# # #

Com 8 anos, fui estuprada pelo amigo do meu pai e gostei

3017 palavras | 66 |4.43
Por

Esse é um relato verdadeiro, de como fui estuprada aos 8 anos. O relato é muito grande pq procuro ser sempre detalhista, então tenha paciência ao ler.

Meu nome é Andressa, tenho 26 anos. O relato que vou contar nunca me trouxe trauma ou sofrimento, muito pelo contrário, só despertou em mim fetiches que me acompanham até hoje. Adoro um estupro, amo pedo, e sempre que consigo um garoto novinho pra me satisfazer, não perco tempo. Enfim, vamos ao relato:

Bom, eu morava fora da capital de Boa Vista, no interior de Roraima, não muito longe da cidade. Eu tinha 8 anos, mas eu já sabia o conceito básico do sexo, eu nunca fiz, mas eu era e sou muito curiosa sobre tudo. Eu lembro que sempre quis entender mais o que era sexo, lembro q eu brechava meus pais transando, às vezes via ele pelado também. Mas, por eu ser criança, eu não podia ouvir sobre sexo, não podia falar sobre sexo, não podia assistir algo relacionado a sexo. Meus pais sempre tinham cuidado cmg, e eu sempre respeitava o que eles mandavam ou decretavam, por medo de apanhar. Tinha vezes que eu tomava banho com meu pai, e ficava olhando o pau dele, é, com 8 anos, eu já sentia tesão, mesmo sem saber o que era na época. Eu sentia uma queimação no corpo toda vez que brechava meus pais transando, e quando pegava meu pai vendo pornô no dvd. Meu pai sempre gostou de mulheres velhas, nunca de garotas novas, então ele não me olhava com malícia.
Mas ele tinha um amigo que eu sempre achei bonito demais. Tipo, ele era gato pra caralho. Bom, agora, na idade que eu tô, eu sei que o que eu sentia por ele era tesão, mas nunca passou pela minha cabeça que algo com ele aconteceria. Eu amava ver ele sem camisa. Ele tinha o corpo peludo, era musculoso, um magro musculoso. Ele era solteiro, mas sempre que ia lá em casa conversar com meu pai, sempre falava das garotas novas que ele comia. Mas que eu me recordo, ele dizia que era umas novinha tipo 17, 19, e ele tinha 33. Eu sempre fazia qualquer coisa pra ouvir essas conversas porque tinha muita curiosidade. E eu não sei se esse amigo do meu pai me olhava com safadeza, ou se ele sentia algo por mim. Eu era uma garota bem branquinha, loira, meus olhos são claro, meio verde, então acho q talvez eu fosse atraente pra ele.

Como de costume, eu estava me arrumando para ir pra a escola, e ouvi o carro do Fernando, amigo do meu pai, chegando na frente de casa. Ele veio só dar uma passada, pra cumprimentar meu pai. Eu tinha me arrumado, estava pronta pra ir, só que nesse dia havia chovido muito de madrugada e de manhã, a estrada era de barro e estava bastante lamacenta. A escola não era tão longe, e normalmente quem me levava era meu pai, mas se nós fôssemos, iríamos ficar com os pés todos melados de lama. O Fernando se ofereceu pra me dar uma carona até a escola, já que ele tava indo pra casa. O meu pai concordou, afinal, Fernando era um velho amigo do meu pai que ele confiava bastante. Eu entrei no carro, no banco da frente, ele se despediu do meu pai e a gente seguiu caminho. Eu tava usando uma farda comum: camisa, calção, e uma calcinha daquelas de pano infantil msm, e com percatas nos pés. Mas ele tava com uma camisa de botão aberta e uma bermuda pequena.

A gente seguia viagem, Fernando com os olhos na estrada, e eu com os olhos nele, não conseguia tirar os olhos do volume na bermuda dele e das coxas peludos que ele tinha. Acho que ele percebeu e olhou pra mim:
– O que foi? O que tava olhando? – perguntou olhando somente uma vez pra mim e voltando os olhos pra estrada.
– Nada, tio.

Depois de ter notado o que eu estava olhando, ele resolveu puxar assunto comigo:
– Você gosta de ir pra escola, Andressa?
– Gosto, mas não muito, eu prefiro brincar. Quando tô lá, eu e meus amigos brincamos de tudo – respondi.

Ele deu uma resposta exagerada, como alguém que ficou super surpreso com que escutou:
– Uau! De tudo? Legal! Mas você prefere estudar ou brincar?
Levei um tempinho pra responder:
– Eu gosto mais de brincar porque não consigo entender o que a professora diz.
– Hmm, então que tal não ir pra escola hoje? E o tio te ensina a fazer uma brincadeira secreta, uma que só poucas pessoas podem? Na verdade, é uma que só os adultos podem!
Eu fiquei eufórica. Eu realmente estava imaginando que fosse uma brincadeira bastante mágica e incrível. Eu era muito ingênua. Eu respondi com uma expressão de “Nossa! Existe uma brincadeira assim?”:
– Tá bom, tio! Eu quero!
– Tá bom, mas a gente vai precisar ir pra outro lugar, pra eu poder mostrar como é a brincadeira, porque ela é muito secreta mesmo, e só pode ficar entre nós, tudo bem? ‐ ele diz olhando pra mim, esperando uma afirmação.
– Tá bom, eu não vou falar pra ninguém.

Ele continuou dirigindo, eu não sabia pra onde ele queria ir, mas estava tão animada que não me preocupei com isso.
Até que nós paramos em um lugar muito deserto. Só tinha mato. Dava facilmente para matar alguém e desovar o corpo ali.
– A gente vai brincar – ele falou, enquanto eu olhava ao redor onde estávamos – mas você vai ter que tirar a sua roupinha.
Obviamente, eu estranhei o que ele disse.
– Mas o papai e a mamãe falaram que só eles podem me ver sem roupa – respondi.
Nesse momento, ele me olhou com um olhar mais sério:
– Tira agora a roupa, ou então conto pros seus pais que você fugiu da aula, aí eles vão te bater muito por ter feito isso. E eles vão acreditar em mim.
Eu não sabia o que falar. Ele estava certo. Mesmo naquela idade, eu já sabia que os adultos não prestavam atenção no que eu dizia. Se ele inventasse qualquer mentira sobre mim, meus pais iriam acreditar e iriam me punir.
– Tá bom, tio, mas a gente ainda vai brincar? O senhor não vai contar pro papai?
– Não, meu amor, o tio só quer jogar um jogo com você, mas não dá pra ser com roupa. Vem cá, deixa eu ajudar você a tirar a blusa ‐ disse me acalmando e tirando minha blusa.
Fiquei sem nada na parte de cima. Eu era meio magra meio gorda, então meus peitinhos ainda estavam crescendo, o que fazia deles fofinhos. Ele ficou um tempinho me admirando sem a camisa.
Depois foi a vez do meu short, eu fiquei só de calcinha. E antes de me deixar nua por completo, foi a vez dele de tirar a roupa. Sem tirar os olhos de mim nem por 1 segundo, ele começou a desabotuar o restante da camisa xadrez. Ele era forte, tinha um corpo definido e peludo. Lembro que sempre sentia um calor no corpo ao ver ele sem camisa, e nesse momento, era o que eu mais estava sentindo. Calor. Ele também aproveitou pra se livrar do short jeans apertado que ele estava usando. Ficou apenas com uma cueca branca. Pela aparência, aquela cueca estava bem gasta. Dava pra ver um contorno nela, era um volume bastante grande.
Agora foi a vez da minha calcinha. Ele puxou ela sem hesitar. Minhas percatas tinham sido tiradas junto.
Eu estava sentada no banco do passageiro, encostada na porta do carro, totalmente nua agora.
– Abre as perninhas pro tio ver – ele disse com olhos apontados pra minha pepequinha (era como eu costumava chamar, na época)
Eu abri. Ele logo começou a mexer na cueca. Dava pra ver o volume enorme no calção, dava pra ver que ele apertava com força o volume, era como se estivesse mantendo sob controle aquilo dentro da cueca.
Sem me avisar, ele agarrou meus tornozelos e me puxou, pra que eu ficasse deitada no banco, ainda com as pernas abertas. Ele abaixou calmamente até o meio das minhas pernas, beijou as partes das minhas coxas. Eu estava sentindo um calor, sentindo meu corpo queimar. Eu estava excitada, com tesão, não conseguia pensar em nada nem conseguia ver o que ele estava fazendo, só conseguia sentir.
Depois de beijar minhas coxas, ele foi direto na minha pepequinha apertada. Meteu a língua no meu pinguelinho pequeno, ficou pincelando com a língua por alguns minutos, depois levantou ainda mais minhas pernas, abrindo elas, e enfiou a língua quente e molhada dele dentro da minha bucetinha. Eu conseguia sentir a língua dele mexendo dentro de mim, eu me contorcia enquanto ele fazia isso.

– Tá gostando, né, sua safadinha? – Eu ouvi ele dizer.

Eu não consegui nem pensar numa resposta porque ele começou a chupar ainda mais fundo, e eu só conseguia gemer e tremer. Senti que minha pepequinha tava muito molhada, talvez pela saliva da língua úmida dele, foi o que eu achei na época, mas hoje, sabendo as coisas que eu sei, eu tinha certeza que estava gozando.
– Que melzinho gostosinha que tá saindo de você – ele disse me olhando com a boca melada, a barba babada com saliva, ou o meu melzinho.

Ele me chupou tanto que minha pepequinha estava vermelha e inchada… e eu ofegante e corada.
Ele abriu a porta do carro e saiu, tirou a cueca e estava totalmente nu. Lembro detalhadamente do pau dele. O pau dele era todo peludo, era grande com uns 17cm e grosso. Eu nunca vou me esquecer daquele pau incrível.
Ele veio até a porta onde eu estava, ainda estava deitada, ele me puxou e me levantou no colo. A gente foi pro banco de trás do carro, ele sentou no banco e me colocou sentada nas pernas dele, eu senti o pau dele muito duro roçando minha pele. Eu estava sentada de frente pra ele.

– Sabe beijar? – ele perguntou.

Balancei a cabeça dizendo “não”.

– Quer aprender?

Balancei novamente dizendo “sim”.

Ele aproximou a cabeça e me deu selinhos na boca. Em seguida, pediu pra eu abrir a boca e meteu a boca dele junto a minha, consegui sentir sua língua com a minha, era estranho. Após isso, ele foi beijando meu pescoço, descendo. Chegou nos meus peitos, ficou beijando, alisando e chupando. As mãos ásperas dele que estavam passeando pelo meu corpo pararam na minha bunda. Com as duas paradas na minha bunda, ele apertou forte, muito forte e começou a abrir minha bunda, passando os dedos no meu buraquinho. Ele bateu as duas mãos com força na minha bunda, eram duas mãos extremamente pesadas.

– Ai, tio! – Eu respondi com gemidos.

Ele sorriu e bateu mais uma vez, as duas mãos vieram em cheio na minha bundinha, e eu soltei um gemido com dor, enquanto ele dava sorrisos.

Ele me levantou, eu era como uma boneca de pano pra ele, não apresentava esforço pra ele me levantar. Ele passou a mão na boca e tirou cuspe dela, passou na minha pepequinha que ainda estava sensível e ainda me matando de tesão, me deixando bem melada com a baba da boca dele. Ele tirou mais cuspe da boca, mas dessa vez passou no pau dele, vi quando ele melou a cabeça vermelhinha do pau dele, depois esfregou o pau todo no cuspe, melando até os pentelhos. Ele foi me descendo devagar, em direção a cabeça muito vermelha e melada do pau dele, bem na minha pepequinha. Fui descendo e sentindo um incômodo, uma dorzinha. Falei pra ele que estava doendo, mas ele não disse nada, continuou olhando pra minha pepeca descendo na cabeça do pau enorme dele. Ele forçou um vai e vem, até que enfiou a cabeça toda na minha pepequinha… e eu gritei.

– Tio, para! Tá doendo! Eu não quero mais brincar! – eu disse ainda assustada com a dor.

Com uma mão, ele segurou com força meus dois punhos que eram bem finos e fracos. Com a outra, continuou me descendo.

– Shhhh! Calma, fica quieta!

Eu falei que queria ir pra escola, não queria mais brincar. Ele me olhou com muita raiva e disse:
– Se você não se comportar, eu vou te matar e te deixar aqui nessa mata. Ninguém vem te procurar, sua putinha. – ele falou com um rosto muito sério.

Eu fiquei bastante assustada, é claro, e comecei a chorar.
– Engole a porra do choro, senão vou te bater.

Eu estava com o rosto vermelho de choro, com as lágrimas bem no canto dos olhos.
Ele continuou me descendo, só que ele me desceu no pau dele muito rápido e de uma vez e enfiou tudo.
– Aaaah, caralho! – ele gemeu alto com muito prazer.
E eu gritei muito alto e continuei chorando. Nesse momento, eu não estava mais sentindo tesão nem estava excitada, eu só estava sentindo dor. Falei pra ele que estava ardendo.
– Vai passar depois de alguns minutos, minha safadinha.

Ele foi socando devagar, um vai e vem, com as duas mãos ásperas e grossas dele na minha cintura. Ele ficou assim por uns 10min, e eu notei que tinha sangue nas coxas dele e o pau dele tava melado de um líquido vermelho, sangue, e estava saindo DE MIM. Eu gritei desesperada, com medo de que aquilo tenha sido algo que me leve a morte, gritei e ele tampou minha boca, com força. Ele ficou com muita raiva.
– Sua filha da puta, eu falei pra tu ficar quieta! Tu quer gritar? Eu vou te dar motivo pra gritar.

Foi nessa hora que ele começou a socar mais forte na minha bucetinha apertada. Foi tão forte que dava pra sentir o pau dele me rasgando. Eu estava sentindo muita dor, e ele sentindo muito tesão. Eu não sabia na época, mas agora sei que ele sentia muito prazer em me ver chorar e com cara de dor, como se fosse o melhor prazer do mundo pra ele.
Ele não parava de socar, me tirou de cima dele pra ficar admirando com satisfação o buraco ensanguentado da minha bucetinha, depois colocou tudo de uma vez o pau dele, depois tirou de novo, depois colocou de novo, ficou fazendo isso de forma muito agressiva. Ele parou e me tirou de cima dele, e enfiou um dedo no meu buraco. Não sabia o que era pior, o dedo dele ou o pau dele. Ele usou dois dedos depois, ficou metendo e tirando com força, e me encarando com uma cara de satisfação que eu nunca me esqueço. Eu aguentava tudo aquilo com a boca fechada, de vez em quando soltava uns gritinhos, mas logo fechava a boca pra ele não se irritar de novo. Agora os dedos dele estavam todos sujos de sangue. Ele deu uma lambida neles e depois trouxe os dedos na minha boca pra eu lamber. Eu lambi e senti o gosto do ferro. Após isso, ele me colocou de volta no pau dele, mas dessa vez nós saímos do carro, ele me levou no colo com o pau ainda dentro de mim e me colocou na frente do carro, no capô. A essa altura, ele não estava com medo de ser pego nem se eu chorasse nem se eu gritasse.
Ele abriu minhas pernas, me deixou na posição de frango assado, eu estava muito aberta, ele enfiou tudo de uma vez e eu estava gritando e chorando pedindo pra ele parar. Tudo o que ele dizia era:
– Isso, caralho, grita pra mim, sua putinha, grita. Chora pra mim, caralho, vou te foder muito, putinha safada.

Eu não achava que ele podia socar mais forte do que tinha feito dentro do carro, mas ele fez. Ele estava perto de gozar e socou tão forte, com tanta violência que foi impossível não chorar. Na última estocada, ele foi tão fundo que tenho certeza que tocou meu útero ou rasgou algo dentro de mim. Ele tirou o pau de dentro de mim rápido e me deixou no chão, eu era do tamanho exato do pau dele, ele segurou meu queixo pra olhar pra ele enquanto ele batia punheta. Quando ele gozou, foi tudo na minha cara. Ele gozou muito, e ficou pegando a porra que tava na minha cara com o dedo e mandando eu lamber. Tinha um gosto muito grudento. Era como mastigar um chiclete sem gosto e que grudava na boca depois. As minhas pernas estavam trêmulas, minha buceta doendo e ardendo.
– Agora a gente vai brincar lá na minha casa, não acabou ainda não – ele disse pra mim sorrindo.
Eu fiquei assustada. Ele só pegou a camisa pra limpar meu rosto, limpar o pau dele que estava com sangue, e agora com porra tbm, e limpou minhas pernas que estavam meladas com o sangue do cabaço que eu havia acabado de perder. Após isso, me botou no banco de trás, deitada, e foi dirigindo. Eu dormi a viagem toda, rumo a casa dele.

É óbvio que esse relato tem uma continuação, que estou ansiosa pra contar pra vocês, mas antes queria saber a opinião de vocês sobre essa primeira parte. Sempre quis contar isso, quando descobri esse site, vi vários relatos excitantes, então vi a oportunidade de contar o meu tbm. Deixem o telegram de vcs, vamos compartilhar alguns relatos depois.
(Desculpe qualquer erro gramatical)

Avalie esse conto:
PéssimoRuimMédioBomExcelente
(Média: 4,43 de 65 votos)

Por # # #

66 Comentários

Talvez precise aguardar o comentario ser aprovado
Proibido numeros de celular, ofensas e textos repetitivos
  • Responder ...

    Isso sim é macho de verdade. Tem que machucar bucetinha mesmo, dá tesão ver chorando. Nasceu com buceta, merece ser estuprada. Fêmea só serve pra dar

    • Putinha

      Adoraria ser sua mulher ❤️ Isso que é homem de verdade

    • Andr3ss4

      Deixa seu teleg

    • InuYasha

      Horror, maldade, doença…
      Fiquei com dó de imaginar crianças sofrendo dessa maneira, vc no caso disse que gostou, mas não foi isso que aparentou….

      Eu, se tivesse com você no carro, faria diferente
      Te chamaria de anjinho e de princesa, cafuné no cabelo, abraço e um beijinho na bochecha

    • Andr3ss4

      Problema é seu. Eu sei o que eu gosto e o que não gosto. Carinho é pra frescos. Se não curte, por que leu, seu retardado?

    • Pedo assumido

      InuYasha seu frouxo kkkkkk. Sabe nem tratar uma menina.

  • Responder Andr3ss4

    Pra mim, a idade é apenas um detalhe. Eu curto todo tipo de categoria, seja ela pesada, leve, moderada, de todas as idades. Mandem msg, caso queiram compartilhar alguma experiência.

    @andr3ss400

    • Homer

      Sempre estupro minha enteada! Drogo ela e a mãe dela e me delicio como quero! Meu sonho e fazer com ela acordada na frente da mãe mas aí seria um tiro no pé

    • yuri

      Ja chamei la me adiciona ai ta

  • Responder Bru

    Mereceu puta do caralho, quem mandou ter buceta ? Achei pouco ainda

    • ll

      Ridículo prepontente insano e nojento

    • Putinha20anos

      Você tem razão gostoso

    • Putinha20anos

      Se eu fosse tua mulher eu dava pra você até na rua, seria sua putinha como você merece

    • Putinha20anos

      Homem de verdade são esses dos comentários, queria um homem desse em casa pra fuder comigo e me colocar barriga pra me fuder na frente da nossa filha pra depois ele fuder ela , porque mulher só serve pra isso

    • Nina20

      Isso que é homem de verdade , queria ser estrupada por você

    • Andr3ss4

      Obrigada, tbm achei pouco, sempre penso que era pra ele ter sido bem mais bruto e violento comigo. 😍

    • Souza Lemos

      Putinha novinha adora quando homens mais velhos pegam elas de jeito. Tem que socar gostoso mesmo. Deixar toda arrombada

  • Responder Sick

    Carinho faço na minha mãe, putinha tem.q ser sodomizada msm

    • Andr3ss4

      Kkk sim.

    • ...

      Tá certíssimo

  • Responder Mestre

    Continua

  • Responder Tarada por bebês

    Que delicia! Queria uma boquinha na minha buceta

    Tele @leoparn

    • Zorro

      Também achei um pouco violento por causa da idade. Eu sou dom e tenho algumas cadeias. Prático Sado leve, com pessoas que gostam e faço sexo baunilha com quem não é adepto. Já na sua idade e tem escolha não vejo problema algum.

    • TH.RJ

      Vamos fazer uma para a gente usar

  • Responder Alex

    Adorei linda

  • Responder 40ão potiguar

    Confesso ser assustador mas…

    • ll

      Toma vergonha nessa tua cara cabra sem vergonha tomara que teu pau fique podre e caia que vc pegue hiv seu retardado repugnante nojo de ti

    • 40ão potiguar

      Ué II, eu disse que é assustador mas há quem curta e você vem me ofender? Não tenho culpa se tua mulher deu pra mim pq vc é frouxo.

  • Responder Jacinto Leite Aquino Rego

    Achei meio pesado, mas fazer o quê né…

    • Andr3ss4

      Há quem curta um sexo mais violento, né? Eu sou das que curte. Então, quem não curte, paciência.

    • Suelensusu

      Eu gosto também, quanto mais violento mais eu gozo! Sou submissa desde q me entendo por gente amo ser pega na marra

  • Responder Eduardo

    Que bom que você gostou e atualmente sente prazer com isso, o impartante é ter prazer.

    Teleg : @dudurj0

  • Responder Iza

    Conto maravilhoso
    [email protected]

  • Responder Mk

    Heey, andressa, tudo bem?
    Muito bom o conto e bem vinda para esse site maravilhoso que assim como você, também compartilho o mesmo gosto de pedo.
    Espero ansiosamente pela continuação e também de futuros relatos seus sobre suas aventuras com os novinhos ou qualquer outro que queira contar.
    Bjão
    E até qualquer hr

  • Responder @danisill

    Dlc de conto , continue
    Chama no telegran @danisill

    • Andr3ss4

      Seu nick não aparece lá, só outros relacionados

  • Responder Sick

    Prefiro as maiorzinhas que correm risco de engravidar, adoro embuxar as de 10, já tive 2 confirmadas .

    • Armando

      Sr. S,

      Que fantasia linda… Gravidez bem precoce… Claro, com toda assistência, condições e nenhum risco. Então quanto mais precoce mais excitante.
      Um tema pouco abordado. Pena.
      Dlc.

      Armando.

    • Professor

      Tenho 2 no meu currículo tambem, um pouco mais velhas, 12 e 13, eu amo ser professor, da muitos presentes chantagear essas putinhas e engravidar elas

    • Andr3ss4

      Kkkk eita que safado.

  • Responder Velhinho

    Muito bom.

  • Responder Alessandro

    Cara, brinquei muito com a filha de uma amiga antes de torar o cabacinho dela, mas nunca fiz nada forçado com ela. Td que fizemos, durante o tempo que rolou(quase dois anos), foi td consentido. Nunca fiz nada que ela não quisesse. Foram quase seis meses só brincando. Beijos, carícias, chupadas…etc…até o dia que achei que ela estava preparada pra levar rola. E foi td do jeito, e no tempo dela. Ela tinha acabado de completar 9a qdo tirei o selinho da xotinha dela. Depois da primeira vez, as coisas ficaram cada vez melhores. Hj, qdo lembro de td que rolou entre eu e aquela delicinha, penso que minha amiga até sabia. Ela nunca se preocupou qdo a filha ia pro meu ap, e passava a tarde toda comigo, sem contar as inúmeras vezes que a menina dormiu em casa, qdo ela ia pra alguma balada com as amigas. O que mais me impressionava, era que a garota gostava de foder, e como gostava. Cansei de leva-la pra escola, com a xotinha entupida de porra. Infelizmente, minha amiga vendeu o ap, mudou de lá, e eu perdi minha putinha deliciosa.

    • Arthur

      Quando o conto não te faz gozar, mas o comentário faz.

    • ThiagoDF3

      Putz.. Sei como e Kk

    • Eduardo

      Essa idade é a melhor pra se fazer isso. Tirei da minha prima com 9 também, já estava preparada.

      Teleg: @dudurj0

  • Responder NRT

    Droga. Gozei na metade do conto.

  • Responder 40tão

    Nossa, que delícia
    Já estou ansioso pela continuação de relato delicioso
    Não demore viu
    Bjsss

  • Responder Zenra

    Sem graça…colocou violencia é broxante

    • @betonetto

      continuacl

    • Andr3ss4

      Não gosta, problema é seu, só não ler. Não é nem obrigado, k.

  • Responder Casado19cm

    Cristiano ferreira
    Chama lá delicia , vou adorar conversar..

    • Andr3ss4

      Deixa o seu nick

    • Filha De Satan

      Primeiro que claramente tu e um homem fingindo ser mulher e outra esse mesmo conto esta em alguns sites e com mais de 10 anos atras ^^ ou seja tu alem de mentir ainda mente mal enfim vai se tratar guri ^^ .