# #

Feminizado pela Madrasta – O primeiro sutiã um garoto nunca esquece

865 palavras | 2 |4.00
Por

Um garoto de aparência frágil será punido por sua madrasta.

Danilo tinha apenas 5 anos quando sua mãe morreu, poucos dias depois seu pai lhe apresenta Michele, que era sua amante até então. Pouco tempo depois Danilo, seu pai, Michele e sua filha Ana já estavam morando juntos.

Dez anos depois, Ana já tinha 17 anos, dois anos mais velha que Danilo, se tornou uma jovem muito atraente e se vestia com roupas provocantes chamando muito a atenção dos garotos. Já Danilo parecia estar abaixo da sua idade, diferente dos seus colegas, a maioria com bigode e outros sinais da puberdade, ele não tinha nenhum pêlo no corpo e sua voz não engrossou.

O que deixava Danilo mais incomodado era o formato do seu corpo, até os 12 anos ele era gordo, mas por recomendação médica fez dieta e exercícios perdendo a barriga rapidamente, porém suas pernas e bunda não diminuíram na mesma proporção da barriga, o deixando com um corpo muito curvilíneo para um garoto, além dos mamilos avantajados que o fez virar alvo de piadinhas na escola.

Certo dia na escola, alguns colegas estavam incomandando Danilo, Carla era a que mais provocava:

– Você tem mais corpo de mulher do que eu, deixa eu apertar essas tetinhas.

Quando Carla tentou apertar as tetinhas salientes de Danilo, ele a empurrou com força, fazendo Carla cair no chão e se machucar. Tudo o que viram foi um garoto agredindo covardemente uma garota, inclusive a diretora que o convocou para sua sala, só saindo de lá acompanhado de sua mãe, no caso sua madrasta Michele.

Danilo estava tenso por saber que Michele o puniria severamente por isso, quando ele a viu entrando na sala com o ódio em seus olhos, já se preparou para uma surra ali mesmo e depois fazer todas as tarefas domésticas como castigo por um bom tempo.

– Está aí o agressor de mulheres! Não se preocupe diretora, eu garanto que algo assim não acontecerá novamente.

No caminho para casa:

– Ela que começou tentando apertar meus peitos!

– Nada justifica um cara agredir uma garota, isso é inaceitável! Inaceitável!

(Michele apanhava de seu ex-marido, por isso estava tão nervosa com essa situação)

Ao chegar em casa Danilo foi direto para o seu quarto aguardar sua punição. Horas depois sua meia irmã Ana chega da escola, também estava com raiva de Danilo lembrando do seu pai que também já lhe agrediu.

Algum tempo depois Michele entra no quarto do garoto assustado:

– Ana e eu já decidimos o seu castigo. Toma!

– M-Mas o que é isso?

– Não sabe o que é um sutiã?

– Sei sim mas, por que você me deu? Não vai me dizer que…

– Isso mesmo! Já que a causa de tantos problemas são suas tetinhas, resolvi juntar punição com soluçao. Tire sua camisa!

– Não mãe! Por favor não me faça vestir isso! São para garotas!

– Já está decidido, coloque agora por bem ou eu coloco em você de forma nada agradável.

Mesmo implorando para Michele desistir de sua decisão, Danilo tirou a camisa e pegou o sutiã:

– Eu não sei como se coloca isso!

– Vira de costas! É só prender aqui atrás, ajustar o tamanho das alças e pronto. Nossa!

Michele se surpreendeu ao ver como o sutiã se encaixou bem em Danilo, agora ele realmente parecia que tinha pequenos seios de adolescente. Já Danilo, ao se ver diante do espelho com o lindo sutiã vermelho, com bojos e um lacinho no meio, realçando seus peitinhos avantajados, foi impossível não conter as lágrimas.

– Agora vista sua camisa e desça para o jantar daqui a pouco.

– Não! Meu pai e Ana não podem me ver assim!

– Eles já sabem!

Ao vestir a camisa Danilo percebeu o quanto estar usando aquele sutiã deixava sua silhueta ainda mais feminina, com os bojos empurrando sua camisa para frente, marcando as alcinhas nos ombros e nas costas.

Michele, Ana e seu pai já estavam sentados à mesa:

– Desça Danilo! Só estamos aguardando você para o jantar. – Disse Michele.

– Vamos Danilo! Estamos todos cientes do que você fez hoje e da sua punição.

Depois de muita insistência, a atenção de todos é voltada para o garoto de cabeça baixa e rosto corado, que senta em silêncio. Ana não conteve o riso:

– Nossa! Que belo par de seios irmãzinha!

– Cala a boca sua…

– Ei! Você que procurou isso tudo, agora aguente! Se eu te pegar xingando vai ser muito pior entendeu! – Advertiu Michele.

Após o jantar Danilo voltou rápido para o seu quarto e ficou lá até dormir. Ele sonhou que tinha um grande par de seios, estava na escola só de sutiã e seus colegas faziam fila para apalpar. Ele acordou todo assustado, negando esses pensamentos, porém seu pequeno órgão estava bem duro.

A continuação está no meu blog: femboysstory.blogspot.com

Avalie esse conto:
PéssimoRuimMédioBomExcelente
(Média: 4,00 de 3 votos)

Por # #

2 Comentários

Talvez precise aguardar o comentario ser aprovado
Proibido numeros de celular, ofensas e textos repetitivos
  • Responder @escritorsecreto

    Opa irei acompanhar em seu blog. Amo femboy

  • Responder Verme Depravado

    Tens de melhorar… Conto FRACO…