# # #

O agiota do papai – Parte I

3393 palavras | 32 |4.53
Por

Quanto vale a bundinha virgem de um belo garoto? Descubram nesse conto

Meu nome é Lucas, tenho 32 anos e os fatos desse conto aconteceram 20 anos atrás.

Quando mais novinho tinha o cabelo bem loiro, mas foi escurecendo com o tempo e aos 12 eu tinha um cabelo castanho bem claro, meio que cor de mel. Adorava jogar futebol e esportes, mas por ser muito jovem não tinha físico definido. Fora isso era um garoto normal, só com um rosto aparentando ser um pouco mais novo

Era de uma família bem de vida de São Paulo. Só eu, meu pai e minha mãe, mas pouco depois do meu aniversário de 11 anos minha mãe morreu.

Fiquei arrasado, mas meu pai ficou pior ainda, começou a beber, descuidar da empresa da família e se endividar.

Chegou um momento em que a única opção foi recorrer a agiotas barras pesadas, mas isso só nos deu um tempo extra. Os negócios continuaram mal e agora, além do risco de perder nossa casa, ele devia dinheiro para pessoas perigosas.

Eu acompanhava esses problemas à distância, para as minhas necessidades de moleque ainda tínhamos dinheiro e mesmo com todos os problemas meu pai sempre foi carinhoso.

Com a morte da minha mãe nos tornamos muito próximos, ele sempre fez questão de acordar cedo preparar meu café e me levar para o colégio e nunca ia dormir sem me dar boa noite. Era o jeito dele demonstrar carinho e não deixar os problemas me afetarem.

Nessa época também arranjei minha primeira namoradinha no colégio. Nada muito sério, claro, éramos pouco mais do crianças, só andávamos de mãos dadas no intervalo, mesmo assim era divertido.
Apesar de tudo era uma vida boa e tranquila, mas isso não ia durar.

A primeira vez que percebi que as coisas estavam muito piores do que imaginei foi quando cheguei em casa do futebol e encontrei uns sujeitos mal encarados gritando com meu pai. Ele estava com o olho roxo e os lábios cortados. Dois negros jovens com cara de bad boys e um homem branco de uns 40 anos musculoso e cheio de tatuagens brigavam com meu pai aos gritos, ele já estava quase chorando.

Não foi muito sensato da minha parte, mas fiquei indignado e tomei as dores do meu pai. Comecei a gritar com os três homens:

– O que vocês estão fazendo na nossa casa? Eu vou chamar a polícia! – Eu gritava

– Para com isso Lucas! Vai para dentro – Meu pai dizia nervoso

Os negros acharam engraçado aquele projeto de homem querendo puxar briga e começaram a rir. O homem tatuado que parecia ser o chefe, só me olhava com um sorriso estranho. Depois de me encarar por um tempo, começou a falar com meu pai:

– Você já foi avisado! Tem até amanhã à tarde para pagar o que nos deve. Não vamos dar um novo prazo desta vez. Amanhã eu volto

O Tatuado me deu um último sorriso e foi embora com os capangas negros.

Entramos em casa, meu pai muito nervoso e eu assustado

– Quem era essa gente, pai?

– Deixa para lá, Lucas. Isso é problema de adulto. Vai dormir, quando estiver mais calmo nós conversamos.

– Mas pai…

– Agora não, Lucas. Vai dormir meu filho.

Fui dormir a contragosto

No dia seguinte acordei tarde. Era sábado e não tinha nenhum compromisso. Desci de pijama para tomar o café e para minha surpresa o tatuado e os capangas estavam na casa.

Meu pai chorava desesperado.

– Ainda não terminou o prazo – ele dizia já com ar de derrota

– Onde você vai arranjar essa fortuna nas próximas horas? É melhor aceitar o inevitável

Nessa hora eles me viram parado na escada.

– Olá Lucas! Já estava indo no seu quarto te acordar – disse o tatuado sorrindo

Ele virou para o meu pai e perguntou se eles tinham um acordo.

Chorando e soluçando meu pai disse que sim.

– Bom! Fiquem aqui com ele e não deixem ele me interromper – o tatuado disse para os capangas

– Vamos Lucas! Vamos para o seu quarto – Ele disse já me puxando pelo braço

– Pai, o que está acontecendo?

Mas meu pai só chorava e não tinha coragem nem de me olhar.

O tatuado me arrastou para o meu quarto e fechou a porta.

– Que quarto chic! Por isso seu pai deve tanto dinheiro, com esses gostos refinados.

– O que você está fazendo? Por que você está brigando com meu pai? Fazendo ele chorar?

– Depois do que ele fez com você acho que não deveria mais se preocupar com seu pai. Ele não merece sua preocupação. Sua cama ainda está quentinha! – Continuou o tatuado agora sentado na minha cama

– Do que você está falando? Sai do meu quarto! Meu pai vai chamar a polícia!

– Não vai não meu anjinho. Seu pai te vendeu para mim!

– Sai daqui seu maluco! – Eu gritei

– Seu pai me deve muito dinheiro. Muito mesmo e não vai pagar. Em situações normais eu teria que matá-lo, mas ele tem algo que eu quero. Adoro violentar playboyzinhos, acho engraçado o jeito que vocês gritam. A boa notícia é que seu pai vai sobreviver, a má é que você vai ter que ficar de quatro para mim.

– Do que você está falando? – Eu disse assustado e perplexo.

Eu já sabia alguma coisa sobre sexo, mas muito pouco. Alguns comentários no colégio, um pouco da aula de biologia, alguns vídeos vistos às escondidas. Não entendia direito o que ele estava falando.

Ele me puxou para a cama e me fez sentar ao lado dele.

– Me deixe em paz!

– Melhor você aceitar menino. Talvez você até se divirta. Você já se masturba?

– Me solta!

Ele dá um tapa na minha cara e diz:

– Eu fiz uma pergunta e quero que você responda. Entendeu?

Eu começo a chorar, ele dá outro tapa na minha cara?

– Entendeu?

– Entendi – Digo entre lágrimas

– E então? Já se masturba? E não tente mentir, se eu descobrir vai ser pior.

– Sim – eu digo envergonhado e já apavorado

– Bom. Eu gosto quando vocês ainda são inocentes, mas já estão virando homenzinhos. Em quem você pensa quando está se masturbando?

Eu não consigo para de chorar

– Vou ter que te bater de novo?

– Na minha namorada

– Caralho! Isso está cada vez melhor! Você tem uma namoradinha? Ótimo, prefiro meninos heteros. Vocês gritam mais. Agora tira esse pijama que quero te ver de cueca. Que cor de cueca você está usando, garoto?

Nessa hora bate o desespero e eu tento fugir, mas acho que ele já estava esperando. Antes de chegar na porta ele consegue me segurar. Eu faço um escândalo e começo a me debater, mas ele é forte e alto. Me contem com facilidade. Me joga na cama e se deita em cima de mim

– Calma amor. Porque tanto escândalo. Você não quer que eu te faça de mulherzinha? Você vai gostar

– Não! Eu não sou gay. Me solta me deixa em paz

– Você não é gay ainda, depois que eu enfiar o pau na sua bunda até o talo você vai deixar de ser homem e vai virar minha menininha!

Eu só grito. A casa inteira deve estar ouvindo. Meu pai não vem me ajudar.

O Tatuado começa a puxar minha camiseta do pijama. Eu resisto e por um breve momento parece que eu vou conseguir, mas a esperança não dura muito. Ele começa a dar tapas na minha cara. Vários.

– Para por favor! Você está me machucando.

– Tira a roupa e me deixas ver sua cuequinha

– Para!

Mais tapas.

– Tira a roupa e me deixas ver sua cuequinha

Eu estou tremendo, mas começo a tirar a parte de cima do pijama.

Ele acaricia meu peito.

– Bom! Você é lindo menino. Tira o resto – disse se levantando da cama – quero observar

Eu hesito, mas assim que ele levanta a mão para me bater de novo eu começo a tirar a calça.

– Azul? Prefiro meninos de cueca branquinha, mas tudo bem, vamos tirar mesmo. Sua namorada já te viu de cueca?

Só choro

– Responde caralho!

– Não

– Você já beijou ela?

– Não, a gente só fica de mão dada.

– Que fofinho. Então eu vou ser o primeiro a te beijar? Cara isso é muito legal. Sabe que o primeiro beijo de um menino é muito marcante, você nunca vai esquecer de mim

Ele me agarra e começa a me beijar. Mesmo correndo o risco de apanhar eu resisto, fecho a boca e começo a me debater. Ele não gosta, me dá outro tapa na cara e manda eu beijar direito

– Eu vou te ensinar a beijar anjinho.

Eu abro, mas quando ele chega perto eu fico com nojo de beijar outro homem e fecho de novo. Ele bate na minha cara, depois do quarto tapa eu não aguento e abro a boca

Ele me dá meu primeiro beijo na boca. Enfia a língua na minha garganta e fica apalpando minha bunda por cima da cueca. Eu não consigo parar de tremer.

– Menino você é muito sexy! Seu pai podia ganhar uma fortuna com seu corpinho! Você sabe o que é sexo oral?

– Responde!

– Sei

– Você já fez? Ou já fizeram em você?

Recomeço a chorar imaginando o que vem pela frente

– Responde

– Não! Eu só vi num vídeo

– Bom, eu vou te ensinar

Ele começa a tirar a roupa.

– Não por favor. Não faz isso comigo, você já me beijou, me deixa ir.

– O beijo é só uma preparação para o prato principal meu anjo. Agora que começamos vamos até o fim.

Penso em correr de novo, mas ele está entre mim e a porta.

Ele ficou pelado e com o pênis ereto. Nunca tinha visto o pau de um homem adulto. Só em vídeos. Era um pau normal, mas com o pavor que eu estava sentindo parecia gigantesco

Ele tem o corpo todo peludo e todo tatuado. Peito, costas, pernas. tudo

– Gostou? Responde!

– Me deixa ir embora, eu não quero fazer isso

– Meu anjo isso é um estupro. Você não tem que querer! – Ele disse rindo

Ele aproxima o pau da minha boca e me segura pelo cabelo

– Você vai abrir por bem ou vou ter que te bater?

Eu abro, não acreditando no que está acontecendo

– Se morder eu arranco suas bolas!

Ele enfia o pau na minha boca e começa a foder. Como se fosse uma buceta!

– Assim amor, sem os dentes!

O pau dele estava melado com aquele líquido que sai antes do gozo. Estava com muito nojo e sentia ânsia, nunca tinha sentido atração por homens, eu me excitava com mulheres. Ter um pau na minha boca era desesperador, eu queria morrer

Ele não se importava e continuava segurando o meu cabelo e socando a pica na minha garganta. Eu já nem conseguia chorar mais.

– Isso. Você nasceu para chupar pau, menino! Assim passa a língua na cabecinha – ele dizia me orientando

Ele começou a aumentar o ritmo e ofegar cada vez mais. No fim ele segura minha cabeça com força e dá um urro. O Desgraçado gozou dentro da minha boca, eu tento me soltar para cuspir aquilo, mas ele não solta meu cabelo e continua com o pau socado na minha boca. Um pouco do esperma vaza pelo canto da minha boca, mas sou obrigado a engolir a maior parte. Nunca senti tanto nojo na vida, fico com mais ânsia, mas pelo menos acabou.

Ou era o que eu imaginava.

– Eu não ia gozar ainda, mas sua boquinha quentinha me deixou louco! Nem meu irmão caçula que é uma putinha me chupava tão bem – Ele diz agora deitado na cama ao meu lado e beijando minha testa

– Você já conseguiu o que queria. Agora vai embora – eu disse com raiva.

– Calma, anjo. É antiético um cara ser chupado e não chupar de volta. Agora é sua vez

– Não! Não precisa, eu não quero!

– Lembra que não tem de querer? Eu faço o que eu quiser com você.

Ele tirou minha cueca, eu tentei cobrir meu pênis, mas ele ficou bravo.

– Eu quero ver.

Tirei a mão com medo de apanhar

– Lindo, não tem nenhum pêlo, mas você já se masturba. Deve ter acabado de virar homenzinho. Agora vamos deixar você duro que eu quero ver o tamanho.

Eu não estava com o pau duro, nunca tinha tido uma situação menos excitante na minha vida. Só sentia medo.

Ele começou a lamber e chupar meu pauzinho. Eu chorava e pedia para ele parar, mesmo assim comecei a ficar duro. Acho que ter uma língua no seu pênis deixa qualquer um ereto, por mais que eu estivesse detestando era uma resposta natural do corpo.

– Está gostando, não está, meu menininho? Responde!

– Não, eu quero parar!

– Se não está gostando, por que está ficando durinho? Você fica com esse drama todo, mas no fundo gosta de ser minha menininha!

– Não!

Eu queria que ele parasse, mas meu corpo continuava respondendo a provocação dele. Comecei a ficar ofegante, tentei tirar o meu pinto da boca dele, mas ele segurava minha bunda com força. Acabei gozando. Três ou quatro jatos. Depois do prazer momentâneo veio uma culpa horrível, eu não queria ter tido nenhum prazer com esse homem nojento, nessa situação horrível. Eu não queria sentir prazer com o meu próprio estupro.

– Porra ralinha! Esperma de moleque. Adoro!

Ele me abraçou e começou a me beijar. Senti o gosto do meu esperma na boca dele e tentei sair, mas não consegui.

– Já te dei seu primeiro beijo na boca e agora seu primeiro boquete. Você nunca vai esquecer do cara que te iniciou nas coisas boas da vida. Agora vamos para o prato principal

– O que você vai fazer? – Perguntei já em pânico
– Vou comer a sua bunda. Vai dizer que você achou que ia sair dessa com o cuzinho virgem – disse ele rindo

– Não faz isso cara! – Implorei entre lágrimas – Você já fez tudo que queria. Já gozou agora me deixa em paz, pelo amor de Deus me deixa em paz.

– Normalmente eu ficaria satisfeito, mas você é muito sexy carinha! Muito mesmo! O Jeito que você chora me deixa cheio de tesão. Olha como eu estou – Disse ele mostrando o pau já duro novamente

– Não! Pai! Pai! Pai socorro – Comecei a gritar

– Não adianta meu anjinho. Já disse que ele te vendeu. Hoje você é meu

Ele tenta por um travesseiro debaixo do meu quadril e me virar de barriga para baixo, mas eu resisto e começo a espernear.

Ele me enche de tapa, mas não adianta. Prefiro apanhar do que me submeter a isso. Eu sou homem!

Mas não adianta, ele é muito mais forte do que eu. Ele me vira de bruços e com uma mão segura meus braços para trás.

Se posiciona e tenta enfiar a vara em mim. Eu fecho as pernas apavorado.

– Não, para! Para! Pai Pai! Pai socorro – Comecei a berrar

Ele puxa o meu cabelo e me dá vários tapas na cabeça.

– Abre a porra dessa perna viadinho!

– Não! Eu não quero, para com isso, me solta.

Ele põe a mão livre por baixo do meu corpo e agarra minhas bolas. Começa a apertar com força. Eu dou um berro.

– Abre as pernas ou vou esmagar suas bolas, seu viadinho dos infernos.

Ele aperta de novo. Derrotado eu abro as pernas, ele solta minhas bolas e começa a enfiar a vara na minha bunda. Sem lubrificação, sem nada

Nunca senti uma dor igual. Não sei como, mas ainda encontrei forças para chorar e gritar.

– Pronto a cabecinha já entrou!

– Tá doendo! Tá doendo muito, tira!

– Ficou maluco? Agora que vem a melhor parte

Ele continuou enfiando com força, parece que quanto mais eu chorava mais forte ele metia. Tentei parar de chorar, mas não consegui doía de uma forma que nunca imaginei.

Sentia os pelos da virilha dele na minha bunda. Ele tinha metido aquele pau inteiro dentro de mim

– Isso! Agora enfiei tudo. Até o talo. Agora você é oficialmente uma menininha, minha menininha.

– Eu sou homem! – Disse baixinho entre lágrimas

– Não, você era homem. Agora tem a vara de um homem enterrada dentro da sua bunda. Homem que é homem não dá a bunda. Você deixou de ser homem, virou uma mulherzinha. Minha mulherzinha

– Não – gemi

– Todo mundo vai saber. As pessoas percebem, vão notar que agora você vai ficar efeminado. Acha que sua namoradinha ainda vai te querer depois que souber que você chupa pica e engole a porra de outro homem?

Não sabia o que era pior a dor daquele pau na minha bunda ou a humilhação de estar sendo feito de mulher.

– Nenhuma menina vai mais te querer depois disso. Melhor você se acostumar a dar a bunda. Essa vai ser a sua vida depois de hoje.

Enquanto falava continuava metendo no meu cu. Tirava a pica inteira e depois socava com força. Ele adorava me ver gritar. Se eu não gritasse quando ele metia, na próxima ele fazia com mais força para me fazer chorar. Ficou assim por uns 10 minutos, ele já tinha gozado na minha boca então dessa vez demorou.

Parecia que não ia acabar nunca, ele começou a ofegar e gemer mais alto e a meter com cada vez mais força e cada vez mais rápido.

– Vou gozar! Vou gozar!

Eu ainda sentia muita dor, mas já não conseguia mais chorar e estava com a garganta doendo de tanto gritar. Ninguém ia vir me ajudar. Fiquei em silêncio e esperei ele gozar dentro de mim. Senti uma coisa quente dentro da minha bunda e ele caiu amolecido em cima de mim.

– Meu Deus carinha! Essa foi a melhor transa da minha vida. Valeu cada centavo que dei para o seu pai. Você gostou?

– Responde – ele disse levantando e pondo a calça

– Não! Não! Seu filho da puta, não gostei!

– Calma anjo, na primeira vez dói mesmo com o tempo você se acostuma. Agora você é uma menininha e vai fazer isso sempre. Quero que você me prometa uma coisa, pode ser?

– Responde!

– O que?

– A partir de hoje, sempre que você for se masturbar quero que você pense em mim. Não na sua namorada que não vai mesmo querer namorar um viadinho, mas em mim enfiando a pica inteira no seu rabo. Combinado?

Olho para ele com ódio, mas não falo nada. Não quero apanhar de novo.
Ele pega minha cueca no chão e cheira.

– Vou levar sua cuequinha para lembrar de você até o próximo sábado

– Que próximo sábado?!

– Você não achou que essa seria a única vez, nê? Foi só a primeira prestação da dívida do seu pai. Ainda faltam 9 prestações.

Recomeço a chorar

Avalie esse conto:
PéssimoRuimMédioBomExcelente
(Média: 4,53 de 60 votos)

Por # # #

32 Comentários

Talvez precise aguardar o comentario ser aprovado
Proibido numeros de celular, ofensas e textos repetitivos
  • Responder :(

    mano que que vcs tem na cabeça? isso é claramente um abuso. isso é crime. errado até pros bandidos, se toca, por favor busquem ajuda, por favor

  • Responder Diego

    Também queria ser mulherzinha de macho, tenho apenas 19aninhos, branco e magro.

    • Samurai

      Tbm tenho vontade ser submisso tenho 16 aninhos

  • Responder Caio_play5

    Queria que fosse comigo, não vejo a hora de algum homem querer meu cuzinho, mas eu nao tenho jeito de viado e não sei como dar bandeira. Faço 12 dia 16/07, qria um papai de aniversário.

    • Pai dotado

      Cê pode ser meu terceiro

    • Caio_play5

      Vc deixaria msm o meu papai? Eu prometo ser obediente e fazer o que o senhor mandar.

    • mlk 25a

      oi Caio, quer meu filhinho? de onde vc é?

    • Caio_play5

      Oi mlk, eu quero ser sim. Tenho mta vontade de ter um papai pra me ensinar tudo, só de pensar fico com meu pau durinho. Já consigo colocar 1 dedo no meu cuzinho.

    • Caio_play5

      Tenho sim, ele é [email protected]

    • Caio_play5

      caio.ffire11 arroba gmail.com

    • Dark

      Mora aonde caio

  • Responder Pai dotado

    Tô começando a iniciar meus mlks, quem tiver dicas deixa o contato
    Obs:quero fazer eles gostar da coisa

    • curioso

      da detalhes aqui, o pessoal ajuda

    • Wq

      Eita , nossa que coisa interressante

  • Responder Felipe

    Que tesão de conto….pqp…que delícia

  • Responder Danilo

    Adorei o conto estou ansioso pela outras 9 prestações 😂😂😂

  • Responder luiz

    maravilha de conto!! adorei, tem que fazer o moleque gostar de dar o cuzinho e ganhar dinheiro com o cuzinho dele

  • Responder pedro filho

    mas é tão bom meter em criança, vc deveria tentar tbm

    • desconhecido

      quer meter em mim?

  • Responder Eduardo

    Ótimo conto, continue por favor.

  • Responder Arthur

    Adorei esse conto, posta a continuação pfv!!!!

  • Responder John

    Tesão demais. Faz o pai meter também. Coloca uns cuspe na boca hehehe

  • Responder pedro filho

    que conto perfeito!! mto bom

  • Responder Sor_LG

    Se gostarem deixem aqui os comentários com críticas e sugestões que eu posto as continuações
    @ Sor_LG

  • Responder Safadão

    Adorei,continua please

    • Nick

      Parabéns pelo conto quem quiser me chama no Telegram bater papo, só quem já teve experiência ou curte muito @dxxcioll

  • Responder Nando

    Muito bom tem mais

  • Responder Sor_LG

    Desculpem o tamanho. Acho que exagerei um pouco no meu primeiro conto

    Quem quiser conversar pode me chamar no telegran

    Sor_LG

  • Responder Pequeno bardo

    Cara adorei o conto, por favor faz a continuação, eu nunca te pedi nada.

    • Sor_LG

      Obrigado!

      Se o pessoal gostar eu posto as duas continuações que tenho em mente!

    • ...

      Cara…
      Quero a história dele com o irmãozinho tbm! Tesão de mais.
      Uns outros casos de dividas pagas assim e com menores ainda…
      Por favor nunca te pedi nada hahahaha

    • pedro filho

      com crianças seria perfeito!!