# #

Mudei de bairro, tive que fazer amigos novos…

1463 palavras | 1 |3.75
Por

Mudei de bairro , já não podia dar para meus primos, tive que fazer novos amizades e descobrir amigos que gostavam de bundinha….

Meu apelido na infância era boneco. Criado por 3 irmãs mais velhas eu era o nenê da casa. Elas brincavam de boneca e de casinha comigo. Eu sempre fui paparicado. Era bem educadinho, bonitinho e tinha um corpinho bem definido, cinturinha, coxas grossas e bundinha arrebitadinha.
Já contei aqui que fazia muito troca-troca com meus primos . Mas por ser o mais novinho acabava sendo enganado por eles , que me comiam , elogiavam minha bundinha , me comiam de novo e não davam para mim. Acabei gostando daquela cosquinha no cuzinho. Era só eles passarem a mão que eu ficava paradinho esperando eles baixarem meu calcãozinho e logo eles cuspiam no meu cu e no seu pau para enviarem na minha bundinha. Quando eles não tomavam a iniciativa eu convidava eles para brincar de medico, de casinha ou outra brincadeira onde eu pudesse mostrar minha bundinha redondinha para eles. As vezes eu mesmo passava a mão na bunda deles e sai correndo para os fundos do terreno onde eles podiam se vingar. E eles queriam passar a mão também, Eu virava , empinava a bundinha e deixava eles passarem a mão, quase sempre eles passavam por dentro do short e fazia que reclamava mas logo sugeria fazer uma ¨meia¨(como chamávamos os troca-troca). Eles aceitavam e como eu estava de costas já pediam para comer por primeiro. É claro que eu deixava , baixava o calçãozinho , abria as bandas da bunda e esperava o pau na bundinha. Quando era minha vez de comer por ser mais baixinho nem alcançava a bunda deles. E eles malandros ficavam na ponta dos pés e ai que não conseguia mesmo. Então desistia e pedia se eles não queriam me comer mais pouquinho.
Isso acontecia no inicio dos anos 70, tinha 7 anos. Durou uns 2 ou 3 anos, depois tive que mudar de bairro. Ainda morando em Porto Alegre. Mas do outro lado da cidade.
Era bem mais difícil, encontrar meus primos. As vezes meus tios vinham nos visitar, ou nos íamos visitar alguém. Aí passávamos o dia todo. Mas com toda a família em casa era mais difícil encontrar um lugar na casa para brincarmos. lembro de um dia que meu primo me convidou para ir embaixo da casa dele . Meus pais e meus tios ali no jardim, podia ouvir a voz deles. Nós deitados e meu primo passa a mão na minha bunda. não posso nem reclamar . Ele continua , vem se chegando, olha para trás com reprovação, ele baixa meu calção e alisa minha bundinha. Passa cuspe no meu reguinho e logo ela em cima de mim. O pau dele já conhecia o caminho. Aponta a cabecinha no meu cu vai metendo devagar. Eu sem poder reclamar, tento ajudar abrindo as bandas da bunda . Vai entrando bem devagar , até sentir ele descansar todo o corpo em cima de mim. Começa um vai-vem e vai metendo . Eu não podia nem gemer . Ficava bem quietinho levando pau na bundinha, louco de medo que meus pais ouvissem alguma coisa. Mas não tinha jeito mesmo. Esse meu primo era meio tarado. Ele que iniciou nos troca-troca. Me comeu varias vezes, e eu nunca comi ele. Ele era uns 2 anos mais velho e sempre achava um jeito de me ludibriar, primeiro foram os troca-troca onde só ele me comia, depois foi umas apostas ou jogos de velha que eu sempre perdia. Tinha que fazer o que ele queria. Uma vez tive que dar para ele e para o irmão dele. Outra vezes me mostrava uns brinquedos , umas casinhas, mas eu tinha sempre que ceder e deixar ele alisar minha bundinha e me comer. Quando eu comecei a ficar mais espertinho e querer argumentar , ameaçou contar para minhas irmãs e para meus primos que dava a bundinha para ele. Fiquei muito assustado e voltei a fazer tudo o que ele me pedia. Por isso acabei ali embaixo da casa dando a bundinha bem quietinho.
Depois ele me contou que comeu 2 primas já não me procurava tanto. Mas descobri que ele contou para pelo menos 2 outros primos que ele me comia e que eu gostava de dar . Esses primos vieram bem confiantes. Passaram a mão na minha bunda me convidaram para um troca-troca , pediram para comer por primeiro e na hora de eu comer falaram que sabiam que eu eu gostava de
dar e que eu tinha dado para meu outro primo. Resumindo, fiquei refém destes outros primos também.
Mas com a mudança tudo isso ficou para trás. Eu estava em outro bairro sem meus primos , Fazendo amizades novas . Demorou um pouco para eu conseguir intimidade com os novos amiguinhos.
Eu era bem adiantado na escola , então meus novos amigos eram sempre mais velhos que eu.
Isso já era meados dos anos 70, eu já tinha uns 9 para 10 anos. Chegávamos da escola e íamos direto jogar bola até escurecer. Um dia, depois do futebol, convidei um amigo para ir lá no matinho brincar mais um pouco. Era um lugar bem grande , onde depois sairia um grande loteamento. Era cheio de morrinhos e de arvores . Fomos para um lugar bem escondido . Tentei puxar conversa sobre as meninas da escola, falando de uma ou outra gostosa. Logo estávamos os dois de pau duro. Aí sugeri ver quem tinha o pau maior. Baixamos os calções e claro que o dele era maior, afinal era mais de ano mais velho. Então pedi se ele já tinha comido alguém. Disse que não .
Falei que também não e fiquei mirando o pau dele. Pedi para ver a bunda dele e ele esbravejou , falou que não , que não era disso. Não era viado.
Tentei acalmar ele dizendo que era normal, e que ele podia ver minha bunda também. Acabou cedendo, baixou levemente seu calção e vi sua bunda. Agora era minha vez de mostrar. Baixei meu calção até os joelhos e me virei de costas para ele.
———-Bah… que bundinha gostosa você tem…
——— Quer botar a mão? perguntei cheio de segundas intenções.
——-Posso?
——-Claro, não tem problema.
Ele passou as duas mãos nos lados da bunda e logo tirou
——–Quer passar a mão no cuzinho também? eu deixo, mas não pode contar para ninguém.
Ele meio timidamente foi passando o dedinho no meu cu. Fui ficando ficando com o pau cada vez mais duro, aquele dedinho coçando meu cuzinho. Me virei , fiz que iria subir meu calção , mas olho para o pau dele bem durinho. Encarei alguns segundos, e falei:
——Bah… tu ficou de pau duro olhando minha bunda.
——-Tu tem uma bundinha muito gostosa.
——-Se tu prometer não contar nada para ninguém eu deixo tu colocar a cabecinha na minha bundinha.
Nem esperei a resposta e fui me virando. Ele foi se chegando e começou a esfregar o pau no meu reguinho. Cuspi na mão , passei no cuzinho e abri as bandas da bunda.
Ele apontou a cabecinha e foi metendo devagar. Mas eu estava a muito tempo sem ser penetrado. Não entrava.
———-Assim esta difícil , foi me abaixar.
Fiquei de quatro e pedi para ele passar cuspe na cabeça do pau. Ele fez e foi novamente apontando a cabecinha no meu cu. Forçou um pouquinho e entrou. Doeu um pouco também. Esperei me acostumar e empurrei a bunda para trás . Foi entrando mais. E ele percebeu que eu estava liberando tudo. Começou um vai-vem e em segundos já estava gozando no meu cuzinho.
Foi uma foda muito rápida. Ele ainda disse que não aguentou . Respondi:
—– Tudo bem, outro dia a gente tenta de novo.
Fomos embora. Cheguei em casa com os joelhos sujos de terra vermelha. Minha mãe perguntou o que era isso nos meus joelhos. Disse que era do futebol e fui direto para banho.
Não tinha muita pohra era só uma aguinha rala.
Depois desse dia sempre que dava jeito depois íamos no matinho depois do futebol.
Ele apreendeu a comer e segurar o gozo. E eu de novo fazendo o que eu gostava. Mostrar a bundinha para os meninos e fazer esses troca-troca, onde primeiro eles me comiam e depois e dava a bunda para eles.
Mas isso durou pouco tempo . Comecei a trabalhar com 13 anos e fui novamente perdendo o contato com meus amiguinhos.
Hoje ainda tenho saudades daqueles momentos.
Sou casado a 30 anos com mulher e ainda como ela pensando naqueles moleques que adoravam comer minha bundinha.
Meu email: [email protected]

Avalie esse conto:
PéssimoRuimMédioBomExcelente
(Média: 3,75 de 12 votos)

Por # #

1 comentário

Talvez precise aguardar o comentario ser aprovado
Proibido numeros de celular, ofensas e textos repetitivos
  • Responder Sexogang

    Quero ser seu amigo…😏