#

Vendendo a filhinha no UOL – PARTE I

904 palavras | 18 |4.60
Por

É na crise que surgem as melhores ideias… é o que dizem.

Meu nome é José Antonio, de 35 anos, um maranhense morando em Belo Horizonte-MG.

Antes da Pandemia tudo corria bem. Eu e minha mulher conseguíamos manter muito bem as despesas da casa. Não tínhamos luxo nenhum, mas era uma boa vivência.

Minha mulher é uma bahiana arretada, e com ela tive uma filha, hoje, com 8 anos, Tainá.

A menina tem os traços da mãe, morena, bonita, mas magrinha e ainda não mostra sinais de formação para mulher. Mas como todos nessa idade, é bem curiosa, e muito obediente a mim, principalmente depois que a mãe foi embora, no início da Pandemia.

Nesse mês de abril faz um não que moramos só nós dois e tem dois meses que estou desempregado.

Até semana passada estava dando para manter as despesas com o acerto que recebi da empresa, mas as coisas começaram a apertar.

Um dia entrei no bate papo UOL pelo celular, com nome pai sem emprego ou pai precisa ajuda. Não demorou muito para algumas pessoas perguntarem o que estava acontecendo ou para perguntar se eu tinha filha ou filho.

Era quase unânime entre todos perguntando a idade, e boa parte sumia quando descobria que ela só tinha 8.

Os valores que ofereciam era pouco para eu me arriscar.

Até que no meio da madrugada um cara, de apelido Uber Dotado começou a conversar.

Depois de horas a fio conversando, falei que era brianceira, que eu não tinha coragem de vender minha filhinha. Mas ele insistiu em conhecer ela. Trocamos telegram. Passei um perfil fake. Quando ele mandou a primeira mensagem, quase tive um infarto:
– Não quero que desista, mas sou policial e quero muito conhecer sua filhinha. Até pago por ela.

Sumi do aplicativo.

(…)

Uns dois dias depois, coloquei Tainá para dormir no meu quarto, só de vestidinho. Sem calcinha.

Quando ela dormiu, entrei no aplicativo com mesmo nome, de pai que precisa de ajuda.

Quase como quem me esperava, Policial Negão me mandou uma mensagem:
– Não precisa ter medo. – escreveu. – deixa eu ajudar vocês?
– Ajudar como? – respondi no próprio UOL.
– Me manda uma foto dela no telegram.

Estava respondendo ele quando chegou uma notificação no Telegram:
– Manda ai.

No bate papo respondi:
– Não tenho coragem.

Chegou uma foto no telegram.

Quando abri a imagem, vi seu pau dotado em cima de uma bucetinha minúscula.
– Confia agora? – ele escreveu.

Com medo, mas tentado, mandei uma foto da minha filhinha de vestido.

– 500 pra torar ela. – ele disse.
– Como a gente faz isso? – Perguntei. – Não tenho coragem.

Passou uns minutos, achei que ele tivesse desistido, quando ele mandou:
– Essa menina é a Tainá, filha da Juliana, comi muito a mãe dela. Não se preocupe quero ser seu amigo. Posso ir aí? – ele escreveu seguido.

Eu sabia que minha ex era uma puta, mas saber que ele reconheceu a menina, me deixou em choque.
– Cara, esse perfil é fake, peguei essa foto na internet. – tentei desconversar.
– Tomara que não seja fake, porque estou aqui na porta.

Fiquei um tempo parado esperando a alma voltar para o corpo.

– Trouxe cerveja para gente. Abre aí… – ele disse.

Continuei em silêncio.

– E 500$ se quiser. – Insistiu.

Fui até o portão e pela fresta olhei. De fato tinha uma viatura. Com todas as luzes apagadas.

Notificação.

– Sei que dá medo. Vou te mandar um vídeo.

Ele me mandou um vídeo dele.

Um negro feio beijando uma menininha branquinha na boca, pegando no queixo dela com força, passando a língua em seu rosto. A menina chorava.

Meu pau ficou duro com a cena.

Notificação.

– Me expus pra você. Confia agora? – Ele disse.

Foi mais forte que eu. Abri o portão.

Desceu da viatura um homem alto, devia ter mais ou menos 185, um guarda-roupa perto de mim, que tinha 167.

– E ai. – ele disse enquanto atravessava o portão.

Não falei nada.

– Relaxa. – disse. – sou de boa.
– Entra. – falei apontando para porta.

Ele entrou na sala, mas não sentou.

– Aceita? – ele me estendeu uma caixa de cerveja long neck.

Peguei a caixa de cerveja e tirei uma. Comecei a beber.
– Se importa de colocar as outras na geladeira? – Perguntou.
– Ah é!

Atravessei a sala, passei o balcão tipo cozinha americana e guardei as demais cervejas. Ele ficou ali parado.

– Aquele vídeo. Onde foi? – Perguntei.
– Brasília. – ele respondeu.
– Qual sua idade mesmo?
– 32 e você?
– 35.

Estava nervoso.

– E ela? – ele perguntou.
– 8.
– Delicinha. – disse me olhando rindo agora. – Posso ver ela?

Sai de trás do balcão e fui para o quarto. Ele me seguiu.

– E então. Ela já fez algo?
– Não. Nada.
– Nem beijou? – ele parecia surpreso.
– Não.
– Posso? – ele perguntou colocando a mão na perna dela.

Não falei nada.

Ele subiu a mão esquerda até onde estava o vestido na coxa dela.

Com a outra mão, ele começou a desamarrar a bota de policial. Sim. Ele estava de serviço.

Avalie esse conto:
PéssimoRuimMédioBomExcelente
(Média: 4,60 de 43 votos)

Por #

18 Comentários

Talvez precise aguardar o comentario ser aprovado
Proibido numeros de celular, ofensas e textos repetitivos
  • Responder NRT

    O site é livre, contém suas histórias. Se não apreciam a narrativa, basta parar de ler.

  • Responder Anonimo

    Putz! Continua mano. Achei meio chata a parte de ele conhecer a menina, deveria ser aleatório mesmo. Mas blz. Tá muito gostoso.

  • Responder Santiago

    Por 500 tu vende teu cu a ele.
    Deixa de ser burro, jumento escroto.
    Se é pra vender, ganha ao menos uma grana de verdade.
    500 não dá pra pagar nem o aluguel.
    Vai tomar no teu cu.

  • Responder Anônima

    Que puta barata, é liquidação de buceta?? Um cabacinho de 8 aninhos por 500 é quase de graça. Negão sortudo da porra!

    • Rafaella

      O cara era da policia, dai o pai fez desconto.. Vai entender.

  • Responder Bobinho

    Conto delicioso. Tô de pau duro aqui.

  • Responder Moreno gaúcho

    Continua… Tá muito tesudo o conto

  • Responder Bucetuda

    Fiquei molhadinha, continua

    • comendor de novinha

      Dlç quise posso ai ter

    • Coroa DF

      Oi, delicia, viu deixar vc mais molhadinha te chupando todinha

    • Bernardo

      Adoraria te comer gostoso

    • Neto incesto

      dlc .cara q pixinxa d novinha 500 real va t sorte grande.se vc quise fala comigo meu telegran @betonetto.vamos conversa

  • Responder Anônimo abc

    Vender por 500 é foda hein…
    Já q vai vender pelo menos pegasse um bom dinheiro

  • Responder Well

    Continua

  • Responder EllGatto

    continua…

  • Responder @calobservador

    Delícia, na Uol tem vários novinhos.

  • Responder @dklsyjgdd

    Que tesão

  • Responder Buhh

    continua …