# # #

Minha afilhada gostosa

1707 palavras | 21 |4.31
Por

Minha afilhada de 11 anos vai morar comigo e, sem que ela notasse, comecei a fazer coisas maravilhosas com ela.

Meu nome é Alan, sou moreno, tenho 36 anos, 1,75m e 75kg. Sou separado e moro sozinho em um apartamento na capital de uma cidade do sudeste. Não sou um galã de novela mas tenho os meus encantos e já tive vários romances. Atualmente estou solteiro.

Tenho uma comadre que mora em uma cidade do interior, a 280km da capital onde moro, mesma cidade onde moram meus pais. Sempre que vou visitar meus pais, de quatro a cinco vezes no ano, aproveito para visitar também minha comadre e minha afilhada. Minha afilhada já estava com 11 anos, perto de completar 12, e já estava ganhando corpo de mulher. Ela era magra, tinha os braços e cintura fina, mas as curvas em seu corpo já eram bem aparentes; tinha um corpo muito bonito para a idade. Seu nome era Thayná e ela tinha um rosto lindo, pele morena clara, olhos e cabelos castanhos, cabelos lisos e compridos e boca bem delineada. Minha relação com ela era bastante amigável, ela sempre me pedia a bênção e eu a respeitava, embora, devo confessar, nos meus mais sórdidos pensamentos ela fazia eu ficar de pau duro. Se eu já tinha batido uma punheta pensando na minha afilhada linda? Com certeza, várias, mas na frente dela e da minha comadre minha postura era sempre do padrinho querido e atencioso. Sempre nas minhas visitas levava presentes para ela, minha comadre e seus dois outros filhos mais novos.

Numa dessas viagens sou surpreendido pela fato de que meu compadre havia trocado minha comadre por outra mulher e havia viajado para longe, deixando minha comadre totalmente desamparada, mandando apenas alguns trocados por mês.

Meses depois, em novembro daquele ano, quando vou visitá-la novamente, ela me pergunta se sua afilhada não poderia vir morar comigo, já que seria um alívio no orçamento dela se ela pudesse ficar comigo, em troca dela me ajudar nos afazeres domésticos. Ela também falou que o ensino na cidade grande seria melhor pra ela, já que ela ia começar o sexto ano do ensino fundamental e o ensino na única escola pública da cidade era muito precário. Eu disse que ela poderia contar comigo e que eu estaria disposto a fazer o possível para ajudá-la.

Em janeiro ela veio passar uma semana comigo na minha casa, trouxe Thayná com duas malas e a matriculou em uma escola perto de onde eu morava, ficava a uns 15 minutos de caminhada. Quando minha comadre voltou para a cidade, falei para ela não ficar preocupada que eu faria o possível para cuidar bem de Thayná.

A aula dela ia demorar um pouco pra começar, então ela passava o dia todo em casa enquanto eu estava no trabalho. Chegava a noite e ela já estava banhada e cheirosa, às vezes só de shortinho curto com um top. Ela era tímida, não conversávamos muito. À noite, depois do jantar, ela lavava a louça e ia para o quarto dela. Ela me perguntou se eu podia dar a chave do quarto em que ela estava, e eu disse que tinha perdido (mentira ;)) mas que ela não se preocupasse que eu não iria adentrar seu quarto sem bater na porta.

Numa dessas noites, depois que ela já estava no quarto dela, eu estava na sala assistindo tv e ela saiu do quarto, só de camisola, e foi até a cozinha tomar água. Era uma camisola branca com estampa de morango, semitransparente. Era bem colado na parte de cima e folgado na parte de baixo. Dava pra ver que estava sem sutiã, era possível notar perfeitamente os bicos dos seus seios. E na parte de baixo, meio transparente, dava pra ver o contorno da calcinha que ela estava usando. Tentei me segurar para não olhar muito e chamar a atenção dela. Era uma tentação ver aquele anjo delicioso bem próximo de mim, mas eu sabia que não podia avançar demais, porque senão ia dar muita merda, principalmente se eu fizesse alguma coisa que ela não gostasse e contasse para sua mãe. Foi aí que tive uma ideia.

No lugar onde trabalho tem uma clínica bem próxima que aceita meu plano de saúde. Marquei uma consulta para o horário do almoço e fui lá. Falei com o médico que já fazia muitos dias que estava com dificuldades para dormir. Disse que conseguia dormir no máximo três horas por noite e isso já estava tendo reflexos negativos no meu trabalho. Pedi que ele receitasse algo para aliviar minha insônia. Ele então me deu uma receita de hemitartarato de zolpidem. Comprei o remédio na saída do trabalho e li a bula com calma. Li que o remédio fazia efeito em apenas trinta menos. Pensei comigo: “ótimo!”.

O dia seguinte era sábado e falei pra ela não se preocupar com a janta, que eu ia preparar algo para nós comermos. Fiz um risoto de camarão e, na hora de servir, peguei dois comprimidos, triturei e misturei no prato dela, sem que ela percebesse.

Após o jantar não passou nem trinta minutos e ela disse que tava com sono e já ia dormir. Depois que ela apagou as luzes, esperei quinze minutos e fui até o quarto. Bati na porta algumas vezes e ela não atendeu.

Abri a porta do quarto, entrei e acendi a luz.

Ela estava dormindo com a barriga pra cima. Cheguei perto dela na cama de solteiro que ela estava e dei uma pequena palmada em seu rosto para saber se realmente o remédio estava fazendo efeito. Ela nem se mexeu. Aproximei-me da sua face e senti a sua respiração, calma e tranquila. Dei um beijo em sua boca, sentindo seus lábios nos meus. Dei vários beijos nela, passando também a minha língua, enquanto a minha mão ia aos poucos passeando pelo seu corpo lindo.

Ela estava com um baby doll de short e blusa. Calmamente tirei a blusa e depois, bem devagar, fui tirando o short aos poucos, deixando-a só de calcinha. Ela estava com uma calcinha amarela de algodão, que contornava bem a região, deixando-a sensual e voluptuosa. Sua pele parecia uma seda, não tinha uma única mácula ou cicatriz.

Sem pressa e com muita calma, fui deslizando minha mão pela sua barriga e braços. Depois comecei a acariciar suas pernas, subindo até os joelhos e, finalmente, suas coxas. Então passei a beijar seu corpo, começando pela sua pequena buceta por cima da calcinha, barriga, colo e seios. Seus peitos já tinham certo volume e cabia todo dentro da minha boca. Eu dei uma mamada bem longa nela: chupava, mordiscava, lambia e engolia os seus seios, enquanto minhas mãos passeavam por todo o seu corpo.

Já não estava aguentando de tesão. Tirei toda a minha roupa e coloquei no chão, próximo à cama. Bati uma punheta com a cabeça do meu pau encostando em sua boca. Batia bem devagar, enquanto minha outra mão acariciava sua entradinha. Rapidamente gozei, dando uns quatro esporros de esperma na sua cara, sujando sua boca, queixo e pescoço. Peguei uma tolha no banheiro e, delicadamente, limpei seu rosto.

Fiquei algum tempo ao seu lado, sentado na cama, com minha mão displicentemente acariciando-a, enquanto eu admirava seu corpo. Dei novamente um beijo em sua boca, sentindo um pouco do gosto do meu leitinho em seus lábios.

Eu havia deixado a melhor parte para o final, e já não agüentava mais de ansiedade. Tirei lentamente sua calcinha, sentindo seu cheiro e maciez da sua pele. Sua buceta era levemente volumosa. Era coberta por pêlos finos e ralos, que a deixavam muito sensual. Abri suas pernas. Seus grandes lábios eram perfeitos e delicados, quase não deixavam ver os pequenos lábios. E seu clitóris quase não aparecia. Era quase um sonho vê-la nua ali na minha frente, e a sensação de proibido e arriscado me dava ainda mais tesão. Fiquei acariciando sua bucetinha até começar a sentir o mel escorrer pelos meus dedos. Aproximei-me, abri sua buceta com meus dedos e percebi que seu hímen ainda estava intacto. Aquela delícia ainda era virgem. Não resisti e passei a chupá-la. Deslizei minha língua sem nenhuma pressa na sua entrada. Passei um bom tempo chupando aquela bucetinha gostosa e virgem que minha língua ficou dormente.

Meu pau já estava a ponto de explodir de tanto tesão. Fiquei então com uma perna apoiada na cama e a outra do lado de fora. Trouxe sua buceta para mais perto da minha pica e comecei a roçar meu pau na sua linda xana, sentindo seus pelinhos e sua entrada melada. A vontade de enfiar todo o meu pau era grande, mas tive que me segurar. O máximo que deu pra fazer foi colocar a cabeça do meu pau dentro da sua entradinha, friccionando bem de leve seu hímen, mesmo assim foi bastante prazeroso. Bati uma esfregando meu pau na sua entrada e gozei novamente, dessa vez derramando muito leitinho na sua barriga.

Depois da gozada, tirei algumas fotos dela pelada com meu celular, guardei numa pasta segura para que ninguém pudesse ver caso eu me distraísse com meu telefone e alguém pegasse. Após registrar várias fotos, com close em suas partes íntimas, vesti novamente sua calcinha e seu baby doll, peguei minha roupa, apaguei a luz e saí do quarto.

No dia seguinte, ela acordou um pouco mais tarde que o convencional. Já tinha preparado o café e perguntei como ela tinha dormido. Ela só disse que tinha dormido bem. Ela me fez a mesma pergunta e eu respondi que a noite tinha sido maravilhosa. Ela nem imaginava o porquê, e eu estava louco de vontade de ter outra noite assim com ela.

Avalie esse conto:
PéssimoRuimMédioBomExcelente
(Média: 4,31 de 58 votos)

Por # # #

21 Comentários

Talvez precise aguardar o comentario ser aprovado
Proibido numeros de celular, ofensas e textos repetitivos
  • Responder depósito de porra

    Que delícia

  • Responder Safd safo

    Deveria ter comido a bucetinha dela com força. Putinha merece isso

  • Responder Pedro

    Sai daí mané e vai tomar no teu cu

  • Responder Manuela

    Um inútil. com tanta mulher que pode sentir desejo, vai se aproveitar de uma criança. Imundo e sem escrúpulos. Merece cadeia .

    • Safo

      É isso que é mais gostoso. Por ser criança

    • advogado do diabo

      criança de 12 anos,,,tao tudo com a buceta ardendo de tesão

  • Responder Vantuil OB

    Sem graça nenhuma

  • Responder Vadinho_SSA

    Horrível.

  • Responder Alana Campos.

    Péssimo! Com criança tem que ser feito com carinho.

  • Responder Aninha Leles.

    Que horror!

  • Responder Rogério

    Foi um estupro. Conto ou não é Revoltante.

    • Sleepsex

      Maravilhosa história!! Um menina gostosa assim a minha disposição era tudo o que eu queria

  • Responder Rafaella

    Triste o homem que não consegue “conquistar” uma menina, e usa remedios pra fazer sexo com ela. Infelizmente !

    • Misterioso

      Verdade

  • Responder Carlos cruz

    delicia também sinto muito tesão por criança menina tenho vontade de comer uma bucetinha infantil cel ccruzsilva

  • Responder Safadinha13

    Nossa que tesão, adoraria acordar enquanto meu padrinho esfrega o pau duro na minha xotinha.

    • ricardo

      hummm

    • Rafaella

      Mas sem tomar remedio pra te deixar dormindo neh ?? Beijos !!

    • Ebannus

      É só deixar o seu padrinho saber o que vc deseja, quem sabe acontece!
      Depois, conte aqui para a gente, ok..
      Bjs e boa sorte safadinha13.

    • Nilramos

      Acho que é a sensação do proibido, mas dá um tesão do caralho

    • Alemão

      Mee só de imaginar fica chupando uma bucetinha virgem fazer goza com a boca delicia e ficar esfregando na entradinha da bucetinha uiii delicia depois goza gostoso nos peitinho tudo de bom