#

A Fazenda

719 palavras | 15 |4.63
Por

Meu nome é Luana sou morena, 1,70 de altura, cabelos pretos e ondulados até a cintura, seios pequenos, bundinha empinadinha e chamo a atenção de muita gente, mesmo tendo ainda 11 anos …. gosto de meninos e meninas!!!! Acho que sou BI
Na real tudo começou quando eu ainda morava ainda em uma fazenda de gado no Rio Grande do Sul.
Vivia com meus avós, meu avô é o administrador desta fazenda, minha mãe é da polícia ambiental e está sempre viajando, meu pai não para em emprego nenhum porque bebe muito então minha mãe achou melhor eu ficar morando com meus avós.
Estudávamos de manhã na escola que havia na fazenda e nas tardes quentes íamos nos refrescar no rio que passava nos fundos da fazenda, os meninos de cuecas e as meninas de calcinha, era uma guerra de água entre meninos e meninas, as vezes eu era agarrada por meninos, outras vezes por meninas.
Somente nós frequentávamos o local porque os peões estavam trabalhando, num fim de tarde modorrenta, no silencio da mata, o Fabinho um garoto moreninho, cabelos pretos, olhos puxados que marcavam sua mistura de índio com caboclo propôs que toda a turminha nadasse sem roupa!!
Foi um silencio total…. ele nem aí tirou a cueca jogou na margem e ficou se exibindo com aquele pintinho em pé…. em seguida os outros garotos seguiram o exemplo e nós meninas ficamos admirando aqueles pintos de diversas grossuras e comprimentos!!
Antônia uma guria loira catarinense de 12 anos não teve dúvida e tirou a calcinha estampada com florezinhas, para o gaudio dos meninos que podiam olhar aquela rachinha sem pelos nossa ela estava linda nua com um valezinho começando a se formar entre seus minúsculos seios do tamanho de dois morangos, eu acho que por ser descendente de alemães as meninas europeias custam mais a se desenvolverem
Em seguida foi a vez da Rita que veio de uma cidade chamada Bonito acho que tinha uns 12 anos também, mas tinha um corpo mais formado com seios tamanho de dois limões e com alguns pelos nascendo e começando a cobrir a vagina
Em seguida foi minha vez, tirei a calcinha morrendo de vergonha e vermelha como um pimentão entrei rapidamente naquela água gelada para que ela cobrisse a minha nudez.
Nossa foi um choque e tanto, nem dando tempo de me acostumar e pensar sinto o Fabinho me agarrando por traz e colocando o pinto dele na minha bunda e sinto aquela coisa vibrando entre as minhas coxas enquanto apertava meus minúsculos seios fazendo meus mamilos despertarem.
Assim fiquei ali sendo encoxada, e sentindo aquele coisa quente e vibrante entre minhas coxas e ao mesmo tempo algo fazia eu sentir uma chama nascendo bem no fundo lá dentro de mim, sem saber o que fazer, me bateu um medo, me desenvencilhei dele nadando para longe e foi a vez da Antônia me abraçar e rindo da minha cara de assustada, olhando bem firme nos meus olhos me deu um selinho e riu por eu não saber ainda beijar, enquanto me ensinava beijar de língua mordia de leve meus seios.
Comentando que eram lindos e passando a mão nos meus biquinhos duros e lisinhos ia dizendo que eles que eles não tinham aquela rugosidade existente em mulheres adultas.
O fato é que desde esse dia passamos a nadar nuas, certa tarde o Jorge que tinha 14 anos loiro e mais ou menos forte, com um pinto comprido e fino pegou a Sueli que era de Santa Catarina também loirinha, magrinha e se deitaram numa toalha que ele havia trazido.
Creio que a não ser eu ninguém mais reparou, estavam rindo, ela com as pernas abertas levantadas e ele entre as pernas dela, de repente pararam de rir, e ela deu um gritinho abafado pela boca dele.
Ele havia conseguido penetrar nela, eu nunca tinha visto uma transa ao vivo e a cores!!! Senti meu coração a mil e me imaginando no lugar dela
E assim fui descobrindo meu corpo e até aprendi a me masturbar!!! O interessante que à noite na minha cama, em silencio, me masturbava pensando na Antônia acariciando meus seios!!!!

Avalie esse conto:
PéssimoRuimMédioBomExcelente
(Média: 4,63 de 30 votos)

Por #

15 Comentários

Talvez precise aguardar o comentario ser aprovado
Proibido numeros de celular, ofensas e textos repetitivos
  • Responder vavanatury52

    Luana tem email para contato, que conto maravilhoso quero sua amizade,adoro mulher bissexual meu sonho

  • Responder Vadinho_SSA

    Sensacional, Luana!

    Ah, como queria voltar à minha adolescência quando ia passar férias no interior…

  • Responder Rafaella

    Que lindo conto.. parabéns.. Beijos Luana

    • LUANA

      beijos rafaella

  • Responder Carlos

    1,70 com 11 anos?

    • LUANA

      meu irmão com 13 tem 1,91 e pesa 114 quilos meu pai tem 1,85 e minha mãe 1,70 coisas de familia alta

  • Responder Alemão

    Delícia de conto adorei fiquei de pau duro lendo essas aventuras , adorei

  • Responder Zorro

    Qual sua idade real? Sua escrita tá muito madura para uma garota de 11 anos. Se não tiver problema em responder Luana.

  • Responder Zorro

    Muito interessante…passei por algo parecido na infância mas na cidade. A gente se encontrava numa construção ainda inacabada. Eu tinha 12 nessa época. Mas esta muito bom continua.

  • Responder Vantuil OB

    Luana, parou pq? Continua

  • Responder Nathalia (NATY)

    Delícia , seu conto tem um pouco das histórias de todas meninas , principalmente nós que vivemos na roça , onde a liberdade permite que a gente pratique essas brincadeiras e aproveite essa fase tão gostosa .Beijos . Conte mais .

    • LUANA

      Oi eu vou continuar sim fica sossegada, eu tenho aproveitado muito kkk outra coisa eu sou virgem apesar das brincadeiras kkk

  • Responder Porteironoturno

    Delicia meu pau até ficou duro

  • Responder Roberta

    Delicia, conta mais