# # #

Dona Nalva, da pureza a luxúria

2194 palavras | 1 |5.00
Por

Em um dia típico marcamos uma putaria entre Lolla, Gabriel, Marcos e eu Leila no trabalho, o sogro trabalhando na praia e na minha concepção Nalva…

-Também estaria de plantão, mas vamos pular essa parte. Como de costume eu entrei pelo portão da frente e os meninos por cima pela casa da avó. Chegou primeiro Gabriel, minha putinha e subimos para o quarto de Leila (minha noiva para quem não acompanha meus relatos ainda).

Assim que subimos eu já encoxei o viadinho de quebrada, puxando seu cabelo, beijando seu pescoço e segurando o seu pau.

Gabriel então disse;

– Nossa Vi você tá safado hoje hein, não vai nem esperar Marcos e Lolla?

Eu respondi, por que vamos perder tempo minha putinha?

Gabriel sorriu se deixando levar pelos meus beijos e puxões de cabelo, logo chegou também Lolla e Marcos que já na escada estavam a se pegar.
Entrando  no quarto Marcos já disse:

– Olha esses dois nem esperam a gente na estão se pegando, que safados!

– Quem fala já estava chupando os peito da Lolla na escada que eu ouvi, seus putinhos safados! Respondeu Gabriel:

As coisas foram se esquentando, Lolla minha priminha putinha já começou punhetar Marcos e pouco depois já estava caindo de boca. Logo eu já abaixei as calças de Gabriel e comecei a chupar aquele pão razoávelmente grosso, quanto mais eu olhava para o lado e via minha Lolla chupando o pau de Marcos mais eu ficava excitado e bababa no pau de Gabriel. Nessa hora eu levantei puxando Gabriel para próximo de Marcos e enquanto nossa pequena Lolla chupava Marcos que nessa altura delirava eu o arrastava para um beijo triplo entre garotos, eu os beijava de língua enquanto punhetva Gabriel que urrava de prazer. Larguei eles se beijando e com a mão no pau gostoso de Gabriel fui dar uma atenção a minha princesinha e lasquei um beijão gostoso na sua boca depois de ela me chamar de safado. Claro que não pude deixar de dividir o pau de Marcos com ela também, caímos de boca juntos por alguns minutos e logo voltei aos meus afazeres com Gabriel.

Gabriel em tom de desespero disse:

– Caralho vi hoje você está uma putinha da porra desse jeito eu vou gozar logo!

Aquele dia eu estava insaciável, queria rola, buceta, cu e muita porra. Então eu falei com uma cara de putinha safada que eu estava:

–  Então me diz aí o que você quer fazer com sua putinha hoje?

Gabriel que estava acostumado ser nossa putinha, levantou como um macho e me virou de costas encostando minha cara na parede, nessa hora a brincadeira se inverteu, era ele que estava com a boca no meu ouvido e abaixando a minha calça. Logo ele estava lambendo o meu cuzinho e punhetando meu pau, horas o colocando para trás e chupando ele.
Depois de um tempo ele levantou e colocou  a cabeça grossa  da sua rola na beirado do meu cu e disse:
– Hoje eu vou ser seu macho, mas quero te comer no quarto da sua sogra, aqui está muito apertado para nós 4. Nessa hora eu tomei um susto, pensei será que alguém sabe sobre Nalva e eu?
Eu não estava com o pau tão duro que fingi demência e deixei ser levado por Gabriel para o outro quarto, enfim ao era só não sujar nada e arrumar depois, pois não chegaria ninguém tão cedo.
Entramos no quarto, Lolla foi na frente encoxada por Marcos, que logo a virou e caiu de boca naquela buceta já molhada. Aquela coisa estava me deixando cada vez mais loco, então como uma putinha me posicionei de quatro esperando vir aquele pau gostoso daquele mulek, foi então que ele me deu um tapa na minha tava e me virou, me jogou na cama e disse:
– Quero te comer de perna aberta primeiro olhando na sua cara, mas primeiro eu vou te provocar como você faz comigo!

Assim ele fez, caiu de boca no meu pau que estava duro como pedra em seguida enfiou um dedo no meu cú e depois o outro, foi tocando e meu pau endurecendo cada vez mais, então de frango assado ele colocou aquela cabeça grossa no meu cú que gulosos engoliu de uma vez só quase todo aquele pau. Naquela hora eu pensei em Nalva, Leila, Lolla e todas as putinhas que eu já comeu, lá estava eu deitado de perna aberta com um macho em cima de mim. Logo começou um vai e vem gostoso meu pau mais duro que uma pedra, Gabriel deitou sobre mim entrelaçou os seus dedos nós meu e lascou bjo na boca eu sentia meu cu tremer de tesão com aquela rola gostosa me abrindo. Logo também eu percebi que Lolla também já estava sendo fodida por Marcos ela gemia gostoso e sorria para o primo tarado.
Depois de um tempo Gabriel me colocou de ladinho acariciando meu peito e metendo aquela rola gostosa eu estava indo a loucura, com vontade de gritar para o mundo como estava bom aquilo ali. Pouco tempo depois eu levantei e dei um beijo de língua na em Gabriel e subi em cima dele e sentei naquela pica gostosa, fui sentando aos poucos até encontrar uma posição confortável, entrou toda aquele rola gostosa, eu levemente comecei subir e descer com as mãos no seu peito, Gabriel começa a gemer e diz:

– Porra Vi você tá foda, que puta safada você está hoje tô quase gozando!
– Não goza! Eu respondi;
– Ainda quero sentar muito nessa pica gostosa.
Nesse momento eu beijei ele na boca para ele segurar mais. Quando parei vi que Lolla estava chupando o pau do Marcos, então olhando isso eu falei:

– Vem cá seu maníaco! Deixa eu dar uma mamada gostosa nessa rola enquanto sento nessa pica aqui.

Lolla então veio e guiou a pau de Marcos até minha boca, e dividimos gostoso esse pau lambendo, chupamos a cabeça as bolas, teve  uma hora que Marcos falou;

–  Isso viadinho safado, ficou com saudade da minha rola depois da quel dia do motel né safado? Chupa gostoso, chupa minha putinha.

Nessa hora eu só confirmei e cai de boca, Lolla ainda nem sabia o que tinha rolado, mas não ligou. Então eu engoli toda aquela rola até engasgar e dar aquela cuspidona na rola dele, estava com tanto tesão que comecei a kikar no pau de Gabriel  com tanta força que ele gozou gritando:

– Caralho Vittors não aguento mais vou gozar nessa a raba gostosa !!!! Ahhhhh caralho.

Eu senti um jato de porra dentro do meu cú quente como eu nunca havia sentido. Então sai de cima e tirei aquele pau sujo de porra e limpei o que havia sobrado e Gabriel foi se lavar. Nisso Marcos disse;

– Esse fraco do Biel  nem aguentou comer esse cu direito agora é minha vez tô afim de comer esse cu gostoso!

Eu respondi:

  – Vem meu maníaco vem que hoje eu estou afim de rola e vou fazer Lolla gozar, pois estou doido por essa bucetinha gostosa!

Eu puxei Lolla comecei a beija-la e trouxe Marcos também começamos a chupar o pescoço de Marcos como uma dupla de putinha, passávamos a mãos na sua rola já dura e pouco tempo depois estávamos caindo de boca, enquanto chupava, eu com um dos dedos já molhados colocava o dedo na região da próstata dele e ele pirava com isso, eu chupava uma bola, Lolla chupava outra num vai e vem bem gostoso enquanto Marcos dizia:

  – isso minhas putinhas, chupam seu macho que eu vou comem bem vocês depois.

Marcos se sentia um garanhão nem parecia que tinha um dedo de um macho enfiado no seu cu. Logo levantamos e eu virei de costas para Marcos onde pude sentir aquela rola dura, coloquei Lolla na cama de perna aberta e de quatro como uma puta novamente fiquei, mas agora para outro macho! Eu chupava a buceta de Lolla enquanto sem jeito o machão enfiava a cabeça no meu cuzinho eu dei um gemida gostosa, e empurrei a bunda para trás e aquela rola comprida logo entrou de uma vez. Porra que tesão do caralho eu senti nesse momento que até mordi mais forte o grelinho de Lolla, que por sua vez gritou forte também. Marcos deu um tapa na minha bunda e falou:

–  Rebola gostoso para o seu macho sua putinha!

Lolla ao ver eu me empolgando rebolando,  também disse:

– Me chupa gostoso seu viado safado, pois eu quero ver se vc gosta tanto da minha buceta como tá gostando dessa rola!

Eu calado apenas sendo fodido por um novinho maníaco com fôlego de quem passava horas vendo pornografia e praticamente engolindo a buceta da minha novinha Lolla que forçava minha língua na sua boceta melada. Enquanto eu rebolava,em  um momento o pau de Marcos saiu do meu cu eu aproveitei pra subir em cima de Lolla e  enfiar meu pau grande e grosso na minha pequena priminha. Lolla estremecia de prazer e falou olhando Marcos:

– Isso que é uma rola de verdade, isso que é macho como eu adoro essa foda gostosa.

Apesar de Lolla se divertir com o primo ela ainda tinha uma bronca de ele ter tentado comer ela a força!
Mas que se fodeu nessa hora foi eu pois Marcos deu umas 3 cuspida no meu cú e socou com força e de vez. Marcos não tinha uma rola grossa como Gabriel, mas em compensação era uma rola maior devia ter uns 16/17 cm. O filha da puta estava me comendo agora com raiva, mas estava gostoso! Ele me comendo e eu traçando Lolla em um sanduíche que eu estava sendo o recheio. Ficamos um tempo assim até pedi para Lolla ficar e quarto pensa em alguém que aprendeu bem, era lindo como ela ficava de quatro parecendo uma profissional do sexo, muitas mulheres mais velhas não ficavam assim, nem mesmo Leila minha noiva ficava assim. Eu coloquei meu pau naquela xotinha molhada ela ficava louca rebolava até que as pernas não aguentaram e ela gozou intensamente a ponto de molhar a cama, eu puxei suas pernas, montei em cima enquanto Marcos socava firme no meu cú. Nesse meio tempo Gabriel já tinha saído do banho e batia uma olhando a putaria. Eu o chamei e coloquei seu pau na boca de  Lolla que chupava cansadamente, depois de ter um orgasmo.
Nós ficamos dividindo aquela rola grossa por um tempo até que ouço;

– QUE SEM VERGONHISSE É ESSA NA MINHA CAMA??

Junto com uma pancada na porta , nessa hora eu fiquei branco, sem reação com um pau no rabo, uma buceta embaixo de mim outro pau na boca! Eu entrei em um loop infinito por alguns segundos tentando dizer algo. Mais uma vez ouvir outro grito, deda vez com um xingamento, o que não era do seu feitio:

– Alguém pode me dizer que porra está acontecendo aqui?

Nisso Marcos leva um tapa nas costas e acaba tirando seu pau do meu rabo, Gabriel assustado também já tira o pau duro da minha boca e eu com vergonha acabei saindo de cima de Lolla e virei para encarar uma das situações mua estranhas da minha vida, quando virei seus gritos sumiram e um silêncio no ar tomava conta daquele quarto, eu ainda com pau duro e os meninos também, e vejo Nalva minha amada sogra mal comida olhando com uma olhos de tarada, para os nossos corpos, na verdade bem assim por dizer para os nossos paus. Eu continuei sem dizer nada mas Marcos assustado falou:

– Calma tia, não é oque a senhora está pensando!

– Não é o que estou pensando? Perguntou Nalva e continuou:

– Você com esse pau duro na mão, com essa viadagem da preula, ainda por cima no meu Quarto?
– Eu sempre soube que no fundo Gabriel era viado, mas você todo machão?

Não sei porque mas eu fui esquecido até aquele momento, eu pensava fudeu pra mim, vou perder minha noiva e também a “comida” gostosa da minha sogra. Eu sabia que Nalva não ia muito com a cara de Marcos que por sua vez era aquele mulek mimado sem educação.

– Tanto que ele retrucou:

Viado o caralho, voou mostrar quem é o viado!

Nalva respondeu:

– Ahh, você vai mostrar, o se vai!!

Mas o restante desse relato fica para uma outra hora! Espero que tenho gostado quem ainda não me acompanhe procure mais sobre meus contos com Dona Nalva, minha sogra safada e sua família.

Avalie esse conto:
PéssimoRuimMédioBomExcelente
(Média: 5,00 de 3 votos)

Por # # #

1 comentário

Talvez precise aguardar o comentario ser aprovado
Proibido numeros de celular, ofensas e textos repetitivos
  • Responder Antoniogg

    Finalmente Nalva apareceu! Estou curioso como isso se desenrolou!