# # #

Meu namorado perverso judiando da garotinha

2378 palavras | 13 |4.63
Por

Netinha da vizinha voltou a casa de Andreia, até encontrar seu namorado novamente. Homem de 29 anos cheio de perversidades e uma menininha nada santa.

*** Identidade Bourne ***
Atenção aqui contém H/ma, M/ma, anal, semi consensual, perv,

Essa é a história de Andrea, que descobriu o lado escuro de seu namorado, mas gostou.
Parte 1
/2020/10/meu-namorado-perverso/

Vou contar que algo muito estanho, sexo é algo muito misterioso e muitas vezes não conseguir explicar certos gostos e atos sexuais.
Eu me chamo Andrea, 27 anos, morena clara, magra e adoro fazer selfies mostrando minhas curvas e peitos. Namoro um homem muito gato há 4 anos, sou louca por ele, ele é gostoso, lindo, másculo, simpático, sorrisão, bem dotado, ele malha e se cuida, gamei no primeiro sexo pois ele é muito bom de cama, tem pegada, eu sou muito ciumenta e tento me controlar  porque ele sempre atrai atenção das mulheres, eu sou mulher e eu sei quando elas cobiçam, principalmente sabendo que é comprometido!

Seu nome é Wagner, tem 29 anos e trabalha como corretor de imóveis. Ele ainda mora com os pais, tem duas irmãs mais novas que me adoram, eu ficava bastante na casa dele e com a família dele. Diante de um fato chocante como contei anteriormente eu acabei descobrindo um lado escuro de Wagner, sumi da vida dele e depois retornei e resolvi viver essas coisas com ele, porque era o jeito que eu quisesse estar com ele já que seu lado imoral está me ajudando a revelar o meu. Todo mundo tem um lado oculto se você acha que seu namorado eu marido não tem, você está se enganando.

Wagner era bem esperto pra conseguir suas presas, ele não se acomodava com uma mesma menina. Tamires sempre batia palma na minha casa, tinha uma conversa fiada só pra saber do meu namorado, hora dizia ter 7 anos, hora dizia ter 8 ou 9,  era biscatinha já criança, mal sabia ela que não perdia por esperar. Marquei com ela numa noite que meus pais sairiam e eu ficaria a só com meu namorado. Ela chegou e a deixei sentadinha no sofá, ela vestia um short jeans apertado, barriga de fora, bustiêzinho cafona e as trancinhas pra traz. A garota tinha até feito uma maquiagem brega, esperava ansiosamente balançando os pézinhos na sandalinhas, e tinha consigo uma sacolinha de plástico de mercado.

– Déia! Eu quero mostrar pra vocês que eu sei dançar balé! Eu trouxe minha roupa de bailarina que minha avó comprou naquela feira de roupa!
– Que legal Tamires! Quando ele chegar ou vou vestir você!
Wagner encostou seu carro preto e pude ver a alegria dessa menina ao ver meu homem, parecia uma cadelinha abanando o rabo.

– Oi lindinha! Minha namoradinha!! – disse Wagner ao vê-la na sala.
Tamires correu e o abraçou, ela deu uma olhada pra saber se eu podia ver de onde eu estava e beijou de língua meu namorado, eu comprovei o que minha intuição de mulher dizia relação a essa menina, de boba e de anjo nem a cara dela, fiquei com raiva e adoraria vê-la sendo arrombada em sua fantasia brega de bailarina, pra deixar de ser falsa. Ela ficou rodando em volta da sala, se exibindo pro Wagner e falou que ia se vestir de bailarina.
– Acho que vou tomar banho primeiro! – disse Wagner olhando pra Tamires. – Que tal você aproveitar eu te dou um banho também? Depois Déia vai vestir você de bailarina.
Eu já sabia o que ele queria fazer, falei pra subirem, no banheiro maior. Fui levar umas toalhas a porta estava só encostada e Wagner estava com a menina peladinha do lado dele, ela sem saber como reagir se escondeu por trás dele. Eu fiquei só ouvindo por lado de fora.
– Baixa assim, pra eu por o chuveirinho!
– Ai tio… que voxe ta fazendo???
– To enchendo seu bumbum de água pra ficar limpinho por dentro, agora sai do box e solta no vaso!
Ouvi isso umas tres vezes, na última ela já dizia que estava se sentindo aliviada. Ela mandou ela sair na frente e me procurar. Ela saiu enrolada na toalha e eu fingi que estava vindo. Eu a levei pro meu quarto e a vesti de bailarina.

De volta pra sala ela brincando de bailarina rodopiava até parar no meio das pernas dele, ele esfregava a bunda dela na sua virilha, ela ia e voltava. Toda feliz e assanhada. Fui servir o mousse de maracujá quando voltei me deparo com a mão de Tamires dentro da bermuda do Wagner, enquanto ele estava com suas pernas abertas mudando canal da tv. Ela me olhou tentado disfarçar como se eu não visse por baixo da almofada no colo dele. Ela parecia incomodada com minha presença, estava inquieta, agoniada com alguma coisa, tentava disfarçar sentadinha do lado dele, sua saia armada cobria o que se passava por trás. Mas ao me sentar ajeitando os mousses na mesinha de centro, vi meu namorado me fazendo sinal com olhos pra eu olhar pra baixo, então percebi sua mão por baixo da bunda da menina, ele levantou a bunda dela pra eu ver melhor, e fiquei supresa de ver todo seu dedão estava tudo dentro do anus da garotinha, enquanto outros dedos encaixam na buceta dela, presa numa alicate, dava pra entender tudo por baixo do tecido fino e justo. Dei o mousse pra ela, a menina tomou tudo vendo tv e atolada na mão do meu homem. Eu tive a ideia de deixá-los a sós um pouco, pra ver o que aconteceria, eu ia ficar observando da porta com o corredor. Recolhi as coisas na bandeja e fui apagando as luzes.
– Eu preciso terminar uma coisa lá em cima, devo demorar, mas só se vocês não se importarem!
– Por mim tudo bem! E pra você Tamires ? – dirigiu-se a ela.
– Tá! – disse com seu sorriso forçado.
Eu deixei as coisas na cozinha e voltei pra perto do corredor, e pelo um vão da porta eu vi toda molhada o que acontecia diante da luz da tv.
– Senta aqui no colo, vai! – insistia Wagner puxando ela pra cima dele. – Agacha assim ! – disse com seu pau pra fora.
Tamires se apoiou em suas pernas e vou agachando com a as mãos dele prendendo a cintura dela. Ela tentava relutar mas Wagner a segurava firme.
– Ai, ai, ta doendo ai!
– Deixa eu por no seu bumbum?
– Mas meu bumbum dói!
– Da o seu cuzinho pra mim, lindinha?
– Mas não vai caber!
– Cabe sim lindinha, vai que entrar tudo. – ele segurava um tubo de creme.
Ela estava com a parte de baixo baixado, que bloqueava a visão de sua xana e o pau de Wagner, a saia em disco estava amassada por trás no corpo dele.
– Mas assim vai estourar meu bumbum tio!!
– é isso que eu quero lindinha, respirava bastante, tenho creminho aqui!
– Estourar meu bumbum???
– Modo de falar, quero experimentar seu bumbum!
Essa menina sofreu, levou quase meia hora e ela estava agoniada empalada pelo Wagner, com sua perninhas penduradas um pra cada lado das coxas dele, depois já estava acomodada encostada no seu peitoral. Eu entrei e parecia que ela estava simplesmente sentada no colo dele, sua saia cobria e ele prendia as maoszinhas dela pra baixo.
– Cansou Tamires? Adora um colo né? – eu ironizei.
Ela com cara de dor, forçou  um sorriso tímido.
– A bailarina está montando um cavalo agora né! Upa, upa , cavalinho! – Wagner a moveu pra cima e pra baixo, ela não segurou seus gemidos.
– Que foi bailarina, não quer mais cavalgar? – ele já falava isso de sacana rindo dela.
Ele a pois de quatro no sofá, sua saia estava pra cima, calcinhas e meias baixadas com sua bunda exposta. Ele me chamou pra ver de perto, o cuzinho dela estava esticado, tentando piscar, como se pedisse socorro! Ele abriu o cu dela com seus dedos me mostrando o tamanho que ficou, fiquei espantada como uma garotinha dilatava daquele tanto.
– Olha amor, que cu bonito o dela, estica tudo! – ele cuspiu com força dentro do orifício.
A menina se apoiava no sofá olhando pra trás, vendo Wagner com sua bermuda nos joelhos, preparando pra meter nela. Eu dei a volta por trás do sofá pra falar com Temires.
– Tamires, não sabia que você faz coisas como mulher grande! – eu disse passando a mão no rostinho dela.
Wagner agarrou na cinturinha dela e começou a penetrar o pobre cuzinho da menina, ela tensionava seu pescoço de desconforto, eu dava apoio psicólogo, adorando ver essa biscatinha sofrer no cacete do meu namorado perverso.
– To sentindo uma barreira dentro dela, que não deixa eu entrar tudo, alcancei uma parede! – explicava Wagner engatado no rabinho dela.
– Ta vendo Tamires, você tem que rebolar pra deixar passar, mexe , rebola! – expliquei a ela.
Assim ela fez, moveu o quadril, e Wagner sentiu uma passagem pra enfiar mais seu membro. Tamires respirou aflita.
– Ai, Ai, Ai, tio… ta batendo aqui dentro na barriga!
– Shhhhh, já a dor passa! Empina a bundinha de bailarina, vamo!
Wagner me chamou pra ver de perto, sua bolas tocavam a bucetinha da menina, ele me mostrava com prazer o anelzinho dela esticado alem do limite em volta da grossura de seu cacete, ele puxou pra fora lentamente, o cu da garotinha fazia um bico pra fora em volta do pênis, depois vi o vão que ficou, ele abriu o anus dela e vi um tunel vermelho, latejando tentando reagir, cuspindo gases, em seguida Wagner espremeu mais gel, pois a cabeça e começou a entrar de novo. Seu membro roliço afundou e invadiu o rabo da bailarina de nove anos, ela tentou escapar, mas acalmamos ela.
– Lindinha, sou louco por você sabia? – disse ele. – A Déia tá doida pra fazer isso em você?
Eu fiquei com cara de interrogação, ele me mandou abrir sua mochila. Não acreditei quando vi o que ele tinha trazido pra mim, era tudo que eu queria fazer com ela! Eu tirei minha roupa e coloquei o cinto que tinha um pinto de borracha, me fazendo uma mulher com pênis. Ele tirou seu pau e puxou meu pinto de borracha pra porta do cu dela, encheu de gel e me mandou enfiar, tentei ser a mais delicada possível, o pinto era quase o mesmo tamanho do meu namorado, e eu estava adorando judiar dessa vadiazinha. Eu a penetrava devagar, acelerando até ouvir ela sofrer e gemer.
– A Déia tá comendo seu cuzinho também! – disse Wagner. – Adoramos você Tamires.
Ela não dizia nada, concordava com ‘uh hum’, reclamava que doía, mas eu sei que ela precisava de estimulo no clítoris, talvez um pênis  dentro da sua bucetinha. Mandei Wagner se sentar, e a fiz sentar em seu colo de frente pra ele, fazendo ele penetrar sua vagina, seu gemido de dor agora era também prazer. Fiz eles se beijarem de língua, eu vim por trás forçando meu brinquedo no cuzinho dela, as bordas saltavam pra fora como uma rosa. Ela respirava aflita, mas agora com o pênis do meu namorado dentro da buceta dela, ela estava mais mole e relaxada entre prazeres e dores. Ela gaguejava e suava, era tudo muito intenso pra ela,  dizia que estava rasgando, mas Wagner enchia a boca dela de língua, sua saia rodada envergava pra cima, e vê-la assim, uma bailarina menina de nem 9 anos com sua buceta invadida pelo cacete do meu homem. Ela mesma começou a esfregar seu quadril, sentindo tremedeira e gemendo como uma putinha experiente, eu enfiei no cu dela, como o pinto era de silicone e flexível, ele foi fazendo caminho dentro se seu reto, ela começou a tremer e a gemer, a menina estava tendo um orgasmo e esguichou até xixi.
– Vou gozar, vou gozar, vou encher o rabinho dessa garotinha com meu semem! – alertou Wagner.
Eu puxei todo o pinto pra fora do cu dela, e com a mão eu coloquei a pênis dele na porta do cuzinho dela, ele comeu a portinha rapidamente como um coelho, e na ultima metida ele grudou boca a boca com ela e urrou ao mesmo tempo. Eu vi o cacete do meu namorado quase que estourando a porta do cu da menina, havia esperma escorrendo pra fora, ele aproveitava e enfiava seu membro pra dentro, quando tirou o anus da garotinha não fechava mais e todo liquido escorria pra fora. Tamires olhava pra trás apavorada, tentava sentir seu cu com sua mão.
– Ai tio, Déia, acho que rasgou, rasgou! – disse começando a chorar.
– é só a dor que parece que rasgou Tamires, mas vai voltar ao normal! – eu disse me vestindo.
Wagner ria de satisfação, virou ela pra ver o estrago. Chamou ela de gulosa, que rabo guloso!  Ela choramingava, então a limpamos, vestimos e a arrumamos, depois demos sorvete pra ela assim se acalmou.
– Não conta pra sua avó ta bom? Vai doer na hora que fazer coco mas depois sara ta? Depois de uns dias não vai doer mais !
Antes de ir embora Ele ainda deu uns trocados pra ela, digo, pra ele era trocado, pra ela valia muito.
– Toma! Você ‘e menina boazinha, você merece! Com isso você vai poder comprar algumas roupas no shopping!
Ela abriu um largo sorriso e ficou radiante de alegria, saltou pra abraçar Wagner.
– Obrigada!!! Adoro vocês! Vou poder comprar maquiagens!!! Quando voxê vem de novo tio? Déia, você me chama?

*** Identidade Bourne ***
Fazendo que posso pra escrever ja que tenho pouco tempo livre e prefiro levar dias elaborando um conto, mas vou tentar escrever contos menos longos.

Avalie esse conto:
PéssimoRuimMédioBomExcelente
(Média: 4,63 de 16 votos)

Por # # #

13 Comentários

Talvez precise aguardar o comentario ser aprovado
Proibido numeros de celular, ofensas e textos repetitivos
  • Responder Carlos cruz

    Que delicia eu sinto muito tesão por criança menina tenho muita vontade de comer uma bucetinha infantil cel ccruzsilva

  • Responder Jane

    Sou doida pra brincar com uma priminha minha (filha da minha prima) ! O bom de ser mulher é que ninguém tem medo e deixam ela ficar com a gente e pobre do homem sempre é o culpado. Eu já enfiei meu dedo na xaninha dela pra ver como é gostoso e falei pra ela pedir pro pai dela fazer isso e me contou. Ela está na pré escola.

    • @CiMoura33

      Que delícia, conta mais, o que o pai dela fez com ela? E vc o que mais fez com ela?

    • @CiMoura33

      Que delícia Jane! Conta mais do que vc fez com a putinha.

  • Responder ANA

    MUITO BOM! E CONTOS LONGOS ASSIM EH QUE SAO OTIMOS!!!

  • Responder shh

    continua sobre as irmãs dele

    • Adoro

      Realmente o conto é gostoso

  • Responder Paizudo

    Escreve mais com essa menina!!!

  • Responder Geh

    Gozei na metade do conto…

  • Responder Geh

    Que conto louco é excitante… que visão, que perspectiva.

  • Responder Anônimo

    Devia ter tirado umas fotos pra poder chantagiar essa putinha é o que eu fiz mas eu tava com uma máscara de V.

    • Will

      Adorei o conto e contos longos asism me deixa mais feliz pq a historia fica mais completa e excitante, parabéns 🤝🏻🤝🏻🤝🏻👏🏻👏🏻👏🏻

    • Strange

      Conta sua história pra gente kkk