# # #

Meu namorado Bad boy 6

2975 palavras | 8 |4.20
Por

Espero que não tenha ficado muito longo… comentem por favor…

Obrigado por estarem acompanhando e comentando pq me dá mais disposição pra continuar.

Bem aqui vou relatar o q aconteceu com o Tony no tempo q ficamos separados e o pq ele estava mais violento.

… No final ele me levou pro laboratório da escola( que nunca era usado) entramos e ele empurrou um armário pra bloquear a porta e isso pra mim era mega sexy(aliás ele tava com as mangas da camisa dobradas até os ombros, uma.delícia) ele virou pra mim com cara de safado, me abraçou e me beijou com ternura, eu agarrei o pau dele que já esticava a bermuda de tão duro, ele abaixou minha bermuda apertando minha bundinha, foi me levando até o fundo do laboratório que tinha a mesa de professor, me encostou lá e eu afastei ele um pouco, me virei abaixei a bermuda toda, me debrucei na mesa de costas pra ele empinei o bum bum rebolando e olhando pra ele “tentando” fazer carinha de safado (com óculos, aparelho e a porra toda) ele me encoxou ainda de bermuda, eu senti o pau dele duro bem no meu cuzinho, depois ele tirou o pau pra fora, ele tava sem cueca e pincelou o pau na minha bunda deixando marcas de baba do pau dele(pre cum) na minha sunga, ele cutucava meu cuzinho com o pau deixando a marca da cabeça melada, depois ele puxou o elástico lateral da minha sunga e colocou o pau dentro, esfregando no meu rego, no meu cuzinho e depois ele esfregouno meu saquinho e no meu pau, ele bombou assim e o pau dele esticava minha sunga na frente, eu esfregava a mão no pau dele e aqui ela delicioso, o pau do Tony me deixou todo meladinho e com manchas na sunga, depois ele me pegou pelo cabelo e me beijou, me pôs de joelhos pra ele e passou p pau na minha cara, batia o pau no meu rosto, eu peguei o pau dele e passei na boca como se fosse um batom, depois ele soltou meu cabelo e roçou o pau no meu nariz, bem na ponta, empurrava a cabeça do pau no meu nariz( que é meio arrebitadinho e ele achava bonito) ele empurrava devagar e melava meu nariz, até passava nas minhas narinhas e aquele cheiro de rola, de porra me deixava bêbado, depois ele foi colocando na minha boca, falava que meu aparelho era sexy e que ia deixar um monte de porra presa nele, eu fui engolindo a rola do Tony até onde dava, ele de início ficou parado, depois sentou na mesa e me pegou pela nuca metendo o pau na minha boca fundo, e eu aguentei como bom viadinho que eu era, Tony forçava o máximo, eu lacrimejava, tossia, faltava ar e engasgava pq ele pulsava o pau na minha boca e a sensação era que o pau dele tava no meu esôfago já, ele me soltou pra eu me recuperar e eu me recompus e voltei a chupar ele, Tony metia na minha boca ( e não era uma cena glamorosa haha) e ele alternava entre doce e paciente pra violento e fodedor, depois ele me pegou pelas axilas como se eu fosse uma criancinha e me levantou, me puxando pra ele, me colocou meio q deitado no colo dele, meu quadril quase encaixado no dele, uma perna dele entre as minhas, tipo posição de dar palmada em criança… e foi o que ele fez, me deu vários tapas na bunda, leves e fortes, os tapas faziam barulho, ardiam, me davam trancos, eu tentava me proteger mas ele me dominou segurando meus pulsos com uma mão só e a outras castigava meu bum bum, ele fazia me sunga de fio dental e me dedava, um, dois, três dedos, minha bundinha ficou toda vermelha e dolororida, depois ele nos posicionou me deixando de barriga pra cima na mesa, estourou (literalmente) os elásticos laterais da minha sunguinha fazendo ela ficar larga, puxou pro lado e me chupou, sugava meu cuzinho e ia subindo pro meu saquinho e por meu pau onde ele engolia tudo, vibrava a garganta, mamava e até mordia levemente mas meu medo dele me.morder forte era real, ele colocava meu saquinho inteiro na boca e eu sentia o piercing da língua dele me espetando e depois ele passou a foder com a língua, aquilo me pirava, meu corpo tremia, amolecia e a mesmo tempo parecia q eu ia explodir, eu chegava a chorar de tanto prazer, por mim ele podia passar o dia todo me fodendo de língua, depois o Tony levantou e eu nem tive tempo de pensar, ele meteu sem cerimônia e forte até colar em mim, eu sentia seus pelo grudando em mim, ele me olhava com prazer e olhava ele com um mix de dor, cansaço e prazer… nisso o sinal tocou, eu tentei me mexer mas o Tony nem se abalou, e começou a meter em mim e eu tentando falar com ele:
-ah! T-Tonyyy, eu…ah…ai… o sinal Tony… hummm ai.
-QUERO Q SE FODA PIÁ, TU VAI FICAR AQUI!
eu não tentei falar mais só choramingava e gemia baixinho, eu tinha medo do Tony me bater mas ao mesmo tempo eu comecei a achar aquilo muito gostoso, eu tava cabulando aula pra dar pro Tony, meu namorado, nisso eu comecei a apertar o pau dele com meu cuzinho e ele percebeu, sorriu, me beijou e meteu mais forte, doía mas eu queria aquilo, queria sentir a força do Tony e abracei ele e falei na sua orelha:
-Tony, mete forte!
-tu não guenta Luquinha!
– aguento sim, vai me fode forte!
Tony respirou fundo e me abraçou forte e começou a meter num ritmo frenético e como eu me arrependi de pedir aquilo pq pau do Tony parecia brasa dentro de mim, eu suava e meu suor se misturava com o dele, eu tapava minha boca apra não gemer alto e o Tony falou no meu ouvido:
-aguenta piá, vou gozar já!
Eu só apoiei a cabeça no ombro dele e ele meteu mais e logo parou atolando fundo o pau em mim e me enchendo de porra quente, ficamos ofegantes e o Tony teve alguns espasmos, deitamos na mesa de conchinha, pra descansar, como aquilo era perigoso pq podiam nos pegar e ia ser o nosso fim, bem depois que secamos, nos vestimos, e o Tony falou:
-seguinte vamos voltar perto da última aula e tu pega tuas coisas e me encontra na quadra.
– blz mas e se minha prof me ver?
– sei lá piá, tu que é o mais inteligente de nós dois, bola alguma coisa! Ou vc só pensa na minha rola?
– tbm hahahah
Rimos  e nos beijamos e ficamos de olho nos sinais de troca de aulas, e fomos correndo pras nossas salas e eu com o coração a mil entrei na sala e aproveitei a desordem geral da sala e peguei minhas coisas e saí disparado, nem sei como conseguia correr pq tava todo arrombado depois do sr.pintão mas fui sorrateiro como um rato e avistei o Tony ele me pegou pelo braço e fomos pra parte mais baixa do muro, ele subiu dei nossas mochilas pra ele e depois ele me puxou e me desceu do outro lado, ele pulou e saimos correndo feito loucos dali, eu nem acreditava que estava fugindo da escola, eu que sempre fui exemplar, educado, mimadinho e fresco tava fugindo com um garoto rebelde que possivelmente ia me foder de novo… eu nem acreditava.
Fomos pra casa do Tony de novo e entramos pela lateral, entramos no “quarto” do Tony já nos beijando, tiramos a roupa e o Tony me pediu um boquete, ele deitou na cama e eu me coloquei entre as pernas dele, e comecei a chupar ele, ele esfregava o pau na minha cara e muito no meu nariz falando:
-queria poder foder esse teu narinho Lucca!
Falou isso passando o pau de um lado pro outro no meu nariz, eu ria e dava “beijo de esquimó” no pau do Tony, e voltei a chupar ele, dessa vez ele ia mais devagar e não me sufocava, eu lambia o saco dele, beijava o pau e mamava a cabeça e o Tony log me puxou pra fazer 69 eu amava tanto quanto ele, Tony colocava meu pau e meu saquinho na boca e dedava meu cuzinho( que tava dolorido) e eu engolindo a rola dele… logo ele paroue falou que iria gozar, me fez deitar de rosto pra cima, e sentou no meu peito e começou a punhetar o pau dele e mandou eu abrir a boca, eu me esticava e lambia a cabeça da rola dele, ele segurou minha nuca e apontou o pau pra minha boca e gozou 4 jatos de porra na minha boca qu encheu, e eu mantive ali logo ele mandou  eu engolir, eu deixei um pouco escorer pelas laterais da minha boca e depois engoli e ele me beijou e me olhou sério:
– tu é a melhor coisa da minha vida!
– e vc é da minha…
Nos beijamos mais e o Tony olhou meu corpo e disse:
-ta na hora de tu goza piá!
Eu não entendi mas o Tony voltou a me chupar, enfiou o dedo do meio no meu cuzinho e mexia muito e com a outra mão apertava meus mamilos, sua chupada era forte e ele sugava muito, e tudo aquilo junto era enlouquecedor pq meu cérebro não conseguia se consentrar em uma coisa,  e eu segurava seu braço e fazia carinho na cabeça dele e cada vez maiso Tony me chupava e me dedava mais forte e eu comecei a sentir uma onde de arrepios, achei q ia morrer e logo meu corpo inteiro entrou numa sensação incrível e meu pau pulsava na boca do Tony, eu relaxei e não sabia o q era, Tony sugou meu pau, depois me beijou e havia algo.diferente na boca dele e ele parou e me olhou:
-teu primeiro gozo piá
E me beijou forte, eu mal mexia e tudo estava intenso… nos aconchegamos e descansamos um pouco depois nos arrumamos e fomo embora, ele me levou em casa, demos muitos beijos de despedida e eu corri pro portão e quando virei ele já estava indo. Tomei um banho, escondi minha sunga, me troquei e fui por curso, quando voltei eu bati uma pro Tony e gozei novamente, pude ver uma aguinha meio esbranquiçada e pegajosa, peguei e lambi, fui dormir relaxado…
De manhã minha mãe sempre me acordava antes de sair e estava chovendo muito e ela falou que se estivesse assim as 11 era pra ficar em casa, cochilei de novo e quando acordei senti alguém do meu lado, eu gelei achei que era uma assombração e nem me mexia, a chuva lá fora era forte e o quarto estava relativamente escuro, eu tentei me acalmar e fui virando aos poucos e quando vi meu corpo todo relaxou. Era o Tony adormecido ao meu lado, sem roupas e seu cabelo estava úmido, eu achei q era um sonho e o beijei, Tony acordou e sorriu me abraçando.
-bah piá, vim atrás de ti!
– vc me deu um susto mas ainda bem q tá aqui.
-achou que era o bicho papão?
– vc vai me papar né hahah
Rimos e eu me aconcheguei nele, nisso o Tony começou q tirar meu pijama de fada ( sim, era um pijama branco com destalhes azuis, curto e com uma fada na blusa), ele tirou minha camiseta, depois meu shorts e mimha cueca junto:
-quero sentir teu corpo Lucca!
Ele disse isso baixinho no meu ouvido, eu ainda estava sonolento e aquilo me arrepiou, então o Tony foi passando a mão devagar em mim, ainda deitado ao meu lado, sentiu meu peito, meus mamilos, minha barriguinha saliente, meu umbigo, meu pau e meu saquinho, minhas pernas, subiu pela lateral do meu corpo, alisou minhas costas, meus ombros, apertou meu bumbum, beijou minha nuca… Tony se deitou encima de mim, abriu minhas pernas se posicionou e foi tentando me penetrar, tirava, cuspia e tentava de novo, eu tava rexalado então aos poucos Tony conseguiu meter o pau inteiro no meu cuzinho, se debruçou sobre mim e nos abraçamos, dessa vez ele foi suave, apaixonado e a sensação era ainda mais incrível, Tony me masturbava e me beijava, me olhava nos olhos e respirava junto cmg, ali éramos um só, ligados pelo desejo e pelo nosso romance, com os estímulos do Tony logo eu gozei mas saiu mais aguado pq eu tava apertado pra ir no banheiro, e logo o Tony me abraçou e meteu um pouco mais forte pra gozar, nesse momento eu olhava o teto do meu quarto cheio de estrelinhas que brilham no escuro, olhei envolta e haviam meus brinquedos, bichos de pelúcia e várias coisas infantis, eu me sentia uma criança mas mesmo assim eu estava de pernas abertas com um adolescente mais velho q eu metendo rola em mim, que logo ia gozar dentro do meu cuzinho e possivelmente iamos passar o dia todo assim, bem logo os gemidos mais fortes do Tony e o calor já conhecido invandindo meu interior me tiraram desses pensamentos, Tony descansava em mim e eu pedi pra ir fazer xixi, Tony só se mexeu pro lado e eu fui pro banheiro pelado, com porra escorrendo pelas minhas pernas, fiz xixi e me limpei, lavei o rosto e voltei pro Tony, ele estava em pé pelado olhando meus cadernos de desenhos:
-bah Lucca tu tá muito bom nisso.
– é, era só o que eu tinha pra fazer sem vc, mas agora eu mal desenho pq vc é o meu passatempo!
Falei isso empurrando ele para a cadeira do pc e subindo em seu colo, e beijando sua boca, o que eu mais gostava era a barbinha do Tony, aliás gostava doa pelos dele, loiros e lisos, eu tinha muita admiração por ele, por sua beleza.
-tu é meu passatempo tbm Lucca!
Falou me beijando.
– então Tony, aproveitando que vc está aqui e estamos felizes eu queria te pergurtar umas coisas.
-bah, que coisas?
– primeiro me promete que vai me falar a verdade e responder td!
– hahah bah piá eu prometo!
Dei um beijo forte nele e olhando no olhos dele perguntei:
– o que aconteceu com vc esses 3 anos?
O rosto do Tony mudou de expressão, ficou serio e meio triste.
-bah, eu prometi né? Bem piá eu fui com meu pai pra porto alegre e lá era foda, eu tive que trabalhar com ele, descarregando caminhão, pegando caixa pesada e saco de areia e cimento!
– por isso vc ficou musculoso?
-é, eu estudava anoite e trabalhava o dia todo, as vezes de sab e dom.
Eu beijei elena bochecha:
-por isso vc tem calos nas mãos agora?
-é Lucca, era foda!
Eu olhei seu abdômen definido, com os pêlos loiros subindo da sua púbis e os hematomas mais claros agora:
– Tony e esses roxos?
Tony respirou fundo, estava inquieto, olhava por lado e tremia a perna:
-meu pai, ele acha que pode me bater assim, mas um dia ele vai se foder cmg.
-por isso vc tá mais violento…
Tony me fuzilou com os olhos, levantou da cadeira e foi me empurrando, pegando suas roupas ainda molhadas da chuva e eu me desesperei achando que tinha ofendido ele e falei:
– Tony, minha vó é advogada e ela gosta muito de vc , ela pode te ajudar, podemos cuidar de vc!
– é, e eu vou ter uma vida de boyzinho como tu tem? Num quarto limpo, com um mont de coisas? Não Lucca, tu é um mauricinho mimado e fresco que não aguentaria um dia da minha vida!
Tony esbravejou isso e havia mais mágoa que raiva em sua voz, eu corri até ele e o abracei forte e já chorando:
– vc é importante pra mim, e eu não quero que vc sofra, eu quero vc bem e a salvo, deixa eu te ajudar…
Tony me abraçou e eu senti uma lágrima cair em mim, Tony estava chorando, ele nunca tinha recebido carinho antes, afeto, amor e ele relaxou nos meus braços e eu falei:
– mesmo que vc não queira que eu por perto eu vou te amar Tony, pq eu te amo de verdade.
-te amo tbm Lucca e quero vc cmg pra sempre.
Depois disso colocamos as roupas do Tony pra secar e peguei umas do meu irmão mais velho( filho do meu pai mas ele raramente aparecia) e fomos tomar café, depois assistimos desenhos, almoçamos e colocamos músicas pra tocar, aquele dia o Tony sorriu o tempo todo e seus olhos voltaram a brilhar, não transamos de novo aquela tarde, apenas curtimos a presença um do outro e foi maravilhoso… depois ele se trocou e foi embora… naquela mesma semana Tony veio na minha casa pra contarmos sobre as agressões que ele sofria pra minha vó mas eu conto no próximo.

Desculpem a demora das postagens, tô trabalhando muito e meu noivo anda estressado… enfim vou postar mais de fim de semana ou quando houver brechas na semana… Obrigado a todos por acompanharem.

Avalie esse conto:
PéssimoRuimMédioBomExcelente
(Média: 4,20 de 5 votos)

Por # # #

8 Comentários

Talvez precise aguardar o comentario ser aprovado
Proibido numeros de celular, ofensas e textos repetitivos
  • Responder F

    Continua por favor. Eu entrei na parte cinco pq pesquisei por tênis e achei esse conto (embora ele não tenha nada a ver com o que eu procurava que era tesão por tênis), ele é muito bom e acabo viciando então não para pfvr.

  • Responder Lucca

    Obrigado pessoal… vou tentar postar mais uma parte essa semana

  • Responder Yudi

    Aiii..Já amo vcs 2….continua rapidoooo♡♡♡♡♡♡

  • Responder Vitor

    Seu noivo e o tony

  • Responder lury

    vc e o Tony não tem mais contato???

    • Saulo Batista

      Parabéns tô amando, não demore pra continuar

    • Lucca

      Iury continua acompanhando pra saber rs

  • Responder lury

    Meu deus esse conto é o meu favorito,eu estou viciado 😐PFV CONTINUA,CONTINUA EU PRECISO SABER O FINAAAL😭😭😭