# # #

Meu tio Autista

1594 palavras | 15 |4.61
Por

Desde muito pequena Sempre fui avisada para ficar longe do tio Reinaldo de30 anos, mas sempre eu curiosa, com 11 anos eu entendi o porque

*** Identidade Bourne ***

Hoje eu paro e penso na loucura que aconteceu, ou melhor, que eu mesma fiz acontecer. Não sei se me arrependo, acho que não, isso que me faz sentir uma pervertida. Desde que me entendo por menina, eu sentia algo por um tio meu, ele era autista e por ser diferente ele chamava minha atenção. Meu pai, irmão desse meu tio, sempre me dizia pra não ficar perto dele, eu era pequena e não entendia o porquê.

Tio Reinaldo tinha 30 anos, branco, cabelos grossos pretos, bonito, furinho no queixo, sério e ainda morava com meus avós. Ele falava muito pouco, vestia camisas por cima da calça jeans folgadona, e cada dia da semana tinha sua camisa e não podia mudar. Ele tinha se formado em física e trabalhava toda manhã, não sei dos detalhes, mas era o único momento que ele saía de casa. Meu avô o levava e o trazia, era tudo que sabia, porque eu ia mais lá nos fins de semana. Um dia ele estava sentado no sofá, eu sem pensar muito sentei no colo dele, exatamente no meio de suas pernas, ele ficou imóvel me perguntou o que eu queria sentada alí. Eu senti um volume por baixo de seu jeans folgado bem embaixo da minha xaninha, meu pai viu e me chamou, eu saí olhando pra trás e fiquei curiosa com aquilo. 

Eu sempre dava um jeito de espionar tio Reinaldo, pela janela do quarto dele, pelo vão da porta, ele fazia as coisas sempre no mesmo horário sempre do mesmo jeito então eu já sabia. Mas uma vez fiquei de noite nós meus avós pros meus pais irem a um coquetel. Eu tinha 11 anos, magra com quadril já largo mas meus peitos ainda pequenos. Eu já me masturbava fantasiando coisas e vendo uma revistinha pornô que eu escondia, e nessa noite eu estava excitada no quarto de visitas dos meus avós, era quase 1 da manhã, eu resolvi levantar e ir pé por pé até a porta do quarto do meu tio, passei pela porta do quarto dos meus avós e ouvi eles roncarem, e bem quietinha fiquei de ouvido na porta do meu tio e ouvi um barulho que acelerava e parava, e algumas coisas que ele dizia baixinho eu não entendia. Eu senti minha xana ficar molhada, minhas bochechas e orelhas queimarem, era um som erótico, não era da TV, por baixo eu via que tinha claridade. Então pensei, será que ele era mesmo retardado, como seria se eu fingisse ter errado a porta na volta do banheiro? E se estivesse trancada com chave? Então foi isso que eu fiz. Eu abri a porta com meus olhos fingindo estar meio fechados de sono. Ele estava na cama, escorado na cabeceira, de camisa xadrez, mas seu jeans e cuecas estavam no chão, ele estava com seu pênis na mão e com olhos fechados, mas ele me viu e parou exatamente como estava:
– Érica, esse é o meu quarto e estou fazendo algo na minha privacidade. – disse sem olhar diretamente pra mim. – Eu não tinha planejado isso!
– Ah tio, desculpa, eu estava meio sonâmbula eu acho, eu não quis atrapalhar você! – me fingi de tonta sem saber o que fazer e enrolando pra sair.
Sua virilha era bem peluda, pênis era longo com uma cabeçona vermelha brilhante, vi suas bolas repousadas no lençol, vi seus lábios rosados e seu queixo que era seu charme, eu olhava pra porta e olhava pra ele, eu não sabia o que fazer nem como fazer.
– Você só está de calcinha e sutiã! É bem diferente assim! – disse ele.
– Como assim diferente? Feia? Esquisita?
– Espera! Você fez três perguntas, não me permitiu responder a primeira!
– Ah sim! Então a primeira era como assim diferente?
– Diferente porque você está vestindo menos roupa. Feia? Não. Esquisita? Sim seu jeito está esquisito, parece que você está excitada sexualmente.
– Sério, como uma mulher?
– Sim como uma mulher, porém o desejo de homem é mais forte com as jovens, recém mulher, o macho tem por instinto copular com as mais novas possível. E me parece que você quer copular com homens, não jovens na sua idade. Meninas adolescentes sentem interesse por mais velhos. As vezes pelo pai. Porque sabem como dominar e proteger a prole. Do jeito que você olha pro meu pênis de adulto você está atraída inconscimentemente pelo meu membro viril, porque quanto maior o pênis do homem, mais  é a garantia de que a mulher vai ser profundamente penetrada e todo semem depositado dentro do útero para preservação da espécie. São as pesquisas que dizem.
– Então o que eu faço tio?
– Se você gosta do meu órgão sexual, você deve ficar mollhada e pronta para ser penetrada por ele? – disse me mostrando seu membro melado.
– Não sei! Tô nervosa! – eu não sabia que seria algo tão direto assim, eu me senti numa aula de biologia.
– Isso é ansiedade e é normal, você está assustada porque é inexperiente. Eu estou com desejo de inseminar você e não poderei me conter.
– O que você quer dizer tio? – arrumei meu cabelo liso pra trás da orelha, sim já tava molhada.
– Quero dizer que eu quero penetrar meu pênis na sua vagina e te ver gemer ao sentir sendo esticada por um membro adulto.
Nesse momento eu vi o quanto ele era mesmo estranho e fiquei com medo, dei alguns passos pra trás ao vê-lo levantar-se e vir em minha direção com seu mastro duro. Mas ele rapidamente lacrou a porta na minha frente. Eu me arrepiei de medo e desejo. Ele sempre com seu olhar frio nunca me olhava nos olhos, somente para meu corpo.
– Eu tenho que te copular agora, deita lá na cama!
– Por que tio?
– Porque você é fêmea infantil e eu sou macho adulto, não é minha culpa se me dá vontade, e é uma oportunidade.
Eu fiquei parada com medo e de repente ele teve um surto de raiva vi suas veias do pescoço saltarem.
– Erica! Você tem que me obedecer!!! E você não está me obedecendo!!! Estou com essa vontade e você ta me deixando frustrado, e Isso me deixa muito agitado!!!
– Tá tio tá tio! Quero ser sua fêmea! Só não me machuca!
Ele parou e pensou uns instantes e disse pausadamente.
– Isso não é coerente! Quando um homem da minha idade penetra uma vagina da sua idade, com um pênis de 21cm,  espera-se que machuca!
Eu fiquei quieta e sentei na cama tímida e encolhida. Ele me mandou tirar tudo, eu tirei. Ele me mandou abrir às pernas e meteu a cara na minha vagina, de repente meu medo se tornou num prazer incomparável, ele passou meia hora chupando, me fazendo tremer. Depois chupou meu mamilo, meia hora cada. Depois me fez chupar seu pênis, meia hora contada e meu queixo já estava dolorido. 

Eu está estava toda aberta deitada na cama com seu dedo na minha xaninha inchada.
– Tenho que preparar sua vagina com meu dedo.
Ele não tirou sua camisa, deitou-se sobre mim, eu de franguinho assado, dobrei minhas pernas atrás de sua cintura, sentia a cabeça de seu pênis forçando entrada e escorregando pra fora, isso me deixou louca. Mas ele posicionou com a mão e foi quando eu vi estrelinhas, e senti que estava sendo rasgada por uma espada, segurei o máximo pra não gritar, mas gemi de dor ele parecia gostar e passou a penetrar forte, pulando sobre mim, a cama balançava! Eu estava sendo estuprada? Era isso que é ser estuprada, violentada!  Eu batia em seu peito pra me soltar! Mas ele me pegou mais forte e bombou ritmicamente por meia hora.
– Tio, tá doendo… – eu reclamei em meio a suas estocadas.
– Então, é assim mesmo, isso que faz homem ejacular!
– Aí tio! É muito grande pra minha vagininha!
– Por isso que dói! Instinto estranho.
Ele me beijou na boca, parecia um esfomeado, mas eu estava gostando, pra minha surpresa. Então meu tio me apertou com seus braços, quase me esmagando e penetrava seu membro com agressividade parecia que queria entrar ele inteiro dentro de mim e me arrebentar! Eu me arrepiei e tive meu primeiro orgasmo de verdade com 11 anos embaixo do corpo de um homem, meu tio Reinaldo, cheirando o colar de sua camisa suada. Ele foi parando sem fôlego, se levantou olhando pro meu corpo.
– Eu já ejaculei. Passou toda a vontade sexual. Agora você deve sair daqui. E rápido por favor, que eu não gosto de companhias.
Eu me levantei toda fraca e mole, vesti minha calcinha no avesso mesmo e sai pondo meu sutiã, com meu quadril dolorido e minhas pernas bambas de tanto serem alongadas. Tinha sangue na minha virilha misturada com uma gosma, o semem do meu tio. Entendi porque tanto me falavam pra ficar longe dele. Mas quem disse que eu fiquei? Muitas águas rolaram….

*** Identidade Bourne

Avalie esse conto:
PéssimoRuimMédioBomExcelente
(Média: 4,61 de 28 votos)

Por # # #

15 Comentários

Talvez precise aguardar o comentario ser aprovado
Proibido numeros de celular, ofensas e textos repetitivos
  • Responder Opção

    Passa o seu Pix identidade Bourne pra quem quiser te ajudar

  • Responder Nojo de Pedofilo

    Eu adorei… Muito mais excitante do que criancinhas… Não liga pra esses pedos nojentos, esse aí tá ótimo, me fez gozar litros

  • Responder Daniel Coimbra

    Mais uma vez digo que sou seu fã. Não há um conto seu que não tenha me dado imenso prazer. Adoro as suas criações. Seus temas são perfeitos e muito excitantes. Peço que não dê ouvidos a tantos que criticaram esse texto. Ele é bom, ele é perfeito e muito prazeroso porque é a sua verdade, o que lhe deu prazer em escrever. Amo seus contos, todos eles, e esse foi muito bom. Gozei lendo ele. Parabéns, parabéns e parabéns!!!!!!

    • Identidade Bourne

      Daniel Coimbra, valeu parceiro! Como vimos, Não dá pra agradar a todos por isso existem os temas. E escrever leva tempo pra caralho, não numa sentada de 1 hora que sai um conto elaborado. Valeu!

  • Responder Comentários inúteis

    Mano alguem transou com o L do Paraguai kkk

  • Responder Sandro

    Cara tu precisa volta com uma série instigante pra ganha nossa confiança denovo. Tipo a do rafinha lá

  • Responder Vinícius

    Já ouvi falar de cozinheiro e costureira que “perderam a mão” em suas tarefas laborais, ou seja, perderam o jeito no que eram bons. Agora, escritor, é a primeira vez. Você tá “perdendo a mão” na escrita, meu caro. Cadê os contos de machos com ninfetos de verdade? Saudade dum bom conto desses, onde um guri ou guria de 4, ou 5a são feitos de objeto por machos viris, e pegam o gosto por vara adulta… ass vinipauzao

    • Identidade Bourne

      Sim senhor Vinipauzao, entendi as regras. Mas Eu gosto de variar de temas.
      Esses trabalhadores eram assalariados? Porque eu não ganho nada escrevendo aqui e faço quando tenho tempo. Então vou ficar no arroz com feijão aqui. Vou considerar o que vc disse pros próximos , tenho mais contos na fila para serem terminados. Valeu

  • Responder Lora

    Gostava dos conto com meninos e menina mais novos, 11 anos ta velha ja. E alem disto esse conto aqui seu ta ridiculo nem parece que e mesmo o mesmo escritor de antes. Gente acho que tem alguem se passando pelo identidade borne nao é possivel q ele caiu tanto na qualidade olha. Saudads do estilo antigo dele gozava rapido com ele. 11 anos ta velha ja isso nem pode ser chamado de teen. Tern é no máximo 8 anos volta identidade borne verdadeiro por favor tem algum fake aqui escrevendo com seu nome e destruindo sua imagem os dois ulimos conto foram pessimos

    • Identidade Bourne

      Valeu! Vou voltar as idades de antes e não arriscar em temas alternativos aqui. Tem que ser arroz com feijão.

  • Responder Isabella

    Estranho demais.
    Esquisito demais.
    E nem um pouco excitante…

    • Identidade Bourne

      Há gosto pra tudo

  • Responder Geh

    Rápido demais. Nem gozei.

  • Responder Carlinhas

    Olá .. Vira e mexe vejo seus contos ! Como faço pra entrar em contato com você ?
    Tenho histórias reais que aconteceram comigo, e acho que seria muito bom você contar da maneira q você conta !!

    • Identidade Bourne

      Idbourne @ pm.com
      Somente texto, email com anexos são deletados