# #

Desejos de Um Homem Ensandecido

350 palavras | 3 |2.75
Por

Chamavam-me de Coriza, numa época em que eu não tinha sucesso com as mulheres. Com o tempo eu obtive fama mas foi de uma forma execrável que depois conto.

O fato é que em minha cidade (que digo o nome depois) cometi muitos crimes, embora fosse conhecido apenas por alguns. Em 1971 conheci uma prima minha, Rebeca, uma mulata que causava-me turbilhões mentais. Fato é que quando fui buscá-la em uma festa depois de combinarmos que ela não ficaria alcoolizada para não perturbar sua mãe, ela traiu nosso acordo estando inconsciente em um sofá. Certos indivíduos contaram-me que ela ficou assim depois que um homem aproximou-se, fazendo-me desconfiar que intoxicaram-na. Logo após levá-la para sua casa, tranquilizei minha tia, induzindo-a a acreditar que ela estava inebriada sem revelar a verdade. A trouxe para sua cama. Para um maior conforto tirei suas roupas e a deixei somente com trajes pequenos. Foi daí que surgiu a tentação.
Ela era linda demais, nenhum varão poderia resistir. Tranquei a porta. Montei em cima dela e apalpei seus seios.

– agradáveis seios de vadia.

Removi o sutiã delicadamente e pude notar a beleza de quem seduz sem intenção. Minha língua aventura-se por suas auréolas, viro recém-nascido faminto, a saliva esparrama por seus peitos. É um desatino que ela não possa desfrutar do prazer, aquele maldito homem está me devendo. Através de seu belo corpo de prostituta sigo explorando até tirar sua calcinha. Ela tem metade da vagina peluda. Uma vagina discreta, sem tantos detalhes. Enlouqueço sinistramente. Minha língua sente vontade de penetrar o mais profundo possível do seu ser. Depois de vinte minutos bem gastos, cubro-a com o cobertor e saio do quarto. Vejo a porta semiaberta do quarto da minha tia e percebo que ela está cochilando. Uma vela acesa ilumina ao seu redor. Ela tinha medo de dormir no escuro total e à noite colocava uma vela em cada cômodo de sua humilde casa. Antes de ir embora, passo na cozinha e acendo o fogão.

Avalie esse conto:
PéssimoRuimMédioBomExcelente
(Média: 2,75 de 4 votos)

Por # #

3 Comentários

Talvez precise aguardar o comentario ser aprovado
Proibido numeros de celular, ofensas e textos repetitivos
  • Responder Felipe

    Vou acabar com vocês

  • Responder PADRASTO PAUZUDO

    “NOVINHAS MERECEM SER ARROMBADAS COM VONTADE..PENETRADAS A FORÇA NA BUCETA..ENQUANTO SAO DESMAMADAS NOS PEITOES CHUPANDO ELES BEM GOXTOSO”

  • Responder Kaz

    Tendi caralhos nenhum