# #

Uma massagem mais do que gostosa – II parte

1683 palavras | 0 |4.50
Por

O casal combina um novo jantar, que acaba se tornando um ménage masculino com dupla penetração.

No dia seguinte ( domingo) , Claudia disse que o jantar e a massagem tinham sido ótimos e que o Walter tinha ligado para ela e nos convidado para outro jantar no fim de semana seguinte, pois ele iria viajar para a Índia depois, e eu disse que tudo bem, mas não sabia se teria que trabalhar, e falei a ela que conversaria com o Walter durante a semana. Mas não foi preciso. Walter me ligou na segunda, e me falou que seria bom ela saber que eu sabia de tudo, que isso evitaria alguma situação desagradável depois, e que no próximo sábado ele já havia combinado outro jantar, e dito a ela que teria uma surpresa que ela iria gostar. A gente faria como da primeira vez, eu chegaria depois e ele se encarregaria do resto.
Eu achei legal a ideia dele, afinal esse lance de transar escondido do outro não teria um bom desfecho, então aguardei o sábado.
Nesse meio tempo, fiquei certo que meu amigo era mesmo de confiança. Durante a semana, ele me repassava as mensagens que ele e minha esposa estavam trocando a respeito do que aconteceu. Ela pedindo pelo amor de Deus que ele não contasse nada a ninguém, principalmente para mim, que ela estava morrendo de tesão mas também de medo, que ela me amava e não queria me magoar, nunca iria se separar de mim, mas que tinha gozado muito e queria fazer de novo, e não sabia o que fazer. E que eu tinha essa fantasia mas que não sabia como eu iria reagir se soubesse. Ele dizendo que ela se acalmasse, que nem pensaria em separar a gente, que se eu tinha essas fantasias eu acabaria entendendo, e que agora que ela era a putinha dele, ele a faria gozar como nunca, que ela iria gostar muito da surpresa que ele iria dar a ela nesse jantar, então pediu por favor que ela não faltasse ao compromisso assumido.
Parecia que os dias não passavam, mas finalmente chegou o dia , e eu falei para a Claudia que teria que trabalhar nessa noite, mas que ela poderia ir jantando com o Walter e depois eu iria buscá-la.
Desta vez, Claudia estava bastante ansiosa. Dava para ver durante a semana inteira. Ela se arrumou, foi ao cabeleireiro, refez a depilação total, certamente ela queria estar com a bucetinha e o cuzinho perfeitos para várias horas de sexo selvagem. Eu fiz de conta que não desconfiava de nada. Como eu iria trabalhar ( supostamente), o Walter viria buscá-la em casa, enquanto eu trabalhava. Só que ele me contou que ligou para ela e pediu que fosse com um vestidinho bem curto, sem nada por baixo. Antes de sair para o suposto trabalho, vi que ela estava se arrumando e elogiei o vestido. Falei que ela estava muito linda, que o Walter certamente iria ficar impressionado. Ela ficou ruborizada, e sorriu com um jeito meio de safada, que disfarçou logo em seguida.
Mas aí fiquei curioso, saí de casa e fiquei na rua em um lugar escuro, observando, e um pouco depois chegou o carro do Walter. Ele saiu do carro e abriu a porta do passageiro para ela, como um cavalheiro. Eles se abraçaram, e ele apertou a bunda de Claudia, levantando o vestido dela. Estava escuro e a rua estava deserta, então ele aproveitou e bolinou bastante, eles se beijaram apaixonadamente, depois ela entrou no carro e eles saíram.
Fiz como da outra vez, demorando um pouco mais do que antes, deixando o carro na garagem, entrando na casa pelos fundos. Quando cheguei perto da sala , já vi minha esposa, agora putinha do meu amigo, completamente nua, com o Walter, também nu. Ele estava sentado no sofá e ela de quatro chupando ele, mas com uma venda nos olhos, não podia ver nada, e ele, quando me viu, fez sinal para eu tirar a roupa logo, depois fez sinal para eu colocar umas luvas de couro fino que estavam perto de mim, e após eu colocar ,ele falou para ela que ela teria uma surpresa. Ela tirou o pau da boca e perguntou qual seria a surpresa, ele perguntou a ela o que ela gostaria que fosse, outro cara ou outra gata, e ela respondeu que qualquer um dos dois seria bom pois estava com muito tesão e sua buceta já estava molhadinha.
Eu, escutando isso, me abaixei por trás dela e comecei a passar a mão em sua bunda. Ela levou um pequeno susto e quis virar para trás, mas Walter não deixou ela fazer isso, segurou os ombros dela, deu um tapa no seu rosto e mandou ela chupar o seu pau bem gostoso, que ela iria gostar do que iria acontecer. Ela obedeceu e voltou a chupar o cacete dele, lambendo as bolas como ele gostava. Eu aproveitei que ela estava bem excitada e fui acariciando o corpo dela, de maneira diferente do que eu costumava fazer, para ela não perceber que era eu. Também usei uma colônia diferente, que havia comprado antes, assim ela pensaria que era outro cara. Comecei a acariciar a sua bucetinha por trás, e ela passou a gemer e a rebolar a bunda com meus dedos em sua bucetinha, eu vi seu cu piscando e pensei para mim que hoje minha esposa putinha iria gozar como nunca, com dois machos. Ela continuou a gemer , dizendo que estava adorando chupar um pau e ter minha mão em sua buceta, e começou a pedir para eu meter meu cacete nela, e eu atendi o seu pedido , abraçando-a por trás e metendo em sua buceta , fazendo ela enlouquecer e pedir para eu meter com vontade pois queria gozar muito no meu pau. Chupando o Walter e levando na buceta, ela gozou forte, tremendo inteira e endurecendo o corpo. Continuei e ela gozou de novo. Em seguida, tirei meu pau da sua buceta e peguei o gel lubrificante que eu tinha levado, passei bem no meu cacete e depois no cuzinho dela, e comecei a colocar a cabeça, fazendo ela arrebitar seu cu e levar a mão em sua bunda e abrir mais para eu meter, e pedia aos suspiros para eu comer gostoso seu cu , que ela adorava, e quando ela terminou de falar eu dei uma estocada firme no cu e meu pau entrou todo para dentro, fazendo ela gemer forte, então passei a meter com vontade e só interrompi um pouco quando Walter pediu para eu parar por um minuto pois ele iria meter na buceta desta puta e fazer ela gemer como uma doida com dois paus entrando nela, e ela escutando isso pediu para ele meter logo pois ela já havia gozado duas vezes com o meu pau em seu cu e queria gozar muito mais com dois.
Walter atendeu o seu pedido e se enfiou por baixo dela, e quando ela pensou em falar algo ele meteu seu pau em sua buceta, fazendo ela ficar quieta por alguns segundos e depois começou a gemer e rebolar, e eu e Walter metendo nela como dois doidos e quanto mais nos metíamos nela mais ela berrava de prazer e pedia para metermos mais pois ela estava gozando como uma louca e foi ai que Walter pediu para eu parar de novo e ela também dar um pequeno tempinho pois ele tinha mais uma supresa para ela. E quando ela foi perguntar o que era, ele tirou sua venda e mandou ela olhar para trás .
Ela fez isso e a quando me viu , levou um tremendo susto e tentou sair do meio de nós dois, mas eu e Walter a seguramos forte, abraçamos e falamos para ela ficar calma e continuar, pois ela estava tendo prazer e nós dois também. Ela relutou um pouco mas logo voltou a rebolar em nossos paus, mesmo porque eu e Walter estávamos metendo nela enquanto ela tentava pensar, e em pouco tempo ela gozava de novo e pedia para metermos com gosto nela e foi o que fizemos. Para terminar, eu e Walter mandamos ela ficar de joelhos entre nos pois queríamos gozar em sua boca, e ela não se fez de rogada , se ajoelhou e nós dois demos nossos paus para ela chupar e em pouco tempo Walter gozou em sua boca e ela engoliu tudo e depois foi a minha vez e ela fez o mesmo . Ficamos os três abraçados por algum tempo, ela ensanduichada entre nós, até ela se recuperar um pouco, e depois disso ela se levantou e foi tomar um banho, eu e Walter ficamos na sala . Quando ela voltou, Walter se levantou e disse a ela para conversar numa boa comigo e foi tomar um banho também e nos dois sozinhos ficamos conversando onde eu falei a ela que tudo que ela havia feito eu tinha visto, descrevendo com detalhes. Ela ficou sem saber o que falar e eu perguntei a ela se ela tinha gostado das transas que ela teve, e ela me olhou disse que sim, que tinha adorado e eu perguntei se ela queria continuar a fazer aquilo mais vezes ela me respondeu que sim e se soubesse que era assim tão bom já teria feito isso há muito mais tempo.
Nosso amigo viajou para a Índia, onde ainda está, aperfeiçoando suas técnicas de massagem. Ele escreve regularmente para nós, contando as coisas interessantes que vê por lá, e relembramos os bons momentos que passamos juntos. Claudia continua muito fogosa, porém me diz que conseguir alguém de confiança como o Walter será algo muito difícil. Já pensei em um ou outro amigo, mas ainda não senti firmeza suficiente para entrar em uma aventura sexual.

Avalie esse conto:
PéssimoRuimMédioBomExcelente
(Média: 4,50 de 2 votos)

Por # #

Nenhum comentário

Talvez precise aguardar o comentario ser aprovado
Proibido numeros de celular, ofensas e textos repetitivos