#

O Tarado do Ônibus Parte 02

2277 palavras | 3 |4.47

Apenas um conto, nada aqui é real nem retrata eventos reais, apenas uma fantasia.

PUTA QUE PARIU!! OQUE FOI QUE EU FIZ???

Era só nisso que eu conseguia pensar durante o resto daquele dia, nem durante a noite eu dormi direito, mil coisas passavam pela minha mente, e mil formas daquilo terminar mal… Durante quase 1 semana eu mudei o trajeto de levar e buscar a Rafaela pra escola justamente pra não ir naquele ônibus novamente… Era mais demorado mas eu não queria correr aquele risco de novo, e se ele tentasse algo mais? Ou até contra minha filha? Meu Deus eu não me perdoaria, preferiria morrer. Ao mesmo tempo sempre que lembrava da situação me vinha um misto maldito de tesão e medo, me masturbava lembrando do ocorrido, cheirava a minha bolsa que ainda tinha aquele cheiro forte de porra de macho.. gozava muito mas desabava de chorar depois.. o tempo foi passando, alguns meses após o ocorrido tive uma situação onde precisei ir para o centro da cidade com certa urgência, então fui basicamente obrigada a pegar aquele outro ônibus que eu tanto evitava, fui normalmente e cheguei ao meu destino e fiz o necessário, estava voltando um pouco tarde pois demorei mais que o previsto, então tive de pegar o metro e depois novamente o mesmo ônibus… pois bem, estava bem vazio até pelo horário e o dia.. e fiz questão de sentar bem na frente perto do motorista, assim que saimos um homem encapuzado senta do meu lado e diz:.

– Já tava com saudades de você delícia

Nessa hora meu sangue gela, respondo que ele deve estar me confundindo e ele afirma que não, que ele reconhece essa raba minha de longe e o meu cheiro é inconfundível.

Ele vai chegando mais perto e mais perto me precisando contra a janela do acento e logo enfia a mão no meio das minhas pernas, eu tento impedir mas ele não para em momento algum, quando me dou conta ele já está com a mão dentro da minha calcinha, olho em volta e das poucas pessoas no ônibus ninguém está olhando para a nossa direção, ele diz para eu ficar calma, que não quer machucar ninguém, só quer se divertir, o medo fala mais alto e eu acabo cedendo às investidas dele, logo abro mais minhas pernas e deixo ele fazer oque quer comigo, depois de quase 10 minutos dele me masturbando eu já estava quase gozando, mas então chego na minha parada e levanto de imediato para descer, antes de me livrar ele segura minha mão e nela vejo que tem um papel com um número de telefone. Sigo meu caminho pensando no que aconteceu, ainda super excitada, chego em casa, corro para o banho e começo a me masturbar, gozo muito no chuveiro, dps do ocorrido fico pensando no número que ele me deu, parecia ser de celular, alguns dias se passam e aquilo fica na minha cabeça ainda, em uma noite de sexta-feira resolvo ligar para esse número, vou para o meu quarto e fecho a porta para minha filha não ouvir, chama algumas vezes e do outro lado escuto uma voz rouca e aspera, a mesma que eu ouvi no ônibus, já fico arrepiada e escuto ele falar:

– Alô?! Quem é?

– Sou eu, do ônibus.
Respondo meio tremula

Escuto uma risadinha safada e ele fala

– Oi minha morena, sentiu saudades?

Respondo

– Eu só quero saber oque você quer comigo!

Ele responde

– Oque acha que eu quero? Você todinha nua em uma cama só pra mim

Já estava ficando molhada de novo, mas respondo

– Você enlouqueceu, nem te conheço!

Ele responde

– Isso não parecia importar das vezes em que deixou eu enfiar a mão nessa bucetinha apertada sua, vai gostosa eu sei que você quer isso, você me quer.

Respondo que não, que aquilo estava ficando fora de controle, ele percebe que não vou ceder assim e faz uma contra proprosta

– Ok delícia, não vou forçar nada nem sou perigoso pra você, vamos fazer o seguinte, vamos continuar nossas brincadeiras então, logo você vai ver que eu só quero ter e dar prazer.

Falo que vou pensar na proposta dele e desligo.

Fiquei pensativa sobre a proprosta dele e achei que era um bom meio termo entre o prazer que eu queria mas me expondo a um risco controlado, não liguei de volta mas no dia seguinte fui no mesmo ônibus lotado, no mesmo horário de sempre só que com um vestido bem soltinho e sem calcinha, pouco depois de entrar no ônibus já sentia meu melzinho escorrendo pela minha coxa.. droga cade aquele homem? Me posicionei no exato ponto no ônibus e nada do sujeito, deixo minha filha na escola e volto triste e brava para casa, no caminho de volta ele senta do meu lado no ônibus, na hora pergunto onde ele estava porque não tinha aparecido, ele fala que pelo meu vestido a resposta para a proposta dele era um sim, não respondo nada, ele fala pra eu falar baixo e seguir ele, o ônibus parou e ele desceu em um ponto bem antes do meu, o tesão falou mais alto na hora e eu o segui, uma mistura de medo e tesão tomava conta de mim, ao mesmo tempo que queria ser dominada por aquele tarado ficava com medo dele me fazer algum mal ou a minha filha, caminharmos por uns 5 minutos sem falar nada, até que pergunto aonde vamos e ele só responde que pra um lugar melhor, pergunto que lugar, ele responde pra eu ficar tranquila e seguir ele, poucos segundos depois chegamos em uma loja e ele abre um pequeno portão do lado da loja, o lugar parecia um mini deposito, com muitas caixas velhas e itens que eu não sabia oque era, a loja estava fechada oque me deu a entender que só tinha nos dois ali.. ele me leva mais pro fundo, assim que chegamos na parte mais afastada do lugar ele se posiciona atrás dmim e me coloca contra uma parede, sinto sua respiração quente novamente na minha nuca, e falo

– Vai safado, aproveita que não tem ninguém e abusa de mim igual fez no ônibus seu pervertido imundo!

Antes deu terminar de falar ele sobe meu vestido e começa a alisar minha bunda, que era grande como falei anteriormente, morena mais puxando pro branco e com muita marquinha de bikini, na hora que ele vê ela fica doido, fala que daqui pra frente eu ia ser a puta dele, que ele queria aquele rabo deis da primeira vez que me viu, ele apalpava e apertava, dava tapas que doiam mas eu tava gostando, logo enfia a mão na minha buceta e começa a me masturbar de novo, aquilo me deixa maluca, ninguém nunca tinha me tocado igual aquele sujeito, que naquela altura eu ainda nem sabia o nome e nem tinha visto o rosto, mas toda aquela loucura só me excitava, depois de uns 5 minutos me masturbando ele pede para eu virar de frente, e assim que me viro ele cai de boca nos meu peitos, poucos segundos depois já os estava colocando pra fora e chupando com força, parecia que queria arrancar meus mamilos, mordia minhas auréolas, chupava e lambia, parecia um animal, e com a mão apertava o outro peito, nessa altura eu já tava gemendo alto nem me importava se alguém tava ouvindo, estava encima de uma caixa com as pernas trançadas em volta dele enquanto tinha meios seios devorados por aquele doente, eu estava amando aquilo, quanto mais eu pressionava a cabeça dele contra meios peitos mais excitado ele ficava, dps de uns 10 minutos naquela selvageria, ele tira a cara dos meus peitos, estava ofegante e com o rosto todo vermelho, pude ver agora seu rosto, era um homem que parecia ter uns 50 anos, branco, barba por fazer. Ele manda eu me ajoelhar, ordem que obedeço na hora, nesse momento eu pensei que ele iria me fazer chupar seu pau, coisa que eu não iria fazer, isso estava indo longe de mais já, mas por sorte ele me coloca de joelhos e tira seu pau pra fora e começa a se masturbar, segundos depois ele geme alto e goza nos meus peitos que ainda estavam pra fora, é muito mas muito gozo, meu peito fica cheio de esperma.. senta exausto em um banco e respeira muito rapidamente, eu dei um trabalho pro velho rsrsrs… Enquanto isso vou me recompondo e me arrumando para ir embora, ele me joga uma toalha e fala para eu limpar o gozo no meu peito, então falo:

– Abre a porta pra mim, preciso ir embora.

Ele sorri se levanta e diz

– Claro minha delícia

Se levanta e vai caminhando lentamente ao portão e o abre

Volto pra casa saciada e um pouco mais tranquila, porque apesar de ser um pervertido ele sabia respeitar alguns limites, ele não tentou me penetrar nem forçou um sexo oral, no fim das contas era eu quem dizia até onde ele podia ir e isso me tranquilizava um pouco.

O dia passou normalmente, mas fiquei pensando no ocorrido, se no fim das contas eu não era tão pervertida e imunda como aquele sujeito.. durante a noite enquanto me masturbava recebo uma mensagem dele.

– Oi gostosa, hoje foi incrível você é um tesão absurdo fazia tempo que não gozava tanto
Respondo

– É eu também gostei

Ele fala

– Então vamos repetir isso amanhã?

Fico pensativa sobre sua proposta, mas o tesão fala mais alto e respondo que tudo bem, mesmo plano, mesmo local, dessa vez vou com um short jeans e com uma calcinha minúscula, usava uma blusa verde bem justa e sem sutiã, e também uma rasteirinha tipo de praia… Vou novamente na portinha e bato assim que chego, poucos segundos depois ele abre e me recebe com um sorriso e toda a sacanagem acontece novamente mas com a diferença de que dessa vez além dele me dar prazer eu também o masturbei, novamente ele gozou nos meus peitos.

Eu não sei precisar por quanto tempo ficamos nisso, semanas eu acredito.. virou rotina deixar minha filha na escola e ir encontrar aquele pervertido.. passei a levar uns lenços comigo porque era sempre muito gozo.. e todas as vezes eu ia praticamente nua ver ele, digo, usava roupas óbvio mas por baixo não ia com nada, e isso deixava ele muito excitado eu acho.. com o passar dos dias fui conhecendo ele mais.. seu nome era João e era o dono daquela loja.. me contou que adorava mexer com mulher assim tipo “milf” que era solteiro e que estava de olho em mim a tempos, que ele até sonhava comigo, admito que isso me deixou constrangida rsrsrs.. uma vez de curiosidade perguntei porque ele quis vir pra cá, se podíamos fazer algumas coisas no ônibus mesmo.. ele respondeu que pelo risco de ser pego e porque eu já estava “visada” e queria ser o primeiro a me pegar de jeito, nessa hora fico curiosa.. como assim “visada” ? Por quem? Ele dá uma risada pega o celular e me mostra.. um grupo só desses tarados de transporte coletivo onde eram compartilhadas fotos e até vídeos de muitas mulheres nesses transportes.. nisso ele me mostra várias minhas.. admito que aquilo me deixa excitada mas com medo.. e sempre que punham alguma foto minha era uma chuva de “elogios” onde a maioria falava que daria qualquer coisa para dar uma trepada comigo, pra meter no meu cuzinho e gozar na minha boca, João da uma risada dps de me mostrar os “elogios” e fala para eu não esquentar porque a maioria deles não passavam de um bando de broxas e punheteiros… Dou uma risada meio sem graça mas admito que aquilo me deixa excitada, peço para meu tarado me masturbar de novo, coisa que ele faz de pronto, enquanto me masturba e mama meus peitos fala obscenidades, falando que eu queria ser puta de todo mundo, que eu queria trepar com todo homem que quisesse me comer, que eu era a puta mais fácil que ele já tinha pegado e eu concordava com tudo, falava que eu era mesmo, que eu era uma vagabunda atrás de macho, que eu queria ser puta de um monte de macho safado e tarado que nem ele, logo tira seu pau pra fora e eu começo a masturbar ele novamente.. gozamos quase juntos.. me arrumo para ir embora mas antes me bate uma curiosidade.. pergunto se ele já trouxe outras mulheres aqui, que ele assediava nos ônibus assim.. ele da uma risada meio sem graça e fala que muitas.. que a maioria ele pegava no metro.. que era no geral ou adolescentes piranhas que estavam com hormônios a flor da pele ou mulheres casadas mal comidas.. mas que ele nunca tinha ficado tanto tempo e tão maluco em alguém como em mim.. aquilo mexe comigo mas falo que preciso ir embora.. o dia corre normalmente até que anoite recebo outra mensagem dele que me deixa espantada…

Continua..

Avalie esse conto:
PéssimoRuimMédioBomExcelente
(Média: 4,47 de 15 votos)

#

3 Comentários

Talvez precise aguardar o comentario ser aprovado
Proibido numeros de celular, ofensas e textos repetitivos
  • Responder Casado19cm

    Adoro escritoras de contos.
    [email protected]
    Vamos conversar, tenho ideias de contos também..

  • Responder Bolsobroxa17

    A parte uma já foi perfeita, essa daqui deixou a parte 1 no chinelo

  • Responder Karl.

    Muito bom. Tesão