defeitos que ele tem. Como disse antes, ele foi o primeiro homem a quem me entreguei, mas a resposta que me deu quando contei tudo a ele não era a que queria ouvir.

Rafael me fez perceber que me exibir e comentar sobre nossa intimidade para os outros era um fetiche dele, cheguei até ler sobre esse assunto em algumas revistas e descobri que esse desejo é mais comum nos homens do que eu imaginava, e vocês sabem que quem procura chifre na cabeça de cavalo um dia acaba achando.

Seu Gabriel com certeza me abalou emocionalmente. Sentia que estava renascendo outra mulher dentro de mim. Passei adorar a ideia de despertar desejos em outros homens. Passei a me sentir viva, desejada, mais feminina, mais sex, mais vaidosa. Passei a me cuidar mais, me soltei mais na cama com o meu marido, comecei a observar os homens que me comiam com os olhos quando estava na rua ou em qualquer outro lugar.

No começo da semana meu marido disse que estava com vontade de fazer um churrasco em casa no sábado e me perguntou o que eu achava de convidar o seu Gabriel e a Bea.

Perguntei se viria mais alguém e ele respondeu que não, só o casal mesmo.

Disse que poderia chamar que adoraria recebê-los em casa, então foi combinado o churrasco para o sábado.

Aquela semana demorou a passar. Um turbilhão de pensamentos povoava minha cabeça. Ficava imaginando o seu Gabriel me comendo com os olhos enquanto desfilava pra ele toda a sensualidade que tinha despertado em mim.

Enfim chegou o sábado. Naquela manhã me produzi toda, coloquei um vestido azul claro bem leve sem sutiã e uma tanguinha bem pequena. Quando olhei no espelho gostei do que vi, estava me sentindo bem sex, meu marido até estranhou e me disse por que eu estava vestida daquele jeito.

Disse que queria ficar bem linda para ele e nossos convidados, meu marido sorriu e disse que estava muito gostosa.

Lá pelas onze eles chegaram, e quando seu Gabriel me viu, foi logo dizendo para o meu marido:

– Meu amigo com todo respeito, você tem uma mulher muito linda e charmosa! Cuida para não perdê-la, pois tem muitos marmanjos soltos por aí que gostariam de tomá-la de você!

Bea beliscou seu Gabriel e disse:

– Que falta de respeito com o seu amigo Gabriel, tome jeito homem!

– Deixa de bobeira mulher, o Rafael sabe que não falo por maldade, apenas estou fazendo um elogio a sua linda mulher!

Começamos a rir e a conversa acabou ali.

Meu marido e seu Gabriel foram para a churrasqueira, enquanto eu e a Bea fomos para a cozinha preparar alguns petiscos.

Enquanto estávamos na cozinha conversando, Bea me disse para não ligar para as gracinhas que seu Gabriel fazia comigo, pois não tinha maldade no que ele dizia. Ela me falou que ele tinha se encantado por mim. Bea percebendo meu rosto todo vermelho, me disse sorrindo:

– Não se preocupe não querida, não sou ciumenta, se quiser posso dividi-lo com você, afinal você é linda e é normal que os homens sente tesão por você!

Ela disse isso me olhando nos olhos e com um sorriso encantador estampado em seu lindo rosto, sorri para ela e disse:

– É ruim hein! Capaz que tenho coragem de dividir meu marido com outra mulher!

Sorrimos e mudamos de assunto.

Depois do almoço o papo seguia animado tarde afora.

Percebi que a Bea bebia demais e meu marido já estava até enrolando a língua, os únicos que estavam melhores era eu e seu Gabriel, mas mesmo assim nós também estávamos bem animadinhos. Quando chegou à tardinha, a Bea e meu marido estavam dormindo nas cadeiras então eu e seu Gabriel ajeitamos meu marido no sofá da sala e a Bea, levamos para meu quarto que caiu desmaiada sobre a cama.

Ainda no meu quarto seu Gabriel me abraçou por trás levou a mão por baixo do meu vestido apertou minha bunda e beijou meu pescoço mesmo com a Bea deitada ali na nossa frente. A atitude ousada do seu Gabriel me causou um frio na barriga, queria me livrar da sua mão boba, mas ao mesmo tempo queria que ele fosse mais além, e claro que ele percebeu a minha excitação.

Quando estávamos saindo do quarto, seu Gabriel me disse:

– Por favor, Lú, bota uma roupa provocante pra ver se você fica gostosa mesmo, como seu marido me fala! Aproveita que estão dormindo!

– Mas eles podem acordar a qualquer momento, é muito arriscado, além do mais a Bea está no meu quarto!

– Queria tanto te ver com as roupas que usa para provocar seu marido, coloca uma pra mim, vai!

– Você está louco seu Gabriel! O Rafael e sua mulher estão em casa, se eles acordarem vão ficar muito bravos comigo, não vou fazer isso de jeito algum!

– Da um jeito Lú, sei que você quer se mostrar pra mim, por favor, sua gostosa!

Seu Gabriel falou levando a mão sobre minha bucetinha por cima da calcinha e foi apertando carinhosamente, a mancha que formou na frente dela denunciava meu grau de excitação.

O danado daquele homem minava aos pouco o último resquício de resistência que ainda habitava dentro de mim.

Lembrei-me que no banheiro da área de serviço tinha deixado um shortinho de malha branco bem fininho e um top que uso para me exercitar no dia a dia, mas era muito escandaloso, só usava quando estava a sós ou com meu marido, nem perto das minhas amigas tinha usado.

Seu Gabriel me largou e ficou esperando. Eu não sabia o que fazer, mas a sensação do perigo que nos rondavam só fazia aumentar o desejo de levar adiante aquela situação.

Pensei comigo; o culpado de estar sendo bolinada por outro homem na minha própria casa era o bêbado do meu marido, então mesmo com passos indecisos fui ao meu quarto, vi que Bea dormia profundamente e meu marido roncava no sofá.

Mesmo com o coração na boca, entrei no banheiro da área de serviço tirei meu vestido, a calcinha e coloquei o top. Peguei o shortinho de malha e vesti rapidamente, era tão apertado que como fiquei sem calcinha entrou no meio dividindo minha buceta em duas partes.

Por alguns segundos fiquei na dúvida se deveria me mostrar daquele jeito para seu Gabriel, com certeza a bebida e o desejo que estava sentindo por aquele homem me fez criar coragem e abri a porta do banheiro.

Quando seu Gabriel me viu com aquele shortinho enterrado na minha buceta toda estufadinha, me abraçou e tascou um beijou na boca no qual também correspondi.

Enquanto nós beijávamos ele passava sua mão em meu corpo me tocando de tal maneira que me deixava cada vez mais tesuda.

Quando sua mão tocou a minha buceta por cima do short fiquei louca e procurei seu pênis.

Mesmo por cima da bermuda jeans, pude perceber que aquele monte de nervos rígido e grosso enchia minha mão que mal dava para fechá-la. Com certeza era bem maior e mais grosso que o do meu marido.

Num lampejo de lucidez, empurrei seu Gabriel para trás até achar um ponto que da janela dava para ver meu marido no sofá. O safado do seu Gabriel entendendo o que tinha feito, aproveitando do meu estado de excitação, abaixou meu shortinho se abaixou e beijou minha buceta, eu rapidamente o puxei pelos cabelos e ajeitei meu short, ao tempo que seu Gabriel liberou meus peitos do top e começou a chupá-los enquanto eu continuava apertando seu pau sem tirar os olhos do meu marido.

Levei um choque quando senti dois dedos enormes entrando na minha bucetinha, pedi para seu Gabriel parar, pois estávamos indo longe demais, que estávamos se arriscando fazendo isso ao lado de nossos esposos.

Sem parar de foder minha buceta com seus dedos deliciosos, seu Gabriel disse no meu ouvido para relaxar que tudo estava sobre controle, afinal estávamos vendo o Rafael no sofá e se a Bea levantasse dava para eu correr no banheiro e ele disfarçar antes que ela nos visse.

O argumento dele não me convenceu muito, mas me deixou um pouco mais relaxada, na realidade estava adorando, pois a sensação de perigo aumentava meu tesão. Minha buceta estava completamente alagada com meus fluidos vaginais até chegar a um ponto que não aguentei mais e gozei ali em pé mesmo com seus dedos completamente enfiado dentro dela.

Após gozar na mão do seu Gabriel, corri para o banheiro, me limpei e coloquei a mesma roupa que vestia antes. Nem sei quanto tempo fiquei pensando na loucura que tinha acabado de cometer, meu corpo chegou a tremer quando saí do banheiro e vi meu marido conversando com seu Gabriel, por pouco ele não nos pega no flagra.

Assim que me viu, seu Gabriel levou seus dedos na boca e chupou como se estivessem saboreando meu gozo, o safado fez questão de me mostrar que estava sentindo o gosto da minha buceta na sua boca. Eu ainda estava com as pernas bambas da gozada que dei nos dedos dele.

Depois que a Bea acordou, ficamos conversando certo tempo até que resolveram ir embora. Ao despedir se de mim, seu Gabriel disse nos meus ouvidos que me queria por completa.

Naquela noite eu e o meu marido fizemos sexos como nunca havíamos feitos antes, foi uma loucura, praticamente virei uma putinha para ele, até liberei meu cuzinho, coisa que eu há muito tempo não fazia por sentir muita dor, mas acho que pelo meu estado de excitação foi até prazeroso e gozei bem gostoso.

Na segunda-feira estava em casa quando o telefone tocou, atendi e era o seu Gabriel me falando que precisava me encontrar de qualquer jeito.

Disse a ele que não poderia, pois o meu marido almoça em casa todos os dias e que não teria como eu sair e desliguei o telefone.

Uns vinte minutos depois toca o telefone novamente, meu coração gelou quando ouvi a voz do seu Gabriel insistindo para ir ao encontro dele, que estaria esperando na rua de trás da minha casa, que era para eu não demorar, pois queria me ver de qualquer maneira naquele dia.

Novamente disse a ele que não poderia ir ao seu encontro, pois além de preparar o almoço não tinha com quem deixar minha filha.

Ele me respondeu que se eu não fosse ao seu encontro viria até minha casa, pois ele tinha que me ver de qualquer maneira.

Pedi a ele para não vir, pois era muito arriscado e que não faltaria oportunidade para a gente se encontrar, mas ele respondeu que se eu não fosse ao encontro dele, ele viria em casa e desligou o telefone.

Estava ansiosa para vê-lo também, mas não tinha como. Fiquei sem saber o que fazer. De maneira alguma poderia ir ao seu encontro, e a ideia que ele também não se arriscaria tanto em vir até em casa me fez relaxar.

Ao meio dia meu marido chegou para almoçar e as 13hs30min voltou para a oficina como ele fazia todos os dias. Peguei minha filha coloquei-a para ver desenho na TV do quarto e fui arrumar a cozinha. De repente o telefone tocou e era seu Gabriel dizendo que estava em frente de casa e que queria entrar para conversar comigo. Fiquei paralisada, não sabia se abria o portão ou pedia para ele ir embora. Então disse a ele:

– Você esta doido homem! Imagina se alguém vê você entrar em casa e conta para o Rafael, com certeza ele iria desconfiar de alguma coisa! Volta pra casa!

Seu Gabriel me disse que queria só falar uma coisa rápida e desligou o telefone.

Mesmo a contra gosto fui até o portão com o coração na boca e as pernas bambas de medo que algum vizinho nos visse. Com as mãos trêmulas abri o portão e disse:

– Você é louco e está querendo me deixar louca também.

Assim que abri o portão seu Gabriel entrou sem falar nada. Quando chegamos à cozinha,

ele me segurou pelos braços e olhando nos meus olhos disse:

– Eu quero você Fernanda! Eu preciso de você, quero te dar tudo o que uma mulher gostosa como você merece!

Quis me livrar dele, mas seu Gabriel puxou-me contra seu corpo e me tascou um beijo na boca que me tirou o fôlego, eu me sentia indefesa, sabia que precisava me livrar dele, mas ao mesmo tempo queria que ele nunca mais me soltasse e ele percebeu minhas fraquezas.

Seu Gabriel começou a tocar meu corpo com suas mãos fortes, a beijar meu pescoço, naquele momento estava completamente entregue a aquele homem.

Enquanto meu corpo era acariciado, meus seios sugados, minha buceta bolinada, movida pelo tesão, procurei seu pênis e comecei a alisá-lo. Ali mesmo na cozinha seu Gabriel abaixou meu short, me pôs sentada no balcão da pia, abriu minhas pernas, puxou minha calcinha de lado e começou a chupar minha buceta com tanta gana que em poucos minutos gozei absurdamente na boca dele que continuou me sugando até sorver a ultima gota do meu néctar.

Seu Gabriel se levantou, tirou seu pau pra fora e eu abri o que pude minhas pernas para receber seu pênis na minha buceta, eu precisava que ele me fodesse naquele momento, eu precisava senti-lo nas minhas entranhas, mas quando ele encostou aquele monte de nervos quente na entrada da minha bucetinha ouço minha filha me chamando pedindo a mamadeira, só aí lembrei-me que não estávamos a sós em casa.

Quando meus pés tocaram o chão quase cai, pois minhas pernas tremiam tanto que não conseguia suportar o peso do meu corpo. Carinhosamente seu Gabriel me abraçou até que me firmasse e saí rapidamente para atender minha filha.

Quando voltei para a cozinha disse ao seu Gabriel:

– Que loucura seu Gabriel, te disse que aqui em casa era perigoso, imagina se minha filha visse o que estávamos fazendo?

Seu Gabriel balançou a cabeça concordando comigo, mas antes de sair disse que queria me encontrar na manhã do dia seguinte para terminarmos o que tínhamos começado.

Disse a ele que iria arrumar um jeito de a gente se encontrar.

Quando seu Gabriel saiu fiquei pensando na loucura que fiz e o rumo que minha vida estava tomando, na verdade sabia que estava transitando em um caminho sem volta, mas o desejo que aflorou dentro de mim por seu Gabriel era muito mais forte do que eu. Deu-me até um calafrio só de imaginar se minha filha tivesse nos visto e na sua inocência contasse para o pai dela, mas por outro lado eu queria muito ter ido até o fim.

A ideia de encontrar com seu Gabriel no dia seguinte me deixou ansiosa. Sabia que o fato de estar traindo meu marido com seu amigo não era certo, mas ele fez por merecer, pois tudo começou a partir dele.

Fiquei a tarde toda pensando na mentira que diria a meu marido para ausentar-me, então à noite quando chegou disse a ele:

– Amor, amanhã tenho consulta marcado com minha ginecologista, você leva nossa filha para a casa da mamãe antes de ir para a oficina?

– Levo sim amor, sem problemas!

– Aproveita para almoçar lá ou em outro lugar, pois não sei a hora que vou chegar, pretendo dar uma passada no shopping tudo bem?

– Tudo bem, só não demora muito, pois sua mãe pode ter algum compromisso à tarde!

– Pode deixar, farei o possível para voltar o quanto antes!

No outro dia de manhã o telefone tocou era seu Gabriel dizendo que estava me esperando no estacionamento do shopping que ficava perto de casa, acho que nem acreditou quando disse a ele que no máximo em meia hora estaria lá.

Coloquei um vestido preto com um decote generoso que deixava amostra uma boa parte dos meus seios, sandálias salto alto combinando com meu vestido, uma calcinha de rendas branca toda furadinha, usei meu melhor perfume francês que paguei em três parcelas para usar só em ocasiões especiais. Escolhi varias cores de batom até me decidir a que combinava melhor com minha roupa. Produzi-me toda, estava me sentindo elegante e sex sem me sentir vulgar.

Dei graças a Deus por ter me depilado dois dias antes e minha bucetinha estava lisinha sem nenhum pelinho. Estava ansiosa, excitada, mas com um friozinho na barriga só de imaginar o que meu marido faria se soubesse que sua mulherzinha até pouco tempo fiel, estava prestes a gemer no pau gigante do seu amigo em algum quarto de motel.

Quando cheguei ao Shopping avistei seu Gabriel numa vaga bem aos fundos. Assim que entrei no carro ele me deu um beijo me elogiou e saímos, fizemos o percurso até o motel em silêncio.

Quando entramos no quarto seu Gabriel me abraçou e nos beijamos loucamente parecíamos dois animais no cio. Seu Gabriel me deitou na cama e foi tirando meu vestido me deixando só de calcinha, foi sugando meus seios um de cada vez enquanto suas mãos tocavam cada parte do meu corpo com maestria, ele sabia o que estava fazendo e me deixava cada vez mais excitada. Em pouco tempo minha bucetinha já estava toda encharcada.

Dava para perceber que seu Gabriel era muito experiente com as mulheres, pois em poucos minutos descobriu todas as zonas erógenas do meu corpo a serem tocadas, coisa que meu marido em seis anos de casados ainda não tinha descoberto.

Seu Gabriel foi beijando meu corpo e dando mordidinhas passando por minha barriga até chegar ao meio das minhas coxas, então tirou minha calcinha e abriu as minhas pernas colocando sua boca na minha bucetinha e começou a me chupar passando sua língua em toda sua extensão.

Ele me levava aos céus sugando meu clitóris me fazendo gozar sucessivamente em sua boca. Meu corpo parecia flutuar, nunca havia gozado tanto daquele jeito, e cada vez que gozava ele sorvia meus fluidos como o néctar mais precioso do universo.

Após ter me proporcionado uma sucessão de gozo, seu Gabriel subiu chupando meu corpo, seios, pescoço e quando chegou a minha boca me agradeceu com um beijo de língua estonteante, nunca tinha sido beijada daquele jeito.

Ficamos um tempinho abraçadinho nos beijando até sentir que era hora de retribuir todo o prazer que tinha me proporcionado.

Virei meu amante de costa e fui descendo dando mordidinhas em seu peito peludo, até chegar à sua virilha, então retirei sua cueca e um pau gigantesco e grosso surgiu a minha frente. Era uma verdadeira obra de arte aquela pica linda, majestosa e viril. Na verdade era bem maior que tinha imaginado, o pau do meu marido é bem menor e mais fino.

Coloquei minha boca na cabeça daquele pau e quase não conseguia fazê-lo entrar, era muito grosso, então comecei a chupar a cabeça e passar a língua em volta descendo pelo seu corpo até chegar aos seus testículos chupando um de cada vez, estava me sentindo uma putinha chupando o pau do seu macho.

Fazia isso repetidamente até conseguir por um bom pedaço daquele pau na minha boca. Seu Gabriel gemia, dizia que eu chupava gostoso e estava adorando. Já estava dando câimbra no meu maxilar, mas fazia questão de proporcionar a ele o maior prazer possível, até que seu Gabriel tirou seu pau da minha boca e me disse que agora ia me fazer sentir uma putinha de verdade.

Colocou-me deitada de costa, abriu minhas pernas e deu mais uma chupada na minha buceta deixando bem molhadinha, depois se ajeitou no meio das minhas pernas e começou a esfregar a cabeça do seu pau na entrada e aos poucos foi fazendo pressão.

Minha bucetinha que até o momento tinha conhecido só o pau do meu marido estava toda arreganhada sendo invadida por um pau descomunal, a coitada deve ter atingido seu grau máximo de elasticidade para acolher em seu interior aquele mastro.

Eu sentia aquilo entrando justo centímetro por centímetro. Senti meu útero sendo forçado até nossas pélvis se encontraram e me sentir totalmente preenchida.

Nunca alguém tinha chegado tão fundo dentro de mim.

Não que nós mulheres precisamos de um pau enorme para nos dar prazer, pois meu marido mesmo com um menor e mais fino, me faz gozar divinamente, mas pelo menos uma vez na vida as mulheres deveriam experimentar um pau gigante nas suas bucetinhas, pois a sensação de estar totalmente preenchida é indescritível.

Seu Gabriel ficou um tempinho com seu pau todo dentro de mim, e aos poucos foi retirando e enfiando novamente, quando sentiu que estava mais relaxada, começou a me foder mais rápido e mais forte, seus movimentos me deixava alucinada e passei a gozar uma vez atrás da outra, pois seu pau entrava justo e ia muito fundo.

Quanto mais forte seu Gabriel metia mais alto eu gemia, queria que aquele momento eternizasse. Pedia para que não parasse, pois sentia que estava prestes a ter o maior orgasmo da minha vida.

Enquanto me arrombava toda, seu Gabriel dizia para eu dizer que era sua putinha, que meu marido era um corno e que minha bucetinha agora era só dele.

Eu dizia tudo o que me pedia até que não aguentei mais e um orgasmo avassalador invadiu meu corpo. Eu gritei, chorei, cruzei as pernas na costa do seu Gabriel e puxei-o todo para dentro de mim, e quando senti seu Gabriel gozando e enchendo minha buceta de porra, um calorão invadiu meu corpo, então o agarrei e trouxe para cima de mim, procurei sua boca e ficamos curtindo aquele momento relax pós-gozo enquanto seu pau ia amolecendo e saindo de dentro da minha bucetinha completamente esfacelada.

Quando seu Gabriel retirou seu pau totalmente da minha buceta me senti completamente arrombada e com um vazio enorme dentro de mim. Era muita porra que saia de dentro dela escorrendo pela minha bunda e coxas fazendo uma mancha enorme no lençol.

Seu Gabriel me disse que agora sim tinha despertado a verdadeira fêmea que habitava dentro de mim. Que a partir de agora era sua putinha e que seria dele sempre que pudesse, pois ele ia me dar sempre o que meu marido nunca poderia me dar. Disse-me também que homem que dá valor a mulher, não fica fazendo propaganda dela para outros machos toda vez que enche o cu de cachaça.

De certa forma tive que concordar com seu Gabriel, pois se meu marido não fosse um babaca, não estaria na cama de motel com outro homem, por outro lado, não teria a oportunidade de conhecer e gozar tanto como estava gozando no pau do seu Gabriel.

Depois daquela trepada deliciosa, ficamos por mais de uma hora conversando bem agarradinhos então seu Gabriel me beijou e foi ao banheiro, eu fiquei mais alguns minutinhos curtindo aquele prazer intenso, e fui para o banheiro também.

Chegando ao banheiro entrei no chuveiro junto com seu Gabriel. Ele me abraçou, mordeu minha orelha, beijou meu pescoço e levou seus dedos na minha bucetinha completamente alargada, talvez para avaliar o estrago que seu pau havia feito nela. Eu ainda estava muito excitada então abaixei e comecei a chupar o seu pau que logo ficou duro novamente. Sentia-me uma verdadeira putinha. Queria dar prazer para seu Gabriel, queria que ele gozasse novamente para mim. Eu lambia seu pau enorme e grosso, chupava suas bolas, subia para a cabeça e enfiava o que podia na minha boca, Seu Gabriel dizia:

– Chupa meu pau sua cadela, eu sei que você gosta, me faz gozar na sua boquinha!

– Quero encher sua boca de porra minha putinha e você vai engolir tudo.

Eu continuava chupando movida pelo tesão, e ao mesmo tempo imaginando; eu, uma mulher casada que sempre havia respeitado o meu marido, estava ali chupando o pau de outro homem e desejando ardentemente para que gozasse na minha boca, coisa que nunca deixei meu marido fazer.

Meus pensamentos se interromperam quando seu Gabriel me agarrou pelos cabelos, segurou minha cabeça e começou a foder minha boca como se estivesse fodendo minha buceta e gozou forte enchendo-a com sua porra branca e viscosa. Mesmo sentindo um pouco de nojo daquele líquido gosmento, de sabor ácido e com cheiro de agua sanitária engoli tudo que pude e não era tão ruim como eu pensava. Seu Gabriel pediu um lanche para nós e ficamos mais um tempo conversando e trocando carinhos.

Seu Gabriel disse que antes de voltarmos para casa queria comer meu cuzinho, eu fiquei meio apreensiva, pois achava que não aguentaria com seu pau dentro dele, mas como negar um pedido para alguém que estava me proporcionando o melhor dia da minha vida, só pedi a ele para ir com calma e se não aguentasse que ele parasse, ele concordou e disse que era melhor a gente tentar no banheiro enquanto tomávamos banho.

Assim que ligamos a ducha, me abaixei e dei uma chupada caprichada no seu pau, já estava me acostumando com aquele cacete na minha boca. Quando estava completamente duro seu Gabriel me virou de costa para ele e me fez empinar bem minha bunda com as mãos apoiadas na parede e começou e começou a linguar meu cuzinho. Que sensação maravilhosa era aquela! Ele abria bem minha bunda e tentava enfiar sua língua dentro, como não conseguia é claro, enfiou dois dedos dentro do meu buraquinho para laceá-lo me preparando para a penetração.

Eu me abria toda para ele para facilitar. Logo seu Gabriel se ajeitou atrás de mim e enfiou seu pau de uma vez dentro da minha buceta e começou a socar forte enquanto seu polegar massageava meu cuzinho, eu gozei várias vezes com seu enorme pau na minha buceta e seus dedos no meu cuzinho. Mesmo com medo de não aguentar, pedi para seu Gabriel comer logo, pois não estava aguentando mais a expectativa de ter meu cuzinho arrombado.

Seu Gabriel tirou seu pau da minha buceta, separou bem minha bunda com suas mãos fortes, cuspiu dentro do meu cuzinho empurrando seu cuspe para dentro com as pontas dos dedos e pediu-me para molhar bem seu pau com minha saliva e se posicionou atrás de mim.

Quando senti a cabeçona do seu pau fazendo pressão para entrar no meu cuzinho me desesperei, mas seu Gabriel foi falando comigo enquanto aos poucos ia me pressionando até que a cabeça entrou. Senti uma dor imensa no inicio que cheguei a chorar sem que ele percebesse, mas com a experiência do seu Gabriel meu cuzinho foi engolindo seu cacete até suas bolas colarem na minha buceta e sentir seu pau quase no meu estômago.

Não pensei que conseguiria aguentar aquela tora todinha dentro do meu cu, e confesso que mesmo sentindo muita dor estava orgulhosa por não ter decepcionado seu Gabriel.

Aos poucos fui me soltando e eu mesma fui conduzindo a penetração arriscando umas reboladas e fazendo o movimento de entra e sai devagarinho.

Seu Gabriel vendo que estava mais relaxada ia fodendo meu cuzinho com muita paciência. A dor continuava, mas queria dar a ele esse prazer, então prendi a respiração e pedi para que ele gozasse logo, pois não ia aguentar por muito tempo estava doendo demais. Seu Gabriel então aumentou o ritmo das estocadas e gozou com seu pau bem fundo enchendo meu intestino de porra. Que alivio senti quando ele retirou seu pau de dentro do meu cuzinho, não consegui gozar pelo cu. Assim que seu Gabriel retirou seu pau do meu cuzinho senti uma vontade enorme de evacuar e corri para o vaso sanitário, mas só saia esperma e gazes que tinha acumulado dentro de mim. Fiquei algum tempo sentada no vaso tentando me recuperar e vendo seu Gabriel tomando banho, admirada por ter aguentado aquele colosso dentro do meu cuzinho.

Depois de outro banho tomado, secado o cabelo, perguntei ao seu Gabriel se ele fazia algo para ter aquele pau grande e grosso pois não era possível ser natural. Ele me disse que passava um gel que deixou o pau dele assim. Falei a ele para nunca parar de usar esse gel, ele riu e disse que continuaria usando com certeza.

Saímos do motel e ele me deixou umas três quadras perto de casa, já se passava das 16: hs.
.
Eu estava um trapo, toda arregaçada, meu cu detonado, minha bucetinha esfacelada de tanto levar pau. Me sentia uma verdadeira puta, mal conseguia andar. Sentia um pouco de remorso por ter traído meu marido pela primeira vez, por outro lado a culpa era totalmente dele, pois foi sua língua solta que me jogando na cama com seu Gabriel e eu tinha adorado tudo aquilo e com certeza minha história não acabaria ali.

Naquela noite meu marido me procurou na cama, mas não rolou sexo entre a gente. Disse a ele que estava toda dolorida devido aos exames que tinha feito, mas na realidade também estava com medo que ele sentisse alguma diferença em relação ao tamanho da minha buceta, pois ainda sentia que ela ainda estava bem aberta.

Vou deixar aqui o link do site oficial onde o seu Gabriel comprou o gel que aplica no pau para quem quiser experimentar também

http://bit.ly/gel-erotico-sexy

Quem quiser mandar uma foto ou perguntar sobre o produto só me enviar um email:

[email protected]

Avalie esse conto:
PéssimoRuimMédioBomExcelente
(Média: 4,42 de 33 votos)

Por # # #

6 Comentários

Talvez precise aguardar o comentario ser aprovado
Proibido numeros de celular, ofensas e textos repetitivos
  • Responder micheleloirasafada

    Adorei o conto, bem excitante, bom para ensinar homens que fazem propagandas de suas mulheres, seja falando bem ou mal delas, sempre tem outros 500 querendo…

  • Responder Carlos

    Realmente, tinha tudo para ser um ótimo conto, muito rico em detalhes , descrição de todos os encontros com um ar de realidade fascinante, mas finalizou com uma porcaria de gel kkkk, pau grande ou a pessoa tem ou nunca terá, a não ser que queira ter o pau alheio kkkk

  • Responder Fábio

    Começou bem, pena que no final confirmou que é tudo mentira.

  • Responder Vantuil OB

    Estava indo muito bem, até a hora da propaganda. Estragou o conto

  • Responder JhoonDeere

    Mais um conto chato com o intuito de vender gel mágico ou qualquer outra mer..da
    Pq diabos alguem aceita um lixo desses adms inuteis

  • Responder Marly

    Vai tomar no cu !!!
    Conto mentiroso do caralho, não passa de historinha pra vender um produto. Propaganda enganosa…FATO !!!
    POIS É COMPROVADO CIENTIFICAMENTE, QUE NÃO COMO AUMENTAR O TAMANHO DE UM PÊNIS DESSA FORMA. NÃO EXISTEM SOLUÇÕES MÁGICAS.